ORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO, Dissertações de Mestrado de Metodologia de Pequisa. Centro Federal de Educação Tecnológico (CEFET-PA)
jhessy-faria
jhessy-faria

ORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO, Dissertações de Mestrado de Metodologia de Pequisa. Centro Federal de Educação Tecnológico (CEFET-PA)

4 páginas
35Número de visitas
Descrição
-PROMOÇÃO PRIORITARIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 4
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento

METODOLOGIA

Sob essa ótica e diante do contexto do PNB já descrito, foram eleitas as seguintes estratégias.

-ELABORAÇÃO DE PLANO DE AÇÃO

-ADOÇAO DA COGESTÃO NESSE PLANO

-PROMOÇÃO PRIORITARIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL

O Plano de Ação identificou diferencias, elegeu prioridades e alternativas de soluções e sistematizou as diversas atividades de manejo do parque, estabelecendo as suas interações. Adiante,daria origem ao Plano de Ação Emergencial do PNB, após realização de um Seminário de Planejamento(ZOPP), reunindo representantes de instituições publicas federais e distritais e entidades da sociedade civil ( 19 a25 de novembro de 1994).

OMARCO CONCEITUAL

Aabordagem de EA, adotada para o Programa de Educação Ambiental do Parque Nacional de Brasília -PEA –PNB, foi a recomendada pela Divisão de Educação Ambiental do Ibama, expressa nas suas diretrizes, em 1993, em consonância com as orientações de Grandes Conferencias Intergovernamentais sobre a Educação Ambiental ( Tbilisi, 1977; Moscou,01987), corroboradas na ‘’ Conferencias da UNU sobre o Meio Ambiental de Desenvolvimento” ( Rio-92) e Tessalônica, Grécia (1997. Segundo essa abordagem a Educação Ambiental é um processo permanente no qual os indivíduos e a comunidades tomam a consciência de seu meio ambiente e adquirem conhecimentos, valores, habilidades, experiências e determinação que os tornem aptos a agir- individual e coletivamente- e a resolver problemas ambientai, presentes e futuros.

São características da EA o seu caráter interdisciplinar e permanente, a sua orientação para a identificação e resolução de problemas ambientais a integração com a comunidade e o reconhecimento de pluralidade cultural. Pressupõe a adoção de uma visão critica das questões que afetam a qualidade de vida das comunidades e a ação participativa, na busca das soluções.

O PLANO OPERACIONAL

O PEA-PNB foi planejado para desenvolver atividades em duas frentes: para o publico interno e para o público externo, de modo a atender os diversos elementos que compunham o complexo cenário de atuação.

RESULTADOS

O Grupo de EA do PNB recuperoue ampliou as exposições e recursos do Centro de Visitantes, fez-se um painel de fauna onde os visitantes encontrava, além de fotos gráficas do animal, um molde em gesso da sua pegada. Dentre os diversos painéis, destacam-se os que se destinam ao sócio-ambiental ( gráficos comparativos de PIBs de diversos países e seus respectivos IDHs – Índices de Desenvolvimento Humanos )

O passo seguinte foi planejar e oferecer um mini curso de “Educação Ambiental no PNB’’aos professores da rede publica e privada do DF e a monitores dos grupos especiais. No curso, de apenas 4 horas de aula, os participantes conheciam o Sistema de Unidade de conservação do Brasil, a importância dos parques Nacionais e em especial o PNB. Alem das tradicionais informações sobre a fauna e flora , os participantes aprendiam como utilizar, adequadamente,, o

parque com um valioso recurso instrucional e quais os problemas enfrentados pela unidade, no seu cotidiano. Buscava-se sensibilizá-los a participarem- individual e coletivamente- das ações em prol da resolução desses problemas, através dos diversos mecanismos legais de participação comunitária.

CRIAÇÃO DO CORPO DE VOLUNTARIOS DO PNB

A divulgação pela mídia das atividades de EA , que estavam sendo desenvolvidas no parque despertaram o interesse das pessoas e esta passaram a buscar uma forma de cooperar, ajudando nas tarefas de manejo da unidade. Isso levou a criação do ‘ Corpo de Voluntários do PNB’’ que em apenas uma semana reuniria 100 inscrições. Aposentados , jovens universitários e freqüentadores, compuseram a primeira turma que após um curso iria auxiliar nas atividades de EA na área de uso publico e nas atividades de pesquisa de opinião publica.

OS EVENTOS ESPECIAIS

A criação do boletinho informativo promoveu o interesse pelas atividades de EA, desenvolvidas da unidade. Os problemas do parque passaram a ser de domínio publico e as responsabilidades foram sendo descentralizadas. Por outro lado as iniciativas do PNB terminaram catalisando um encontro entre todos os dirigentes de unidade de conservação do DF efeitos aos mesmos problemas crônicos de falta de recursos, excesso de burocracia e inépcia de classe política em oferecer gestões sustentáveis. Do encontro saiu a “ CARTA DOS PARQUES’’ contendo as reivindicações, inquietações e propostas dos quatorzes dirigentes de parques e reserva, dirigidas as autoridades competentes. Outros eventos de resultados mais agradáveis foram promovidas pela EA do PMB.

EDUAÇÃO AMBIENTAL PARA O ENTORNO: INTERAÇOES

O grupo da EA elaborou um ‘’Programa de EA para o entorno do PNB’’ e assegurou recursos do Programa Nacional do Meio Ambiente para sua execução.Na sua primeira fase, traçou-se o perfil ambiental do entorto buscando por meio de uma abordagem de Ecologia Humana e de Analise Ecossistêmica reunir elementos do seu metabolismo para estabelecimentos da sai estrutura e a compreensão da sua dinâmica populacional. A idéia do PEA-PNB era angarias cumplicidades no entorno. Nas escolas ofereceu-se orientação pedagógica para a elaboração dos seus projetos de EA, enquanto se promovia a inclusão do PNB como tema analítico e vivencial. A partir daí foram promovidos cursos de capacitação para os professores, desenvolvido material institucional e programadas visitas de interpretações socioambiental ao PNB, iniciando-se com professores e funcionários da escola e seguindo-se aos alunos.

O PEA-PNB EM 2000

Em 1999 a equipe do PEA capacitou 560 professores nos seus cursos de formação de monitores e recebeu em torno de 7 mil alunos da rede publica e privada, no seu centro de visitante. Ali agora funciona uma exposição socioambiental que abriga um acervo, alem dos tradicionais aspectos ligados ao Plano de Manejo ( flora, fauna, solos etc.) um conjunto de informações sob a forma de maquetes, painéis, vídeos e sons. A temática ambiental e abordada de forma analítica , critica e autocrítica, reunindo elementos do ambiente local, regional, nacional e internacional, considerando-se os aspectos econômicos, políticos, sociais, culturais e éticos, alem da faceta ecológica. Essa exposição socioambiental recebeu em torno de 14 mil visitantes

em 1999 e é motivo constante de visitação para estudantes, em busca de dados e analises de situações sobre as questões ambientais, de uma forma geral.

O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE BRASILIA

(PEA-UCB)

O PEA-UCB é executado por meio da Pró-Reitoria de Extensão Diretoria de Programas Comunitários. Foi iniciado em Junho de 1999 e tem um prazo de três anos para a sua implantação.

OQUE É O PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA UCB?

(PEA-UCB)

Um conjunto de atividades que buscam informar e sensibilizar as pessoas para a compreensão da complexa temática ambiental e para o seu envolvimento em ações que promovem hábitos sustentáveis de uso dos recursos naturais, alem de proporcionar reflexões sobre as relações ser humano-ambiental.

OBJETIVOS DO PEA-UCB

Incorporar a dimensão ambiental em todas as atividades da UCB.

Difundir, na instituição, praticas compatíveis com as premissas do Desenvolvimento de Sociedades Sustentáveis.

Preparar a instituição para a construção de sua Agenda-21

Preparar a instituição para a implantação de um Sistema de Gestão Ambiental.

COMO ESTA SENDO EXECUTADO O PEA-ECB

É executado por 3 etapas sendo elas:

Etapa 1- Conhecimento da estrutura e do metabolismo ( funções e dinâmicas) da instituição. Apreciação do seu organograma. Levantamento dos seus recursos estruturais. Levantamento- diagnóstico das suas não conformidades ambientais. Identificação de prioridades.

Etapa 2- Formação de grupos de capacitação. Elaboração de conjunto de orientação por setor. Implementação de medidas pró-conformidades ambientais( como exemplo de não conformidades, na UCB podem-se citar: luzes acesas desnecessárias; desperdícios de água; energia elétrica; papel e entre outro) é importante observar que a maior não-conformidade da UCB é a não existência de uma política ambiental;

Etapa 3- 1 Seminário de Sensibilização

2. Operacionalização dos subprojetos do PEA (atividades na estrutura operacional)

Os subprojetos

Na Pró-reitoria de Administração

Subprojeto de Conservação de Energia

Subprojeto de Racionalização do Uso de Água

Subprojeto de Redução de Consumo de Combustíveis Fósseis

Subprojeto de Racionalização de Materiais de Consumo

Subprojeto de Coleta Seletiva, Reciclagem

Subprojeto de Preciclagem

Na Pró-reitoria de Graduação

Subprojeto de Redução de Poluição Sonora

Subprojeto de Compostagem

Subprojeto de Reflorestamento

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 4 páginas
Baixar o documento