manual - 090520231926 - phpapp01, Manuais, Projetos, Pesquisas de Química
tuanny-brito-11
tuanny-brito-11

manual - 090520231926 - phpapp01, Manuais, Projetos, Pesquisas de Química

93 páginas
26Números de download
1000+Número de visitas
100%de 0 votosNúmero de votos
Descrição
Normas ABNT para produção de trabalhos.
30 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 93
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 93 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 93 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 93 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 93 páginas
ÚS SÃO CAMIL MANUAL DE ORIENTAÇÃO | TRABALHOS ACADÊMICOS VS UNIÃO SOCIAL CAMILIANA - MANTENEDORA DIRETORIA ESTATUTÁRIA Pe. José Maria dos Santos Presidente Pe. Niversindo Antonio Cherubin Vice- Presidente Pe. Antonio Mendes Freitas Primeiro Tesoureiro Pe. Justino Scatolin Segundo Tesoureiro Pe. Mário Luís Kosik Primeiro Secretário Pe. José Carlos Dias Sousa Segundo Secretário DIRETORIA EXECUTIVA Pe. Leo Pessini Superintendente Pe. Christian de Paul de Barchifontaine Vice-Superintendente Antonio Celso Pasquini Diretor Geral Patrícia Horta A. Finotti Diretora de Ensino Ficha Catalográfica elaborada pela Biblioteca Pe. Inocente Radrizzani Manual de orientação para trabalhos acadêmicos / União Social Camiliana, Centro Universitário São Camilo e Sistema Integrado de Bibliotecas Pe. Inocente Radrizzani. -- 2.ed. rev. São Paulo: União Social Camiliana; Centro Universitário São Camilo, 2009. 85p. 1. Metodologia da pesquisa 2. Normalização |. União Social Camilianal Il. Centro Universitário São Camilo III. Sistema Integrado de Bibliotecas Pe.lnocente Radrizzani IV.Título. CDD: 001.42 VS VISÃO Ser uma organização de referência nas áreas da educação e da saúde, com ações que promovam a melhoria da qualidade de vida na sociedade. MISSÃO Promover o desenvolvimento do ser humano por meio da educação e da saúde, segundo os valores camilianos. SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... reeeeraeeeerneae aerea eearae aerea cena nearareie 1 2 TRABALHOS TÉCNICO-CIENTÍFICOS: UMA CONCEITUAÇÃO... 2 2.1 Anteprojeto de Pesquisa............iiiiiiissieraereeaeereraaaeaa nana raanaa 3 2.1.1 Quando elaborar um anteprojeto? ...........cii sisters 3 2.1.2 Que elementos devem constar em um anteprojeto? ............ 3 2.2 Projeto de Pesquisa..............cis ie sereraneaa rear a nana aaa anaranaaa 3 2.2.1 Elementos necessários à constituição de um Projeto de Pesquisa ...... iii eererrrea era eraa rea eeaa aaa rena aaa arena nara aan 4 3 TRABALHOS ACADÊMICOS 3.1 Conceituação... 3.2 Elementos e Estrutura de Trabalho de Conclusão de Curso, Monografia, Dissertação e Tese........iiiiieaiaeaeeeerar een eean aaa reean anna a arenas 7 3.2.1 Elementos pré-textuais ............ci iss ereeaeeere seara aereas 8 3.2.1.1 Capa ss isireieeerar rea eran aaa arara nara eae eae 8 3.2.1.2 Capa de CD-ROM..........iiciiiisserererereraranaanaaaererereraeasaaaanaaa 9 3.2.1.3 Lombada.........cccreeeeesererreereereererennnaaaeareereerereeanaaneaneeatertereaesa 10 3.2.1.4 Folha de rosto.......csseteaeeerereeereeanananeeareerereeerenaaaneaneereereerenasa 10 3.2.1.5 Ficha Catalográfica 3.2.1.6 Errata... 3.2.1.7 Folha de Aprovação . 3.2.1.8 Dedicatória .......... 3.2.1.9 Agradecimentos ............. sister arenas araras 13 3.2.1.10 Epígrafe .......... series a ares ae aerea arara arena 13 3.2.1.11 Resumo em língua nacional...............iis ssa 13 3.2.1.12 Resumo em língua estrangeira.............ciiis sisters 14 3.2.1.13 Palavras-chave (Descritores)... 15 3.2.1.14 Listas de figuras, lista de tabelas, lista de abreviaturas, siglas e lista de símbolos 3.2.1.15 Sumário... 3.2.2 Elementos textuais 3.2.2.1 Introdução ........ 3.2.2.2 Objetivos .......... sr ireraeaara renas a nara arara narrar 18 3.2.2.3 MétodOS.......crcerertarenarneareererererenana nan neeareerereee nana neanrertereerenasa 18 3.2.2.3.1 Ética... aaa 18 3.2.2.4 Resultados .........cteerenerreerererereneaannaneeacereereeennaaaneaeeeteerareanasa 18 3.2.2.5 Discussão ........cseeererererenenean aerea ererenenanan aan ararrerenenerenaannnnas 19 3.2.2.6 Conclusão ......... 3.2.3 Elementos pós-textuais 3.2.3.1 Referências ............ 3,2.3.2 Glossário ......creerertaeenaaneareeaeereereae nana neeareererere renan aneanrertereanasa 20 3.2.3.3 Apêndices............ ss sirera ara ae arara nara seara renan aaa 20 3.2.3.4 Anexos .......ciciceeeerereerereneraneanan eae a arena nenenan aan an ae rererenerenannnnnas 20 3.2.3.5 Índice... arame 20 3.3 Regras de apresentação..............ici isenta 20 3.3.1 Formato..........ciceereeeerererenenean aerea era nenenan aan ana aererenenenaanennanas 20 3.3.1.1 Capa ss isireieeerarara arara aa eram anna arena anne 21 3.3.1.2 Folha de rosto. 3.3.1.3 Parágrafos. 3.3.1.4 Seções...... 3.3.1.5 Notas.........ccccieeereererereneranean anca aerereneaanaaaan anna aerereneraananannas 21 3.3.1.5.1 Notas de rodapé ............is serenas 21 3,3.1.5.2 Notas de referência........sterereeeenareeareererererenenannaaeentereereaesa 22 3.3.2 Numeração de seções e subseções .............ciiieseearias 22 3.3.3 Paginação ........ciiisteeaeaaraaan eae narra nene arrancar aan ee arara na 22 3,4 DadoS ......sertrereerererereeerenaannerneaneererrrerennananaaeeaieecerrerranananararareerto 23 3,4.1 Tabelas... 3,4.2 Gráficos 3.4.3 Figuras 3.4.4 Quadros.. 3.5 Encadernação e Mídia Eletrônica ..........i iii 25 3,5.1 Trabalhos de Conclusão de Curso .......stteneeerereeeeeeaaaeaneeerereerenesa 25 3.5.2 Monografias ...........i ssa rear ana rea aaa aa nana aaa 26 3.5.3 Dissertações..........iiieeetasiaaeeaeaa erra enn aerea ane aee area acena nr anan aa 26 4 ELEMENTOS DE APOIO AO TEXTO ............. cics treranererarerenanareranaaners 27 4.1 Citações ........isciiaerareneer era anee arara rea an aaa ee arena aaa nana 27 4.1.1 Sistema numérico ... 4.1.2 Sistema autor-data.. 4.1.2.1 Citação direta ou textual 4.1.2.2 Citação direta até 3 linhas 4.1.2.3 Citação direta com mais de 3 linhas .............ci iii 28 4.1.2.4 Citação com destaques, supressões e interpolações no texto .......... 28 4.1.2.5 Citação em língua estrangeira... aereas 29 4.1.2.6 Citação indireta............. iscas ee aaa eee arena nea aan 29 4.1.2.7 Citação pelo título do documento .............ii sita 29 4.1.2.8 Citação de autores................... 4.1.2.9 Citação de comunicação pessoal 4.1.2.10 Citação de citação ................. 5 NORMAS PARA REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS (ABNT e Vancouver)..........c sister ana er seara rena arena aaa a aaa a nana aaa nara 33 5.1 Elementos essenciais.......eneerereeereeanaareeaeeerereee renan aneaneereereerenasa 33 5.2 Elementos complementares.............iiiiiis eee 33 5.3 Localização ............ sra aaa ae aaa ana a ear 33 5.4 Ordem dos elementos.........ccreeaeereereaenaearaeaeeerereeeeennaaneaneeatereereaesa 33 5.5 Modelos de referências ......sttereereereaenananaeaeeerereeeeennaaneaneeatereereass 33 5.5.1 Monografia no todo ................. 5.5.2 Monografia considerada em parte. 5.5.3 Dissertações e teses... 5.5.4 Publicações periódicas............ciis sereias araras 41 5.5.4.1 Publicações periódicas no todo .............iiis isa 41 5.5.4.2 Parte de publicações periódicas... 42 5.5.5 Eventos... rereeeerereneranean ana aererenenanaa nana aererenerennannnnas 43 5.5.6 Vídeos, DVD's, filmes, fitas de vídeo .............iiiiiiias 44 5.5.7 Fotografias... sereraaaara rear ana ea aaa aa aaa ana 45 5.5.8 Documentos de acesso exclusivo por meio eletrônico 6 OUTROS TRABALHOS: CONCEITUAÇÃO E ESTRUTURA . 6.1 Esquema... 6.2 Resumo... 6.2.1 Redação de resumos... aeeasareaaaa aerea nara ana 49 6.2.1.1 Procedimentos para redação de resumo de livros... 49 6.2.2 Tipos de resumo ........cisiiiiris eee aare near ea aaa ee arara nana nara 49 6.2.3 Extensão de resumoS.........umntaeanenererereeerenanaeaneeeeererraerananacaro 50 6.3 Resenha .......ceaneerreereeererereanananeaeeaerererereren aaa neaneereereeraaranarararo 50 6.3.1 O que deve fazer o resenhista............... isentas 50 6.4 Fichamento ........ 6.4.1 Composição das fichas 6.4.1.1 Ficha de indicação bibliográfica 6.4.1.2 Ficha de transcrição............... 6.4.1.3 Ficha de resumo........cccrcrreeeeereneanenererereeereeaaneaneearererererennaranaro 53 6.4.1.4 Ficha de esquema...........iiiciiisseaeeaeare aaa arara nana nea aereas 53 6.4.1.5 Ficha de comentário........cteesteeanerererereeereeaaneaneeeeererranrananaeare 54 6.4.2 Tamanho e localização das fichas ............iiiseareaeeas 54 6.5 Trabalho de Revisão e Atualização (Pesquisa Bibliográfica)................... 55 Manual de Orientação Trabalhos Acadêmicos 6.6 Relatório......esereres 6.6.1 Relatório técnico-científico 6.6.1.1 Estrutura................ 6.6.2 Relatório de viagem ou visita ..............cisiiiiicireeaeereaerea arenas 59 6.6.2.1 Estrutura............c iii rererenerenenannan eee rererenenenaa nan acareererenents 59 6.6.3 Relatório de estágio... eras e nana errar e aa area anna 60 6.6.3.1 Estrutura... itteeeeeerererenenenenenena nar rererenenanaa aan aacaraererenennats 60 6.6.4 Relatório de aula demonstrativa, palestra e similares ............... 61 6.6.4.1 Estrutura..........c.c iii steeeeeerererenerenenennan eae rererenenanaananaacaraererenents 61 6.7 Trabalhos publicáveis em periódicos científicos...............ciis 62 6.7.1 Artigo Científico . 6.7.1.1 Estrutura 6.7.2 Ensaio ...... 6.7.3 Comunicação científica ............iii iris eairee arara nana 64 6.8 Painel / Banner... eee eeree ee rer aerea era e aa ere nene rece nneens 65 6.9 Seminário .......iceeeeareereereerereeanananeaeeaeerrererea anna neareneeererea arena rara 66 6.10 Projeto de Evento............. ires eeaiar eae ee arena ana 68 6.10.1 Etapas do projeto de evento .............ii iene aires 68 REFERÊNCIAS... 70 ANEXOS... errererarereraeaarerena era naan arena arena nar eea ana raa nero nana renan arenas 72 ANEXO 1 - Custo ou orçamento - Memória de Cálculo ANEXO 2 - Modelo de Cronograma ANEXO 3 - Resolução Nº 196, de 10 de Outubro de 1996 1 APRESENTAÇÃO A União Social Camiliana, Mantenedora das Instituições de Ensino Superior da São Camilo, preocupada com a produção acadêmica e disseminação de conhecimentos produzidos em suas unidades educacionais elaborou junto às mesmas este Manual de Orientação a Trabalhos Acadêmicos, a fim de padronizar suas publicações acadêmico- científicas. A normalização ou padronização é uma exigência da comunidade de pesquisadores como forma de facilitar a escrita, a leitura e a disseminação dos trabalhos de natureza científica. Tomando como referência as diretrizes nacionais e internacionais adotadas pela comunidade universitária, foi desenvolvido este Manual coordenado inicialmente pela Comissão de Ensino da União Social Camiliana, em 2006. O Manual de Orientação a Trabalhos Acadêmicos que colocamos à disposição é resultado do esforço e envolvimento coletivo de colaboradores do Centro Universitário São Camilo - São Paulo e do Centro Universitário São Camilo - Espírito Santo, por meio do trabalho de seus docentes, responsáveis pelos conteúdos de Metodologia Científica e revisão gramatical, e ainda, da equipe de Bibliotecários do Sistema Integrado de Bibliotecas Pe. Inocente Radrizzani - São Paulo, responsável pela finalização do documento e apresentação das normas ABNT e Vancouver. O objetivo deste Manual é auxiliar todos aqueles que desejarem orientação na elaboração de trabalhos acadêmicos, facilitando a escrita e leitura para a comunidade acadêmica e científica. Destaca-se que as normas aqui apresentadas podem e devem continuar sendo revisadas, ampliadas e melhoradas, o que deverá ser feito sempre que necessário, em atendimento às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT e o International Committee of Medical Journal Editors para as normas Vancouver. A continuidade deste trabalho de atualizações futuras ficará sob a responsabilidade da Comissão de Bibliotecas da União Social Camiliana. Por fim, este Manual representa o alinhamento às normas nacionais e internacionais na construção de uma identidade e unificação de procedimentos dos trabalhos acadêmico-científicos dos alunos camilianos. Agradecemos a todos que de forma direta ou indireta participaram deste documento. Diretoria de Ensino da Mantenedora 2 TRABALHOS TÉCNICO-CIENTÍFICOS: UMA CONCEITUAÇÃO De modo geral, pode-se afirmar que trabalhos técnico-científicos são textos que expressam determinado conhecimento do mundo e que se diferenciam de outras expressões simbólicas e de outras expressões do conhecimento, pois constituem-se de textos sistematizados (frutos de pesquisa, elaboração e compreensão) e organizados considerando orientações, que sustentam as produções da comunidade científica. Nesse sentido, devem ser elaborados de acordo com as normas preestabelecidas e com os fins a que se destinam, contribuindo, dessa forma, para a compreensão dos saberes produzidos pelos homens, refletindo suas dúvidas, suas certezas e, mais ainda, os processos resultantes do enfrentamento com o mundo. É por meio da produção desses trabalhos que se torna possível participar dos espaços de conquista nas diversas áreas do saber, inserindo-se na história da formação do conhecimento. Produzir conhecimento pressupõe produzir textos escritos - e é nessa escrita que o conhecimento se manifesta, revelando a compreensão da realidade, considerando-se os elementos constitutivos do universo de relações culturais, sociais e interpessoais vivenciadas, condicionantes da produção escrita dos indivíduos. O mundo pós-moderno exige do sujeito a habilidade de saber comunicar aos outros os posicionamentos, os argumentos, os pontos de vista a respeito de um assunto, independentemente de estar em uma universidade. Tal comunicação, prioritariamente escrita, exige, e pressupõe, uma participação mais efetiva na cultura do mundo letrado. Trata-se, em suma, do lugar da sistematização, em que a organização do pensamento se faz abrindo-se a possibilidade de uma formulação própria. É por meio da produção escrita de trabalhos técnico-científicos que se desenvolve a autonomia e se adquire a capacidade de aprender e de socializar o saber produzido. São, pois, trabalhos que exigem sempre fundamentação, questionamento e diálogo permanente com autores e teorias distintos. Trabalhos técnico-científicos podem-se constituir em observações e (re)produções das experiências e dos resultados já apresentados por outro, em trabalhos experimentais, cobrindo os mais variados campos do conhecimento, bem como em trabalhos teóricos, reveladores de análise ou de síntese do conhecimento, levando à produção de conhecimentos novos. Além do respeito à especificidade própria de cada produção (a ser apresentada a seguir), esses trabalhos deverão respeitar a funcionalidade de um texto escrito no que diz respeito aos princípios de textualidade, quais sejam, a articulação e a coerência textual. Devem apresentar-se com vocabulário próprio e, segundo Santos (1999), o estilo de redação deverá contemplar a brevidade (usar palavras, frases e parágrafos curtos), concretude (dizer claramente, minimizando interpretações), consistência (termos correntes e aceitos), objetividade, fluência (vocabulário, gramática, pontuação e composição adequados) e, quando for o caso, a impessoalidade, elementos que caracterizam a cientificidade do que se quer apresentar. 2.1 Anteprojeto de pesquisa Um anteprojeto caracteriza-se como uma elaboração prévia de um projeto a ser desenvolvido. Trata-se, pois, de um texto que possui caráter provisório, que assim se caracteriza por permitir alterações no seu processo de reelaboração, porque nem sempre é fácil determinar com bastante clareza, logo de início, o que e como se pretende investigar. O anteprojeto serve, pois, como uma primeira versão e se constitui em ponto de partida para discussão entre os pares, no caso, o professor-orientador da pesquisa e o aluno. 2.1.1 Quando elaborar um anteprojeto? Após conhecimento prévio do assunto, adquirido por meio de leituras com base em uma bibliografia selecionada e tomada a decisão de realizar a pesquisa, deve-se redigir o anteprojeto. Essa atividade colabora para o exercício do caminho da investigação: reflexão, delimitação e tomada de decisão. 2.1.2 Que elementos devem constar em um anteprojeto? Um anteprojeto deve apresentar alguns dos elementos básicos do Projeto de Pesquisa: introdução, com síntese do referencial teórico embasada na literatura, formulação do problema, objetivos e hipóteses quando houver (SANTOS, 1999). 2.2 Projeto de pesquisa Projeto de Pesquisa é o meio utilizado para se comunicar ou explicitar o rumo de uma pesquisa a ser desenvolvida. Não é possível pesquisar sem, antes, projetar, ou seja, o que transforma uma investigação em ciência é exatamente o seu caráter de planejamento, de orientação, de reflexão e sistematização considerando uma base teórica. Para evitar imprevisto e garantir a objetividade necessária, é preciso, pois, explicitar os passos a serem seguidos e o que se pretende alcançar com tal pesquisa. É importante ressaltar que qualquer atividade pedagógica desenvolvida, obedecendo a critérios de observação, comparação e interpretação, é considerada atividade de pesquisa. 2.2.1 Elementos necessários à constituição de um Projeto de pesquisa Título Sintetiza o conteúdo do trabalho. Instituição executora Nome: Endereço: Telefax: e-mail: Localização Mencionar o local e/ou região onde o projeto será executado. Período de execução Registrar o período (mês e ano) necessário para o desenvolvimento do projeto com previsão de início e término de execução. Introdução Tem a função de introduzir o leitor no assunto. Deve explicitar os pressupostos teóricos, descrevendo o que é conhecido sobre o tema, quais as questões já respondidas por outras pesquisas. O referencial tem ainda a função de fornecer subsídios para a problematização do tema ou a realidade observada. Deve-se esclarecer que o conhecimento acumulado não é suficiente para a solução do problema em foco. Formulação do problema O pesquisador, diante de um tema mais geral, realiza escolhas, faz um recorte e seleciona um aspecto, um dado da questão para realizar seus estudos de aprofundamento. Após definir e delimitar o problema de pesquisa, este deverá ser enunciado de forma interrogativa. A pergunta deve ser clara e objetiva, indicando os aspectos e/ou variáveis que o pesquisador pretende trabalhar. É importante ter em mente as seguintes indagações: esse é realmente um problema que merece investigação? Trata-se de uma pergunta que atende às indagações que realmente me coloco? Tal pergunta possibilita a investigação? Justificativa Trata-se de procurar explicar a importância de se pesquisar o que se pretende. A justificativa deve dar conta, com clareza, das razões que justificam a realização da pesquisa. Deve conter informações, tais como, necessidade e viabilidade do projeto, relevância social, econômica, cultural ou ambiental do problema a ser pesquisado; contribuição da pesquisa para o avanço do conhecimento; descrição da situação atual e análise sucinta do passado e do presente, com informações quantitativas e qualitativas sobre a área a que o projeto se destina; abrangência geopolítica. Formulação de hipóteses (Somente para projetos de pesquisa das ciências naturais e da saúde). As hipóteses são formulações de soluções provisórias a respeito de determinado problema em estudo. Portanto, são formulações que serão confirmadas ou não, considerando a pesquisa feita. A hipótese deve ser enunciada de forma clara, indicando a relação entre as variáveis que deram origem ao problema de pesquisa. Deve, também, ser formulada com fundamento em conhecimento teórico e raciocínio lógico, sendo, por isso, denominada hipótese científica. Faz-se necessário atentar para o fato de que existem hipóteses de partida (as iniciais) e as de chegada (finais); e cuidar para que, na tentativa de demonstrar as hipóteses, o trabalho não fique tendencioso. Objetivos Depois de delinear os elementos anteriores, fica mais fácil determinar os objetivos a serem alcançados com a pesquisa. Pode-se formular um objetivo mais amplo, articulando-o aos objetivos mais específicos. Os objetivos devem ser centrados na busca de respostas para as questões relevantes identificadas no problema de pesquisa e que ainda não foram respondidas por outras pesquisas. Devem ser bem definidos, claros e realistas, mantendo coerência com o problema que deu origem ao projeto. Segundo Richardson et al. (1999), os objetivos geral e específico apresentam as seguintes características: Objetivo geral Define, de modo geral, o que se pretende alcançar com a realização do projeto. Objetivo específico Define etapas que devem ser cumpridas para alcançar o objetivo geral, ações que devem ser desenvolvidas. Material e métodos ou casuística e métodos Deve-se apresentar o tipo de pesquisa quanto à natureza, aos objetivos, aos procedimentos e ao(s) objeto(s). Neste último caso, explicitar se a pesquisa confirma-se como de campo, bibliográfica ou laboratorial. Deve-se informar a respeito dos métodos de procedimento, de abordagem e das técnicas utilizadas. Considerando que todos os experimentos envolvem variáveis, deve-se explicitá-las, fixando, portanto, as variáveis dependentes e independentes e o objeto material ou formal da pesquisa, esclarecendo, ainda, os critérios de inclusão e exclusão que levaram à escolha da amostra, (objeto) da pesquisa. O investigador deve apresentar quais procedimentos serão empregados na busca das respostas às indagações formuladas. Para tanto, deverá apresentar uma definição da amostra e quais técnicas serão utilizadas na coleta de dados (entrevista, observação, formulário, consulta a arquivos e outros). Referências Relacionar a literatura citada no corpo do projeto, seguindo orientação contida neste guia, itens 3.2.3.1 e 5. Plano de Trabalho O projeto deve apresentar um plano de trabalho contendo, de forma sucinta e objetiva, as principais etapas (atividades) a serem desenvolvidas durante sua execução em função do tempo (mês, semana). Deve, também, compatibilizar as etapas com a metodologia a ser aplicada no desenvolvimento do projeto (Anexo 2). Orçamento Este item estará presente nos projetos que pleiteiam financiamento para sua realização. Deve prever: gastos com pessoal, material de consumo, material permanente e demais serviços. Recursos humanos Relacionar o responsável (coordenador) pelo projeto e os demais colaboradores, com respectiva formação acadêmica, titulação e percentual de dedicação ao projeto. Apêndices e Anexos Conforme itens 3.2.3.3 e 3.2.3.4 3 TRABALHOS ACADÊMICOS 3.1 Conceituação Trabalho Monográfico em uma Disciplina: documento escrito visando à aferição do trabalho escolar em uma ou mais disciplinas, solicitado e orientado por professor(es) de uma ou mais disciplinas. Trabalho de Conclusão de Curso: resultado de um estudo visando à conclusão de um Curso de Graduação. Monografia: resultado de um estudo visando à obtenção do título de Especialista. Dissertação: documento escrito visando à obtenção do título de Mestre, que representa o resultado de um trabalho experimental, de tema único, com o objetivo de reunir, analisar e interpretar informações ou a exposição de um estudo cientifico retrospectivo (trabalho de revisão de literatura). Deve evidenciar o conhecimento de literatura existente sobre o assunto e a capacidade de sistematização do candidato. É feito sob a orientação de um orientador com título de Doutor. Tese: documento escrito visando à obtenção do título de Doutor, que representa um estudo cientifico de tema único, bem delimitado e original. Deve ser elaborado com base em investigação original, constituindo-se em real contribuição para a especialidade em questão. É feito sob a orientação de um orientador com título de Doutor. 3.2 Elementos e Estrutura de Trabalho de Conclusão de Curso, Monografia, Dissertação e Tese Existem elementos que são obrigatórios em trabalhos acadêmicos e outros que podem constar conforme o desenvolvimento do trabalho. Recomendamos a consulta ao quadro abaixo onde são apresentados todos os elementos que compõem o trabalho acadêmico, inclusive na ordem em que devem ser apresentados. Obrigatório | Opcional Elementos pré-textuais Capa com informações na lombada Folha de rosto Ficha catalográfica Errata Folha de aprovação Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo em língua nacional Resumo em língua estrangeira Lista de ilustrações (quadros, gráficos, etc) Lista de tabelas Lista de abreviaturas e siglas Lista de símbolos Sumário Elementos textuais Introdução Objetivos Revisão de literatura Métodos Resultado Discussão Conclusão Elementos pós-textuais Referências Glossário Apêndices Anexos Índice 3.2.1 Elementos Pré-Textuais 3.2.1.1 Capa Elemento obrigatório que visa proteger e dar melhor apresentação ao trabalho. Deve apresentar: 4 Nome da instituição: em caixa alta, centralizado e situado na margem superior do papel; 4 Nome do curso: letras iniciais maiúsculas, centralizado e situado abaixo do nome da instituição; & Nome completo do autor: letras iniciais maiúsculas, centralizado e situado abaixo do nome do curso; 4 Título: em caixa alta, centralizado na página; se houver subtítulo, este deve ser precedido por dois pontos (:); 4 Local: nome da cidade de apresentação do trabalho (letras iniciais maiúsculas) e ano (de entrega), ambos indicados ao centro da margem inferior da página. Modelo de capa Fonte Arial 16 Espaço mínimo de 3 cm. Espaço mínimo — de 3 cm. CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO | Curso de Enfermagem Maria de Lurdes Pereira Graziolade Souza Aves. QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE São Paulo 2007 Negrito Fonte Arial 14 Negrito — Fonte Arial 14 Negrito — Fonte Arial 14 Negrito + dA4 3.2.1.2 Capa de CD-ROM É reprodução da capa em tamanho reduzido. Fonte Arial 12, em negrito. Modelo de capa 12 cm 12 cm (O CENTRO UNIVERSITÁRIO SÃO CAMILO Mestrado em Bioéica Adriana Aparecida de Faria Lima SOFRIMENTO E CONTRADIÇÃO: O SIGNIFICADO DA MORTE, DO MORRER E DA HUMANIZAÇÃO PARA ENFERMÉIROS QUE TRABALHAM NO PROCESSO DE DOAÇÃO DE ÓRGÃOS PARA TRANSPLANTE São Paulo 3.2.1.3 Lombada A lombada do trabalho impresso deve conter as seguintes informações: nome completo do autor, título do trabalho conforme apresentado na página de rosto e ano. Modelo de lombada sony EznoS op marzo Riolod Sopim op ese aaval vElSOHaL VN VaIA 2a aavanivno 3.2.1.4 Folha de rosto Elemento obrigatório. Apresenta os elementos essenciais à identificação do trabalho na seguinte ordem: 4 Nome completo do autor: letras iniciais maiúsculas, centralizado e situado na margem superior da folha; 4 Título: em caixa alta, centralizado na página; se houver subtítulo, este deve ser precedido por dois pontos (:); 4 Nota Explicativa: relata acerca do caráter acadêmico do documento (trabalho acadêmico, trabalho de conclusão de curso, monografia, dissertação, etc), o objetivo, o grau pretendido, a instituição onde foi apresentado, a disciplina ou área, e o nome do orientador. Essa nota é transcrita com espaçamento simples e alinhada a partir do centro da página; 4 Local: nome da cidade de apresentação do trabalho e ano (de entrega), ambos indicados ao centro da margem inferior da página. 10 Modelo de folha de rosto Fonte Arial 14 nai do tudos Perto | Negrito Espaço mínimo Graziola de Souza Alves de 3 cm. Fonte Arial 14 Espaço mínimo QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE — | Negrito de 2,5 cm. + Fonte Arial 11 coleção do tio de” paca om Enetgem TA São Paulo 2007 Espaço mínimo de 3 cm. Fonte Arial 14 Negrito Aid 4 Modelos de notas explicativas Trabalho Curricular Trabalho apresentado para avaliação do rendimento escolar da disciplina Antropologia do curso de Educação Física do Centro Universitário São Camilo, ministrada pelo Prof. Dr. Carlos Roberto Pires Campos. Trabalho de Conclusão de Curso Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Matemática do Centro Universitário São Camilo, orientado pela Profa Carla Geovana Castro, como requisito parcial para obtenção do título de Licenciado em Matemática. Monografia Monografia apresentada ao Curso de Especialização em Biologia Vegetal do Centro Universitário São Camilo, orientado pela Profa Dra Dalza Gomes da Silva, como requisito parcial para obtenção do título de especialista em Biologia Vegetal. Dissertação Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado em Bioética do Centro Universitário São Camilo, orientado pela Profa Vera Lúcia Zaher, como requisito parcial para obtenção do título de Mestre em Bioética. Projeto de Pesquisa Projeto de pesquisa apresentado ao Curso de Especialização em Gestão Ambiental do Curso de Especialização Lato Sensu do Centro Universitário são Camilo, orientado pelo Prof. Marcos Oliveira Athayde, como requisito parcial para avaliação. 11 3.2.1.5 Ficha Catalográfica A ficha catalográfica deve constar no verso da folha de rosto, na parte inferior. Sua elaboração deve ser feita por profissional Bibliotecário, em conformidade com o Código de Catalogação Anglo-Americano vigente. Exemplo: Haas, Adriana Amaral O direito à saúde nas Constluições de 1967 e 1988: uma reflexão a parti do referencial ético da justiça distributiva / Adriana Amaral Haas. - São Paulo : Centro Universitário São Camilo, 2007. 56p. Orientação de Leocir Pessini e Paulo Antônio de Carvalho Fortes Dissertação (Mestrado) — Centro Universitário São Camilo, Mestrado em Bioética, 2007. 1. Bioética 2.Constiuição 3.Direio à saúde 4 Equidade em saúde 5 Justiça social | Pessini, Leocir ILFortes, Paulo Antonio de Carvalho HE. Centro Universitário São Camilo IVTítulo 3.2.1.6 Errata (opcional) Lista das folhas e linhas onde ocorreram erros, seguidas das devidas correções; apresenta-se quase sempre em papel avulso, por ser acrescido ao trabalho depois deste finalizado. Cuidado! Ao confeccionar a errata, todos os erros deverão ser corrigidos. Quando apresentada em folha avulsa deve conter a referência do trabalho, de maneira a facilitar sua identificação. Exemplo: SILVA, Cláudia Alves da. Contribuições da fonética à eficiência comunicativa. 2008. 80f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Letras)- Centro Universitário São Camilo, São Paulo, 2008. Errata Folha Parágrafo Linha Onde se lê Leia-se 8 1 2 29 30 3.2.1.7 Folha de aprovação Elemento obrigatório apenas para Trabalhos de Conclusão de Curso e Monografias. As assinaturas dos componentes da banca examinadora são colocadas após a aprovação do trabalho. 12 Manual de Orientação Trabalhos Acadêmicos Modelo de folha de folha de aprovação Fonte Arial 14 Negrito Espaço mínimo — Mata do LurdosPoroira de 3 cm. Graziela do Souza Alves. 1 Espaço mínimo de2,5cm. QUALIDADE DE VIDA NA TERCEIRA IDADE Fonte Arial 14 Negrito São Pau, 16 do ai do 2007 Espaço mínimo DN de2,5cm. Fonte Arial 14 Prolassor Oraniador inome) DA Fonte Arial 14 VILA — PolosorEamnadorinomy 3.2.1.8 Dedicatória (opcional) Espaço reservado para que o autor preste homenagem a alguém. O tipo e o tamanho da fonte ficam a critério do autor. 3.2.1.9 Agradecimentos (opcional) Dirigidos àqueles que contribuíram para a elaboração do trabalho. O tipo e o tamanho da fonte ficam a critério do autor. 3.2.1.10 Epígrafe (opcional) Citação seguida de indicação de autoria, relacionada ao assunto abordado no trabalho. O tipo e o tamanho da fonte ficam a critério do autor. 3.2.1.11 Resumo em língua nacional Elemento obrigatório. Figurando em folha separada, o resumo apresenta concisamente o conteúdo do texto, destacando o objetivo, a metodologia, os resultados e as conclusões do trabalho. Deve ocupar apenas um parágrafo, dando-se preferência a verbo na voz ativa, devendo ter de 150 a 500 palavras. Deve-se evitar o uso de frases negativas, símbolos, fórmulas que não sejam de uso corrente, bem como comentários, críticas e julgamento pessoal do resumidor. Deve- se evitar também palavras e/ou expressões supérfluas como: “O presente trabalho...”; “O autor do trabalho descreve...”. 13 Modelo de resumo em língua nacional SANTINELLI, Ronaia A relevância do conceito de dignidade para a bioética. 2006. 1101. Dissoriação (Mestrado em Bodiica)- Centro Universtário São Camilo, São Paulo, 2006. O date sobro a questão da dignidado humana crosco na medida em que o ser numano porde referenciais de vida como à élca, a moral os valores, roigiosos o laicos. Mulo so fala sobro dignidado quando se remomora as atrocidades ocorridas polo mundo em matelos do regimes dilabriais do dieta ou do esquerda, Guerras, o fenômeno da fome, as dasigualdades grlantes dos paísos m desenvolvimento. À fala do acesso à saúde para uma grando maioria da população, em cortraparida, o grando avanço Iecndlgico e ciontlico vem a croscor geomotfcamento nos úlimos tempos. Mesmo nesta sobra rolatóro histrico é inogável que o ser humano possui um valor espocial, um lugar privlegiado na escala das espécies. Essa esperiaidado laz com que seja inerente a todos valores como a dignidade. Frarta a essas situações surgo a Bioética o fica o questionamento. Qual o papel da dignidade neste contexto? Tem a dnidado um lugar fundamental na dscussão e no agr da Bioólica? Nosso prisma quais as dieranças marcantes entre 0 princpiaiismo norte-americano o à nova faco da Bioética após à promulgação da Dectaração universal sobre Bioéica & Dieios Humanos - UNESCO? Precioso documento que expressa à necossidado do so reconhecer a dgnidado humana em sua totaidado. Contrapõe esto Irdbaho aigumas afimaçõos da Bioticista americana Rum Mackin dizendo que dgnidado é um conceito indi. Basta apenas respoiar sua autonomia Porém acredia-so que a dignidade vá além. Perpasso das convenções habluais do Senceito, deinição o aplicabilidade o se encontro numa lônue inha garantindo aos cores humanos reconhecrem dignos uns frente aos outros. Palavras-chave: Bioética. Direitos humanos, Humanismo. 3.2.1.12 Resumo em língua estrangeira Versões em outras línguas são localizadas após a folha do resumo na língua original, em folhas distintas: Abstract (inglês), Résumé (francês). O resumo em inglês é obrigatório, e opcional em outros idiomas. Modelo de resumo em língua estrangeira SANTINELLI, Renaia, The relevance of the concept of dignity for bioethies. 2006, 1101. Dissorkation (Masiors degree in Elocthics)- Conto Universitário São Gamio, São Pau, 2006 “The debato sou! lhe question of ho human dgniy being grows in the maasuro “whora lho human boing loses e reloranos af ie, as ho alhics, ho moral, ho values, ralgious and ay. Much sad on dgnily When i recolest the cocured atritos for ho work in dialoral modais ol regimes of ight o lit. Wars, ho phenomenon ol lho hungor, lhe clamorous maqualtios o! lho developing Countries, The lack ol access lo lhe hoallh for a great majory of the population, on the olhor hand, tha grea! Iechmological and solentc acanoo comos to grow geometricamente in lho last times. Exaety in fis black past reports 4 is undeniabia that lho human being possosss a special value, a privleged piaos in the sodio of he specios. This spocialy makas wih that ii inhoront to al values as lho dignly. Front to heso siualions appears lho Bialhics and is ho questioning. Wivch lhe paper ol tha gniy in Ini context? Has lho digniy a basic plãos in the quartel and acting ol lhe Bioomics? In His prism which the most diforencos bemeon ho North American principialsm and ho now faco ol ho Bicotnis altor tho promulgation af the Universal Draft Deslaraton on Bioethics and Human Rights - UNESCO? Precious express document nat the necessity ol il recognizing the human dgnity boing in 1s totally. On the other sido, Pulh Macklin opposos this wo saying that dignily is à usoless concept. She is ony enough lo respoct is autonomy. However ais gives cre hat Ino dignly goes beyond. Go Ihrough ol lhe habiual conventons of concert, definition and appicabity and 1 finds in a tonuous Ino quarantocing to the human beings recognize lho dignity lrontto lho olhos. Keyuords: Bioothis, Humanism. Human righus. 14 Manual de Orientação Trabalhos Acadêmicos 3.2.1.13 Palavras-chave (Descritores) Após o resumo e o abstract, seguem-se as palavras-chave, keywords, descritores científicos do conteúdo do trabalho. As palavras-chave devem constar logo abaixo do texto do resumo, separadas entre si por ponto (.) e finalizadas por ponto. A definição das palavras-chave deve ter base em vocabulários controlados, ou seja, Decs/Bireme (área da saúde), Inep (área da educação); Sibinet USP (área de humanas). 3.2.1.14 Lista de ilustrações, lista de tabelas, lista de abreviaturas, lista de siglas e lista de símbolos São opcionais; entretanto, recomenda-se listar os elementos quando o número de itens por tipologia for superior a cinco, respeitando-se a ordem de ocorrência no texto. As listas de ilustrações e de tabelas são as relações desses itens, numerados em algarismos arábicos, na ordem em que aparecem no texto; cada item deve ser identificado por seu título específico, seguido do número da página onde está inserido. Os diversos tipos de ilustrações (desenhos, esquemas, figuras, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos, etc) são identificados por sua denominação específica e devem compor listas separadas. Modelo de Lista de ilustrações Lista de Figuras Figura 1 - Os significados da morte e da doação de órgãos para os enfermeiros das OPOs .. Figura 2 - Conflitos vivenciados pelo enfermeiro no processo de trabalho de captação de órgãos . Modelo de Lista de Tabelas Lista de Tabelas Tabela 1 - Estado nutricional segundo a dobra cutânea tricipital .. .20 Tabela 2 - Estado nutricional segundo a circunferência do braço Tabela 3 - Estado nutricional segundo a circunferência muscular do braço... 15 Lista de abreviaturas, de siglas e de símbolos é a relação alfabética das abreviaturas, siglas e símbolos usados no texto, seguidos da expressão correspondente por extenso. Em relação às siglas, a primeira vez em que aparecerem, seu significado deve ser colocado por extenso, e a seguir entre parênteses, e nas demais vezes em que forem mencionadas, apenas a sigla correspondente. Ex: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Modelo de Lista de Abreviaturas Lista de Abreviaturas adapt. adaptador A.C. Antes de Cristo Dr. Doutor Modelo de Lista de Siglas Lista de Siglas AMB Associação Médica Brasileira oMs Organização Mundial da Saúde OPAS Organização Panamericana de Saúde sus Sistema Único de Saúde Modelo de Lista de Símbolos Lista de Símbolos kg quilograma m/s metro por segundo = igual a 3.2.1.15 Sumário É um elemento obrigatório. Deve figurar com o título SUMÁRIO centralizado na folha, O sumário deve indicar os dados considerando cada divisão e subdivisão na mesma ordem e grafia em que aparecem no corpo do texto: o respectivo indicativo à esquerda do título de cada parte, deste separado por um espaço; o título; número da folha, ligado ao título por linha pontilhada. 16 os recursos de caixa-alta ou versal, negrito, itálico e outros, conforme NBR 6024:2003. Deve-se destacar os títulos das seções (primárias, secundárias, etc) utilizando-se De acordo com a NBR 6027:2003, obras em mais de um volume devem apresentar o sumário completo do trabalho em cada um dos volumes. Modelo de Sumário SUMÁRIO Resumo Abstract Lista de Tabelas 1 INTRODUÇÃO 15 2 MATERIAIS E MÉTODOS 33 2.1 Tipo de pesquisa. 33 3 NoNoNoNoNoNO . .40 REFERÊNCIAS ANEXOS 3.2.2 Elementos textuais 3.2.2.1 Introdução A introdução de um trabalho abre-se com uma declaração inicial que expressa, com concisão, a idéia a partir da qual a abordagem irá se debruçar. Deve ser clara, interessante e em linguagem direta. Em seguida, deve conter o referencial teórico embasado na literatura, esclarecendo o assunto, com referências bibliográficas; delimitando a extensão e a profundidade que se pretende adotar e o enfoque do tema; com as idéias mestras do desenvolvimento do assunto; evidenciando a relevância do assunto a ser tratado, bem como a relevância social, cultural, econômica e ambiental da tarefa empreendida, apresentando claramente as razões da realização da pesquisa e conduzindo o leitor aos objetivos do trabalho. Posteriormente, quando pertinente, esboçam-se a hipóteses. Caso constitua-se desejo dos pesquisadores, é bastante válido citar as dificuldades enfrentadas na realização da tarefa, as quais valorizam sua execução. A introdução, que deve ser redigida após a elaboração do trabalho, destaca-se por conter verbos no pretérito perfeito, atentando-se para a coerência nos tempos em que foram realizadas as ações. 17
Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 93 páginas