O estudo da Água 3, Slides de Saúde Pública. Universidade Federal do Piauí (UFPI)
jennifermr
jennifermr16 de Junho de 2015

O estudo da Água 3, Slides de Saúde Pública. Universidade Federal do Piauí (UFPI)

PDF (2 MB)
32 páginas
839Número de visitas
Descrição
Saúde Ambiental.
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 32
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 32 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 32 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 32 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 32 pages
baixar o documento
O ESTUDO DA ÁGUA

Componentes:

Ana Clara

Maria de Jesus

Jennifer Milena

Francisco Marques

Lucas Gabriel

James

Características e a Importância da água

 Solvente universal-Polaridade, constante dielétrica e ligações de hidrogênio

 Excelente condutor de energia elétrica- Condutividade dos nervos

 Tensão superficial e capilaridade

 Constituição no homem- 75% do peso

Distribuição Hídrica no Planeta  A água abrange quase 4/5 da superfície

terrestre. Onde dessa água:

- 97,5% é água salgada.(Mares, oceanos)

- 2,5% É água doce

-Apenas 0,1% é potável

 A água subterrânea

-Acumulada a séculos

-Fração desprezível

acumulada por ano

 A água dos rios é renovada

cerca de 31 vezes por ano.

 Como exemplo, podemos imaginar uma piscina com capacidade de 1000 litros, na qual 975 seriam de água salgada e apenas 25 litros de água doce. Só 100 ml estariam disponíveis para o consumo (água potável).

 O Brasil possui cerca de 8% de toda água doce do planeta,

 Região Amazônica com 5% da população tem 80% desta água, e as outras regiões, com 95% da população, tem apenas 20%.

USO INADEQUADO DOS RECURSO HÍDRICOS

Nas cidades:

Urbanização descontrolada

Crescimento da demanda

Desperdício

Poluição atingindo mananciais

Na Zona Rural

Recursos explorados de forma irregular

Região protetora da bacia (mata ciliar) destruída

Agricultura e pecuária

Agrotóxicos

A baixa eficiência das empresas de abastecimento se associa ao quadro de poluição:

 As perdas na rede de distribuição por roubos e vazamentos atingem entre 40% e 60%

 64% das empresas não coletam o esgoto gerado.

O saneamento básico não é implementado de forma adequada, já que 90% dos esgotos domésticos e 70% dos afluentes industriais são jogados sem tratamento nos rios, açudes e águas litorâneas, o que tem gerado um nível de degradação nunca imaginado.

POLUIÇÃO HÍDRICA: LANÇAMENTO DE

EFLUENTES

Art 24. Os efluentes de qualquer fonte poluidora somente poderão ser lançados, direta ou indiretamente, nos corpos de água, após o devido tratamento.

Art. 28. Os efluentes não poderão conferir ao corpo de água características em desacordo com as metas obrigatórias progressivas, intermediárias e final, do seu enquadramento.

Teresina e a poluição hídrica  A capital piauiense, Teresina, está localizada na

confluência de dois importantes rios federais, o Parnaíba e o Poti

 Crescimento urbano desordenado e gestão ineficaz dos seus recurso hídricos

- Aumento da poluição

- Malefícios socioeconômicos e panddêmicos

 O rio Poti é um dos maiores afluentes do rio Parnaíba, com sua hidrografia inserida quase em sua totalidade no Estado do Piauí.

 Como o rio Poty possui uma baixa vazão, os dejetos dos esgotos poluem de forma mais acentuada.

 Um dos casos mais recentes foi a invasão de aguapés do Rio Poty.

TRATAMENTO DE ÁGUA NO BRASIL NO PIAUÍ E EM TERESINA

 Segundo a PNSB (programa nacional sobre saneamento básico) 2008 em uma pesquisa realizada pelo IBGE, a respeito do tratamento de água no Brasil

87,2% distribuía a água totalmente tratada.

 6,2% a água era apenas parcialmente tratada

6,6%, não tinha nenhum tratamento.

QUANTO AO TIPO DE TRATAMENTO

69,2% recebia tratamento convencional

floculação, decantação, filtração, correção de pH, desinfecção (cloração) e fluoretação, antes de ser distribuída à população.

7,5% tratamento do tipo não convencional

clarificador de contato, ETA’s compactas (pressurizadas ou não), filtragem rápida, flotação.

Em 23,2% a simples desinfecção

água bruta recebe apenas o composto cloro antes de sua distribuição à população.

Municípios que ,em 2008, distribuíam água sem qualquer tipo de tratamento

Região Norte (20,8% dos municípios).

 Pará(40,0% )

 Amazonas (38,7%)

Região Nordeste, com 7,9%

 Piauí (24,3%)

 Maranhão (21,8%)

Tratamento de água no Piauí  Empresa responsável – Agespisa

 Atende aos padrões da portaria 2914/2012

 Fiscalização- ANVISA, GEVISA e Ministério da Saúde

 É responsável pelo tratamento e distribuição.

 Volume diário – 235 mil m³

Captação

 Subterrânea - poços

 Superficial- rio Parnaíba

 De acordo com o estudo “Ranking do Saneamento” realizado pelo instituto trata Brasil, 92,36% dos 814.230 teresinenses são atendidos com água tratada.

Um pouco mais sobre o ETA...  Complexo de estação de tratamento- Distrito

Industrial (zona sul)

 Possui três estações de tratamento de água:

- Mesmo canal de água bruta.

-Após o tratamento, todas as 3 estações desembocam em uma mesma câmara e a água é distribuída em toda a cidade.

 Água advinda do rio Parnaíba

PROCESSOS DE TRATAMENTO DA ÁGUA

PADRÃO DE POTABILIDADE

PORTARIA MINISTÉRIO DA SAÚDE 518, DE 25/03/2004

 Responsabilidade por parte de quem produz a água:

 Controle de qualidade da água

 Quantidades mínimas e frequência que as amostras de água devem ser coletada.

 Parâmetros e limites permitidos

 Toda água destinada ao consumo humano deve obedecer ao padrão de potabilidade e está sujeita a vigilâncias da qualidade da

§1.º No controle da qualidade da água, quando forem detectadas

 amostras com resultado positivo para coliformes totais, mesmo em ensaios presuntivos, novas amostras devem ser coletadas em dias imediatamente sucessivos até que as novas amostras revelem resultado satisfatório.

§2.º Nos sistemas de distribuição, a recoleta deve incluir, no mínimo, três amostras simultâneas, sendo uma no mesmo ponto e duas outras localizadas a montante e a jusante.

Doenças de veiculação Hídrica  A água, tão necessária à vida do ser

humano, pode ser também responsável por transmitir doenças.

 E essa transmissão é facilitada com a falta de água potável e de esgoto tratado.

 A transmissão do agente infeccioso através da água pode ser por:

• Ingestão • Contato com a pele • Aspiração -Quantidades mínimas de fezes, como apenas um grama, podem conter cerca de 10 milhões de vírus, 1 milhão de bactérias ou até 1000 parasitas.

Hepatite A e E

Inflamação do fígado, causada respectivamente por vírus VHA e VHE.

Sintomas: diarreia, perda de apetite, náuseas, vômitos, dor muscular, dor de cabeça, febre e ictericia.

A vacina A, para crianças de 12 meses a 2 anos

Leptospirose Doença típica de enchentes ou

enchurradas.

Causada pela bactéria do gênero Leptospira.

Transmitida principalmente por ratos.

Sintomas: febre, dor de cabeça, dor muscular, olhos avermelhados.

Tratamento: hidratação e antibióticos

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 32 pages
baixar o documento