Materiais de um laboratório, Notas de estudo de Enfermagem
wilma-luiz-10
wilma-luiz-10

Materiais de um laboratório, Notas de estudo de Enfermagem

11 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
materiais de um laboratório de histologia
60 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 11
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 11 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 11 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 11 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 11 páginas

FACULDADE DE ENFERMAGEM DE BELO JARDIM – FAEB

WILMA LUIZ DA SILVA MARIA ZILMA FLORÊNCIO DE SOUZA

RELATÓRIO DE HISTOLOGIA

BELO JARDIM/PE

2012

FACULDADE DE ENFERMAGEM DE BELO JARDIM CURSO DE. ENFERMAGEM

TURMA: 2011.1 DATA: 14/06/2012

RELATÓRIO DE HISTOLOGIA

Trabalho apresentado à disciplina Histologia, tendo como requisito,

Fazer um relatório sobre o laboratório de Histologia, buscando analisar a sua estrutura básica citando o que foi visto na visita técnica ao laboratório; tendo como orientadora o Professor Carlos André.

Belo Jardim/PE 2011

Resumo

Em sua estrutura básica um laboratório de Histologia deve ter equipamentos comuns para separar os sólidos dos líquidos, para medir a absorbância óptica

de um líquido a um comprimento de onda definido (medida da cor), para fornecer a aspiração, e para manter uma temperatura fixa e definida. Vimos em

nossa visita técnica, que muitos dos equipamentos necessários para um laboratório, estão no laboratório, mas sem seu uso adequando, muitos deles

quebrados e fora de manutenção.

Introdução

Este trabalho apresenta a estrutura básica de um laboratório de Histologia, mostrando o que se deve ter em sua infraestrutura, também apresenta um resumo daquilo que vimos em nossa visita técnica ao laboratório de Histologia da Faculdade.

Desenvolvimento

Histologia

É o estudo dos tecidos biológicos, sua formação, estrutura e função. É uma das disciplinas fundamentais dos cursos das áreas biológicas e de saúde.

A observação de tecidos ao microscópio óptico é feita por transparência. É necessário que o tecido seja submetido a cortes finíssimos, através da sua inclusão num bloco de parafina, para ser cortado num micrótomo. Depois de cortado, retirada à parafina e colocado numa lâmina, o corte é fixado (para não se deteriorar) e corado. É comum a utilização de corantes que destacam determinadas partes das células (como o azul de metileno e o iodo). Essas lâminas então podem ser finalmente observadas ao microscópio óptico. Esses

métodos histológicos são geralmente utilizados para a observação de tecidos animais. O Laboratório de Histologia/Microscopia destina-se, inicialmente, a dar suporte às aulas práticas das disciplinas de Bases da Biologia Celular Tecidual e do Desenvolvimento, e a outras disciplinas que necessitem o uso de microscópios onde poderão ser desenvolvidas práticas experimentais.

Quanto a sua estrutura Um laboratório é uma sala ou espaço físico, normalmente equipado com diversos instrumentos de medição, onde se realizam experiências, cálculos, análises químicas ou biológicas e medições físicas. É comum na prática laboratorial a utilização de modelos físicos e de modelos matemáticos. Há habitualmente uma ou várias pias para lavar as mãos. Extintores são instalados, para ajudar a apagar o fogo no caso de incêndio. Há igualmente um dispositivo para lavar os olhos e um chuveiro no caso dos produtos químicos vazarem sobre as roupas, a pele ou os olhos. Em anexo ao laboratório, há habitualmente um ou vários locais onde os produtos químicos secos e úmidos são armazenados, onde se prepara todos os reagentes como ácidos, bases, soluções tampão, solução e onde se distribui a vidraria, o pequeno material e os equipamentos de proteção individual do pessoal. Frequentemente, uma sala é reservada à purificação dos reagentes. Devem-se conter em sua estrutura básica, os tais equipamentos: Equipamentos e vidrarias

• 1 agitador magnético com aquecimento,

• 1 banho-maria histológico Lupe,

• 1 capela para exaustão de gases Quimis,

• 1 dispensador automático de parafina Lupe,

• 1 estufa secagem e esterilização Quimis,

• 1 microcomputador (c/ estabilizador e impressora),

• 1 microscópio binocular saida p/ foto-video,

• 1 micrótomo rotativo (c/ suporte para navalhas descartáveis),

• 1 micrótomo de mão, 1 processador automático de tecidos, diversas

• vidrarias,

• 1 balcões c/ 1 porta e 4 gavetas (2m x 0,60m cada),

• 1 balcão c/ 6 portas e 8 gavetas (4,41m x 0,63m),

• 1 balcão c/ 3 portas e 5 gavetas (2,06m x 0,65m),

• 1 pia c/ 2 portas e 5 gavetas (1,52m x 0,55m),

• 1 bancada c/ 2 portas (2,00m x 0,65m),

• 6 cadeiras,

• 2 coifas de exaustão,

• 1 telefone,

• 1 aéreo com 12 portas,

• 1 ar condicionado 14 BTUs.

• Pera de sucção,

• Bico de gás,

• Bico de Bunsen,

• Tela ou Rede de amianto,

• Tripé de ferro,

• Suporte Universal,

• Suportes, garras e argolas de ferro,

• Tubo de ensaio,

• Vidro de relógio,

• Erlenmeyer,

• Balão de fundo chato,

• Balão de fundo redondo,

• Balão fundo redondo com gargalo de virola

• Balão volumétrico

• Kitassato

• Balão Tritubulado comum

• Balão Bitubulados

• Balão de Adição tritubulado

• Frasco de Grignard • Becker

• Proveta ou cilindro graduado,

• Pipeta graduada,

• Pipeta volumétrica,

• Bureta,

• Trompa de vácuo,

• Cadinho ou porcelana (ou metal),

• Triângulo de porcelana,

• Cápsula de porcelana (ou de metal),

• Almofariz e pistilo,

• Centrífuga,

• Frasco lavador ou pisseta,

• Colher de deflagração,

• Tubos em U,

• Cristalizador,

• Dessecador ou Exsicador,

• Papel de filtro,

• Mufla,

• Colorímetro,

• Gobelé, Condensadores

• Suporte para garra de condensador

• Condensador Liebig • Condensador West

• Condensador a ar • Condensador Allihn • Condensador Davies (camisa

dupla) • Condensador Friederich

• Condensador Serpentina • Condensador Dewar

Funil • Funil de Filtração de 60º • Funil de separação

• Funil globular • Funil squibb • Funil cilíndrico

• Funil separador Funil de Separação por sucção

• Funil Buchner • Funil Hirsch • Funil com prato de Witt

• Funil com crivo ou placa perfurada

• Funil multi poroso

Como equipamentos comuns de laboratório, pode-se ter as centrífugas para separar os sólidos dos líquidos, os espectrofotômetros para medir a absorbância óptica de um líquido a um comprimento de onda definido (medida da cor), trompas para fornecer a aspiração, e termostatos para manter uma temperatura fixa e definida.

Resultados Em nossa visita ao laboratório, vimos vários equipamentos, vidrarias e materiais. Lá vimos que nem tudo está conforme as normas, pois nem todos os materiais estão etiquetados, catalogados como deveriam, os equipamentos estão conservados, mas nem todos, as vidrarias algumas estão quebradas, não sendo usadas como deveriam, o laboratório aparenta estar em desuso, quanto a sua temperatura ambiente que deve ser de 20 °C, com algumas tolerâncias, dependente do tipo de experimento ou de medição que se quer realizar. As variações de temperatura (dentro da banda de tolerância) devem ser suaves; quanto a isso o laboratório não apresenta boas condições de temperatura, não tem ar-condicionado, e sua temperatura não está muito adequada. Quanto à luminosidade também deixa a desejar, pois não é tão claro e para se trabalhar bem deve-se ter uma certa claridade. Os Materiais passam pelo meio de cultura (vapor d’água), as ferramentas, equipamentos devem passar pela esterilização, é importante a presença de chuveiro no caso de contaminação com material perigoso na roupa, ou corpo. Quanto à biossegurança existem varias normas são elas:

1. Conhecer as saídas de emergência. 2. Formação sobre a utilização de extintores de incêndio e primeiros-

socorros. 3. Usar material de proteção, tais como óculos, bata (de manga comprida

e até aos joelhos), luvas e máscara. 4. Efetuar o trabalho na posição vertical e no caso de cabelos compridos

atá-los ou usar touca.

5. Nunca fumar, comer ou beber em laboratório. 6. Rótular com sua informação todos os frascos com substâncias. 7. Conhecer as propriedades físicas e químicas das substâncias. 8. Não deixar o material desarrumado nem os frascos com substâncias

abertos. 9. Nunca deixar substâncias inflamáveis perto de uma chama. 10. Não aquecer um recipiente fechado. 11. Não cheirar, tocar nem provar uma substância. 12. No caso do manuseamento de Ácidos e Bases, se alguma destas cair na

pele devemos proceder o seguinte: No caso de Base, lavar com vinagre ou outro ácido. No caso de Ácido lavar com uma base.

Anexos

AUTOCLAVE CAÇAPA INTERNA DA AUTOCLAVE

AUTOCLAVE 2 AUTOCLAVE 3

REGISTRO INDICADOR DE PRESSÃO RESISTÊNCIA COBERTA POR ÁGUA E E TEMPERATURA SUPORTE DA CAÇAPA

FLUXO LAMINAR PLACA DE PETRI

BICO DE BUNSEN ESTUFA DE INCUBAÇÃO

MEIO DE CULTURA MEIO DE CULTURA (PÓ)

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 11 páginas