Infecções cirúrgicas - Apostilas - Ginecologia_Parte2, Notas de estudo de Ginecologia. Faculdade Medicina Estadual (ISEP)
Pipoqueiro
Pipoqueiro11 de Março de 2013

Infecções cirúrgicas - Apostilas - Ginecologia_Parte2, Notas de estudo de Ginecologia. Faculdade Medicina Estadual (ISEP)

PDF (3 MB)
16 páginas
740Número de visitas
Descrição
Apostilas de Ginecologia sobre o estudo das infecções cirúrgicas, Síndrome de Fournier, Adjuvância da Oxigenioterapia Hiperbárica, Infecções Intra-abdominais e Retroperitoneais.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 16
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 16 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 16 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 16 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 16 pages
baixar o documento
Slide 1

Síndrome de Fournier

É um tipo de fasciíte necrotizante grave de períneo ocorrendo sepse, necrose extensa.

Ocorre mais frequentemente em pacientes imunocomprometidos e em diabetes melitos.

Além dos desbridamentos seriados é necessário derivar o trânsito intestinal (colostomia), suporte nutricional, antibioticoterapia e suporte hemodinâmico.

Adjuvância da Oxigenioterapia Hiperbárica Arma terapêutica útil no manejo de feridas infectadas e de difícil

cicatrização.

Indicada: Síndrome de Fournier, embolia gasosa, lesões actínicas.

Pressões que variam: 2 a 3 atmosferas.

Efeitos biológicos: aumento da concentração de oxigênio, estímulos fagocitário dos leucócitos, proliferação do fibroblastos, síntese do colágeno, osteogênese, angiogênese.

Efeitos físicos: diminui o edema, diminui as bolhas gasosas.

Obs: É necessário desbridamentos, antibioticoterapia, suporte nutricional, hemodinâmico, e psicoterapia.

• Infecções Intra-abdominais e Retroperitoneais

- Infecções graves, mortalidade alta (5 a 50%); Apresentam: febre, taquicardia, hipotensão  sepse  pode evoluir com síndrome da disfunção de múltiplos órgãos.

- Infecção polimicrobiana.

DIAGNÓSTICO: exames de laboratório, Ultrassonografia abdominal ou Tomografia Computadorizada de abdômen – localização precisa dos abscessos.

TRATAMENTO:- Cirúrgico: controlar o foco infeccioso, drenagem dos abscessos e

correção dos problemas anatômicos subjacentes que causaram a infecção.

- Antibioticoterapia eficaz. - TC permite drenagem percutânea em abscessos selecionados.

Antibióticos com Atividade Aeróbica e Anaeróbica de Amplo Espectro

• Aeróbica: Gentamicina,Amicacina, Cefotaxima,Ceftriaxona, Cefepima, Ciprofloxacina Levofloxacina e outros

Anaeróbica: Clindamicina, Metronidazol, Penicilina com

inibidor beta- lactamase.

Peritonite

Peritoneostomia

Patógenos em infecções cirúrgicas

A maioria das infecções presentes são causadas por bactérias endógenas.

Conhecer a flora microbiana normal – escolha de antibióticos profiláticos antes de estabelecimento de infecção.

Se já houver infecção, iniciar terapia empírica  enquanto aguarda cultura.

Infecção por fungos invasores oportunistas em pacientes com graves infecções cirúrgicas que receberam antibióticos de amplo espectro suprimindo a flora endógena.

Sistematização da classificação das bactérias para a escolha de

antimicrobianos

Superinfecção É uma nova infecção que se desenvolve durante o

tratamento com antibióticos para a infecção original, ocorre pressão seletiva sobre a flora endógena e sobre as bactérias exógenas. Pode ocorrer em 2 até 10% dos pacientes em tratamento com antibióticos internados.

As bactérias que permanecem são resistentes aos antibióticos usados.

Infecções do trato respiratório são superinfecções comuns que ocorrem durante o tratamento de infecção intra- abdominal.

Superinfecção A colite associada ao uso de antibióticos é causada pelo

patógeno entérico C.difficile observada após o tratamento com qualquer antibiótico, exceto com a vancomicina.

O tratamento é de suporte, administrando-se fluídos e eletrólitos e retirando o antibiótico implicado; O uso de Metronidazol oral é a escolha inicial se não for muito grave. Se grave ou não havendo resposta utiliza-se a Vancomicina.

• Melhor ação preventiva é limitar a dose e a duração da antibioticoterapia.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária – (ANVISA)

A ANVISA adotou medidas para prescrição de antimicrobianos com maior responsabilidade para diminuir a resistência bacteriana, a morbidade e a mortalidade devido a doenças infecciosas.

Exigências para a compra do antibiótico: Receituário com duas vias, endereço e CPF do médico, documentação

e endereço de quem está comprando a medicação. OBS: Está incluído medicações tópicas cuja fórmula contenha

antibiótico.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 16 pages
baixar o documento