patologia e suas caracteristicas, Manual de Patologia. Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
ingrid-amanda
ingrid-amanda5 de Junho de 2017

patologia e suas caracteristicas, Manual de Patologia. Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)

DOC (717 KB)
17 páginas
1Números de download
56Número de visitas
Descrição
veja so as caracteristicas dela, estava num site muito bom
20pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 17
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 17 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 17 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 17 pages
baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 17 pages
baixar o documento

Patologia Geral

Inflamação:

-Definição: conjunto de alterações teciduais e vasculares que se desenvolvem em resposta a alguma injúria. A inflamação é geralmente vista como um mecanismo protetor cujo objetivo é diluir, isolar e eliminar a causa da lesão e reparar o dano tecidual.

*Cinco sinais cardiais da inflamação: rubor, calor, tumor, dor e perda da função.

-Células presentes na Inflamação:

-Matriz do tecido conjuntivo: membrana basal, fibras colágenas, fibras elásticas e proteoglicanos

-Sanguíneas: leucócitos (eosinófilos, linfócitos, neutrófilos, basófilos, monócitos) e plaquetas.

-Do tecido conjuntivo: mastócitos, fibroblastos e macrófagos.

-Bases da Inflamação Aguda:

-Alteração no calibre dos vasos (vasodilatação)

-Aumento da permeabilidade vascular

-Adesão, quimiotaxia e migração de leucócitos

-Classificação:

-Quanto:

-Grau de severidade;

-Distribuição;

-Duração;

-Tipo de exsudato;

1-Grau de Severidade:

-Discreta (leve), moderada e acentuada (severa)

2-Distribuição:

-Focal, Multifocal, Multifocal à coalescente, Focalmente e Extensa e difusa

3-Duração da Inflamação:

SHAPE \* MERGEFORMAT

-Superaguda (algumas horas): transudato, hiperemia, edema e hemorragia

-Aguda (horas à dias): envolvimento vascular e de leucócitos

-Subaguda (dias à semanas): diminuição do edema e infiltrado misto (polimorfonucleares e mononucleares).

-Crônica (duração prolongada): presença de macrófagos, angiogênese e fibrose.

*Superaguda, aguda e subaguda: exsudativas (serosa, catarral, fibrinoso, purulenta, hemorrágica e grangrenosa).

*Crônica: proliferativa ou produtivas (proliferativa, granulomatosa ou linfoplasmocitária).

4-Tipo de Exsudato:

*Agudo e subagudo: seroso, catarral, purulento, fibrinoso, hemorrágico e gangrenoso.

*Crônico: proliferativo, linfoplasmocitário não proliferativo e granulomatoso

Inflamação Aguda:

Tipo de Exsudato:

1-Seroso:

-Líquido claro e rico em proteínas

-Deriva do soro (plasma) e células de revestimento epitelial

-Comum em cavidades e na pele

Ex.: picadas de insetos, infecções virais e queimaduras

-Significado: tem a função de diluição de toxinas, lubrificação (diminui a dor)

*Diferenciação: exsudato X transudato

-Exsudato: encontra-se em processos inflamatórios, e é formado por plasma, células inflamatórias (leucócitos), detritos de células e ocorre devido ao aumento da permeabilidade vascular. Normalmente opaca, densidade superior à 1,015, com contagem de hemácias e leucócitos aumentada.

Ex.: infecções e processos inflamatórios

-Transudato: ocorre em virtude do aumento da pressão hidrostática ou diminuição da pressão oncótica. Normalmente transparente, densidade inferior à 1,015, com contagem de hemácias e leucócitos normal.

Ex.: insuficiência cardíaca congestiva e hepatopatia crônica

2-Catarral:

-Ocorre em membranas mucosas

-Composto por muco e células descamativas

-Ocorre por agentes bacterianos ou virais de pouca patogenicidade ou em seus estágios iniciais, alimentos irritantes ou inalação de poeiras e alérgenos.

*Evolui para catarro-purulento: presença de muco, débris celulares, neutrófilos, fibrina, hemácias e bactérias piogênicas.

-Significado: maior produção de muco para produção

3-Purulento (supurativo):

-Grande quantidade de neutrófilos, restos celulares e alta concentração de proteínas plasmáticas (formando assim o pus).

-Coloração: esverdeado, amarelado ou amarronzado

-Consistência: líquido, pastosa ou sólida

-Agudo: neutrófilos, sangue e fibrina

-Subagudo: diminuição dos neutrófilos e aumento de células mononucleares e tecido conjuntivo, normalmente associado à bactérias (Streptococus, Staphylococcus, Actinomyces).

-Tipos:

-Pústula: localizado na epiderme

-Empiema: localizado numa cavidade pré-formada

-Flegmão: localizado no tecido conjuntivo frouxo (Ex.: subcutâneo, intermuscular e submucoso).

-Abscesso: pus liquefeito localizado no interior de uma cavidade revestida por uma membrana de tecido conjuntivo.

*Rhodococcus equi: abscessos em eqüinos (nos pulmões).

-Significado:

-Inflamação violenta e febril

-Normalmente há a produção de anticorpos

-Há dano tecidual

-Septicemia

-Macroscopicamente: tecido se encontra hiperêmico, contém ou está coberto por uma camada de pus (pode estar misturado com fibrina).

Inflamação Crônica:

-Inflamação de longa duração (de semanas à meses ou anos). Surge quando a resposta inflamatória aguda falha em eliminar o agente causador, após episódios repetidos de inflamação aguda ou em resposta a características bioquímicas ou fatores de virulência particulares de um micróbio.

No decorrer do desenvolvimento da inflamação crônica, citocinas, quimiocinas e outros mediadores são liberados e estimulam: inflamação ativa (de crônica à granulomatosa com linfócitos, macrófagos, plasmócitos e células gigantes); destruição tecidual (necrose); proliferação de fibroblastos e deposição de colágeno; angiogênese e neovascularização e inicio da cicatrização.

-Bases da Inflamação crônica:

-Infiltração de células mononucleares (macrófagos, linfócitos e plasmócitos)

-Proliferação de células (fibroblasto, colágeno e vasos)

-Destruição tecidual.

*Macrófagos: emigração dos monócitos para o tecido inicia em 48 horas após a exposição ao antígeno. No tecido passa a ser chamado de ‘macrófago’ e quando ativado ocorre aumento nos níveis de enzimas. Então há a secreção destas, que são: proteases e peróxidos (causam destruição tecidual), citocinas e quimiotáticos (para maior recrutamento de células) e fatores de crescimento (para vasos e tecidos fibrosos).

-Células da Inflamação Crônica:

-Linfócitos: linfocinas (mais em infecções virais)

-Plasmócitos: produção de anticorpos

-Mastócitos: mediadores químicos (histamina)

-Eosinófilos: reação à parasitas

-Neutrófilos: processo inicial da inflamação.

-Tipos de Exsudatos:

1-Crônico Proliferativo:

-Neovascularização e processo purulento em segundo plano.

-Formação do tecido de granulação (jovem e maduro)

-Objetivo: isolar o foco inflamatório do tecido sadio

*Não há isolamento quando: for crônico recidivante, crônico ativo ou haver inflamação aguda dentro de um processo crônico (Ex.: retículo pericardite traumática).

2-Linfoplasmocitário não Proliferativo:

Ex.: circovirose

-Infiltrado somente mononuclear

-Pode ser agudo ou crônico

-Pouca ou ausência de proliferação de tecido conjuntivo.

-Infiltração:

-Linfocítica: processos infecciosos virais

-Plasmocitária: processos imunológicos

-Macrofágica: doença de Johne (paratuberculose – Mycobacterium paratuberculosis).

3-Granulomatosa:

-Há ou não a presença de granulomas.

-Agentes responsáveis: virais, bacterianos, fúngicos, protozoários, plantas (Ex.: ervilhaca) e agentes inertes (pêlos, fibras vegetais e etc).

-Função do granuloma: defender o hospedeiro contra agentes persistentes que não foram resolvidos nos processos agudos ou crônicos normais.

-Tipos:

-Corpo estranho

-Imunológicos: partículas não digeríveis (bactérias resistentes e fungos parasitas)

Ex.: tuberculose, actinomicose (osteomielite), actinobacilose (língua de pau)

-Aspecto Macroscópico:

-Muito variado, dependendo do agente etiológico, mas normalmente encontra-se nodulações brancas firmes

-Destino:

-Persistir: provoca substituição por tecido fibroso

-Em órgãos parenquimatosos: levam a morte

-Outros locais: sensibilidade, dor e debilidade

Teratologias (Anomalias e má formações):

-Distúrbios do Crescimento:

-Congênitos (presentes no nascimento)

-Adquiridos (desenvolvem-se após o nascimento)

-Divisão:

-Não formação

-Deficiência no crescimento

-Crescimento excessivo

-Crescimento anormal

-Fatores:

-Número de células

-Tamanho das células

-Tipos:

1-Agenesia: não desenvolvimento (ausência)

Ex.: agenesia renal, aplasia intestinal

2-Aplasia: diminuição do tamanho (algo do órgão ainda presente)

3-Atresia: ausência/fechamento de uma abertura natural

Ex.: atresia ani

4-Hipoplasia: crescimento incompleto (tecido/órgão não alcançou o tamanho normal)

-Locais: cerebelo, rins e testículos

-Causas: infecção viral intra-uterina, defeito genético, agentes tóxicos (anti-helmínticos – benzimidazóis em altas doses)

-Conseqüência: decréscimo da função e falta se reserva.

-Exemplos: BVD (bovinos), panleucopenia (felinos), hipoplasia de omaso e hipoplasia renal

5-Hiperplasia: aumento do número de células no tecido/órgão

-Locais: baço, pâncreas, adrenal, próstata e glândula mamária

-Tipos:

-Compensatória: normalmente patológica

Ex.: fígado e rins

-Hormonal: fisiológica (Ex.: glândula mamária) ou patológica (Ex.: hiperplasia cística)

-Aspecto:

-Nodular: localizado (Ex.: baço, pâncreas e fígado)

-Cística: rim e próstata

-Difusa: próstata

*Hiperplasia + Hipertrofia: glândula tireóide (deficiência de iodo)

6-Hipertrofia: aumento do tamanho das células

Tipos:

-Fisiológica: aumento da massa muscular, útero durante a gravidez

-Patológica: hipertrofia compensatória (miocárdio)

-Compensatória: fisiológica (Ex.: de um rim) ou patológica (Ex.: hipertrofia cardíaca secundária)

-Hormonal: fisiológica (aumento de glândulas mamárias e testículos) ou patológica (aumento da tireóide pelo aumento de TSH).

7-Atrofia: diminuição no número e/ou tamanho das células.

Ex.: atrofia serosa da gordura, atrofia renal (Ex.: Dyoctophyma renale)

-Causas: suprimento nutritivo deficiente, falta de inervação, necrose das células (falta de suprimento sanguíneo), pressão (tumores, cistos e aneurismas), desuso e mecanismos feedback deficientes (atrofia endócrina – adrenal e tireóide).

-Tipos:

Fisiológica: timo e glândulas mamárias

Patológica: por desuso, por inanição, compressão, endócrina (hormônios estimulantes) e vascular (ateroma arterial renal).

Numérica: morte de parte das células

Quantitativa: mesma quantidade de células, mas de tamanho menor.

8-Metaplasia: transformação de tecido adulto diferenciado em outro tipo diferente. Pode induzir a alteração neoplásica.

Ex.: metaplasia escamosa (epitélio cilíndrico para epitélio escamoso)

9-Displasia: capacidade de transformação celular. Proliferação excessiva, ausência ou escassez de diferenciação.

Ex.: displasia coxofemoral

10-Anaplasia: células adultas que adquirem características primitivas (embrionárias).

Neoplasias:

-É uma massa anormal do tecido, cujo crescimento excede o dos tecidos normais e não está coordenado com esses crescimentos, persistindo, da mesma maneira excessiva após o estímulo que provocou a mudança.

-Autônomo: cresce desordenadamente, não respeita o crescimento do tecido.

-Predador: precisa de um tecido mãe

*Tumor: aumento de volume localizado

*Neoplasia: crescimento novo (maligno ou benigno)

*Câncer: neoplasia maligna

-Características:

-Crescimento tecidual excessivo

-Falta de resposta aos mecanismos de controle

-Diminuição da dependência a estímulos.

-Componentes:

-Parênquima: célula tumoral proliferante

-Estroma: tecido de sustentação e suporte vascular

-Classificação:

1-Histogênese: são formados por estroma e parênquima

-Epitelial (ectoderma e endoderma)

-Mesenquimal (mesoderma)

-Produtores de pigmentos (melanomas)

-Neuroectoderma

-Misto: epitelial e mesenquimal

-Teratoma: envolve 2 ou 3 folhetos embrionários. Ocorre mais em ovários e testículos

-Nomenclatura: conforme o comportamento biológico

-Benigno: sufixo OMA (exceto: melanoma, seminoma e mastocitoma)

-Malingno: carcinoma (origem epitelial) ou sarcoma (origem mesenquimal)

1-Epiteliais:

-Benignos:

-Glandular:

-Adenoma: crescem como glândulas

Ex.: adenoma de glândula mamária

-Epitélio de Revestimento:

-Papiloma: projeções digitiformes

-Pólipos: base estreita ou pedículo.

-Maligno:

-Adenocarcinoma de glândula mamária

-Carcinoma hepático

-Carcinoma epidermóide (Ex.: intoxicação por samambaia ou irradiação solar em locais despigmentados).

-Seminoma (epitélio germinativo dos túbulos seminíferos)

2-Mesenquimais:

-Origem não Hematopoiética:

-Tecido Conjuntivo Fibroso

-Fibroma (benigno)

-Fibrossarcoma (maligno)

-Tecido Ósseo:

-Osteoma (benigno)

-Osteossarcoma (maligno)

-Tecido Muscular:

-Liso:

-Mioma (benigno)

-Miossarcoma (maligno)

-Estriado:

-Rabdomioma (benigno)

-Rabdossarcoma (maligno)

-Tecido Vascular:

-Hemangioma (benigno)

-Hemangiossarcoma (maligno)

-Origem Hematopoiética:

-Benigno: melanocitoma (melanoma benigno), linfoma, plasmocitoma e histiocitoma

-Maligno: melanoma maligno, linfoma maligno (leucemia), plasmocitoma maligno e histiocitoma maligno

3-Tumores Mistos

-Tecido Epitelial e Mesenquimal:

-Tumor mamário misto benigno

-Tumor mamário misto maligno

-Carcinossarcoma

-Teratoma: envolve 2 ou 3 camadas germinativas

4-Tecido Nervoso:

-SNC:

-Maligno:

-Astrocitoma

-Glioblastoma

-SNP:

-Benigno:

-Ganglioneuroma

-Morfologia:

-Microscopia:

-Parênquima: tecido epitelial e mesenquimal

-Estroma: tecido fibrovascular

-Esquirroso: grande quantidade de estroma

-Sólido: pouca quantidade de estroma

-Diferenciação (grau de semelhança)

-Tumores bem diferenciados: benignos

-Tumores pouco diferenciados: malignos

-Indiferenciados: anaplásicos

-Endofítico: cresce para dentro. Ocorre em órgãos parenquimatosos

-Isolados

-Focos (focal, multifocal e coalescente)

-Exofítico: cresce para fora. Ocorrem em pele, mucosas e serosas na forma de pólipos, pedúnculos ou papilomas (verrugas).

-Diferenças entre: Tumores Malignos x Benignos

Característica Benigno Maligno Diferenciação Aparência bem diferenciada,

estrutura similar ao tecido de origem, pouca ou nenhuma

anaplasia

Usualmente alguma falta de diferenciação,

freqüentemente estruturas atípicas e grau variável de

anaplasia Taxa de Crescimento Expansão lenta, progressiva

e raras figuras de mitose Crescimento rápido a lento, taxa de crescimento errática

Invasão Local Sem invasão, presença freqüente de cápsula

Invasão local, crescimento infiltrativo e geralmente sem

cápsula Metástase Sem metástase Metástase freqüente

*Tumores benignos não tem recidivas.

-Metástase:

Vias:

-Transcelômica (implantação): quando o câncer se origina na superfície de uma estrutura abdominal ou torácica, ele encontra poucas barreiras anatômicas para se disseminar.

Ex.: adenocarcinoma de ovário e carcinomas em cavidades

-Linfática: a maioria dos carcinomas gera metástase via linfática. Os linfonodos mais próximos do tumor são geralmente colonizados mais cedo e desenvolvem massas tumorais metastáticas maiores.

Ex.: adernocarcinoma de intestino, carcinoma epidermóide, mama

-Hematógena: os sarcomas tendem a utilizar a via hematógena. Os tumores invadem mais freqüentemente as veias do que as artérias (porque as paredes das artérias são mais espessas e mais difíceis de se penetrarem). Os tumores que atingem as veias se alojam nos pulmões.

Ex.: feocromocitomas (tumor de célula cromafins – adrenal), hemangiossarcoma

-Desenvolvimento das Neoplasias:

-Iniciação: introdução de alteração genética irreversível nas células basais da pele, pela ação de agentes iniciantes mutagênicos ou iniciadores (carcinógenos químicos ou físicos que danificam o DNA).

-Promoção: refere-se ao crescimento das células iniciadas em resposta a um estímulo seletivo. A maioria destes são denominados agentes promotores. Determinam a proliferação da célula mutante.

Ex.: óleo de cróton

-Progressão (latência): estágio final e inclui a conversão de tumor benigno em tumor maligno e, por último, um tumor metastático.

*Papilomavírus (iniciador) e samambaia (promotor).

-Dano Genético (não letal):

-Adquirido: ação de carcinógenos químicos, físicos ou virais

-Herdado: células de linhagem germinativa

-Proto-oncogenes: crescimento e diferenciação celular (dominantes)

-Anti-oncogenes: inibem o crescimento celular (recessivos)

-Fatores de Desenvolvimento:

-Endógenos: idade, raça, sexo e família

-Exógenos: irradiação, físico, químico e virais

1-Endógenos:

-Idade: animais mais velhos tem a diminuição dos mecanismos de reparação de danos do DNA.

-Raça:

-Mastocitoma: boxer, bullterrier e bulldog

-Hemangiossarcoma: boxer e pastor alemão

-Glioblastoma: boxer

-Osteossarcoma: animais de grande porte

-Carcinoma de células escamosas: animais despigmentados ou intoxicados por samambaia

-Melanoma: eqüinos brancos, árabes e suínos

-Familiar:

-Osteossarcoma: são bernardo

-Dermatofibrose nodular generalizada com carninoma renal: pastor alemão.

-Sexo:

-Tumor de glândula perianal: machos

-Tumor de mama: fêmea

-Lipoma: fêmea

-Linfossarcoma felino (leucemia dos gatos): macho

2-Exógenos:

-Solar:

-Câncer ocular: hareford

-Carcinoma de orelha em gatos (carcinoma epidermóide/carcinoma escamoso).

*Criptococose e Esporotricose: lesões semelhantes ao carcinoma epidermóide.

-Radiação Ionizante: (raio-X e gama)

-Leucemia e câncer de tireóide

-Câncer de mama, pulmão e glândula salivar

-Câncer de pele, osso e trato gastrointestinal

-Químico:

-Hidrocarbonetos Aromáticos (benzilpireno): carcinoma pulmonar e carcinoma de escroto

-Azocorantes (nitrosaminas e nitrosamidas): carcinoma hepatocelular

-Aminas Aromáticas: carcinoma de bexiga

-Virais:

-Papilomavírus: carcinoma escamoso do trato digestivo, associado ao consumo de samambaia (bovinos) e sarcóide eqüino.

-Herpesvírus: linfossarcoma aviário (leucose das aves), doença de Marek (aves) e adenocarcinoma renal (rãs).

-Poxvírus: histiocitoma e fibroma (macacos, coelhos e aves)

-Retrovírus: leucose enzoótica bovina, leucemia felina (linfossarcoma felino)

-Inorgânicos:

-Arsênico (em pesticidas): carcinoma de pele e carcinoma bronquial

-Silicato de cálcio e magnésio: carcinoma de pulmão e mesotelioma (tumor de parede de vaso sanguíneo).

-Naturais:

-Pteridium aquilinum (samambaia): carcinoma de trato digestivo

-Aflatoxina: carcinoma hepático

-Nutrição:

-Pobre em fibra e rico em gordura: carcinoma de cólon

-Anomalias Cromossômicas:

-Tumor de Sticker (TVT): as células normais do cão possuem 78 cromossomos e estas células tumorais possuem 59 cromossomos.

-Induzidas por Parasitos:

-Spirocerca lupi: sarcoma de esôfago em cães

-Taenia taeniaformis: carcinoma de fígado de ratos

-Induzidas pro Inflamação Crônica:

-Aflatoxna B1 (alimentos contaminados): hepatoma

-Síndromes:

-Neoplásica: atingem as glândulas e exacerbam a secreção de hormônios produzidos por estes.

Ex.: tumor de Sertoly (produção excessiva de estrógeno), tumor de adrenal medular (produção excessiva de noradrenalinas), tumor ovariano (produção excessiva de andrógenos e estrógenos) e tumor adrenal cortical (produção excessiva de glicocorticóides – atrofia da adrenal oposta).

-Paraneoplásica: há produção de substâncias semelhantes a substâncias produzidas pelas glândulas normais.

Ex.: carcinomas bronquiais (produzem ACTH, ADH, serotonina), carcinoma renal (produz PTH) e plasmocitomas (produzem paraproteínas – imunoglobulinas anormais).

Tumores freqüentes em Medicina Veterinária:

1-Caninos:

-Mastocitoma: pele e tecido subcutâneo; 50% são malignos; metástases ocorrem mais em baço, fígado e rins; geralmente em cães velhos. Independente do grau de diferenciação, devem ser considerados potencialmente malignos. São divididos em 3 graus:

I – Bem diferenciado; sem figuras mitóticas; apenas na derme; com grânulos e arredondados;

II – Moderadamente diferenciado; infiltrando o tecido subcutâneo; pleomorfismo moderado; raras figuras mitóticas;

III – Pouco diferenciado; substituem os tecidos subcutâneos e outros; pleomorfismo acentuado; poucos grânulos, várias figuras mitóticas.

-Tumores de mama: geralmente maligno; normalmente em cadelas mais velhas; raro em machos; prevenção com ovarioesterectomia.

-Tumor venéreo transmissível (TVT): fácil transmissão; origem mesenquimal; geralmente em órgãos genitais, mas pode atingir mucosa oral e nasal; Aspecto de couve flor, pedunculado, nodular; pode haver metástase (raro).

-Tumores testiculares: Sertolioma (mais comum), assim ocorre feminilização pelo aumento da produção de estrógeno; ocorre em testículos ectópicos.

2-Felinos:

-Tumores de mama: prevenção com ovarioesterectomia precoce. Mama 1 é a mais atingida; 90% dos casos são malignos em gatas velhas; lesão hormônio dependente.

3-Bovinos:

Leucose enzoótica bovina: linfossarcoma e linfocitose persistente; causada por um vírus RNA tumoral nos linfócitos B. Transmissão horizontal (sangue, leite, sêmen e saliva). Ocorre geralmente em coração, abomaso, útero, rins, meninges da medula espinhal e tecidos periorbitais.

-Carcinoma das vias digestivas superiores: ocorre por intoxicação por samambaia associado a papilomatose e em adultos; evolução crônica; há tosse, regurgitação, timpanismo, diarréia e emagrecimento progressivo até a morte.

-Hematúria enzoótica bovina: intoxicação crônica por samambaia (doses pequenas diárias), causa neoplasias na bexiga causando assim hematúria, anemia, emagrecimento progressivo e morte.

4-Eqüinos:

Sarcóide eqüino: tumor de pele causado pelo papiloma vírus bovino; ocorre em qualquer idade; geralmente acomete na cabeça, região peitoral e abdome. Localmente invasivos, freqüentemente recidivam após excisão cirúrgica, mas não metastizam.

Referências Bibliográficas:

McGAVIN M. D., ZACHARY J. F. Bases da Patologia em Veterinária. 4 ed. São Paulo: Elsevier Editora, 2009.

COELHO, H. E. Patologia Veterinária. 1 ed. São Paulo: Editora Manole, 2002.

JONES, T. C., HUNT R. D., KING N. W. Patologia Veterinária. 6 ed. São Paulo: Elsevier Editora, 2008.

comentários (0)
Até o momento nenhum comentário
Seja o primeiro a comentar!
Esta é apenas uma pré-visualização
3 shown on 17 pages
baixar o documento