Polarização da Luz, Notas de estudo de Engenharia Informática
wellington-cassio-faria-8
wellington-cassio-faria-8

Polarização da Luz, Notas de estudo de Engenharia Informática

5 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Polarização da Luz
50 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 5
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas
PowerPoint Presentation

©2004 by Pearson Education

Figuras 34-1

POLARIZAÇÃO

CARACTERÍSTICA DE TODAS AS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS.

QUALQUER ONDA ELETROMAGNÉTICA É UMA ONDA TRANSVERSAL; OS CAMPOS ELÉTRICOS E MAGNÉTICOS OSCILAM EM DIREÇÕES PERPENDICULARES À DIREÇÃO DE PROPAGAÇÃO DA ONDA E EM DIREÇÕES PERPENDI_ CULARES ENTRE SI. O COMPORTAMENTO DAS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS É ANÁLOGO AO QUE OCORRE COM AS ONDAS MECÂNI_ CAS EM UMA CORDA, FIGURA 34.16.

A DIREÇÃO DE POLARIZAÇÃO DE UMA ONDA ELETRO_ MAGNÉTICA SE DEFINE COMO SENDO A DIREÇÃO DO VETOR CAMPO ELÉTRICO , ASSIM:

ONDA POLARIZADA NA DIREÇÃO y.

E

)(ˆ),( kxtsenjEtxE máx   

©2004 by Pearson Education

Figuras 34-2

QUALQUER FONTE DE LUZ POSSUI UM NÚMERO EXTREMAMENTE GRANDE DE MOLÉCULAS COM ORIENTAÇÕES CAÓTICAS, DE MODO QUE A LUZ EMITIDA POSSUI ONDAS POLARIZADAS ALEATORIAMENTE EM TODAS AS DIREÇÕES TRANSVERSAIS POSSÍVEIS. ESSA LUZ É CHAMADA DE LUZ NATURAL OU LUZ NÃO-POLARIZADA. A EXEMPLO, AS FONTES COMUNS: LÂMPADA INCANDESCENTE OU FLUORESCENTE. DENTRE OS FILTROS USADOS PARA POLARIZAR A LUZ, O MAIS COMUM É CONHECIDO COMO POLARÓIDE – NOME DERIVADO DA MARCA POLAROID –; DESENVOLVIDO PELO CIENTISTA AMERICANO EDWIN H. LAND. ESSE MATERIAL POSSUI UMA PROPRIEDADE CHAMADA DICROÍSMO, UMA ABSORÇÃO SELETIVA NA QUAL UM DOS COMPONENTES DA ONDA É ABSORVIDO MAIS ACENTUADAMENTE DO QUE O OUTRO, FIGURA 34.17.

©2004 by Pearson Education

Figuras 34-3

NA FIGURA 34.18, UMA LUZ NÃO POLARIZADA INCIDE SOBRE UM DISCO POLARIZADOR. O EIXO DO POLARIZADOR É INDICADO PELA LINHA INCLI_ NADA MOSTRADA NA FIGURA. O VETOR CAMPO ELÉTRICO DO FEIXE INCIDENTE PODE SER DECOMPOSTO EM COMPONENTES PARALELOS E PERPENDICULARES AO EIXO DE POLARIZAÇÃO; SOMENTE OS COMPONENTES DE PARALELOS AO EIXO DO POLARIZADOR SÃO TRANSMITIDOS. PORTANTO, A LUZ QUE EMERGE DO POLARIZADOR É LINEARMENTE POLARIZADA NA DIREÇÃO PARALELA AO EIXO DO POLARIZADOR.

E

E

©2004 by Pearson Education

Figuras 34-4

O QUE OCORRE QUANDO A LUZ LINEARMENTE POLARIZADA QUE EMERGE DE UM POLARIZADOR INCIDE SOBRE UM SEGUNDO POLARIZADOR COMO INDICADO NA FIGURA 34.19? CONSIDERE O CASO GERAL NO QUAL O EIXO DO ANALISADOR FAZ UM ÂNGULO  COM O EIXO DE POLARIZAÇÃO DO POLA_ RIZADOR. PODEMOS DECOMPOR A LUZ LINEARMENTE POLARIZADA TRANSMITIDA PELO POLARIZADOR EM DOIS COMPONENTES, COMO MOSTRADO NA FIGURA 34.19: - UM PARALELO E O OUTRO PERPENDICULAR AO EIXO DO ANALISADOR. A INTENSIDADE DO FEIXE SERÁ MÁXIMA QUANDO  = 0 E SERÁ IGUAL A ZERO QUANDO O EIXO DO POLARIZADOR ESTIVER CRUZADO COM O DO ANALISADOR, OU SEJA, QUANDO  = 90º.

©2004 by Pearson Education

Figuras 34-5

A INTENSIDADE DA LUZ QUE EMERGE DO ANALISADOR É DADA POR:

ONDE: É A INTENSIDADE MÁXIMA DA LUZ TRANSMITIDA, PARA  = 0;

É A INTENSIDADE TRANSMITIDA PARA UM DADO ÂNGULO .

ESSA RELAÇÃO, DESCOBERTA EXPERIMENTALMENTE POR ETIENNE LOUIS MALUS EM 1809, DENOMINA-SE LEI DE MALUS E VALE SOMENTE QUANDO O FEIXE QUE INCIDE SOBRE O ANALISADOR JÁ ESTÁ LINEARMENTE POLARIZADO.

máxI

I

2cosmáxII

EXEMPLO 34.5 – COMBINAÇÃO DE DOIS POLARIZADORES NA FIGURA 34.19 A LUZ NÃO-POLARIZADA INCIDENTE POSSUI INTENSIDADE . DETERMINE AS INTENSIDADES DOS FEIXES TRANSMITIDOS PELOS DOIS POLARIZADORES SABENDO QUE O ÂNGULO ENTRE SEUS EIXOS É IGUAL A 30º.

oI

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 5 páginas