plano de marketing, Teses (TCC) de Marketing
joed-amgarten-1
joed-amgarten-1

plano de marketing, Teses (TCC) de Marketing

77 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Um pequeno plano de marketing! está incompleto ainda.
80 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 77
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 77 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 77 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 77 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 77 páginas

ANHANGUERA EDUCACIONAL FACULDADE DE SOROCABA

PLANO DE MARKETING

Sorocaba 2010

Faculdade Anhanguera de Sorocaba Curso de Tecnologia em Marke�ng

PLANO DE MARKETING

Sorocaba 2010

PLANO DE MARKETING

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Tecnologia em Marke�ng da Faculdade de Sorocaba Anhanguera Educacional S.A, como requisito parcial para obtenção do �tulo de graduação em Tecnólogo em Marke�ng.

Orientador: Prof. André Gustavo Rodrigues Monteiro

GRUPO 5

Thiago Borges Inácio Danilo José Armando Elias Ba�sta Rosa Joed Davidson Alves Amgarten Carlos Henrique Alves Ederson Luiz da Silva Oliveira Peterson Rodrigues Gonelli

Sorocaba 2010

PLANEJAMENTO DE MARKETING

Aprovado em: __/__/__ Nota: __________________

RA 9292602875 RA 0808176877 RA 2143231586 RA 0900015 RA 0947494927 RA 0949507722 RA 9221684050

BANCA EXAMINADORA

_____________________________

_____________________________

_____________________________

SOROCABA 2010

AGRADECIMENTOS

Agradecemos primeiramente à Deus pela vida, capacidade e sabedoria, tudo que temos e somos devemos a Ele; Às nossas famílias por todo apoio e incen�vo para que nós es�véssemos estudando; À Anhanguera por ter concedido esta oportunidade de termos estudado e estarmos terminando este curso; Ao curso de Tecnologia em Marke�ng, em especial ao coordenador e professor André Gustavo Rodrigues Monteiro por estar sempre nos orientando durante a realização deste trabalho; Aos professores que lecionaram para essa turma e pelos seus ensinamentos e paciência para o nosso melhor desempenho durante a realização deste curso; A Jilson Gobira proprietário da empresa Itape Brindes, por ter nos permi�do usar sua empresa para este trabalho.

EPÍGRAFE

“Tudo quanto vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças, porque na sepultura para onde tu vais, não há obra, nem indústria, nem ciência, nem sabedoria alguma. Voltei-me e vi debaixo do sol que não é dos ligeiros a carreira, nem dos valentes, a peleja, nem tão pouco dos sábios, o pão, nem ainda, dos prudentes, a riqueza, nem dos inteligentes, o favor, mas que o tempo e a sorte pertence a todos.”

Eclesiastes 9: 10,11.

RESUMO

Estabelece uma análise sobre o Marke�ng aplicado a empresa Itape Brindes, sobre como ela está usando as ferramentas disponíveis para oferecer bons serviços, novos produtos e sa�sfazer a necessidade de seus clientes, que se estabelece nos estudos de Kotler, Armstrong e Palmer. Usando-se o roteiro de Diagnós�co Empresarial para perceber como estão os serviços da empresa e como ela poderá melhorar. Com o obje�vo de iden�ficar como está o grau de sa�sfação dos clientes quantos aos seus produtos e serviços. Pode-se verificar que a empresa tem clientes fiéis e que tem se esforçado para agradá-los, oferecendo produtos com qualidade, porém sempre é possível melhorar, e quanto a a�tudes que deverão ser tomadas, a empresa precisa traçar metas e obje�vos, buscando a qualidade total e também divulgar mais seus serviços, no entanto seu primeiro passo é arrecadar recursos e para isto ela necessita renegociar débitos e cortar despesas desnecessárias, pode-se concluir que os serviços precisam ter qualidade cem por cento, isto é, qualidade total e para que a empresa faça isto ela precisar analisar diariamente como estão os seus produtos e serviços e se os clientes estão sa�sfeitos com a agência.

Palavras-chaves: 1. Marke�ng de Serviços; 2. Diagnós�co Empresarial; 3. qualidade; 4. clientes; 5. sa�sfação.

ABSTRACT

Establishes a review about Marke�ng applied the company Itape Brindes, about how she is using the tools available to offer good services, new products and meet the needs of its customers, which is established in studies by Kotler, Armstrong and Palmer. Using the script to see how Business Diagnosis are the company's services and how it can improve. With the objec�ve is to iden�fy how the degree of customer sa�sfac�on as to their products and services. One can see that the company has loyal customers and has strived to please them by offering quality products, but you can always improve, and the a�tudes that should be taken, the company needs to set goals and objec�ves, seeking total quality and also disclose more of their services, however your first step is to raise funds and for this she needs to renego�ate debt and cut unnecessary costs, it can be concluded that services need to have quality one hundred percent, that is, total quality and the company to do this it needs to analyze daily as are their products and services and whether customers are sa�sfied with the agency.

Keywords: 1. Services Marke�ng, 2. Business Diagnosis 3. Quality 4. Customers 5.sa�sfac�on.

SUMÁRIO

1.Introdução.......................................................................... 12

1.1 História da cidade........................................................................................................................................ 12

2. O que é marketing ?......................................................... 14 3. A Empresa......................................................................... 15

3.1 Missão, visão e valores................................................................................................................................ 16

4. Todos são responsáveis pelo marketing.......................... 17 5. O profissional de marketing............................................ 18 6. A análise do Ambiente...................................................... 19 7. Pesquisa e análise..............................................................22 8. A análise da Empresa e de seus produtos....................... 27

8.1 Caracterís�cas dos produtos.........................................................................................................................28 8.2 Bene�cios..................................................................................................................................................... 28 8.3 Estágio de ciclo de vida............................................................................................................................... 29 8.4 Segurança..................................................................................................................................................... 29 8.5 Confiança..................................................................................................................................................... 29 8.6 Aparência e embalagem .............................................................................................................................. 29 8.7 Histórico de vendas ......................................................................................................................................29 8.8 Histórico de preço........................................................................................................................................ 30

9. Público alvo....................................................................... 30 9.1 Publico Alvo.................................................................................................................................................. 30 9.2 Quais são as necessidades dele...................................................................................................................31 9.3 Quais são os padrões de compra.................................................................................................................31 9.4 Método de distribuição dos produtos......................................................................................................... 31 9.5 O tamanho do mercado............................................................................................................................... 32 9.6 Quem são seus principaisconcorrentes...................................................................................................... 35 9.7 Quem ou quais são os pontos fortes de seus concorrentes....................................................................... 36 9.8 Quem ou quais são os pontos fracos da concorrência............................................................................... 36

10. PEST................................................................................ 37 10.1 Fatores polí�cos......................................................................................................................................... 37 10.2Fatores econômicos.................................................................................................................................... 39 10.3 Fatores sociais............................................................................................................................................ 39 10.4Fatores tecnológicos................................................................................................................................... 40

11. SWOT 41 11.1Pontos fortes, pontos fracos, oportunidades, riscos................................................................................ 42 11.2 Filosofia da empresa.................................................................................................................................. 43 11.3 Caracterís�cas, bene�cios ou qualidades do produto..............................................................................43 11.4 Vantagem compe��va do produto........................................................................................................... 43 11.5 Estrutura de preço......................................................................................................................................44 11.6 Consciência do mercado-alvo em relação ao seu produto.......................................................................45 11.7 Ciclo de uso do produto..............................................................................................................................45 11.8 A�tudes do mercado-alvo em relação ao produto...................................................................................46 11.9 A�vidades contra a concorrência.............................................................................................................. 47

12. O plano de marketing.....................................................47 12.1 Visão Geral.................................................................................................................................................. 47 12.2 Mercado-alvo............................................................................................................................................ 48 12.3 Análise compe��va....................................................................................................................................48 12.4 Análise do produto e do negócio...............................................................................................................48 12.5 Metas e obje�vos....................................................................................................................................... 48 12.6 Estratégias .................................................................................................................................................. 49 12.7 Avaliação.................................................................................................................................................... 52 12.8 Visão geral de mercado..............................................................................................................................53

13. Segmentação de mercado............................................... 54 14.Público-alvo......................................................................55 15.Psicográficos.....................................................................55 16.Visão geral dos produtos................................................. 57

16.1 Externo (orientado pelo mercado)............................................................................................................. 57 16.1.1 Reputação da empresa/do produto................................................................................................... 57 16.1.2 Par�cipação de mercado.....................................................................................................................57 16.1.3 Habilidade da empresa/produto para sa�sfazer as necessidades e tendências do mercado............ 57 16.1.4 Valor que sua empresa agrega ao mercado....................................................................................... 57 16.1.5 Qualidade de seu produto................................................................................................................... 57 16.1.6 Qualidade de seu serviço e suporte ao cliente (ou outra área de serviço)......................................... 57 16.1.7 Qualidade/eficiência das promoções e outros esforços de marke�ng realizados.............................. 58 16.1.8 Preço.................................................................................................................................................... 58 16.1.9 Distribuição..........................................................................................................................................58 16.1.1.1Vantagens geográficas...................................................................................................................... 58

16.2 Interno (orientado pela empresa).............................................................................................................. 58 16.2.1 Liderança operacional......................................................................................................................... 59 16.2.2 Pontos fortes financeiros..................................................................................................................... 59 16.2.3 Recursos de fabricação........................................................................................................................ 59 16.2.4 Cenários ideais.................................................................................................................................... 59

17.Metas e objetivos..............................................................64 17.1 Metas de vendas......................................................................................................................................... 64

18.Objetivos de marketing................................................... 66 19.Posicionamento Atual......................................................67

19.1 Posicionamento de valor............................................................................................................................ 69

20.Estratégia de produto......................................................70 20.1 Embalagem................................................................................................................................................. 70 20.2 Garan�as..................................................................................................................................................... 71

21.Estratégia de preço.......................................................... 71 22.Estratégia de praça..........................................................72 23.Estratégia de promoção...................................................73

24.Anúncios........................................................................... 74 25.Relações públicas e publicidade..................................... 75 26.Promoções e eventos........................................................ 76 27.Eventos especiais..............................................................77

27.1 Brindes..................................................................................................................................................... 78

28.Plano de ação e implementação......................................78 29.A mídia..............................................................................85 30.Programação.................................................................... 86 31. Considerações Finais...................................................... 86 32.Bibliografia.......................................................................88

1. Introdução

Faremos aqui uma breve introdução quanto ao plano de marke�ng que foi feito para a empresa Itape Brindes.

Explicaremos: Planejar o programa de marke�ng de uma empresa é um processo parecido com

aquele pelo qual um jovem passa para se decidir sobre o seu futuro. Você passa por fases de:

• Aprendizagem e descoberta do mundo ao seu redor

• Desenvolvimento e auto realização de habilidades, pontos fortes e fracos

• Estabelecimento de um obje�vo baseado nesses pontos fortes e pontos fracos

• Estabelecimento de estratégias para alcançar seus obje�vos

• Trabalhar para fazer o plano acontecer

Entendido isto, daremos con�nuidade, saber onde ela se encontra? Itape�ninga, com o que trabalha? Produtos ecológicos, tendo como carro chefe a Sacola Ecológica, a qual vamos citar mais no decorrer do plano de marke�ng. Quais os concorrentes? no ramo de Sacolas e Brindes ecológicos, nenhum, só no ramo de brindes, JC SILVEIRA, REAL GRÁFICA E GRÁFICA CHINA, mas nada que afete diretamente os negócios da Itape Brindes, pois não sendo concorrentes diretos, eles visam um outro �po de mercado e não o ecológico. A nossa ideia ao fazer o plano de marke�ng para esta empresa é que ela consiga mostrar as vantagens do produto ecológico e mostrar os riscos que o produto não ecológico faz ao meio ambiente.

1.1. História da cidade

Itapetininga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Itape�ninga é um município localizado no interior de São Paulo. Com uma população estimada em 2008, segundo o SEADE, era de 156.075 habitantes, com taxa de crescimento anual de 1,67%.

Fundação: 5 de novembro de 1770 (240 anos)

É conhecida, também, como "Terra das Escolas", "Atenas do Sul Paulista" e "Terra da Cultura".

Itape�ninga tem origem da língua Tupi. Os estudos referentes ao nome dado a 2 1 D 2Itape�ninga concluem que existem 3 significados diferentes: Itáapé-�ninga caminho das

pedras secas ou caminho seco das pedras Itape-�ninga - pedra chata, laje ou lajeado seco Tá-pe-�ninga - na pedra seca

Geografia Em área é o 3º maior município do estado de São Paulo

Localização: Itape�ninga está localizada na região sudoeste do estado de São Paulo , na bacia do Alto - Paranapanema.

Limites do município: Norte: Guareí e Tatuí Sul: Capão Bonito, São Miguel Arcanjo e Pilar do Sul Leste: Alambari, Capela do Alto e Sarapuí Oeste: Campina do Monte Alegre, Angatuba e Buri Distritos: Gramadinho, Morro do Alto, Tupy e Rechã.

2. O que é marketing ?

Os consagrados autores Kotler e Armstrong (1993) definem marke�ng como o processo social e gerencial através do qual

indivíduos e grupos obtém aquilo de que necessitam e desejam por meio da criação e troca de produtos e valores.

Descrevem também o conceito de marke�ng, afirmando que, para alcançar os obje�vos organizacionais, é necessário determinar as necessidades e desejos dos mercados- alvo e proporcionar sa�sfações desejadas de maneira mais efe�va e eficiente do que seus concorrentes.

De acordo com Dias (2007, p. 40) “o marke�ng era muitas das vezes mal u�lizado e mal interpretado, tornando-se alvo de crí�cas por induzir ao consumo exagerado, provocando aumento da extração dos recursos naturais e geração de resíduos de todo �po”.

A par�r de então, o conceito de marke�ng tornou-se mais amplo e evoluiu. Donaire (1999, p. 99-100) afirma que: a a�vidade de marke�ng compreende uma série de a�vidades que têm por obje�vo viabilizar a chegada do produto acabado ao consumidor final”

Primordial ao fazer um plano de marke�ng é ter em mente o que significa marke�ng. De acordo com o Dicionário de Termos de Marke�ng, marke�ng é "o processo de

planejar e executar concepção, preço, promoção e distribuição de ideias, bens e serviços para criar trocas que sa�sfaçam obje�vos individuais e organizacionais". O que isto significa para sua empresa? Significa que marke�ng abrange tudo o que você precisa fazer para lançar um produto ou serviço necessário, apresentar o produto aos clientes em potencial, fazê-los desejar o produto e depois vender o produto a eles.

Como cita brilhantemente Kotler “O marke�ng está se tornando mais uma batalha baseada em informações do que uma batalha baseada no poder de vendas.” (KOTLER, 2000, p.121), a informação esta sendo disputada pelas empresas. Em outros tempos (30 ou 40 anos atrás), o marke�ng consis�a principalmente em vendas sem informações. Em vez de departamentos de marke�ng, as empresas �nham departamentos de vendas com um gerente de publicidade e alguém que fazia a pesquisa de mercado, mas isto era raro. Às vezes, um gerente de promoção se unia à equipe ou uma agência era contratada para fazer a publicidade e as promoções. Hoje, mesmo as micro e pequenas empresas têm planos de marke�ng bem definidos. As coisas começaram a mudar à medida que as empresas cresciam e começavam a oferecer muitas linhas de produtos, passando a ter seus próprios gerentes de marca, gerentes de segmento de mercado e muitos outros cargos especializados que cuidavam e preparavam todas as necessidades de seus mercados em par�cular. A necessidade de um departamento de marke�ng ou profissional de marke�ng, no caso das micro e pequenas empresas, começou a ser percebida como parte vital do negócio. O departamento ou profissional de marke�ng também leva quase toda a culpa se um produto (ou empresa) não faz sucesso, mesmo se a culpa não for realmente dele.

3. A Empresa

A empresa escolhida para o desenvolvimento deste planejamento foi a:

ITAPE BRINDES

Rua Maria José Matheus Serafim , nº 15 Vila Serafim Itape�ninga – S/P Cep 18203-080 Fone : (15) 3272 – 9641 Site - h�p://www.itapebrindes.com.br/ Skype: itapebrindes CNPJ 06.868.561/0001.93 Inscrita como Comércio de Papelaria e recentemente Sacolas Ecológicas. Proprietário : Sr. Jilson Gobira

Está no mercado desde 2008, em Itape�ninga – cidade com população em torno de 150 mil habitantes, empresa nova e pequena mas com consciência e poder de transformação, ela conta com 3 funcionários.

A empresa nasceu de uma ideia de faculdade, Jilson, 28, fez seu plano de marke�ng e baseado nas informações de mercado ob�da, resolveu criar a Itape Brindes.

O principal financiador da ideia, foi o seu pai ! No momento, a empresa precisa de auxilio quanto à divulgação, já que não faz isso,

palavras do próprio Jilson Gobira. Dentre os produtos destacam-se: Sacolas Ecológicas, bolsas, brindes ecológicos e

outros �pos de brindes.

3.1 Missão, visão e valores

Visão é um des�no específico, uma imagem de um futuro desejado. [...][Missão] é abstrata. [...] [Missão] é “avançar a capacidade do homem paraexplorar os céus”. Visão é “um homem na lua ao final dos anos 60”. (SENGE,1990, p. 149)

Missão – Deixar um planeta menos problemá�co em relação ao meio ambiente, cuidemos dele hoje, para que amanhã possamos tê-lo, ainda!

Visão – Como mudar o mundo se não arrumamos o próprio quarto? Ser a nova referência em Itape�ninga no setor Sustentabilidade, conquistando a sa�sfação total dos clientes e contribuindo para o bem-estar das gerações futuras.

Valores - Gestão sustentável. Compromissos econômico, social e ambiental; Paixão pelo trabalho; Cria�vidade, curiosidade e aprendizado constantes; Respeito ao próximo e

transparência nas relações de trabalho ;Comprome�mento com a opinião e a sa�sfação do cliente.

4. Todos são responsáveis pelo marketing

Todos mesmo! O fato é que o marke�ng passa pela empresa toda. Todos na Itape Brindes devem

estar conscientes da mensagem, visões e obje�vos de marke�ng da empresa. Os funcionários devem refle�r esta mensagem em tudo o que fazem, pois, se tratando de uma pequena empresa esta não possui nenhum departamento especifico em relação ao produto ou aos clientes. Isto é conhecido como Comunicação integrada de marke�ng e significa que todo contato com os clientes e clientes em potencial, tanto faz se por meio de publicidade, contato pessoal ou outro meio, como por exemplo, o boca - a - boca deve levar

uma mensagem consistente sobre a empresa e o produto. Na verdade, cada funcionário é uma pessoa de vendas e cada funcionário é um representante do serviço ao cliente. Se o negócio passar mensagens confusas sobre o que ele é, então os clientes terão uma imagem distorcida dele.

Qualquer experiência ruim que um cliente �ver com a empresa pode afetar suas futuras vendas com este cliente e também com as pessoas que souberem da experiência dele. Esta experiência ruim pode ser qualquer coisa, desde uma recepcionista rude até um produto mal embalado. Há muitas variáveis que interferem para um cliente em potencial se tornar ou não cliente, ou para um cliente real con�nuar cliente, por isso que todos os funcionários são indispensáveis, como parte presente do marke�ng da Itape Brindes e isso tem sua responsabilidades perante a empresa e seus produtos. Como em muitas empresas, este é o caso.

5. O profissional de marketing

“Os maiores responsáveis pela iden�ficação de significa�vas mudanças no mercado são os profissionais de marke�ng. Mais do que qualquer outro grupo na empresa, são esses profissionais que devem acompanhar as tendências e procurar oportunidades.” (KOTLER, 2000, p.158)

Como a empresa Itape Brindes não possui um departamento ou profissional de marke�ng o seu proprietário na pessoa do Jilson Gobira deve agir como um guia e liderar os outros funcionários no desenvolvimento, produção, execução e suprimento de produtos ou serviços para os clientes da Itape Brindes. A comunicação é vital. Sendo todo o pessoal encarregado por perceber uma melhor compreensão do mercado e das necessidades do cliente, mas não deve agir independentemente do desenvolvimento do produto ou do serviço ao cliente. Deve haver uma comunhão de ideias. O marke�ng deve estar envolvido sempre que se discute o desenvolvimento de um novo produto ou uma função relacionada ao cliente.

Não se atenha à ideia de que o marke�ng deve fazer estes planos e recomendações sozinho. É muito importante que o proprietário da empresa sempre faça considerações aos comentários de todas as pessoas dentro da empresa. Não apenas os comentários e sugestões ajudam o restante da empresa a entender e apoiar os esforços de marke�ng, como também fornecem algumas análises ines�máveis sobre o que o cliente quer e sobre novas ideias que podem ter escapado ao restante da empresa.

Por exemplo, seus técnicos de serviço e seus representantes do serviço ao cliente conhecerão bem as opiniões e necessidades dos clientes. Deixe que todos se envolvam e você terá um esforço mais coeso.

Os obje�vos e diretrizes estabelecidos pelo Jilson Gobira após conversa com o pessoal, devem, pelo projeto, estar em linha com a visão e a missão da empresa. Deve se envolver e es�mular a cooperação de todos os departamentos na implementação do plano, integrando uma mensagem consistente em todos os canais de comunicação.

Trabalhe entre todos os funcionários a ideia de que marke�ng é um esforço de equipe. Os indivíduos podem ter seus próprios obje�vos e prioridades, mas se não considerarem os obje�vos e a necessidade maior da empresa, podem atrapalhar os esforços e destruir os seus planos de marke�ng.

O proprietário deverá sempre estudar o mercado e os clientes, e assim determinar o melhor modo para a�ngir estes clientes e trabalhar com o restante da empresa para ajudar a determinar as necessidades de mercado do novo produto. Além disso, ele representa a empresa com uma voz consistente.

O carro chefe da empresa foi estabelecido após conversas com todos da empresa foi uma linha de SACOLAS ECOLÓGICAS.

A seguir, vamos começar a rever as etapas para montar o plano de marke�ng. Neste momento, vamos usar apenas 2 etapas.

1. Pesquisar e analisar o seu negócio e o mercado

2. Planejar e escrever o plano

6. A análise do Ambiente

SACOLAS ECOLÓGICAS NO MUNDO

“O tradicional programa da tv norte-americana Oprah fez um especial sobre as mudanças de consumo que as pessoas deveriam adotar para minimizar os impactos ao meio- ambiente. A primeira questão a ser abordada foi a questão das sacolas ecológicas. Qual a melhor opção no supermercado. Sacolas de plás�co ou de papel?

Foi a pergunta que abriu o programa. Nenhuma das duas era a resposta surpreendente para aqueles que pensaram no papel. A melhor opção são as sacolas ecológicas, sacolas de tecidos reaproveitáveis. E, em seguida, Oprah apresentou a sua versão de ecobag, que está a venda no seu website por US$ 9,50 (segundo a apresentadora, o montante é suficiente apenas para cobrir os custos) e distribuiu para toda a plateia a sua sacolas ecológicas.

Este é o programa de maior audiência dos EUA e pode-se imaginar a repercussão e o sucesso que as ecobags vão ter depois disto. As ecobags que além de serem poli�camente corretas, ainda permitem que as pessoas tenham es�lo. Assim, há diversos modelos disponíveis no mercado: bolsas coloridas, estampadas, simples, com desenhos, prá�cas. Tem para todos os gostos.

E para todo público, afinal elas são feitas para quem faz compras em supermercados… mas você pode levar o que quiser!”

BANGLADESH BANE SACO PLÁSTICO E VENDE TECNOLOGIA VERDE.

Leia o trecho re�rado do site - no�cias.ambientebrasil.com.br

“Desde 2002, a cidade baniu do comércio as sacolas plás�cas que entupiam os bueiros. Nas lojas e supermercados, o consumidor sai com sacolinhas semidescartáveis de juta (fibra de planta) ou pano, que se desfazem em poucos dias...”

EM ALGUNS PAÍSES, ESTÁ EM PAUTA O ASSUNTO...

Leia um trecho re�rado do site - funverde.org.br

“Da Austrália ao Reino Unido, e em todo o território dos Estados Unidos, polí�cos e empresas estão estudando a possibilidade de proibir ou tributar o uso de sacos plás�cos. Na Irlanda, um pesado imposto sobre o seu uso, adoptado em 2003, es�mulou o público a deixá- los de lado quase completamente, em favor de sacolas de compra reu�lizáveis, de tecido.

Os sacos plás�cos também são tributados na Itália e Bélgica. Os compradores pagam por eles na Alemanha, Holanda e Suíça. Espanha, Noruega e agora o Reino Unido estão considerando a adopção de proibições ou impostos.

A ação polí�ca britânica quanto a sacos plás�cos descartáveis segue-se a gestos semelhantes adoptados este ano na Austrália. Uma proibição ou imposto nacional estão sendo fortemente deba�dos, lá, ainda que o Estado da Austrália do Sul, que inclui a cidade de Adelaide, já tenha prome�do que o uso de sacos plás�cos será proibido no final do ano, não importa que decisão tome o país.

Mike Rann, primeiro-ministro estadual, mencionou mo�vos conhecidos para a proibição: os sacos contribuem para a emissão de gases de efeito-estufa, ocupam imenso espaço nos aterros sanitários, sujam ruas e rios e causam a morte de animais.”

SACOLAS ECOLÓGICAS NO BRASIL

Uso de sacolas ecológicas rende desconto em padarias e mercados Bolsas retornáveis e caixas são alterna�vas às sacolas de plás�co. Supermercado lança campanha para conscien�zar consumidor.

Leia um trecho retirado do site - g1.globo.com/

Em Curitiba (PR), até padaria aposta na onda verde para convencer o consumidor a usar sacolas ecológicas. "Já vendemos mais de mil sacolas”, diz o gerente Pedro Farinha.

Em uma rede de supermercados, quem abrir mão das sacolas de plástico ganha descontos na boca do caixa. “A cliente que é consciente, levando em caixinhas de papelão, ou embalagem retornável, ganha desconto de R$ 0,03 a cada cinco itens", explica a caixa. A ideia vem sendo testada pela empresa no Nordeste e rendeu R$ 70 mil em descontos. “Já deixaram de ser consumidas em torno de 2,3 milhões de sacolas”, contabiliza o diretor de operações Elton Brito. A campanha em uma rede de supermercados, em São Paulo, começou em 2005. Já foram vendidas quase 700 mil sacolas retornáveis. Mas consumidores que ainda não se habituaram ao uso têm lá suas razões. “Acho complicado, porque faço sempre

compras grandes. Fica difícil trazer a própria sacola”, justifica a paisagista Ana Lucia Marguti. Logo a rede percebeu que apesar das sacolinhas agradarem, elas não retornavam aos supermercados. O consumidor deixava em casa, guardada. Foi aí que nasceu a ideia de premiar quem se lembrasse da sacola nas próximas compras. O cliente vai acumulando pontos e troca por descontos. Só no mês passado, 100 mil sacolinhas de plástico deixaram de ser usadas nas lojas da rede. “É preciso instituir uma nova tecnologia de coleta de resíduos que dê conta de se poder descartar da cozinha das pessoas até o caminhão de coleta de resíduos sem o uso de sacolas plásticas”, alerta a diretora do Instituto Polis Elisabeth Grimberg. Em um única rede de supermercados de São Paulo, mais de 30 mil pessoas usaram a sacola retornável no mês passado.

EM ITAPETININGA – MERCADO INTERNO

A cidade ainda não teve nenhum projeto de conscien�zação, e não há empresa no ramo. Existem cidades menores, muito mais evoluídas neste aspectos, a intenção do plano de marke�ng feito por nós é divulgar mais esse projeto e consequentemente a Itape Brindes se beneficiar desta divulgação. Falta informação para este público, de acordo com estudos de Edmunds e Letey (1975, p. 170–171), quando os consumidores deparam-se com situações em que não sabem como o�mizar os bene�cios porque “(...) não dispõem dos meios de informação necessários para saber quais são as alterna�vas ofertadas, nem como decidir pela melhor opção”, a sa�sfação é alcançada com a redução das aspirações a metas que se podem executar, adotando comportamento de adaptação ao que é possível. Devido ao fenômeno da informação incompleta, as organizações empresariais podem auferir vantagem compe��va se mostrarem ao público quais são seus compromissos ambientais e sociais (Reinhardt, 1999). Por isso, é fundamental o trabalho de informação ao público por parte das empresas que desejam comercializar produtos com diferencial ambiental.

7. Pesquisa e análise

O estágio de pesquisa e análise do processo de planejamento é muito importante. Vamos ver todas as etapas que a Itape Brindes precisa seguir para construir seu plano. É importante entender que cada etapa é construída sobre a anterior. Veja:

1. Pesquisa e análise são fundamentais porque fazem você iden�ficar o público-alvo de seu produto, bem como seus pontos fortes e fracos, ameaças e, mais importante, as oportunidades.

O público-alvo são cliente/empresas com essa consciência e também pessoas comuns que estão em busca de sacolas alterna�vas para carregar suas compras sem plás�co. O

ponto fraco deste produto é a concorrência desleal do saco plás�co, sai muito mais barato, ele é distribuído de graça em muitos comércios, existem alguns lugares que cobram pela sacola plás�ca, isso vem a ser uma grande oportunidade!

Como esse mercado está em uma crescente, as oportunidades surgem dia a dia, então sempre temos que ficar atualizado caso ocorra algo que mude o cenário atual.

Seguindo esse primeiro passo se descobriu que o Ministério do Meio Ambiente, em comemoração aos 17 anos do Código de defesa do Consumidor , lançou a campanha “ Consumo Consciente de Embalagens” , com a exposição “Boas Pra�cas e Inovações em Embalagens”

O Ins�tuto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC) e a organização não governamental Vitae Civilis, também em comemoração à semana do consumidor uniram-se na Campanha “Mude o Consumo para Não Mudar o Clima”.Para informar consumidor, o Ministério do Meio Ambiente lançou um site mma.gov.br/consumosustentavel que sugere cinco passos básicos para reduzir o consumo de embalagens sendo um desse passos ligados diretamente ao uso de sacolas retornáveis.

Seguindo uma tendência Mundial de sustentabilidade, no Brasil surgem projetos de leis estaduais para subs�tuir as sacolas pelas sacolas retornáveis ou ecológicas. Tramitam no Rio Grande do Sul, no Paraná e no Rio de Janeiro. Já em nosso estado São Paulo , a Assembleia Legisla�va chegou a aprovar um projeto do Deputado Sebas�ão Almeida , que tornaria obrigatório o uso dos retornáveis.

Sendo assim chegando a cidade onde a Itape Brindes atua, seria um dos pontos fortes da empresa, caso isso venha a ocorrer.

•.2. Conhecer as ameaças e as oportunidades que seu produto enfrenta ajuda você

a estabelecer suas metas de venda com mais realismo.

As oportunidades são verificadas através de pesquisas de mercado onde constatou-se que a proposta de subs�tuição das sacolas plás�cos é inevitável e irá favorecer as empresas especializadas em produtos de embalagens retornáveis que es�verem estruturadas para começar suprir as demandas comerciais, sendo que a ameaça é a indústria do plás�co onde se publicou um informe nos jornais brasileiros no dia 05 de outubro deste ano , onde esta relatado no texto o seguinte:

“O plás�co faz parte da vida contemporânea, é 100% reciclável e está em milhares de produtos. Sem ele, não haveria computadores nem seringas descartáveis, bolsas de soro e de sangue para salvar vidas. As sacolas plás�cas são reu�lizáveis, prá�cas, higiênicas e tem múl�plos usos...”.

Os fabricantes relançaram campanhas se comprometendo a fazer sacolas mais resistentes (para evitar o uso excessivo de sacolas ) , mas seguindo uma tendência mundial e do nosso país tupiniquim é de consciência sustentável tendo todo um mercado amplo e

promissor para alavancar vendas tanto no próprio município onde se encontra sediada a Itape Brindes como em sua região e no Estado todo à principio.

•.3. O conhecimento das oportunidades torna-se necessário estabelecer metas de

vendas fornecendo todas as informações necessárias para que a empresa

estabeleça seus objetivos de mercado.

A Itape Brindes, não faz projeção de vendas e nem mantém históricos de vendas, sugerimos que ela faça isso, u�lizando modelos simples! Com o histórico em mãos, fica mais fácil e real fazer a projeção das vendas.

Segue um modelo simples, no começo é bom usar este para adquirir experiências e posteriormente melhorar.

Produto Quan�dade Data da venda Valor Unitário Valor Total Sacolas Xx 01/01/01 R$ XX,XX R$ XX,XX Canetas Xx 01/01/01 R$ XX,XX R$ XX,XX Xxxxxxx Xxxx Xxxxxxx Xxxxxx xxxxxx

•.4. O conhecimento dos objetivos dará à empresa as informações necessárias para

estabelecer o posicionamento perante preço do produto, fornecedores de

matéria-prima, distribuição, mão de obra, etc. e outras estratégias de

marketing.

Foi constatada que a Itape Brindes não tem obje�vos para os próximos meses, que dirá os próximos anos. Foi encaminhada uma sugestão de obje�vo à definir, com isso a empresa terá que definir seus obje�vos. Não basta só ter Missão, visão e valores. Tem que criar um caminho para se chegar aonde quer! Segue a sugestão:

“Senhor Jilson, constatamos que a empresa não tem obje�vos concretos tanto na parte de vendas, quanto na parte de conquista de clientes futuros, propomos que o Senhor faça uma reunião com os outros funcionários e defina esses obje�vos, o que cada funcionário quer da empresa e aonde quer levava-la, ficará mais fácil administrar a empresa, só que pra isto! A empresa precisa de união e colaboração de todos os envolvidos, direta e indiretamente.”

•.5. Ao estabelecer as estratégias, a empresa terá o mapa para definir os elementos

táticos de ação do plano de marketing, como publicidade, promoção, marca da

empresa, embalagem, etc. Tudo o que a empresa Itape Brindes precisará para

se adaptar a esse novo mercado consciente.

Plano de Ação – 1

Pensamos na divulgação, sugerimos que neste momento faça uma divulgação em jornais, rádio, outdoors, divulgação com panfletos! Valores:

Rádio Difusora ( qualquer horário) – audiência em média de 8.500 ouvintes/dia* R$ 800,00 por 2 anúncio por dia, 4 dias na semana, em média 16 por mês. Em torno

de R$ 50,00 por dia. Jornal Correio de Itape�ninga -sem dados em relação ao número de vendas R$ 30,00 Simples classificado, este valor se refere ao dia. Ou R$ 450,00 anúncio de destaque.

Uma pequena analise da Rádio e logo a seguir sobre o Jornal Correio de Itape�ninga

A Rádio Difusora Transamérica iniciou suas transmissões a mais de 50 anos, antes chamada Rádio Difusora 2000 com uma programação de grande qualidade, in�mamente ligada à população Itape�ningana e região. Com uma cobertura que abrange toda a região de Itape�ninga - SP, hoje a Rádio Difusora Transamérica AM, já desponta entre as principais rádios do Estado.

Sua programação variada atende a todos os es�los, desde tradicionais modas de viola até os sucessos mais atuais do mundo da música, sendo considerada uma das melhores rádios do interior paulista. A Rádio Difusora faz parte da Rede Transamérica de Comunicações que engloba rádios como a Transamérica Hits, Pop e Light.

O público é formado de Jovens, entre 14 e 22 anos, Adultos de 26 a 35 anos e a melhor idade! Visando os mais variados públicos, pois em todas as idades encontramos pessoas com consciência ecológica, este é o mo�vo de sugerirmos a divulgação na Rádio Difusora Transamérica.

*Informação não comprovada, são dados que não temos acesso. Para o sucesso desse plano de ação de marke�ng, vamos conhecer melhor o produto:

Está há 60 anos no mercado, com um público fiel, se tornou o jornal de maior confiança da cidade, o seu público é formado pelos empresários da cidade, pelas donas de casa e por aqueles que não trocam um bom jornal. Apesar da Internet ter “quase” acabado com os jornais, eles souberam usar a arma que viria para os destruir, agora usam para os ajudar.

.

•.6. Depois de determinar seus elementos táticos, a empresa poderá definir seus

elementos criativos, orçamentos e cronogramas a serem cumpridos.

Dá para perceber que cada etapa é crucial para o sucesso do plano de marke�ng criado para atender as necessidades da empresa Itape Brindes.

8. A análise da Empresa e de seus produtos.

A essência da empresa estudada é a de produtos sustentáveis e brindes, fornecendo estes produtos para Itape�ninga e região podendo abranger demais áreas através da internet. Os produtos da Itape Brindes são os de auxiliar as pessoas que se preocupam com a “pegada ecológica” desse milênio a reduzir seus níveis de poluição e , assim ajudando-as a conseguir alcançar a qualidade de vida para as gerações futuras a organizar sua vida diária. (como em Day-Timer (em inglês), Isto será rever�do de forma a melhorar a vida social dos seus colaboradores, como em serviços de reu�lização de materiais e com isso economizar dinheiro, diminuindo os custos de fabricação do produto onde a empresa fornece roupas adequadas para melhorar as condições de trabalho e aumentar a segurança de seus funcionários como nas consultorias de segurança e serviços de treinamento.

A Itape brindes tem como filosofia a importância de cuidarmos do planeta com o desenvolvimento de produtos sustentáveis como sacolas retornáveis e brindes de material reciclado como canetas e bolsas ecológicas, pois a tendência de mercado é que aumente e muito os consumidores desses �pos de produtos. O gráfico a seguir mostra o crescimento do mercado sustentável na bolsa de valores, Dow Jones.

8.1 Características dos produtos O produto segue as caracterís�cas de produtos ecologicamente corretos versando

sobre o tema de sustentabilidade, pois o mesmo se encontra em evidencia em diferentes mercados tendo com caracterís�ca principal a pra�cidade onde as sacolas de retornáveis são resistentes e agiliza a guarda de suas compras em mercados, quitandas, lojas de conveniência, feiras- livres etc. Abrem rápido e comportam muita mercadoria. Possuem alças confortáveis são mais fáceis de carregar.

8.2 Benefícios. O desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento capaz de suprir as necessidades

da geração atual sem comprometer as necessidades das gerações futuras, tendo o beneficio principal cuidar do meio ambiente sem poluição e assim não esgotar os recursos para as futuras gerações, e assim melhorar o mundo para nossos filhos. Pois o plás�co polui - e muito.

8.3 Estágio de ciclo de vida. O produto tem ciclo de vida de média para longa duração, pois sacolas retornáveis

são mais resistentes que as de plás�cos.

8.4 Segurança. Sacolas Ecológicas são grandes e resistentes, o que gera uma maior segurança para a

sua u�lização de seus consumidores na realização de suas compras pois suas alças são de

durabilidade maior pois possuem costuras gerando grande resistência , pois aquele mundo de saquinhos onde tem que se dar nós em alças de plás�cos – isso quando não arrebentam no meio da rua , com a sacola ecológica isso não acontece para a sua maior segurança e conforto.

8.5 Confiança Quando o produto e resistente e duradouro, fica mais fácil de seus consumidores

confiarem nele , é isso que acontece com as sacolas.

8.6 Aparência e embalagem A aparência da embalagem é aquela aparência de papel reciclato onde versam

estampas de acordo com as necessidades do cliente, como por exemplo, o logo�po de um mercado, loja ,ou qualquer outro segmento que queira adquirir esse �po de sacola.

8.7 Histórico de vendas Como a empresa não fez um planejamento de armazenar dados contendo o seu

histórico de vendas, foi planejado a par�r de reuniões do grupo de trabalho de conclusão de curso, que irá se realizar um arquivo com esses dados a par�r de tabelas de simples preenchimento como demonstra o exemplo abaixo:

Produto Quan�dade Data da venda Valor Unitário Valor Total Sacolas Xx 01/01/01 R$ XX,XX R$ XX,XX Canetas Xx 01/01/01 R$ XX,XX R$ XX,XX

8.8 Histórico de preço Como citado acima ocorre o mesmo problema com relação a arquivos de venda que

será realizado agora com tabelas simples , seguindo os mesmos procedimentos mencionados posteriormente estes procedimentos estão relacionados as áreas da empresa como os históricos de distribuição, promoção e atributos específicos do produto.

9. Público alvo

9.1 Publico Alvo.

“Se os indicadores econômicos apontam para a recessão, os profissionais de marke�ng podem tomar providências para reformular, reposicionar e reestudar os

preços de seus produtos para con�nuar a oferecer valor aos clientes-alvo.” (KOTLER, 2000, p.191)

Determinar o público-alvo correto é provavelmente a parte mais importante dos esforços de marke�ng, porque não importa o que você diga se você não disser para a pessoa certa.

O Público - alvo são as redes de supermercados pois para esse �po de empresa diluir custos com sacolinhas e ainda sim poder vender diretamente à seus clientes leva a iden�ficá- los como nosso principal público e indiretamente o produto a�nge as classes alta, media e baixa pois todos podem adquirir.

Depois alcançar as lojas de roupas e calçados, que o comercio local é bem aquecido e também pode adquirir o produto para além de economizar fazer a divulgação do nome da sua loja.

A oferta do produto precisa considerar não apenas os níveis de renda, mas também os níveis de renda disponível e discricionária.

Para se obter este nível de dados demográficos é necessária uma pesquisa de mercado. Como foi realizada como forma de pesquisa de campo por nós. Já que nós não temos “Público Alvo” ou temos, além do comércio de alimentos,toda a população de Itape�ninga com um mínimo de entendimento sobre a importância de preservação. A faixa etária seria 05 a 100 anos! Resumindo pode-se a�ngir o público empresarial em geral como, por exemplo, podemos citar os supermercados ( Extra, Pão de Mel, Cofesa...) , lojas de roupas ( Style, Paraíso, Skala Fashion...), conveniências, cafés , etc. Pode fornecer estes produtos sustentáveis para qualquer pessoa. Para a dona de casa que faz a sua feira, para faculdades par�culares a fim de divulgar os seus cursos, entre outros, pois qualquer um pode adquirir. Produto sustentável são para todos, não existe um público só.

9.2 Quais são as necessidades dele.

Para as empresas, primeiramente é a economia gerada na compra de embalagens descartáveis , além de ser um diferencial , pois nos tempos atuais as empresas ligadas a áreas ecológicas se destacam das demais, pode facilitar para o reconhecimentos com selos como por exemplo de “Empresa amiga da Natureza”, além é claro da propaganda sem nenhum ônus , como não são descartáveis, por onde esta embalagem passa divulga o nome da empresa. Para os demais públicos a necessidade principal é relacionada ao futuro, em deixar um mundo melhor, menos poluído e com menos problemas em relação ao meio ambiente, e em relação ao beneficio tangível seria a resistência e a pra�cidade a durabilidade do produto.

9.3 Quais são os padrões de compra.

Clientes que compra produtos menos agressivos para com o meio ambiente, na sua

maioria são jovens, jovens consciente e com personalidade forte, pois pra se pensar no futuro

quando se vive o presente é meio complexo, e esse público é o que a Itape Brindes vai buscar.

Sobre as empresas, são empresas que buscam um destaque maior no setor social, que

esperam entrar nesse “mundo verde”, hoje as empresas são mais valorizadas quando se estão

envolvidas nos problemas ambientais.

9.4 Método de distribuição dos produtos O método de distribuição é a entrega à domicilio (isso na cidade onde a empresa está

sediada) ou através de entregas em outras localidades mediante a pagamento de frete variando de acordo com a sua quan�dade ou através da distribuição direta ao cliente na própria empresa. As entregas na cidade ocorrem com o próprio carro do dono da empresa, foi feita uma sugestão de comprar um carro especifico para a entrega, já que o veículo do dono não leva o nome da empresa. Ele acatou a ideia e em um mês estará comprando um veiculo para se fazer a entrega.

9.5 O tamanho do mercado. O mercado está totalmente aberto, pois ainda não há empresas especializadas nesse

�po de produto como a Itape Brindes, e a tendência é de crescimento como mostra o gráfico abaixo seguindo as tendências de preocupação com os materiais recicláveis, onde se observa uma crescente constante.

Baseado no crescimento de Produtos Reciclados pode-se chegar a conclusão de que a consciência ambiental da população esta aumentando, e isto é uma oportunidade incrível para as empresas que estão neste negócio. Mostraremos algumas matérias sobre sacolas plás�cas e os seus male�cios ao meio ambiente.

Matéria sobre Sacolas Plás�cas

Sacolas plás�cas: o lixo em circulação Os resíduos sólidos apresentam grande diversidade e complexidade. As suas

características físicas, químicas e biológicas variam de acordo com a sua fonte ou atividade

geradora. Fatores econômicos, sociais, geográficos, educacionais, culturais, tecnológicos e

legais afetam o processo de geração de resíduos sólidos tanto em relação à quantidade quanto

à sua composição qualitativa.

Uma vez gerado o resíduo, a forma como é manejado, tratado e destinado pode alterar

suas características de maneira, que em certos casos, os riscos à saúde e ao ambiente são

potencializados.

A sacola plástica é um objeto utilizado no cotidiano para transportar pequenas e

grandes quantidades de mercadorias. São também uma das formas mais comuns de

acondicionamento do lixo domestico e, através da sua decoração com os símbolos das marcas,

constituem uma forma barata de publicidade para as lojas que as distribuem.

Dada a sua extrema leveza, quando não bem acondicionadas, têm a tendência de voar

e espalhar-se pelo meio ambiente, causando grande poluição. (WIKIPÉDIA, 2008).

O plástico vem tomando conta do planeta desde 1862, quando foi inventado pelo

inglês Alexander Parkes, reduzindo os custos dos comerciantes e incrementando a sanha

consumista da civilização moderna. Tornando o consumidor um colaborador passivo de um

desastre ambiental de grandes proporções com o derrame indiscriminado de plástico na

natureza.

O Brasil é tido como o paraíso dos sacos plásticos, pois todos os supermercados,

farmácias e o comércio varejista embalam em saquinhos tudo o que passa pela caixa

registradora. E isso já foi incorporado na rotina do consumidor, como se o destino de cada

produto comprado fosse um saco plástico. (TRIGUEIRO, 2007).

O plástico é considerado um material de fabricação de produtos de alta resistência,

durabilidade e de baixo custo. A preferência pelo plástico também é dada à praticidade de

conservação do produto, que muitas vezes até pode ser de finalidade descartável. Porém com

o descarte do plástico no ambiente, este se torna nocivo devido a sua demora decomposição, as diversas formas de poluição por ele geradas e problemas. (PORTAL SÃO FRANCISCO,

2008).

A palavra plástico tem origem no grego plástikos, que significa moldáveis, uma

característica essencial destes materiais. É a denominação de uma numerosa e prolífica de

matérias sintéticos formados por grandes moléculas, são materiais amolecíveis por calor ou

solventes e, neste estado, facilmente moldáveis.

Estão classificados em duas categorias: os termoplásticos, que sob pressão e calor,

passam por uma transformação física, não sofrem mutação em sua estrutura química, e se

tornam reversíveis, isto é, podem ser reaproveitados em novas moldagens; e termoestáveis ou

termofixos, quando sofrem uma transformação química sob efeito de calor e pressão, tornam-

se irreversíveis, não podem ser reaproveitados.

As sacolas plásticas estão na primeira categoria, a dos termoplásticos. (PORTAL SÃO

FRANCISCO, 2008).Feitos de resina sintética originadas do petróleo, esses sacos não são

biodegradáveis e levam séculos para se decompor na natureza. Segundo a linhagem dos

cientistas, esses saquinhos são feitos de cadeias moleculares inquebráveis e é impossível

definir com precisão quanto tempo levam para desaparecer no meio natural.

Nas sacolas de supermercados a matéria-prima é o plástico filme, produzido a partir de

uma resina chamada polietileno linear, polietileno de alta densidade ou de polipropileno,

polímeros de plásticos não biodegradáveis, com espessura variável entre 18 a 30 micrometros.

(TRIGUEIRO, 2007).

Cerca de 70% dos sacos plásticos, latas, garrafas e pneus são depositados no fundo do

mar. O restante navega pela superfície ou fica preso nos grandes giros oceânicos. Esses lixões

são devastadores para a vida marinha.

Golfinhos, focas e tartarugas ficam presos em redes de pesca e morrem sufocados.

Peixes e pássaros engolem pedaços de plásticos e metal e também perdem a vida. Estima-se

que o lixo acumulado nos mares seja o responsável direto pela morte de 1 milhão de aves e

mamíferos marinhos por ano.

Quase todo esse lixo chega aos oceanos levados pelas águas dos rios ou é arrastado

pela maré de praias emporcalhadas. São despejados 675 toneladas de resíduos sólidos por

hora no mar – e 70% desse total é constituído de objetos feitos de plásticos. (SCHELP, 2008).

Em Daca, capital do Bangladesh, a sacola plástica provocou catástrofe. O rio que

banha a capital ganhou por diversas vezes barragens artificiais de sacos plásticos. Os

entupimentos de esgotos foram responsáveis por cheias devastadoras em 1988 e 1998.

Essa situação exigiu tomada de medidas drásticas. É expressamente proibido, por lei,

a manufatura, compra e posse de sacos de polietileno e são aplicadas pesadas multas e até

penas de prisão para reincidentes. (BRASIL, 2007).

Depois de todo o mal que a sacola provoca você ainda vai usá-la?

Perguntas que devem ser feitas!

9.6 Quem são seus principais concorrentes. No mercado em sua cidade a empresa não possui concorrentes na linha de produtos

sustentáveis a qual ela vem começando agora com essa linha, mais na linha de brindes em geral ela enfrenta concorrência de uma empresa especializada que é a JC Silveira Brindes e com gráficas que realizam este �po de serviço como por exemplo a Real Gráfica e a Gráfica China, mas nada que afete muito. Pois a concorrência não trabalha com produtos ecológicos e a empresa Itape Brindes par�u para este lado.

9.7 Quem ou quais são os pontos fortes de seus concorrentes.

Não tem nenhum ponto forte que mereça destaque pois como foi constatado em pesquisa de campo sobre a concorrência que a Itape Brindes não enfrenta nenhum concorrente.

Na linha de brindes, os concorrentes JC, Real e China, estão um passo à frente pois estão há mais tempo nesse �po de comércio e com isso adquiriram mais experiências.

9.8 Quem ou quais são os pontos fracos da concorrência. O ponto fraco dessas empresas, é que não trabalham com produtos sustentáveis,

sendo que esse �po de produto em Itape�ninga num futuro próximo será muito visado pelas empresas e quando se derem conta do mercado sustentável, a Itape Brindes com um bom planejamento, irá se agigantar neste ramo.

Observação:

A Itape Brindes é pioneira em Itape�ninga no ramo de Sacolas Ecológicas e Brindes sustentáveis, não existe outra loja nesse ramo. Possui apenas algumas gráficas que fazem alguns brindes, mas nada igual o pensamento ecológico da Itape Brindes.

Neste sen�do, �vemos algumas ideias para que ela se prepare para a entrada de algum concorrente, visamos à criação de parcerias com supermercados de Itape�ninga, a empresa deve criar vínculos fortes para que quando algum concorrente se instale na cidade, ele encontre dificuldades para a penetração no mercado. Pensando nisto, sugerimos que ela comece a inves�r mais na área de propaganda, pois sem divulgação como alguém irá saber que a empresa existe? Esperar do boca a boca é esperar de algo que possa demorar pra acontecer.

Deve-se fazer a divulgação do produto na cidade, já que a Itape Brindes.

Agora é hora de falar sobre os elementos importantes do planejamento conhecidos como SWOT e PEST.

10. PEST

PEST significa fatores Polí�cos, Econômicos, Sociais e Tecnológicos. Estes são todos os elementos que podem ter efeito em seu futuro negócio. Kotler cita que o cenário global em rápida alteração, a empresa deve monitorar seis forças importantes: a demográfica, a econômica, a natural, a tecnológica, a polí�ca-legal e a sociocultural. Essas forças serão descritas separadamente, embora os profissionais e marke�ng, devam prestar atenção a suas interações causais, porque elas preparam o palco para novas oportunidades – e também para novas ameaças. O explosivo crescimento populacional (força demográfica), por exemplo, leva ao esgotamento mais rápido de recursos e a níveis mais elevados de poluição (ambiente natural), o que faz os consumidores existem mais leis (força polí�co-legal). As restrições es�mulam novos produtos e soluções tecnológicos ( força tecnológica) que, se forem acessíveis (força econômica), podem mudar a�tudes e comportamento (força sociocultural).” (KOTLER, 2000, p.162)

10.1 Fatores políticos.

O ramo de embalagens ecológicas não tem uma regulamentação específica , pois qualquer empresa pode fabricar o produto sem o pagamento de patente , tendo somente que tomar cuidados que referem-se a questões ecológicas que o produto descreve não afetando a linha de seu produto (isto é, questões ergonômicas e as regras regulamentares atuais), aspectos legais como inscrição na prefeitura local, pagamentos de impostos para a legalização do ambiente polí�co atual da empresa. Nada muito complicado !

- LEI CONTRA SACOLA PLÁSTICA -

Sacolinhas podem ser proibidas em São Paulo Câmara Municipal deve apreciar projeto; haverá prazo para comércio se adaptar

A Câmara Municipal de São Paulo deve votar nesta quarta-feira (10), em segunda discussão, um projeto de lei para proibir a distribuição de sacolas plásticas no comércio. A proposta do vereador Carlos Bezerra Jr. (PSDB) cria um cronograma para os estabelecimentos comerciais se adequarem.

As lojas terão pelo menos seis meses para passarem a respeitar a lei – caso dos shoppings e das redes com mais de 20 lojas. As redes com 10 a 19 lojas terão prazo de um ano para adaptação, enquanto as redes com menos de dez lojas terão dois anos. As feiras- livres ganharam prazo maior, de quatro anos, para começar a obedecer a legislação.

Se for aprovado, o projeto precisa ser encaminhado ao prefeito Gilberto Kassab (DEM) para ser sancionado. “Não estamos numa cruzada contra o plástico. Sabemos dos benefícios de sua boa utilização. Mas queremos sensibilizar a população para o uso indiscriminado das sacolas”, afirma o vereador. Ele ressalta que, por envolver uma mudança de cultura da sociedade, é preciso que o processo seja gradual e não “do dia para a noite”.

Os sacos plásticos podem entupir bueiros e provocar enchentes, além de contribuir para o esgotamento dos aterros sanitários. Por serem derivados do petróleo, sua produção também provoca emissões de gases de efeito estufa, que causam o aquecimento global.

“A Secretaria do Verde e do Meio Ambiente acha a iniciativa ótima, equilibrada e urgente”, diz o secretário Eduardo Jorge. A Associação Paulista de Supermercados (Apas) também avalia que a lei é viável e benéfica.

“Nós defendemos o uso responsável das embalagens. Entendemos que o plástico é nocivo ao ambiente, não temos como defender o indefensável”, afirma Orlando Morando, vice-presidente da Apas e deputado estadual pelo PSDB. Ele ressalta que “é preciso conscientizar o consumidor de que ele paga pela sacolinha. Seu valor está embutido no preço dos produtos”.

O projeto de lei estabelece que, no período de transição, os estabelecimentos terão de especificar quanto têm cobrado do consumidor pelas sacolinhas plásticas. “Hoje, o preço das sacolas é diluído, fica oculto entre as mercadorias. Com o projeto, esse custo praticado se tornaria transparente ao consumidor, que, a partir de então, sabendo quanto paga, poderia optar por deixar de usar as sacolinhas”, diz Bezerra Jr.

Para quem não cumprir a lei, estão previstas as sanções da lei federal de proteção ambiental 9.605, que é de 1998: suspensão de licença, perda de benefícios fiscais e multa.

“Temos grande interesse em avançar nessa questão e estamos atentos à lei. Vale destacar a criação de um comitê interno para a discussão dos seus impactos e respectivas medidas de adequação, considerando os benefícios para a cidade, para o meio ambiente e para o consumidor”, afirmou o Grupo Pão de Açúcar, por meio de nota. A empresa ressalta que oferece alternativas a seus clientes para a redução do uso das embalagens plásticas – como sacolas retornáveis e de papel, além de caixas de papelão – e treina os funcionários para que colaborem e incentivem os consumidores a reduzir o consumo desse material.

Aprovada. Em Birigui, no interior do Estado, as sacolinhas plásticas comuns serão proibidas a partir de janeiro. A lei foi aprovada em março. “Como a lei só deverá ser executada e fiscalizada em 1.º de janeiro de 2011, tenho certeza de que o Poder Público terá tempo suficiente para divulgar e orientar. E as empresas, por sua vez, de se adequarem às exigências da lei”, diz a justificativa do projeto.

Porém, continua sendo permitida no município a oferta de sacolas biodegradáveis (feitas com amido de milho, por exemplo) e oxibiodegradáveis (que contêm um aditivo químico para se degradar mais rapidamente). A vantagem desses sacos é que eles não levam mais de um século para desaparecer na natureza. Entretanto, elas mantêm em sua composição o uso de plástico – a questão das emissões de gases-estufa, portanto, não está solucionada. E há indícios de que as sacolas “oxibio” se degradam em pequenos pedaços, mas não somem por completo.

“A lei ameniza o problema, mas não resolve”, admite o vereador Aladim José Martins (PTB), autor da legislação aprovada em Birigui. Em sua opinião, é um passo importante e uma maneira de minimizar o problema.

Para ele, proibir todas as sacolas plásticas no município seria difícil. “As pessoas ainda não estão preparadas.”

Para não confundir. A lei de São Paulo deverá proibir que se coloque nas sacolas plásticas a informação de que elas são biodegradáveis ou oxibiodegradáveis. A intenção é evitar que o consumidor entenda que o uso desse tipo de material não é prejudicial ao ambiente.

O mercado sustentável tem muito a crescer, usando produtos ecológicos, não só

estamos contribuindo para um mundo melhor como aquecendo a economia. Como veremos a

seguir.

•.6.2. Fatores econômicos

Referem-se às forças financeiras atuais, como o produto tem o seu

mercado-alvo. Atualmente estamos em uma onda ecológica sustentável,

que leva a uma tendência de alta desse mercado cada vez maior.

Um exemplo que ilustra esse movimento é a comercialização dos

produtos no Grupo Pão de Açúcar. De acordo com a companhia, em cinco

anos foram vendidas 2,5 milhões de unidades em todo o País. O ano

passado registrou 54% desse volume. Como o mercado está demandando

por materiais que privilegiem formas que agridam menos o meio ambiente,

os empresários apostam em tamanhos, formas, cores e produtos cada vez

mais diferenciados

As fabricantes registraram crescimento de mais de 25% no último

ano nos pedidos de sacolas, mochilas e bolsas que são apresentadas como

linha ecológica. A maior conscientização dos consumidores, que iniciaram

um movimento para diminuir o uso dos recipientes plásticos, deu força

para que as sacolas em algodão, de garrafa pet reciclada e rafia desfilem

com mais frequência nos corredores e caixas de lojas e supermercados.

Analisando esses dados, garantimos que o mercado está em uma fase

extraordinária e a Itape Brindes como pioneira em Itapetininga deve ficar

atenta ao mercado, sempre buscando a atualização de produtos para atender

aos mais variados públicos.

•.6.3. Fatores sociais

Estes referem, a mudanças nas tendências sociais, como os modismos causados por esse �po de produto, e a tendência de cada vez mais novos grupos demográficos, que tendem a adquirir esse produto sustentável. Isto levando em consideração que não irá acontecer uma mudança nos hábitos de compra desse mercado – alvo, por exemplo. Também pode considerar que os problemas ambientais cada vez maiores o envelhecimento das pessoas que fazem parte desse mercado-alvo não influenciará na diminuição das vendas.

O modo de vida pós-capitalista levou não apenas o homem, mas também o próprio espaço urbano a degradações. A desigualdade social, o uso excessivo dos recursos naturais por uma parte da população enquanto a outra cresce desmedidamente são fatores que são extremamente comba�dos no âmbito da sustentabilidade social. Pode-se afirmar que a sociedade obedece a relações intrínsecas com os outros setores de base da sociedade (acesso a educação, desenvolvimento das técnicas industriais, econômicas e financeiras, além dos fatores de ordem polí�co e ambiental) então um primeiro passo que deve ser tomado para a resolução dos agravantes sociais é justamente a responsabilidade social e a agregação a sustentabilidade desses setores.

No tocante a aplicação sustentabilidade social pelas empresas, é possível ressaltar que há crescente inves�mento das grandes marcas do mercado, principalmente os órgãos mais ligados as relações financeiras. Além disso, as indústrias e empresas que vem se envolvendo na sustentabilidade social (ou responsabilidade social), as indústrias sustentáveis, tendem a exercer um imprescindível papel para toda a comunidade. Quando se tomam medidas como inves�mentos em promoção de trabalhos e de renda, inves�mento em projetos de ordens sociais, com saúdes, etc. são medidas que visam a igualdade entre os cidadãos e os exercícios da cidadania entre outros ganhos. Muitas empresas tem se empenhado ul�mamente para esses �pos de projeto, uma vez que eles promovem uma excelente imagem da própria empresa.

A sustentabilidade social visa o bem-estar da sociedade de hoje e a de amanhã em iguais medidas. Para que ela de fato se concre�ze é necessária grande campanha de divulgação, instalada tanto pelas macroestruturas (setores polí�cos e básicos) quanto por empresas que visem os projetos e a aplicação da mesma. A mobilização social para esse fim também é um fator determinante para a melhora da qualidade de vida.

Resumindo, temos por obrigação social, cuidar do nosso planeta e para isto contamos com várias formas de preservação, a Itape Brindes deve focar nessa ideia. “Vender futuro” , use o emocional para isto.

•.6.4. Fatores tecnológicos

Incluem todas as mudanças tecnológicas que afetam seu produto,

novas máquinas mais evoluídas para a fabricação dos produtos, seu

mercado ou seus esforços de coleta de informações sempre sobre esse

mercado. Isto inclui a visibilidade na internet, e outros meios de

comunicação que vão surgindo com as evoluções tecnológicas crescentes

nesse mundo cada vez mais evoluídos, ou seja, tudo ligado à tecnologia

que afeta o seu produto ou serviço.

Neste tipo de comércio a atualização de maquinário é primordial para

o bom funcionamento e agilidade na produção.

Exemplo de máquina que poderá ser adquirida. Conversamos com o

fabricante http://www.rrequipamentos.com.br/ e pode ser parcelado em 10

parcelas de R$ 1.079,99 Compacta Bag Semi-automática Comprimento: 214 cm, Largura: 98 cm, Altura 107 cm.

Preço: R$ 10.799,00

Com este maquinário, a fabricação é de 2400 peças por hora, a que o Jilson possui em sua empresa é de 800 por hora, um modelo ultrapassado neste ramo.

Vimos o maquinário da empresa e percebemos que está um pouco desatualizado, este como todas as outras propostas de ações para a empresa são inves�mentos.

10. SWOT

SWOT é a sigla em inglês para Pontos fortes, Pontos fracos, Oportunidades e Riscos e é muito importante para o seu plano de marke�ng. Após concluir a análise do negócio e do mercado, você terá as informações necessárias para iden�ficar seus SWOTs e PESTs.

Os pontos fortes e fracos são determinados por elementos internos, enquanto as oportunidades e riscos (OT) são ditados por forças externas. Às vezes, recomenda-se iden�ficar suas oportunidades e riscos primeiro, para saber mais rapidamente quais pontos fortes e fracos do produto devem ser considerados antes. Por exemplo, caso descubra que seu concorrente está para perder um contrato exclusivo de distribuição nos próximos dois

meses, pode usar esta informação para preencher rapidamente um espaço no mercado. Entretanto, muitos de seus riscos estarão baseados nos pontos fracos que você descobriu.

11.1 Pontos fortes, pontos fracos, oportunidades, riscos.

O ponto forte da empresa é o pioneirismo com a fabricação de sacolas ecológicas, tendo uma grande oportunidade de se tornar cada vez mais líder isolada desse segmento em seu município, mas deve tomar seus cuidados e acabar com seu principal ponto fraco, não ter um veiculo de entrega própria da empresa, tendo assim que ter gastos com fretes e despachos de materiais via correio.

Vamos fazer uma tabela para melhor exemplificar o SWOT

Forças Fraquezas

Ambiente Interno - Baixo custo com matéria prima - Baixo custo com funcionários - Inúmeros �pos de produtos - Funcionários disposto a fazer da empresa, uma líder em todo o segmento de brindes e produtos ecológicos. - Ser pioneira no ramo, na cidade

- Ambiente �sico pequeno - Pouco funcionário - Muitos produtos dão um retorno monetário baixo - Serviço de entrega ruim - Não divulgação de seus produtos - Não ter experiência o suficiente.

Oportunidades Ameaças

Ambiente Externo - Aumento de consciência ambiental - Feiras, eventos, palestras, todo o �po de reunião. -Parcerias com hipermercados ,supermercados e outros comércio de alimentos

-A indústria de sacolas plás�cas. - Concorrência que pode vir a ter

•.6.5. Filosofia da empresa.

A Itape Brindes fabrica e revende brindes e embalagens de TNT

tecido não tecido, bolsas, canetas, chaveiros, lápis, borracha escolar,

réguas, temos mais 400 itens e temos uma equipe para desenvolver bolsas

e embalagens em TNT . Trabalhamos com agendas bolsas, bolsas térmicas,

borrachas escolares, bottons, calendários de mesa e muito mais. Nessa

nova linha adotada pela Itape Brindes a filosofia e produtos

ecologicamente corretos, versando sempre em fornecedores que adotem

essa tendência, logicamente que a empresa tem a missão de transmitir essa

ideia a seus clientes mais também tem a missão de realizar vendas, porque

um produto bom com uma nova concepção não é nada se for colocado no

mercado através das sua vendas.

•.6.6. Características, benefícios ou qualidades do produto.

A característica principal dessa nova linha é a sustentabilidade a

preocupação com a ecologia, os benefícios são a qualidade de vida buscada

para nossos filhos em um planeta melhor sem grandes desastres

reaproveitando a matéria prima já existente, reciclando-a e as qualidades

principais são a resistência, beleza estática, durabilidade além de estar em

evidencia no mercado.

•.6.7. Vantagem competitiva do produto.

A maior vantagem competitiva para a empresa é que não tem

nenhum concorrente nessa linha de produtos, se tornando única em sua

cidade, é um produto que a procura tem aumentado em crescente constante,

pois todos que tem essa consciência adquirem esse produto e os

consumidores que não tem, compram para fazer parte de modismo

consumista por produtos ecologicamente corretos.

•.6.8. Estrutura de preço.

Os preços de fornecedores de matéria prima é

O tecido para sacola simples custa R$ 0,50/unidade, quando é

efetuada uma compra de maior quantidade (tecido para 1000 unidades), o

preço cai para R$ 0,30/unidade. O silk para sacola simples custa R$ 0,15/

unidade.

A costureira para a costura da sacola simples cobra R$ 1,00/unidade.

A sacola mais simples custa para a empresa, em torno de R$ 1,45 e é

vendida a R$ 2,00. A sacola/bolsa top de linha custa de tecido R$ 4,10/

unidade, quando é efetuada uma compra de maior quantidade (tecido para

1000 unidades),o preço cai para R$ 3,50/unidade. O silk para a fabricação

da sacola/bolsa top de linha custa R$ 3,00/unidade. A costureira cobra R$

5,00 para sacola/bolsa top de linha. A sacola/bolsa top de linha custa para

a empresa R$ 11,50 e é vendida por R$ 25,00.

Nesta venda que o lucro é significante...

A estrutura do preço do produto principal que é a sacola ecológica é

a seguinte: dos custos de matéria – prima, mão – de – obra e pintura com o

Logo do cliente:

Aqui neste gráfico, é mostrado o custo em reais da matéria prima de

cada tipo de tecido e ainda o custo da costureira.

Entre o modelo mais simples e o mais sofis�cado pode se criar vários outros �pos de modelos em parceria com o cliente suprindo a sua necessidade em questão.

11.6 Consciência do mercado-alvo em relação ao seu produto.

O mercado para o produto principal da linha têm essa preocupação com relação ao consumo excessivo de sacolas plás�cas que é o mercado – alvo para as sacolas ecológicas que são os supermercados, hipermercados pois essas empresas tem essa consciência de obter um produto que supra essa necessidade de diminuição do uso de “sacolinhas”. A Itape Brindes pode oferecer essa solução para esse �po de problema.

11.7 Ciclo de uso do produto

Quais as etapas pelas quais o comprador passa para comprar, usar e descartar o produto? Este método pode gerar novas ideias de produto (ou apenas melhorias ou ideias de embalagem), serviço ou outras opções de valores. Visando a melhora dos produtos vendidos, foi feita a estratégia do cliente oculto! O membro da nossa equipe, Danilo José Armando, vulgo Xexa, foi à empresa e fez uma compra, ficou exatamente 15 dias testando o produto. Danilo disse que no primeiro momento em que chegou na loja, pôde observar que os funcionários que se encontravam lá estavam bem apresentáveis, com uniformes da empresa, com crachás e, em um segundo momento Danilo nos contou que no momento da abordagem foram educados e de pron�dão atenderam sua necessidade. Efetuada a compra Danilo disse que o produto foi usado com certa frequência e não causou nenhum stress por um eventual problema, o produto testado foi a Bolsa com Botão.

11.8 Atitudes do mercado-alvo em relação ao produto. Os supermercados e hipermercados podem oferecer o produto a seus clientes através

de uma promoção do �po “compras acima de R$ 50,00 o cliente ganha uma sacola ecológica” , pode também colocar o produto a venda em stands. Fizemos um trabalho em relação à isto e foi muito bem aceito pelo mercado Cofesa. Segue o plano de ação para implementação das sacolas para os clientes do Cofesa.

Neste Natal, use sacolas ecológicas. Seja inteligente! Fizemos um desconto para o Cofesa adquirir 1500 unidades de sacolas pelo preço de

custo ( R$ 2,00 ), neste primeiro momento a empresa não teria um grande lucro, mas teria visibilidade, pois é o que vimos que precisa.

O Cofesa ficou de estudar a ideia e até o dia 05 de dezembro daria uma resposta.

11.9 Atividades contra a concorrência. A empresa no momento atual não possui um grande concorrente, mas deve tomar

alguns cuidados, precisa desenvolver novos produtos, pesquisar novos mercados – alvos que podem surgir em Itape�ninga, inves�r em publicidade dos produtos que dispõe etc.

12. O plano de marketing

12.1 Visão Geral

Visão geral das tendências Já se notou em pesquisas de campo e de mercado que essa nova tendência por

produtos ecologicamente corretos está em crescente. Um dos mercados de maior potencial neste século é o de produtos ecológicos

voltados ao consumidor final. Sem deixar nada a desejar aos outros dois grandes nichos do século –a informá�ca e a biotecnologia-, esse é um mercado ainda pouco ou quase nada explorado no Brasil e América do Sul, embora já seja uma realidade na União Europeia e Oceania (Austrália e Nova Zelândia), onde a força e consciência ambiental dos consumidores já fazem parte da cidadania daqueles povo.

No Brasil, quando se fala em produto ecológico, quase sempre vem à mente a ideia de artefatos elaborados artesanalmente com matérias-primas naturais ou, em âmbito empresarial, de equipamentos e sistemas para controle de emissão de poluentes, tratamento de efluentes e resíduos industriais. Para o consumidor final, contudo, o conhecimento do que seja um produto ecológico comercial para seu uso ainda é algo distante. Produto ecológico é todo ar�go que, artesanal, manufaturado ou industrializado, de uso pessoal, alimentar, residencial, comercial, agrícola e industrial, seja não-poluente, não-

tóxico, notadamente benéfico ao meio ambiente e à saúde, contribuindo para o desenvolvimento de um modelo econômico e social sustentável.

12.2 Mercado-alvo

Primário Redes de supermercados e hipermercados Secundário Lojas de conveniência, lojas de calçados, roupas, Universidades de Itape�ninga.

12.3 Análise competitiva

Não se pode ter uma análise compe��va, pois já citado anteriormente a Itape Brindes não possui uma grande concorrente mas, deve tomar seus cuidados.

Já na área de brindes, a concorrência vai desde papelaria até as empresas já citadas, JC Silveira Brindes, Real Gráfica e a Gráfica China.

12.4 Análise do produto e do negócio

O produto tem uma tendência de fácil aceitação no mercado onde se constatou que a preocupação com a ecologia e o consumo desenfreado faz com o negócio seja promissor, ainda mais que a empresa foi a primeira a produzir esses �pos de produtos de material reciclado na cidade.

12.5 Metas e objetivos

Metas de vendas Como não há histórico de vendas, não tem como fazer uma projeção. Primeiro deverá conter um histórico, e em um outro momento fazer a projeção

baseada nas vendas realizadas.

12.6 Estratégias

Posicionamento

A empresa está como a única empresa nesse segmento, isso nos trará alguns bene�cios como à procura imediata na cidade por seus orçamentos.

Produto O produto principal é a Sacola ecológica, mas a empresa possui vários outros �pos de

produtos, uma infinidade. A estratégia fundamental no que diz respeito a produto é que primeiramente, o maquinário deve ser atualizado, depois do maquinário... Pensamos que os produtos de tecidos poderiam ser feitos com outro material mais barato, exemplo: Tecidos Ecológicos Malha PET, malha ecológica produzida com garrafa PET. Composição 50% Algodão / 50% PET. Além de ser a metade do preço (de R$ 1,00 cai para R$ 0,50) do tecido já usado.

Preço A vários preços, que podem ser inicialmente de R$ 2,00 que é o preço do nosso

modelo mais simples, e podendo chegar até R$ 25,00 que é o modelo top de linha, a nossa estratégia para preço é simples, pedir descontos aos fornecedores. Caso a empresa venha a usar o tecido sugerido, os produtos terão um menor custo e com isso o valor para o cliente será mais baixo.

Distribuição Pode – se distribuir em todo o país. (trabalhando com o correio) e com a compra do

veículo próprio para entrega, será mais ágil esse serviço. Comunicação/promoção

A comunicação do produto para o mercado consumidor se dará através do site da empresa na internet, em um futuro próximo (dentro de 1 ano), a venda também poderá ser feita pela internet, anúncios nos jornais locais, podendo divulgar através de feiras relacionadas a linha sustentável, promoções serão as de lançamento com um preço um pouco abaixo na média com uma porcentagem de lucro menor, depois se dará através da seguinte proporção quan�dade X preço , quan�dade X forma de pagamento.

Plano de mídia

Divulgar os produtos primeiramente na Rádio Difusora de Itape�ninga, pois a transmissão ocorre pela internet e com isso chega aos lugares mais remotos da Terra, e o preço para esse �po de anuncio é mais acessível posteriormente divulgar no jornal local que pode ser ou no Correio de Itape�ninga ou no Diário de Itape�ninga, sendo os 2 muito bem procurado pela população de Itape�ninga, propomos que o anúncio será feito segunda, quarta, sexta e aos domingos, além de se realizar feiras relacionadas com a linha do produto,

e , assim mostrar vídeos sobre a empresa e como fabricamos o nosso produto desde da busca de matérias primas até o produto final. E a entrega de panfletos pelo centro da cidade.

Confirmação do Pedido e Valores Será feito via internet, telefone e pessoalmente na sede da empresa. ( RS 800,00/mês 4 vezes por semana)

Valores dos Panfletos e amostra.

Papel: Reciclado 90g. Tamanho: 10 x 15 cm

Prazo: 6 dias úteis Cores: 4x0 Colorido na Frente e Verso s/ impressão Peso: 0,500 Kg

Acabamento: Corte Reto

10.000 Folhetos Custo – R$ 640,00 - 10.000 folhetos

Programação

Mês Inicio Ação realizada

Outubro 12/10 Divulgação dos produtos na Rádio Difusora, nos dias, segunda, quarta, sexta e domingo (com primeira divulgação às 13h00m e outra as 20h00m) valores de R$ 800,00 – 4 dias na semana.

Novembro 01/11 Vincular anuncio nos dois jornais da cidade, será feito um classificado com destaque, valor R$ 40,00 dois dias. E isto será feito até o fim do ano de 2010.

Outubro e Novembro

01/10 Entrega dos folhetos, ao todo serão entregue 20.000 folhetos

Custo total dessas ações – R$ 4.000,00 por 2 meses de divulgação.

12.7 Avaliação

Análises de vendas A principio se realizou uma grande venda para a Rede Extra de hipermercados com

um lote de 1.500 unidades e também foi vendido um número razoável de canetas para uma fornecedora Bo�jões de gás. Mas a venda de maior valor, tanto financeiramente como emocionalmente, foi para TV TEM de Itape�ninga. Foi vendido 2.000 unidades de porta relógio digital.

Visão geral execu�va A visão geral execu�va resume o plano para que seja rapidamente analisado por seus

execu�vos. Embora isso na Empresa estudada se dará com conversas entre o proprietário e seus funcionários. Redigido e resolvido.

O resumo execu�vo deve abordar brevemente:

1. Visão geral do mercado.

2. Visão geral da concorrência.

3. Visão geral do produto.

4. SWOT (pontos fortes, pontos fracos, oportunidades e riscos).

5. Metas e obje�vos.

6. Estratégias.

7. Plano de ação e programação de implementação.

8. Métodos de avaliação.

12.8 Visão geral de mercado

• Matriz BCG

Taxa Cresc.

ESTRELA OPORTUNIDADE

GERADOR DE CAIXA

PROBLEMA

Part.Mercado

Segundo a orientação da matriz BCG, os produtos ecológicos da Itape Brindes, são classificados como oportunidades, pois está em fase de crescimento e penetração no mercado, e a consciência ecológica ainda está amadurecendo na cabeça dos consumidores. Mas podemos também classificá-lo como GERADOR DE CAIXA uma vez que este mercado também pode ser aumentado, bastando para isso algumas mudanças de produtos, ou pode se pensar em trabalhar com outros �pos de produtos, ter uma gama ainda maior de produtos.

Na fase de pesquisa , realizamos a coleta das informações necessárias para as primeiras seções do plano de negócios. Como fornecedor de matéria – prima, preço das costureiras, �ntas, etc. Agora colocar as informações em um documento claro e conciso para que possa ser lido e entendido.

Com esta finalidade em mente, ao fim as pesquisas de mercado e as planilhas e analisar e constatar a boa visão geral do mercado. Podem-se u�lizar algumas informações do plano de negócios, contanto que as informações de mercado que sempre estejam atuais e específicas para os produtos.

E sempre atualize as seguintes questões: • Qual é o tamanho do mercado em potencial? • O mercado está crescendo, diminuindo ou estabilizado? Quais mudanças estão

acontecendo? • O mercado está segmentado por preço, qualidade, faixa etária, renda ou uso do

produto? • Quem é o seu público-alvo? • Quem são os seus concorrentes?

Exatamente como todas as outras seções que foram desenvolvidas até aqui, mas não há regras para organizar o plano. Só precisa estar se atualizando.

13. Segmentação de mercado

Por ser di�cil (e caro) a�ngir todos os mercados, é bom se concentrar em segmentos específicos, como a grande concorrência dos supermercados da cidade de Itape�ninga, pois são quatro grandes redes o Extra, Pão de Mel, Politel e Cofesa par�cularmente a empresa é pequena. Isto permi�rá que a Itape Brindes alcance mais pessoas que realmente comprarão o seu produto. Sem grandes gastos que atualmente é o que a empresa visa.

O melhor exemplo de segmentação de mercado de produtos sustentáveis podem ser encontramos em todos os níveis de luxo e u�lidade, preço e qualidade, etc.

14.Público-alvo “Se os indicadores econômicos apontam para a recessão, os profissionais de

marke�ng podem tomar providências para reformular, reposicionar e reestudar os preços de seus produtos para con�nuar a oferecer valor aos clientes-alvo.” (KOTLER, 2000, p.191)

Determinar o público-alvo correto é provavelmente a parte mais importante dos esforços de marke�ng, porque não importa o que você diga se você não disser para a pessoa certa.

O Público - alvo são as redes de supermercados pois para esse �po de empresa diluir custos com saco linhas e ainda sim poder vender diretamente a seus clientes leva a iden�ficá-los como nosso principal público e indiretamente o produto a�nge as classes alta, media e baixa pois todos podem adquirir.

Depois alcançar as lojas de roupas e calçados, que o comercio local é bem aquecido e também pode adquirir o produto para além de economizar fazer a divulgação do nome da sua loja.

A oferta do produto precisa considerar não apenas os níveis de renda, mas também os níveis de renda disponível e discricionária.

Para se obter este nível de dados demográficos é necessária uma pesquisa de mercado. Como foi realizada como forma de pesquisa de campo por nós. Já que nós não

temos “Público Alvo” ou temos, toda a população de Itape�ninga com um mínimo de entendimento sobre a importância de preservação. A faixa etária seria 05 a 100 anos!

15.Psicográficos Realizamos ques�onários para se obter uma visão geral, segue:

• O que eles gostam em seu produto? O fato de ser ecologicamente correto, e barato!

• O que eles gostam no produto do seu concorrente? Em relação aos brindes, são baratos, mas de baixa qualidade.

• O que os faz decidir comprar o produto da concorrência? Como citado acima, é o preço !

• Eles sabiam qual marca iam comprar antes de comprar? Como a concorrência é pequena, e a Itape Brindes NÃO faz divulgação, fica fácil perder possíveis clientes.

• Qual mensagem publicitária eles viram antes de comprar? Não existe divulgação na cidade com relação a este �po de comércio.

• Quais são os hobbies deles? Maioria dos clientes, são atletas “de fim de semana”, são pessoas preocupadas com a saúde, e como consequência, com o meio ambiente.

• Quais são os aspectos emocionais que influenciam a compra? A sensação de deixar um mundo melhor para a descendência.

• Qual é a classe ou posição social deles? Das mais variadas, mas a que mais se interessa é a classe B e B2

• Quem é que, de fato, toma a decisão neste �po de compra? Mulheres parecem estar mais preocupadas com relação à sustentabilidade

• Quais os valores e a�tudes que fazem parte deste �po de compra? São valores de “compromisso com o futuro”, é um novo �po de consumidor, ou

melhor, um novo conceito de consumidor, as a�tudes que impulsionam a compra de produtos deste gênero é a�tude de quem quer ver mudança no planeta, pessoas que não esperam os outros, mas começam a mudar o mundo a par�r dela mesma.

• Quem eles procuram quando tomam uma decisão de compra? Atualmente a Itape Brindes, seria a loja mais conceituada.

Isto lhe resultará numa atualização dos dados do seu mercado-alvo e os segmentos de mercado, defina os números e as porcentagens concretas de uso de mercado. Em outras palavras, quantos clientes você atualmente têm e quantos clientes em potencial existem para o seu produto ou serviço.

16.Visão geral dos produtos

16.1 Externo (orientado pelo mercado) Mais sobre o produto, nunca é demais saber!

16.1.1 Reputação da empresa/do produto. O produto está sendo bem quisto pelos clientes.

16.1.2 Participação de mercado. Como já foi inúmeras vezes citado neste plano, a empresa precisa divulgar o produto

para conseguir maior par�cipação no mercado de brindes.

16.1.3 Habilidade da empresa/produto para satisfazer as necessidades e tendências do mercado.

Produto com excelente acabamento, muito bonito, e funcional. As necessidades estão atendidas.

16.1.4 Valor que sua empresa agrega ao mercado. Tanto social como financeiramente, aquece a economia da cidade e ao mesmo tempo

contribui para o meio ambiente.

16.1.5 Qualidade de seu produto. Comprovada, precisa só atualizar o maquinário que dispõe.

16.1.6 Qualidade de seu serviço e suporte ao cliente (ou outra área de serviço).

No que diz a entrega, não está sendo bem realizada, esperamos que com as sugestões que demos a empresa melhore este setor.

16.1.7 Qualidade/eficiência das promoções e outros esforços de marketing realizados.

Não há históricos de vendas para comprovar, só o que o Dono diz – “A promoção realizada com o mercado Extra, foi um sucesso, vendemos 1.500 unidades, e daqui alguns meses iremos fechar outra venda com a mesma empresa.”

16.1.8 Preço. Os preços são iguais aos pra�cados no mercado, Jilson seguiu o preço da região. Os

preços variam de R$ 2,00 sacolas ecológicas a R$ 25,00 bolsas feitas com materiais recicláveis.

16.1.9 Distribuição. Setor mal planejado da empresa, é entregue com o veículo do Dono da empresa, ele

já se propôs a comprar um veículos para fazer a entrega.

16.1.1.1 Vantagens geográficas. Cidade de interior com crescimento acelerado, principalmente no comércio de

vestuários.

16.2 Interno (orientado pela empresa)

“A empresa precisa ‘vender’ á sua força de vendas a importância que ela tem como coletora de informação. Os representantes de vendas precisam saber que �po de informações deve enviar e para quais gerentes.” (KOTLER, 2000, p.124)

16.2.1 Liderança operacional O próprio dono

16.2.2 Pontos fortes financeiros. Tem condições de se manter e esperar o lucro em médio prazo.

16.2.3 Recursos de fabricação. Como os produtos são com matéria prima reciclável, são de fácil acesso, não sendo

de um só fornecedor e sim de uma vasta gama. Pois ele também compra matéria prima reciclada de vendedores autônomos.

16.2.4 Cenários ideais

Às vezes, frases de clientes como, "Eu gostaria..." podem levar a uma proposta totalmente nova para um produto. Por exemplo, alguém em algum lugar, provavelmente disse, "Eu gostaria de verificar meus e-mails de qualquer lugar!" Pensando neste cenário, estudamos algumas melhorias no setor interno da empresa, como são 3 funcionários, fica mais fácil trabalhar! Propomos o seguinte:

Os funcionários assumiriam mais responsabilidades e teriam mais ganhos (par�cipação nos lucros, já que a empresa não tem este �po de remuneração)

A cada nova ideia dada pelos funcionários e acatada pelo Dono da empresa e que ob�vesse lucro, o funcionário criador da ideia, ganharia um bônus no salário.

Os produtos verdes ou ecológicos para Lambin (2002) são os que podem ser melhorados ou desenvolvidos conforme as normas ecológicas e que sa�sfaçam às expecta�vas do consumidor, examinando-se diversas opções como: reduzir as matérias- primas e as embalagens; eliminar ou aligeirar as embalagens; desenvolver produtos mais concentrados; desenvolver produtos de u�lidade múl�pla; adaptar quan�dades mais importantes; u�lizar matérias recicladas; reduzir a u�lização de recursos naturais raros; aumentar a segurança dos produtos para saúde e para o ambiente; aumentar a duração de vida dos produtos; desenvolver produtos ou embalagens reu�lizáveis; conceber produtos para re-fabricar, reciclar ou reparar; recuperar os produtos para reciclar; conceber produtos que podem ser enterrados ou incinerados; e conceber produtos susce�veis de serem transformados em adubo. Os produtos ecológicos possuem as mesmas caracterís�cas e funções dos produtos comuns, entretanto, eles causam menor dano ao meio ambiente levando em consideração todo o seu ciclo de vida, ou seja, possuem caracterís�cas que de alguma forma minimizam os impactos ambientais como embalagens biodegradáveis, passíveis de reciclagem, dentre outras. De acordo com Queiros, Domingues e Abreu (2003) um produto que possui um atributo ecológico pode ser considerado um produto diferenciado. O fato de ser considerado ecologicamente correto irá significar que existe uma preocupação em seu processo de produção quanto à sua concepção, seu ciclo de vida e outros fatores como a u�lização de tecnologias limpas, uso racional de recursos naturais, gestão de embalagens e cer�ficações ambientais. A crescente onda de conscien�zação ecológica que está ocorrendo por parte dos consumidores traz às empresas a oportunidade de se adiantarem à demanda e de se diferenciarem em relação aos seus principais seus concorrentes no sen�do de suprir uma necessidade desses consumidores ainda não atendida. Os produtos verdes podem representar uma forma de geração de vantagem compe��va para as empresas, por meio da manutenção de uma consciência de melhoria con�nua voltada para o desenvolvimento de produtos ecologicamente corretos.

Abridores dos mais variados �pos

Bolsas também de todos os �pos.

Brindes de todos os formatos e es�los. Desde Agendas até cinzeiros.

Jogos para público infan�l.

Relógios.

Canetas.

Lápis Bom, a Itape Brindes é fabricante dos mais variados brindes imagináveis.

17.Metas e objetivos

17.1 Metas de vendas Comecemos pelas metas de vendas.

• concretas e mensuráveis (em termos de valores e unidades)

• estabeleça um nível que seja desafiador, mas não impossível de alcançar

• estabeleça um horário específico para mensurar o sucesso

• ligadas ao lucro projetado (que também deve ser es�mado no plano de marke�ng)

• e com base em histórico de vendas. (como a empresa não tem, não deve ser feito neste primeiro momento)

O histórico primeiro deve ser feito, pra depois avaliar as possíveis vendas.

Baseamos neste método, para sim elaborar uma projeção de vendas.

Aqui estão citados alguns métodos usados atualmente:

• O primeiro método requer que olhe para o total das vendas da indústria dos úl�mos 5 anos na categoria do seu produto, a Itape Brindes com 2 ano de históricos feitos, já se da pra ter uma analise do que pode vir acontecer. A par�r dessa informação, faça uma es�ma�va do total de vendas da indústria em geral para os próximos 3 anos na categoria do produto, que é o ecológico. A par�r desse número, faça a es�ma�va de venda para a empresa.

• O segundo método é mais limitado para o negócio em si. Deve-se analisar o mercado de Itape�ninga e fazer a projeção baseada nele.

• O terceiro método é importante porque se baseia nos níveis de vendas mínimos para cobrir as despesas e custos, obtendo lucro. Afinal, este é o principal obje�vo, certo?

•.1. Faça uma es�ma�va das despesas gerais para o ano.

•.2. Da porcentagem esperada da margem bruta, subtraia a porcentagem de lucro esperada. Isto dará uma porcentagem es�mada da despesa. .

•.3. Divida a es�ma�va das despesas gerais pela porcentagem de despesa es�mada para chegar ao número mágico de vendas necessário para cobrir as despesas e ter lucro.

Com um produto novo, precisará usar as informações da indústria para es�mar as vendas. Esta análise deve incluir o custo médio de bens, margens operacionais, despesas gerais e níveis de lucro para os negócios similares ao da Itape Brindes.

18.Objetivos de marketing

"O obje�vo de marke�ng pode ser definido por 6 letras:CCDVTP (create, comunicate and deliver value to a target market with profit), que significam criar, comunicar e entregar valor para um mercado-alvo, com lucro", definiu Philip Kotler, professor da Northwestern University (Kellog Scholl), no Fórum de Marke�ng do final do ano passado, na Universidade Posi�vo, em Curi�ba.

O obje�vo da Itape Brindes é conscien�zar a população de Itape�ninga e com isso obter lucros com vendas de seus produtos, um obje�vo mais especifico é dentre os próximos

dias, conseguir fazer a divulgação por meio de rádio e jornal.Com isso esperamos a�ngir um público dos mais variados es�los, pois os produtos sustentáveis são para todos. Para algo mais concreto, precisaríamos de dados passados.

Citamos este exemplo por ser um produto novo no mercado: imagine este ambiente: Você sabe que cada um dos seus 2.500 clientes comprou uma média de 2,5 de seus

produtos no ano passado.

1. Você também iden�ficou um novo mercado de 3.500 clientes em potencial (de acordo com sua porcentagem atual de par�cipação de mercado) que você es�ma que comprarão uma média de 2 itens a cada ano.

2. Além disso, você iden�ficou uma oportunidade para acrescentar um contrato de serviço para os clientes que custaria 10% do custo do produto.

Com isso em mãos, poderia criar planos de vendas nessas áreas. O histórico, como já citamos antes, foi passado para o Jilson, esperamos que ele acate a ideia o mais rápido possível.

-Consiga o máximo possível de ideias-

Como a Empresa é pequena e não necessita de reuniões e mais reuniões... Decidimos dar algumas dicas de como obter sugestões dos seus funcionários, amigos, parentes, sobre os produtos da Itape Brindes

• Inclua pessoas que conhecem seu produto, bem como pessoas que não sabem absolutamente nada sobre ele.

• Não descarte qualquer ideia até depois do término deste pequeno apanhado de ideais. Até mesmo as ideias ruins podem se tornar uma boa ideia.

• Faça isso em um ambiente entusiasmado e cria�vo.

• Comece esgotando todas as ideias iniciais, listando-as.

• Use brinquedos, equipamentos eletrônicos, fotografias e outros itens para es�mular a cria�vidade.

• Encoraje os pensamentos exorbitantes e ideias bizarras.

19.Posicionamento Atual

Sendo única na cidade, a Itape Brindes, tem um posicionamento �mido, de quem quer muito, mas sabe o seu lugar atual. Pensando no hoje, propomos que a Itape Brindes fizesse o histórico de vendas e a divulgação do produto que com isso, ela irá ter respostas do

público-alvo muito rapidamente, quanto mais dados �ver, melhor e menos di�cil será o caminho a percorrer. Sugerimos também que a empresa fizesse campanhas como, Neste Natal, use sacolas ecológicas. Seja inteligente! E uma futura campanha, Sacológicas, use a Lógica, use a Sacológica! Isto tudo ajuda e muito o posicionamento do produto para o público alvo.Em mercados cheios, é muito importante posicionar o seu produto adequadamente. Para o posicionamento, devemos pensar em que o produto e a empresa querem ser, líder de baixo custo ou um produto diferenciado? Estes são diferentes caminhos estratégicos que levarão em diferentes direções quando a empresa sintonizar bem a sua mensagem. Pense nas qualidades do produto, seus pontos fortes e fracos, as oportunidades que descobrir, o preço que considerou e seu mercado-alvo para determinar que posição ampla será tomada. Depois, tem de determinar um posicionamento específico. Isto pode ser baseado em uma determinada qualidade ou bene�cio de seu produto tal como a facilidade de uso, durabilidade, confiabilidade, segurança, conveniência, etc. Em alguns casos pode até mesmo posicionar o produto baseado em duas qualidades. Por exemplo, Pense no futuro de seus filhos, use embalagens ecológicas. Neste caso, focaríamos a confiabilidade, segurança e o emocional.

Comece a definir o posicionamento respondendo a perguntas como: 1. Qual opinião seu público já tem e como você pode ligar seu produto a ele?

Que a empresa é socialmente responsável, e que quando mais fortalecer essa mensagem, menos inves�mentos futuros terá. Vide a Coca-Cola.

2. Quais são as necessidades e desejos do seu público-alvo?

Levar suas compras com mais segurança e ainda contribuir pro futuro do planeta.

3. Há certos atributos da empresa sobre os quais você pode se apoiar, tais como experiência ou pioneirismo no negócio?

Pioneirismo no negócio.

4. Quais são os maiores bene�cios do produto e como você pode capitalizá-los?

A durabilidade, a segurança, o emocional, o prazer de ajudar e o status que este �po de produto traz, pois as maiores celebridades aderiram à este �po de produto, com tanto que virou moda.

5. Seu público-alvo é iden�ficado como independente o suficiente para criar uma posição com base em sua singularidade?

Sim, é uma nova geração preocupada com este �po de assunto.

6. Você pode basear a posição nas estratégias de qualidade e de preço?

Sim, produto barato e de durabilidade.

7. Você pode posicionar o produto com base nas oportunidades que descobriu na pesquisa?

Verificamos que faltava essa divulgação do produto, garan�mos que depois de feito esses processos, a empresa terá um caminho com algumas placas indicando aonde ir.

Um determinado o posicionamento do produto, essas questões serão para refiná-lo mais ainda:

7. Como você pode simplificar a mensagem para transmiti-la? - lembre-se, mais geralmente

é menos.)

“Consumidor consciente usa sacola permanente”

8. O nome do produto se adequar ao seu posicionamento?

Sacola Ecológica, retornável, ecobag...

9. A posição é possível?

Possível sim, ecologia é o que há.

10. O público-alvo vai se preocupar e notar o posicionamento?

É notável, sustentabilidade é algo que todos devem se preocupar.

11. A posição é muito ampla ou estreita?

Ampla

12. A posição é clara e compreensível?

Sim, as duas !

19.1 Posicionamento de valor

A relação custo-bene�cio, neste �po de produto é evidente, custo alto/qualidade alta, custo baixo/qualidade alta, custo médio/qualidade alta, pois são fabricadas pensando na durabilidade do produto e como é feita com produtos reciclados, o custo é baixo, alguns produtos tem um custo um pouco mais alto, mas nada exorbitante.

20.Estratégia de produto

“Toda categoria de produtos tem potencial para trair compradores que não saibam de sua existência ou que o estejam rejeitando devido a preço ou a ausência de

certos atributos. Uma empresa pode buscar novos usuários entre três grupos: aqueles que podem vir a usar o produto mas não o fazem (estratégia de penetração de mercado), aqueles que nunca usaram o produto (estratégia de novo segmento de mercado) e aqueles que moram em outros locais (estratégia de expansão geográfica).” (KOTLER, 2000, p.253).

Já falamos sobre o produto e seus pontos fortes e fracos, mas como parte da estratégia também precisa-se pensar sobre os elementos do produto que podem ser estratégicos para o sucesso da Itape Brindes, como a embalagem e garan�a. Estes elementos ajudam a criar o valor que o cliente vê no produto. Então, vamos falar sobre a embalagem e sua importância quanto à estratégia.

20.1 Embalagem

O principal a ser lembrado sobre a embalagem é que ela se comunica diretamente com o comprador até que ele tome a decisão de gastar o dinheiro e levar o produto para casa. Se es�ver em uma prateleira com oito produtos similares, o produto não pode apenas parecer bonito, ele tem de gritar sua mensagem para ser notado. A embalagem deve ser notada dentro de três segundos em uma prateleira de loja. Deve-se pensar nos produtos na forma de exposição, garan�ndo sempre a melhor visualização dele na prateleira.

20.2 Garantias

A Itape Brindes não oferece nenhuma garan�a, Jilson alega que o fato do produto ser barato, fica inviável oferecer algum �po de garan�a, propomos que ele incorpore algum serviço, já que o mesmo também não é feito. Atualmente será feito o serviço de entrega, com mais rapidez e segurança.

21.Estratégia de preço

Segundo Kotler“Até mesmo quando ao líder de mercado não lança ofensivas, ela não deve deixar nenhum flanco importante exposto. Ela deve manter os custos baixos e os preços devem estar de acordo com os valores que os clientes encontram para a marca.” (KOTLER, 2000, p.255)

Visando isto, o preço não deve ser muito baixo, pois isso pode influenciar o cliente que não visa preço baixo e sim valor.

• Pensando nisto, idealizamos o que seria vantajoso para Jilson

Sen�mos a falta de ele não negociar com fornecedores um preço mais baixo, pois a compra é grande apesar de ser feita a cada 3 meses. No primeiro momento, conversamos com um fornecedor. Nisshinbo do Brasil Ind Têx�l Ltda R. Alice de Godoy Marcondes Machado, 240 - Vl Barth, CEP 18205-040 - Itape�ninga - SP Tel: (15) 3272-6456

E foi tentado uma negociação para obter um preço mais baixo, o Tecido TNT (tecido não tecido), o preço é de R$ 1,00 o metro, conseguimos um desconto de R$ 0,25 centavos, caso a empresa compre 1.500 metros. Com isto, a Itape Brindes pode oferecer um preço mais baixo nas sacolas mais simples.

Foi estabelecido então, que a Itape Brindes comprará 2.500 metros de tecidos TNT.

22.Estratégia de praça

Foto re�rada do Google Earth

Localizada em um bairro cercado de arvores, ao lado de rodovia, a Itape Brindes foi estrategicamente inserida neste cenário, em um bairro de classe média e próximo a grandes

empresas do setor de alimentos. Quanto ao local que a empresa se situa, está ok! O problema encontrado é a distribuição, não há veículo que possa fazer as entregas, caso o dono da empresa não esteja no dia de alguma compra, essa compra fica impossibilitada de ser entregue neste dia, sendo assim só sendo efetuada a entrega no dia em que o dono da empresa se encontre no local.

Mas quanto a isto é fácil de se resolver, e como Jilson concordou com a ideia, ele fará a compra de um veículo nos próximos dias . Os produtos eram expostos de qualquer jeito, sem uma organização certa, sugerimos que a exposição fosse feita de acordo com o �po do produto e a sua cor, de forma que facilite a visualização do produto. Este problema também foi solucionado rapidamente.

23.Est ratégi a de promo ção

Esta é a estratégia de comunicaç ão do plano. Aqui planeja não apenas a

mensagem que quer usar, mas também as ferramentas que usará para divulgá-la ao mundo.

• anúncios

• relações públicas e publicidade

• promoções e eventos

• material de marke�ng do produto/empresa

• brindes

• força de venda

Basicamente, isto deve cobrir cada modo de comunicação que atraia seu mercado- alvo . Segundo Kotler “O mercado-alvo (também chamado de mercado servidor) é a parte do mercado disponível qualificado – o conjunto de consumidores que possuem renda, interesse, acesso e qualificações para a oferta ao mercado.” (KOTLER, 2000, p.141) e ajude a direcioná-lo não apenas para conhecer a oferta, mas também para atuar sobre ela. Isto também inclui outras coisas como bole�ns para os clientes, um site da empresa que no caso já existe, mas não é muito valorizado, etc. A estratégia da empresa Itape Brindes, será acabar moralmente com a sacola plás�ca, pois só assim poderá a�ngir o público emocionalmente.

Na estratégia de promoção, analisamos a parte mais interessante da Itape Brindes, o porquê ela não faz esse trabalho? Jilson quando foi perguntado, respondeu que por ser uma cidade não muito grande, ele pensou que não precisaria gastar com divulgação do produto, que ele seria divulgado boca a boca, um erro! Pois nesses 2 anos, o público da Itape Brindes é rela�vamente baixo, acontece alguma ou outra venda de grande expressão, mas não tem frequência e nem é certo este �po de venda. Foi trabalhada a parte promocional do produto, foi feita sugestões de divulgação, como já foi dito! Rádio, Jornal, Panfleto... Agora é só por em prá�ca e analisar os resultados.

24.Anúncios

Para esta seção do plano de marke�ng, incluiremos o seguinte:

Promessa publicitária. Será feita a promessa de que comprando sacolas ecológicas você deixará um planeta melhor para seus filhos.

Tom do anúncio. Anúncio será feito para a�ngir o emocional dos futuros clientes.

Análise racional. Atualmente os consumidores do mercado sustentável são os consumidores conscientes iniciantes e os “comprome�dos” que são a�vistas de proteção ambiental e animal, vegetarianos, biólogos, gestores e educadores ambientais e outros profissionais que estão extremamente informados e emocionalmente ligados a causa ambiental e social e são formadores de opinião para os consumidores conscientes iniciantes. Para se ter uma ideia da quan�dade de pessoas que já encaram o consumo de maneira diferenciada, a pesquisa “O que pensam e como agem consumidores conscientes” de 2005 do Ins�tuto Akatu afirma que 43% das pessoas em regiões metropolitanas já possuem hábitos de um consumidor comprome�do e consciente.

• Tipos de mídia que serão usadas para transmi�r a mensagem. Isto é conhecido como Plano de Mídia e pode incluir revistas, jornais, outdoors, banners na internet,

vinhetas de rádio, filmes publicitários na TV, patrocínio de programas de rádio e TV, embalagens dos produtos, trailers de cinema, pôsteres e folhetos, listas de diretórios e displays de lojas. Mas como a empresa é pequena ainda e nova, preferimos trabalhar só com divulgação na rádio, nos jornais e distribuição de panfletos.

25.Relações públicas e publicidade

Kotler comenta o seguinte “As empresas precisam encontrar novas maneiras de recuperar a confiança dos consumidores e de seus funcionários. Precisam se cer�ficar de que estão agindo corretamente e de que estão enviando mensagens honestas aos consumidores. Um número maior de empresas está realizando levantamentos sociais e fazendo relações públicas, de modo a melhorar sua imagem junto ao público.” (KOTLER, 2000, p.175) , as relações públicas fortalece a imagem da empresa perante o público, deve-se ter um certo cuidado. As RP não acontecem. Precisa-se trabalhar, planejar e executar o plano, para que isto aconteça deve-se ficar atento aos eventos que a imprensa esteja presente, como a cidade dispõe de uma afiliada da Rede Globo no�cias sobre a cidade são veiculadas a todo momento.

26.Promoções e eventos

Nesta etapa, a promoção que iremos tratar, não é a divulgação e a promoção de preço baixo, para que o consumidor seja atraído pelo preço e experimente o produto.

Alguns exemplos de promoção:

• Produto com preço baixo ou com algo “a mais”

O preço dos produtos já são baixos, mas promoções de brindes são sempre um chama�vo! Fazer ofertas do �po “compre uma sacola e ganhe a personalização com seu nome ou foto”,

• Amostras

U�lizar este �po de técnica com empresas grandes, a Itape Brindes deverá deixar algum �po de produto em alguma empresa para amostra. Pensamos no supermercado Pão de Mel, pois já foi feita vendas para o Extra e o Cofesa já demonstrou interesse, outro grande consumidor seria o Pão de Mel.

• Aba�mentos

Isto sempre deve ocorrer em compras de grande volume, assim o cliente se sente valorizado pela compra.

27.Eventos especiais

Nesta etapa, analisamos alguns eventos futuros na cidade de Itape�ninga, foi realizada uma palestra do Daniel Godri, grande nome quando se fala em palestras mo�vacionais.

Foram feitos vários brindes com a foto de Daniel Godri estampada em produtos, como canecas, camisetas, sacolas ecológicas, entre outros... O próprio Daniel permi�u essa “homenagem”, a palestra serviu para divulgar um pouco mais o produto da Itape Brindes.

Resultados – foram vendidas 3.000 peças, dos mais variados produtos. Toda a arrecadação visou a parte solidaria da empresa, ajudamos a en�dades, como o Lar São Vicente de Paulo, situada na rua Francisco Correia Silva, S/N, ajudamos também a Casa da Criança Rua Francisco Correa da Silva, 954. Em dinheiro no total, foi arrecadado R$ 9.450,00. O dinheiro foi dividido entre as duas ins�tuições.

27.1 Brindes

Os brindes são as “bugigangas” que a empresa irá distribuir em feiras e outros eventos. Normalmente, eles têm o nome da empresa estampado e são de pouco ou nenhum valor. Se você precisar de brindes para feiras e outros eventos, o melhor a fazer é colocar alguma coisa que seja tanto ú�l quanto consistente com a imagem de sua empresa e produto ou linha de serviço.

Por exemplo, uma grande rede de supermercados distribui sacolas ecológicas, ou uma livraria pode distribuir marcadores de páginas ou canetas, bloco de anotações e ímãs de

geladeira também são boas escolhas, e é aí que entra a Itape Brindes, sempre com o olhar em feiras, palestras, eventos...

28.Plano de ação e implementação

Como já citado, mas segue uma breve explicação e junto a programação. A propaganda de acordo com Kotler

“As empresas que aumentam suas despesas com marke�ng mais rapidamente do que a taxa de crescimento de mercado geralmente aumentam sua par�cipação. O aumento nos gastos com as equipes de vendas são eficazes em ganhos de par�cipação, tanto para o mercado empresarial quanto para o mercado consumidor. O aumento de gastos com propaganda gera ganhos de par�cipação, principalmente para as empresas de bens de consumo. O aumento de gastos com promoção de vendas é eficaz na geração de ganhos de par�cipação para todos os �pos de empresa.” (KOTLER, 2000, p.260)

Pensamos na divulgação, sugerimos que neste momento faça uma divulgação em jornais, rádio, outdoors, divulgação com panfletos! Valores:

Rádio Difusora ( qualquer horário) – audiência em média de 8.500 ouvintes/dia* R$ 800,00 por 2 anúncio por dia, 4 dias na semana,em média 16 por mês. Em torno

de R$ 50,00 por dia. Jornal Correio de Itape�ninga -sem dados em relação ao número de vendas R$ 30,00 Simples classificado, este valor se refere ao dia. Ou R$ 450,00 anúncio de destaque.

Uma pequena analise da Rádio e logo a seguir sobre o Jornal Correio de Itape�ninga

A Rádio Difusora Transamérica iniciou suas transmissões a mais de 50 anos, antes chamada Rádio Difusora 2000 com uma programação de grande qualidade, in�mamente ligada à população Itape�ningana e região. Com uma cobertura que abrange toda a região de Itape�ninga - SP, hoje a Rádio Difusora Transamérica AM, já desponta entre as principais rádios do Estado. Sua programação variada atende a todos os es�los, desde tradicionais

modas de viola até os sucessos mais atuais do mundo da música, sendo considerada uma das melhores rádios do interior paulista. A Rádio Difusora faz parte da Rede Transamérica de Comunicações que engloba rádios como a Transamérica Hits, Pop e Light.

O público é formado de Jovens, entre 14 e 22 anos, Adultos de 26 a 35 anos e a melhor idade! Visando os mais variados públicos, pois em todas as idades encontramos pessoas com consciência ecológica, este é o mo�vo de sugerirmos a divulgação na Rádio Difusora Transamérica.

*Informação não comprovada, são dados que não temos acesso. Para o sucesso desse plano de ação de marke�ng, vamos conhecer melhor o produto: Está há 60 anos no mercado, com um público fiel, se tornou o jornal de maior

confiança da cidade, o seu público é formado pelos empresários da cidade, pelas donas de casa e por aqueles que não trocam um bom jornal. Apesar de a Internet ter “quase” acabado com os jornais, eles souberam usar a arma que viria para destruí-los, agora usam para ajudá- los.

. Esta será a programação de divulgação

Mês Inicio Ação realizada Outubro 12/10 Divulgação da nova linha de

produtos na Rádio, durante horário ( 13h00m e 20h00m) segunda, quarta, sexta e domingo

Novembro 01/11 Vincular anuncio nos dois jornais da cidade, será feito um classificado com destaque, valor R$ 40,00 dois dias. E isto será feito até o fim do ano de 2010 sempre na segunda e sexta.

Outra ideia é a de listar as possíveis mudanças e fazer uma tabela com perguntas simples mas que se não forem feitas, podem afetar o andamento da ação.

Usando a técnica 5W2H iremos acompanhar a evolução da busca pelos nossos obje�vos como o mapa a seguir:

1. Busca de financiamento junto ao BNDES para aquisição de maquinário e aumento do ambiente �sico da loja; 2. Estudo de o�mização de produtos; 3. Avaliação das funções desenvolvidas pelos funcionários, dando treinamentos e cursos sobre Sustentabilidade; 4. Divulgar produtos e a marca da Itape Brindes; 5. Melhorar o serviço de entrega; 6. Conseguir preços mais baixos dos fornecedores; 7. Par�cipar com certa frequência de eventos, palestras; 8. Manter históricos de vendas; 9. Buscar manter o contato com redes de supermercados;

Tarefa What

Quem Who

Prazo When

Como How

Onde Where

Por que Why

Quanto How Much

1 Dono 12 meses

Agente Financ.

Santander Parceria Nada

2 Dono e funcionários

6 meses Cursos na área Senac Melhoria de qualidade e design

R$ 320,00/ Mês

3 Consultor de Marke�ng e próprio dono

3 meses Entrevistas, avaliações de desempenhos.

Própria empresa

Buscar a melhoria no atendimento

R$ 3.000,00 o Consultor

4 A própria empresa

3 meses Promoção Rádio, Jornais e Panfletos.

Obter novos clientes e que Itape�ninga conheça a Itape Brindes

R$ 4.000,00/ dois meses

5 A própria empresa

15 dias Com receita proveniente da própria empresa

Concessionári a da cidade mesmo

Para melhorar este serviço de entrega

R$ o carro ficou a critério do Dono

6 A própria empresa

Já Oferecendo fidelidade ao fornecedor, durante um prazo de tempo

Fornecedores de Itape�ninga mesmo

A fim de conseguir abaixar os preços dos produtos

Depende do valor da compra

7 A própria empresa

Já Sempre estando de “olho” nos eventos, palestras e feiras que acontecem na cidade

Na cidade e em cidades vizinhas

A fim de conseguir um maior número de clientes

Nada

8 A própria empresa

Já Guardando relatório de vendas

Em sistema informa�zado

Para poder fazer projeção de vendas e saber os mo�vos de determinados meses as vendas serem baixas

A Definir

9 A própria empresa

Já Oferecendo descontos para os brindes e sacolas, assim sempre que par�ciparem de eventos, procuraram a Itape Brindes

Na cidade mesmo

Mantendo vínculos comerciais é sempre importante

A definir

Neste momento estaremos apresentando os indicadores que permi�rão fazer um prognós�co de o que pode mudar com algumas etapas sendo colocadas em prá�ca, como a seguir:

Tarefas Indicadores 2 e 3 Melhoria no atendimento e pra

isso, deve-se sempre avaliar o atendimento.

4 Aumento de pessoas que passarão a conhecer a empresa e seus produtos

6 Agilidade na entrega!

10 A relação comercial é sempre ú�l, é uma ajuda mutua!

As outras tarefas serão avaliadas periodicamente através de relatórios gerados pelos responsáveis em conduzi-las. Em caso de não evolução poderão ser reavaliadas para uma retomada. Não são passíveis de serem medidas através de indicadores, pois não apresentam histórico que permita uma base compara�va.

Plano de ação para o site!

A principal ação para o site é a modernização do mesmo, pois se encontra desatualizado e com poucas informações, com a atualização do site pode-se pensar em efetuar a venda pela internet.

O preço de mercado pra�cado pelos profissionais que fazem site é em torno de R$ 1.500,00 com ele pronto para usar, mas eles ainda cobram para fazer atualizações, mensalmente é de R$ 300,00 e semanalmente de R$ 150,00.

29.A mídia

Como a Rádio e o Jornal já tem um público fiel e esse público predominantemente consiste na classe A e B, com faixa etária de 23 anos a 58. Devemos fazer uma divulgação variada, pois esse público é formado por jovens que escutam as músicas da Rádio e pelas

donas de casas que estão com seus afazeres domés�cos e enquanto isto, ouvem as no�cias da Rádio, já por outro lado, o público do jornal, formado por adultos, de maioria empresários, que precisam ficar atualizados e para isso não dispensam um jornal.

“O profissional de marke�ng precisa desenvolver estratégias que ajudem o comprador a obter informações sobre os atributos do produto e sua importância rela�va. Além disso, deve chamar a atenção para a alta reputação da marca da empresa nos atributos mais importantes. O profissional de marke�ng precisa diferenciar os aspectos da marca, usar a mídia impressa para descrever seus bene�cios e mo�var os vendedores da loja e os conhecidos do comprador e influenciar a escolha finalmente da marca.” (KOTLER, 2000, p. 199)

Impressões – será de começo um pouco moderada, mas com o passar do tempo será mais frequente.

Alcance – esperamos alcançar cerca de 20.000 pessoas durante esses quase dois meses. A Rádio Difusora, ganhou o prêmio;

Frequência – duas vezes por dia, durante 4 dias por semana no Rádio e 2 dias Jornal.

30.Programação

Esta será a programação de divulgação

Mês Inicio Ação realizada Outubro 12/10 Divulgação da nova linha de

produtos na Rádio, durante horário ( 13h00m e 20h00m) segunda, quarta, sexta e domingo

Novembro 01/11 Vincular anuncio nos dois jornais da cidade, será feito um classificado com destaque, valor R$ 40,00

dois dias. E isto será feito até o fim do ano de 2010 sempre na segunda e sexta.

A programação para os planos de ações proposto, como a compra de um veículo para a entrega dos produtos, a contratação de um funcionário só para este serviço, e o plano de ação à ser realizado no Natal junto com o Cofesa. Que tudo indica será realizado duas semanas antes do Natal, dia 15.

31. Considerações Finais

O plano foi elaborado pensando como seria feita a divulgação do produto, pois como não há concorrência neste setor de brindes recicláveis em Itape�ninga, pensamos que seria melhor neste momento focar na divulgação, foi feita pesquisa de preço, como só há dois �pos de jornais de grande circulação na cidade, resolvemos envolver os dois neste plano.

Em um segundo momento, analisamos os possíveis concorrentes dos produtos brindes.

Percebemos que apesar da experiência destas empresas no ramo, eles não estão percebendo o mercado, e com isto a Itape Brindes pode vir a assumir a frente neste ramo de produtos e não depender só das sacolas.

Outro ponto analisado foi o maquinário, a loja está desatualizada neste aspecto. Indicamos um fornecedor de máquinas para este �po de produto.

Apesar de ser uma pequena empresa, encontramos inúmeras dificuldades, fáceis de serem resolvidas mas acabam se tornando complicadas, devido o pouco recurso financeiro. Agradecemos a oportunidade de ter feito este pequeno plano de marke�ng para a empresa Itape Brindes. Deus abençoe vocês! E terminamos este plano de marke�ng com uma imagem que a empresa adotará em seus panfletos.

32.Bibliografia

* GRACIOSO, Francisco. Marke�ng, uma Experiência Brasileira. São Paulo: Cultrix, 1971. * KOTLER, Philip e ARMSTRONG, Gary. Introdução de Marke�ng. São Paulo: LTC, 1999. * KOTLER, Philip e KELLER, Kevin. Administração de Marke�ng - 12a Edição. São Paulo: Pren�ce Hall, 2006. - É um clássico sobre a gestão de marke�ng e um dos livros de maior sucesso na área. * RICHERS, Raimar. O que é marke�ng. São Paulo: Brasiliense, 1986. - O autor par�cipou da equipe que introduziu formalmente o conceito de marke�ng no Brasil (em 1954 na FGV São Paulo). * SCHARF, Edson Roberto. "Gestão do Conhecimento Aplicada ao Marke�ng". Florianópolis: VisualBooks, 2007. - Preenche a lacuna existente na disciplina de Marke�ng, em relação à gestão do conhecimento. Com profundidade, apresenta a criação de valor, a inovação e o relacionamento como os 3 caminhos a serem seguidos pelo marke�ng * EDMUNDS, Stahrl e LETEY John ORDENACION Y GESTION DEL MEDIO AMBIENTE Madrid IEAL 1975 Ecologia Enc 30. O livro é em espanhol, mas vale a pena ler! Excelente autor. * DIAS, Sérgio Roberto Gestão De Marketing , Saraiva Editora, 2003 - O resultado de muitos anos de trabalho e pesquisa resultou em uma obra abrangente de Marketing, voltada para o leitor brasileiro e escrita por alguns dos melhores professores e pesquisadores do país. A equipe da conceituada Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas (FGV-EAESP) apresenta ao mercado um livro didático e objetivo, com vários recursos exclusivos, como seções para explicitar e reforçar os objetivos de aprendizagem, além de

casos e exemplos atuais e significativos, que ilustram e aplicam os conceitos à nossa realidade.

* www.wikipédia.com.br/ acessado em 5 de Novembro de 2010 * www.wwf.com/ acessado em 23 de Outubro de 2010 * www.procon.gov.org.br/ acessado em 7 de Julho e 24 de Outubro de 2010 * www.idec.gov.org.br/ acessado em 20 de Novembro de 2010 * www.howstuffworks.com/ acessado em 20 de Novembro de 2010

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 77 páginas