Os 3 comos: desenhar, calcular,  projetar em arquitetura, Manual de Arquitetura. Centro Federal de Educação Tecnológico (CEFET-PA)
Sugahara-
Sugahara-13 de Abril de 2016

Os 3 comos: desenhar, calcular, projetar em arquitetura, Manual de Arquitetura. Centro Federal de Educação Tecnológico (CEFET-PA)

PDF (3 MB)
50 páginas
15Números de download
1000+Número de visitas
100%de 3 votosNúmero de votos
Descrição
O livro elucida questões básicas sobre como organizar um projeto arquitetônico de forma a torná-lo mais eficiente, e explica as noções de desenho projetual e cálculo de orçamento
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 50
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 50 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 50 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 50 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 50 pages
baixar o documento

Conheças as 10 Etapas de Construção de uma Edificação: Calculando o

orçamento básico de uma obra.

Olá pessoal!

Logo após a finalização do projeto surge a necessidade de realizarmos o

orçamento da obra, para isso devemos ter conhecimento das etapas que

envolvem a construção de uma edificação.

O assunto é tema na disciplina chamada Práticas Profissionais que é estudada

nas da faculdade de arquitetura e engenharia civil. Se você ficou com dúvida

durante a aula ou deseja reforçar a memória, neste artigo você vai ter a

possibilidade de revisar o que você aprendeu sobre como calcular um

orçamento básico de obra.

Sabemos que hoje em dia existem diversos programas que fazem esse cálculo de

forma mais direta mas para você que está entrando agora para o mundo da

Arquitetura e precisa aprender na prática como fazer, fique ligado neste

artigo pois na prova não será possível utilizar de tecnologias para desenvolver o

cálculo.

Preste atenção nas 10 etapas que compõe a construção de uma edificação e

você obterá êxito na sala de aula e fora dela.

Vamos utilizar como estudo de caso o projeto da professora Angelica Colombo

Ponciano, que é Técnica em Edificações, projeto base do nosso curso SketchUp

disponível em nosso site de cursos.

Então vamos lá:

Para iniciarmos o orçamento, precisamos ter conhecimento sobre qual é o valor

do CUB, ou seja,custo unitário básico da região onde será construída a

edificação pois o CUB vária de região para região. Cada estado possui um

CUB mas algumas cidades podem ter o seu próprio CUB, assim como

construtoras e empreiteiras.

Vamos usar o CUB Nacional do mês de agosto de 2014 que está R$1.441,72 e

com base nas ilustrações a seguir, vamos fazer o orçamento de uma casa de

80m².

Para sabermos o valor da obra teremos:

- A quantidade em de área de projeto a ser construído multiplicado pelo

CUB do mês,

Ou seja: 80 m2 x R$1.441,72 que nos dá um valor de R$115.337,60.

Lembrando que dentro desses valores estão inclusos a mão de obra, materiais

de construção e pintura.

Pede-se ainda que acresçamos pelo menos 10% sobre esse valor pois existem

algumas questões durante a obra que além de não ter como se prever, há também

as particularidades individuais como por exemplo:

Quais materiais serão usados? (alguns acabamentos são mais caros que outros)

Qual tipo de fundação? (Algumas são mais caras que outras, depende do tipo de

solo)

Sapatas prontas ou feitas na hora? (dependendo do tipo uma é mais cara que a

outra)

Concreto feito na betoneira ou usinado? (Usinado é sempre mais caro)

Vai chover muito durante as etapas da obra? (Não há como se prever)

Problemas na entrega dos materiais? (Atrasos com fornecedores)

Acidentes de trabalho? (pode atrasar a obra e custos com substituição de

funcionários)

Por tanto todos esses itens também interferem no custo final da obra e nem

sempre são computados corretamente, mas através do CUB temos uma

estimativa aproximada do valor total que custará a construção de uma obra

básica, ou seja, de acabamento mais tradicional.

Então vamos as etapas:

1. Serviços Preliminares

 Sondagem;

 Projeto;

 Construção do depósito;

 Construção do tapume;

 Instalação provisória de água;

 Instalação provisória de energia;

 Alguns itens como lâmpada, vaso sanitário para os trabalhadores.

2. Infraestrutura (fundação e laje)

 Sapata ou estaca;

 Viga Baldrame;

 Coluna;

 Laje;

 Escada.

3. Supra Estrutura (vedação)

 Pilar;

 Parede;

 Verga e contra-verga;

 Torre caixa d’água.

4. Cobertura

 Forro (pré-moldado, madeira, PVC ou gesso);

 Oitão

 Telhado (pré-moldado, madeira, PVC);

 Telha (cerâmica, concreto, etc);

5. Esquadrias (Madeira, alumínio ou PVC)

 Guarnição;

 Batente;

 Folha

 Vista.

6. Revestimento

 Chapisco;

 Emboço;

 Reboco.

7. Cerâmica

 Piso;

 Azulejo;

 Soleira

 Rodapé.

8. Instalações Hidrossanitárias

 Canos;

 Tubos;

 Registros;

 Caixa d’água;

 Bóia;

 Caixa de gordura;

 Caixa sifonada;

 Caixa de inspeção;

 Tanque séptico;

 Filtro anaeróbico;

 Metais.

9.Instalações elétricas

 Tubulações;

 Caixas;

 Fios;

 Tomadas / disjuntores.

10. Pintura Interna e Externa

 Selador;

 Massa corrida;

 Lixa;

 Tinta;

 Solvente.

Lembrando que nesses 10 itens para orçamento não estão inclusos os valor de

RRT’s ou ARTs do Arquiteto e ou Engenheiro, plotagens e serviços do

responsável pela obra.

O CUB é sempre o valor básico composto materiais básicos, se seu cliente tiver

um perfil diferenciado e o piso exigido for por porcelanato ou ainda um tipo de

trabalho em gesso para sancas diferenciado, por exemplo, o valor com certeza

será maior que o estimativo.

Gostou? Esse artigo faz parte do nosso curso gratuito sobre cálculos de

orçamentos para construção civil, para ter acesso aos vídeos basta se

inscrever gratuitamente no nosso curso e que você receberá em seu e-mail as

4 aulas sobre quantitativos.

Além desta que você acabou de estudar:

1) Calculando o orçamento básico de uma obra as demais aulas

Você receberá ainda mais 3 cálculos básicos para quem está entrando para o

mundo da Arquitetura:

2) Calculo Consumo de Tijolos/ Blocos

3) Calculo Consumo de Telhas)

4) Calculo consumo de Pisos e Azulejos

Lembrando que para todos os cálculos você receberá a planilha .xls para treinar

os exercícios e aplicar o conhecimento oferecido.

Não perca esta oportunidade e aprenda com A Arquiteta o que não foi possível

aprender em sala de aula!

Vejo você nas nossas aulas.

Luciana Paixão

Arquiteta

Como calcular corretamente a inclinação de um telhado.

Um dos assuntos que envolvem o curso de práticas profissionais ou ainda cálculos

para elaboração de desenho arquitetônico na faculdade de arquitetura ou

engenharia civil é como calcular a inclinação de um telhado.

Antes de iniciar o desenho de um telhado em si, um bom projetista deve antes

saber calcular corretamente a inclinação de um telhado.

Nesse artigo vamos abordar inicialmente a como aprender a Calcular a

Inclinação e no próximo aprenderemos a como calcular oConsumo de Telhas,

ou seja, a quantidade de telhas que será utilizada no projeto do telhado.

Antes de começarmos a calcular vamos enumerar algumas definições básicas

importantes que você deve ter conhecimento prévio:

1- O tipo de telha: Apesar de inicialmente alguns alunos acharem que o

cálculo da inclinação ser algo muito complexo e difícil, a coisa é bem

simples, temos primeiramenteque ter conhecimento prévio do tipo de

telha a ser aplicada no projeto, independente do material da telha,

(cerâmica, concreto, policarbonato e outros), essa especificidade é fator

número 1 para se iniciar o cálculo.

2- O tamanho da telha: Dica: Quanto maior a telha menor a inclinação e

vice-versa. Independentemente do tamanho da telha o objetivo de se

calcular a inclinação de um telhado é determinar qual será a altura final

da cumeeira;

3- A unidade de medida: Você deve sempre prestar muita atenção nas

unidades de medidas que envolvem o cálculo, pois o fato do cálculo

envolver diferentes unidades o projetista poderá se confundir e acabar

calculando de forma errônea a altura final da cumeeira comprometendo a

execução do projeto. Adote uma única unidade de medida, ou metro ou

centímetro por exemplo;

4- A inclinação da telha: cada tipo de telha possui sua inclinação própria que

é determina pelo seu tamanho, recomenda-se antes de se iniciar o cálculo,

que o projetista verifique com o fabricante da mesma a inclinação

recomendada. A inclinação dos telhados é medida em porcentagem (%)

e não em ângulo (º).

Quando ouvimos o telhadista ou projetista mencionar: “O telhado possuirá

uma inclinação de 10%”, o que exatamente isso significa?

Significa que:

10% é equivale a 10/100, ou ainda: 10 dividido por 100, adotando a

unidade de medida em centímetros (cm), temos:

10% = 10cm/100cm ou seja: a cada 100cm (1 metro) na horizontal, o

telhado avança 10cm na vertical, observem o cálculo na figura a seguir.

O mesmo raciocínio serve para todos os telhados com diferentes inclinações de

telha.

Então vamos ao cálculo na prática, Exemplo:

Calcule a altura final da cumeeira de um telhado com 2 águas com as seguintes

dimensões:

-Largura total = 8,0 metros

-Inclinação de 30%, (inclinação que informada pelo fabricante da telha.)

Vamos ao cálculo:

Primeiramente se o telhado terá 8,0m de largura com duas águas, a cumeeira

SEMPRE estará no meio da cobertura, ou seja, nos 4,0m;

Então se o telhado tem inclinação de 30% = 30/100 = 30cm de altura a cada 1,0m

de largura, logo, a cada 4,0 de largura temos: 120cm ou a 1,20m de altura como

mostra a figura a seguir.

Ou você pode lançar mão de uma conta simples direta através da fórmula de

Pitágoras.

Se eu conheço a distância do telhado, no caso 4 metros e a inclinação do telhado

caso 30%, onde H é altura da cumeeira teremos:

H= 4 m x 30 % = 1,20 m

Simples não é verdade?

Agora você já sabe como calcular a inclinação de um telhado corretamente você

não vai mais errar na prova.

Parabéns!

Bons estudos!

Luciana Paixão

Arquiteta

Aprenda a fazer Cálculo para Consumo de Telhas

Olá pessoal!

No artigo de hoje vou ensinar a vocês como se calcular uma estimativa de

consumo de telhas, as que vão compor o telhado de uma edificação, para tal

separamos primeiramente alguns itens.

Observe a figura abaixo:

1. Para obter a aérea que será coberta deveremos incluir os beirais; 2. Correção da área em planta, para área inclinada; 3. Multiplicamos a área inclinada pelos consumos de telhas em m²; 4. Acrescentando uma porcentagem de 5%, pois vai haver de quebrar telha,

de recorte.

Exemplo de estimativa seguindo a figura mostrada:

1. O primeiro passo é encontrar a área em planta.

Para o telhado do exemplo, temos um dos lados A + A, portanto, 6,0 + 6,0

m = 12,00 m.

O outro lado possui medida C, portanto, 10,00 m, multiplicando os dois

lados encontramos: área = 12,00 x 10,00 = 120,00 m² (esta área ainda não

está corrigida para a inclinação solicitada), este é o próximo passo.

2. O segundo passo é efetuar a Correção da área em planta, para área inclinada.

Depois de encontrar a área em planta, devemos multiplicar pelo fator de

correção (F.C.), correspondente à inclinação do telhado para encontrar a

área inclinada.

Segue abaixo a tabela dos fatores de correção (F.C.), correspondente as

inclinações.

Supondo que o telhado tivesse inclinação de 35%, pela tabela temos para

inclinação 35%, F.C. = 1,059.

Desta forma, multiplicamos a área em planta pelo fator de correção: 120,00 m² x

1,059 = 127,08 m² e encontramos a área inclinada.

3. O passo seguinte é multiplicar a área inclinada de telhado pelo consumo da telha a ser usada, para isso você deve sempre consulta o catálogo de

produto que tem por objetivo especificar o consumo determinado de cada

telha.

Para o nosso estudo de caso vamos utilizar a seguinte Telha:

PORTUGUESA:

Material: Cerâmica

Quantidade: 16 telhas por metro quadrado de telhado

Peso: 2,5 Kg por peça

Inclinação Mínima: 30%

Inclinação acima de 60%, recomenda-se fixação das telhas

Cor: Esmaltada (21 cores), natural e branca.

4. Multiplicamos então a área inclinada 127,08m² x 16 telhas (o número de telhas que cobrem o telhado por m²) = 2.033 telhas.

Acrescentando + 5% = 2.135 (arredondado).

Esse esquema é muito prático! Você deve adotar o mesmo procedimento para

todos os tipos de telhados, você só precisa saber qual o tipo de telha, a inclinação

mínima e máxima e a quantidade por m².

Para vocês não terem dificuldade, façam uns 3 exercícios usando medidas,

inclinações e telhas diferentes que dessa forma você colocará em prática o

conhecimento adquirido e não se esquecerá jamais, principalmente na prova.

Se você ainda não viu, para calcular a Inclinação de um Telhado eu sugiro que

você confira o artigo Como Calcular a Inclinação de um Telhado, Passo a

Passo publicado anteriormente, e fique por dentro de todos os assuntos que se

referem a telhados.

Sucesso para você!

Luciana Paixão

A Arquiteta

Como Calcular Consumo de Blocos ou Tijolos de uma obra

Olá pessoal!

O assunto desse artigo é abordado em uma disciplina chamada Práticas Profissionais

que é estudada nas da faculdade de arquitetura e engenharia civil mas se você ficou com

dúvida durante a aula ou deseja reforçar a memória, neste artigo você vai ter a possibilidade

de revisar o que você aprendeu sobre como calcular o consumo de blocos e ou tijolos de

obra.

Sabemos que hoje em dia existem programas que fazem esse cálculo de forma mais

direta mas para você que está entrando agora para o mundo da Arquitetura e precisa

aprender na prática como fazer, fique ligado neste artigo pois na prova não será possível

utilizar de tecnologias para desenvolver o cálculo.

As paredes podem ser levantadas com tijolos, blocos de concreto, placas de concreto,

bloco celular, placa celular, etc.

Para iniciar o cálculo devemos começar sempre pelos cantos, os assentamentos em

amarração, não esquecendo de verificar o nível e o prumo de cada fiada.

O ideal é fazer uma coluna armada em cada canto da casa e nos encontros de paredes,

pois neles também pode se ter uma coluna.

Tijolos:

 - 6 furos 9x14x19 - Residencial

 - 8 furos 9x19x19 - Predial

 - 9 furos 11,5x14x24 - Residencial e Predial

Calculo da quantidade de tijolos por m²: Vamos usar o tijolo de 6 furos em pé.

Antes de começar vamos saber quantos m² tem um tijolo de 6 furos.

Como vamos usar em pé, iremos multiplicar lado x lado: 0,14*0,18= 0,0266m²

Como assim 0,0266m²? 1 tijolo vai ocupar esse espaço de 0,0266m² mas como

saberemos quantos cabe em 1m²?

Simples!

Vamos dividir 1m² por 0,0266. Até aqui muito fácil: 1/0,0266= 37,59

Você vai precisa de 37,59 tijolos para cobrir uma área de 1m².

Vamos trabalhar em cima dessa planta baixa.

Nós vamos pegar a metragem linear nas paredes externas e internas e multiplicar por

2,60 que é a altura do pontalete. Mas antes, vamos primeiro aos descontos das aberturas.

Vamos anotá-las e multiplica largura por altura. A mesma coisa vamos fazer com as

paredes.

Com esses totais vamos calcular o oitão.

Nós já temos o tamanho do pontalete a largura, vamos agora fazer um cálculo para

achar a área do oitão.

A fórmula é simples: A=b.h / 2

A = 0,79*2,65 = 2,0935

A = 2,0935*2 = 4,184

Lembrando que descobrimos um lado do triangulo, multiplicamos por 2, e agora existe

o outro lado da construção que o mesmo triângulo.

Então A = 4,184*2 = 8,374

Nosso oitão tem 8,374m².

Vamos fazer os descontos:

Para cobrir nosso ambiente vamos precisar de 26,224m² de tijolos.

Vamos calcular a metragem quadrada pela quantidade de tijolo vai para 1m².

37,59 * 26,224 = Total de tijolos para a construção 985,97.

Sempre em cálculo de peças devemos levar em consideração a quantidade que vai ser

desperdiçada, as vezes vai tijolo quebrado, o mestre vai usar a colher para quebrar e nem

sempre quebra certo. Então sempre devemos colocar uma porcentagem em cima.

Vamos colocar 10%. 985,97+10% = 1.084.59665...arredondando para no mínimo

1.100.000.

Como você pode ver o cálculo é bem simples de se fazer.

Gostou? Esse artigo faz parte do nosso curso gratuito sobre cálculos de orçamentos

para construção civil, para ter acesso aos vídeos basta se inscrever gratuitamente no

nosso curso e que você receberá em seu e-mail as 4 aulas sobre quantitativos.

Além desta que você acabou de estudar:

1 Como Calcular Consumo de Blocos ou Tijolos de uma obra

Você receberá ainda mais 3 cálculos básicos para quem está entrando para o mundo

da Arquitetura:

2) Calculando o orçamento básico de uma obra;

3) Calculo Consumo de Tijolos/ Blocos;

4) Calculo Consumo de Telhas).

Lembrando que para todos os cálculos você receberá a planilha .xls para treinar os

exercícios e aplicar o conhecimento oferecido.

Não perca esta oportunidade e aprenda com A Arquiteta o que não foi possível

aprender em sala de aula!

Vejo você nas nossas aulas.

Luciana Paixão

Arquiteta

Como Calcular Consumo de Pisos e Azulejos de uma obra

Olá pessoal!

O assunto desse artigo é abordado em uma disciplina chamada Práticas

Profissionais que é estudada nas da faculdade de arquitetura e engenharia

civil mas se você ficou com dúvida durante a aula ou deseja reforçar a memória,

neste artigo você vai ter a possibilidade de revisar o que você aprendeu sobre

como calcular o consumo de pisos e azulejos de obra.

Sabemos que hoje em dia existem programas que fazem esse cálculo de forma

mais direta mas para você que está entrando agora para o mundo da

Arquitetura e precisa aprender na prática como fazer, fique ligado neste

artigo pois na prova não será possível utilizar de tecnologias para desenvolver o

cálculo.

Sei que pode parecer obvio, mas antes de começar temos duas definições

importantes a ser deixada bem clara:

Piso: é o material de acabamento que vai para o revestimento no chão.

Azulejo: é o material de acabamento que vai para revestimento de

paredes.

Para o nosso exemplo vamos utilizar a planta baixa do modelo abaixo, o mesmo

utilizado no cálculo de tijolos, pois vamos trabalhar as mesmas medidas do

ambiente e do pé direito.

Para calcular o piso é mais simples, vamos utilizar o mesmo piso em todo

ambiente, e azulejo apenas no ambiente: banheiro.

Vamos usar duas medias diferentes:

 Piso: 45x45cm

 Azulejo: 30x45cm

Piso Azulejo

Então vamos aos cálculos:

Vamos calcular sem levar em consideração o rejunte.

PISO

Vamos fazer um cálculo básico : lado x lado para sabermos a metragem

quadrada de um único piso, veja no quadro a seguir:

Sabendo a metragem quadrada da planta nós vamos dividir : 24,45m² por

0,2025.

Atenção: Certifique-se que esteja utilizando sempre a mesma unidade de

medida, ou tudo em metros ou tudo em centímetros para não incorrer em erros

desnecessários, ok?

Lembrando de acrescentar 10% sobre o valor total.

Portanto para uma área de 24,45m² vamos usar 133 pisos de 45x45cm.

AZULEJO

Para calcular o consumo de azulejos, diferentemente do piso, o calculamos a

partir da soma das paredes do ambiente multiplicado pela altura do pé direito,

lembrando que descontando as aberturas.

 Duas paredes 2,30* 2,60*(2) = 11,96

 Duas paredes 1,20*2,60*(2) = 6,24

Lembrando que nesse ambiente temos duas aberturas.

 Janela 0,60 x 0,60cm

 Porta 2,10 x 0,70cm

Agora vamos fazer a divisão como fizemos no piso, não se assustem pois o

consumo de azulejo sempre é maior que o do piso, principalmente pela

quantidade de área a ser revestida, ou seja, a parede.

Notaram que a quantidade é quase igual? Foi tudo arredondado para mais, para

não trabalhamos com os números quebrados.

Sendo assim, na planta vamos usar aproximadamente 133 pisos, e na parede do

ambiente menor, mesmo com os descartes, vamos usar aproximadamente 134

peças de azulejos.

Gostou? Esse artigo faz parte do nosso curso gratuito sobre cálculos de

orçamentos para construção civil, para ter acesso aos vídeos basta se

inscrever gratuitamente no nosso curso e que você receberá em seu e-mail as

4 aulas sobre quantitativos.

Além desta que você acabou de estudar:

1Calculo consumo de Pisos e Azulejos;

Você receberá ainda mais 3 cálculos básicos para quem está entrando para o

mundo da Arquitetura:

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 50 pages
baixar o documento