Principais Influenciadores na ADM - Conceitos e Princípios - 1, Slides de Administração Empresarial
monica_mello_braga
monica_mello_braga18 de julho de 2014

Principais Influenciadores na ADM - Conceitos e Princípios - 1, Slides de Administração Empresarial

PPT (1 MB)
37 páginas
6Números de download
1000+Número de visitas
100%de 2 votosNúmero de votos
1Número de comentários
Descrição
Aula - UNIDADE - 3 Principais Influenciadores na ADM - Conceitos e Princípios - 1
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 37

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 37 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 37 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 37 pages

baixar o documento

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 37 pages

baixar o documento
Administração de Recursos Humanos

Fundamentos da Administração

Origens Históricas Até meados do século XVIII, as empresas se desenvolveram com muita

lentidão. Foi a partir de 1776, após a invenção da máquina a vapor por

James Watt que surgiu uma nova concepção de trabalho, a qual veio

modificar completamente a estrutura social e comercial da época, provocando

profundas e rápidas mudanças de ordem econômica, política e social.

É o período chamado de Revolução Industrial, que se iniciou na Inglaterra e

rapidamente se alastrou por todo o mundo civilizado da época.

A história das empresas pode ser dividida em seis fases:

Fase Momento Período Fase artesanal Da antiguidade até

a pré-revolução industrial

Até 1780

Fase da transição para a industrialização

1ª Revolução Industrial

1780 a 1860

Fase do desenvolvimento industrial

2ª Revolução Industrial

1860 a 1914

Fase do gigantismo industrial

Entre as duas grandes guerras

mundiais

1914 a 1945

Fase moderna Do pós-guerra até a atualidade

1945 a 1980

Fase da globalização Momento atual Após 1980

Origens do pensamento administrativo: Ano Autor Contribuição 177

6 Adam Smith

. Aplicação do Princípio da Especialização aos Operários; · Controle; · Remuneração.

180 0

James Watt Matthew Boulton

Padronização dos Procedimentos Operativos; · Especificações; · Métodos de Trabalho; · Planejamento; · Incentivos de Remuneração; · Tempo Standard; · Festas de Natal para Empregados; · Bonificações de Natal; · Seguro de Vida em Grupo para Operários; · Uso da Auditoria.

181 0

Robert Owen

Necessidade de Práticas em Administração de Pessoal; · Treinamento de Operários; · Grupos de casa operária, higienicamente construídas.

Origens do pensamento administrativo: Ano Autor Contribuição 182

0 James Mill Análise dos Movimentos Humanos.

183 2

Charles Babbage

. Ênfase no Método Científico; · Especialização; · Divisão de Trabalho; · Estudo de Tempos e Movimentos; · Contabilidade de Custos; · Efeito das diversas cores sobre a fadiga e a eficiência.

183 5

Marshall, Laughin e

outros

Reconhecimento e discussão da importância das Funções Administrativas.

185 0

Mill e outros

. Amplitude de Controle; · Unidade de Comando; · Controle de Mão-de-obra e dos Materiais; · Especialização e Divisão do Trabalho; · Incentivos Salariais.

185 5

Henry Poor

Princípios de Organização, Comunicação e Informação Aplicados às Ferrovias.

Origens do pensamento administrativo: Ano Autor Contribuição 185 6

Daniel McCallum

· Uso do Organograma para mostrar a Estrutura Administrativa; · Administração Sistemática de Ferrovia.

187 1

William .S.Jevons

. Estudo de Movimentos; · Estudo do efeito de diferentes ferramentas usadas pelo operário; · Estudo da Fadiga.

188 6

Henry Metcalfe Henry Towne

· A Arte e a Ciência na Administração; · Filosofia Administrativa.

189 1

Frederick Halsey

Plano de Prêmios no Pagamento de Salários.

190 0

Frederick Taylor

Administração Científica

Evolução das Teorias da Administração

As fases da história das empresas e da teoria administrativa:

ANOS FASES DAS EMPRESAS

TEORIAS ADMINISTRATIVAS PREDOMINANTES

Até 1780 Artesanal 1780 / 1860 1ª Revolução

Industrial: início da

industrialização 1860 / 1914 2ª Revolução

Industrial: Desenvolvimento

industrial

Ênfase nas tarefas Administraçã o Científica

1914 / 1945 As 2 Grandes Guerras:

Gigantismo industrial

. Ênfase na Estrutura Organizacional; . Ênfase nas Pessoas.

Teoria Clássica e Teoria Neoclássica Teoria das Relações Humanas

As fases da história das empresas e da teoria administrativa:

ANOS FASES DAS EMPRESAS

TEORIAS ADMINISTRATIVAS PREDOMINANTES

1945 / 1980 Pós-guerra : fase moderna

. Ênfase na Estrutura . Organizacional; . Ênfase nas Pessoas; . Ênfase na Tecnologia; . Ênfase no Ambiente

. Teoria Neoclássica, .Teoria da Burocracia e .Teoria Estruturalista. .Teoria Comportamenta l .Teoria da Contingência .Teoria da Contingência

Após 1980 Momento atual: globalização

Ênfase no Ambiente Teoria da Contingência

Características da Administração Científica

A improvisação e o empirismo devem ser substituídos pelo planejamento e pela ciência;

Para se aumentar a eficiência da empresa, deve-se começar pela eficiência de cada empregado. Ao invés de deixar o empregado escolher sua maneira pessoal de trabalhar, a administração é quem deve planejar o método – isto é, a melhor maneira – de executar a tarefa. O método de trabalho deve ser planejado através da técnica do estudo de tempos e movimento;

Taylor recorreu ao incentivo salarial, ou prêmio de produção. Sua convicção era de que as pessoas vão trabalhar exclusivamente para ganhar o salário e que a melhor maneira de incentivá-las.

Administração Científica Teóricos como Taylor, Ford, Fayol, Mayo, Weber, entre outros, contribuíram com o desenho que muitas organizações apresentam. Desde 1903, a administração passa a ter uma posição importante e essencial para o crescimento das organizações.

Como foi visto, o enfoque nas tarefas se origina do trabalho do engenheiro americano Frederick W.Taylor, que é considerado o fundador da chamada Administração Científica.

Taylor deu o primeiro impulso na tentativa de fazer da Administração uma verdadeira ciência, publicando suas idéias em 1911 no livro “Princípios de Administração Científica”.

Ali se estabelece que “o principal objetivo da administração deve ser o de assegurar o máximo de prosperidade ao patrão e, ao mesmo tempo, o máximo de prosperidade ao empregado”.

Taylorismo Frederick Winslow Taylor (1856-1915) – Filadélfia (EUA) Fundador da administração Científica Família Quaker: princípios rígidos, educado com disciplina,

devoção ao trabalho, poupança. Início da carreira: operário da Midvale Steel Co., capataz e

contramestre. Situação da época: sistema de pagamento por peça ou por tarefa,

patrão fixava ao máximo o preço da tarefa, operários reduziam o ritmo da produção para contrabalancear o pagamento.

Taylor estudou o problema da produção – solução para atender os patrões e empregados.

Patenteou várias invenções. A seguir trabalhou numa fábrica de papel e prosseguiu suas atividades profissionais na Bethlehem Steel, uma grande siderúrgica. Trabalhou também como consultor.

 A partir dos trabalhos como consultor, teorizou a Administração Científica. Os aspectos mais importantes da teoria são:

redução dos custos de produção; condições apropriadas de trabalho; contribuiu para o desenvolvimento das cidades; método científico para a realização das tarefas; supervisão e orientação dos trabalhos; divisão do trabalho pela especialização; estudo dos tempos e movimentos.

1º Fase de Taylor Shop Management (1903) – técnicas de racionalização do

trabalho – TEMPOS E MOVIMENTOS (motion-time Study). Iniciou no nível operacional – análise das tarefas, decompondo

seus movimentos e processos, aperfeiçoar e racionalizar. Pagamento para aumento da produção. Shop Management: (Gerenciamento de Loja) Pagar salários melhores e reduzir custos unitários. Aplicação de métodos científicos de pesquisa – experimentos –

princípios e processos padronizados – controle. Seleção científica e condições adequadas. Treinamento científico – aperfeiçoar aptidões. Atmosfera íntima e cordial.

2º Fase de Taylor: Princípios da Administração Científica (1911) – administração científica –

estruturação geral. Males que as indústrias padeciam: Vadiagem sistemática. Desconhecimento das rotinas e do tempo para realização, pela gerência. Falta de uniformidade das técnicas e métodos de trabalho. Como resolver esse problema? Administração Científica Evolução e não uma teoria (segundo Taylor), gradual – 5anos. 75% análise e 25% bom senso.

“Ciência no lugar do empirismo, harmonia em vez de discórdia, cooperação e não-individualismo, rendimento máximo em lugar de produção reduzida, desenvolvimento de cada homem a fim de alcançar maior eficiência e prosperidade.”

Modelo inspirador – TERMODINÂMICA DE N. CARNOT = maximização da eficiência industrial depende da maximização da eficiência de cada uma das tarefas elementares: a melhoria da eficiência de cada operário conduz à melhoria em toda a empresa.

Organização Racional do Trabalho (ORT) – tentativa de substituir métodos empíricos e rudimentares pelos métodos científicos:

Análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos; Estudo da fadiga humana; Divisão do trabalho e especialização do operário; Desenho de cargos e de tarefas;  Incentivos salariais e prêmios de produção; Conceito de homo economicus (O Incentivo Monetario); Condições ambientais; Padronização de métodos e máquinas; Supervisão funcional. THERBLIGS: Redução de movimentos TAREFAS: atividade executada CARGO: conjunto de tarefa DESENHAR UM CARGO: especificar seu conteúdo, método e relações. TEMPO-PADRÃO: tempo médio necessário para o operário realiza a tarefa –

100% Elevação do padrão de vida americano.

Princípios da Administração Científica - Taylor Planejamento Preparo Controle Execução

Os seguidores das idéias de Taylor Harrington Emerson (1853-1931) – Um dos principais auxiliares de Taylor – Engenheiro - popularizou a Administração Cientifica, desenvolveu os primeiros trabalhos sobre seleção e treinamento de empregados. Idealizou 12 princípios para eficiência.

Os 12 princípios sobre seleção e treinamento de empregados para eficiência, idealizados por Emerson:

1. Traçar um plano objetivo e bem definido, de acordo com os ideais; 2.Estabelecer o predomínio do bom senso; 3.Manter orientação e supervisão competentes; 4.Manter disciplina; 5. Manter honestidade nos acordos; 6. Manter registros precisos imediatos e adequados; 7. Fixar remuneração proporcional ao trabalho; 8. Fixar normas padronizadas para as condições do trabalho; 9. Fixar normas padronizadas para o trabalho; 10. Fixar normas padronizadas para as operações; 11. Estabelecer instruções precisas; 12. Fixar incentivos eficientes ao maior rendimento e à eficiência.

Henry Ford (1863-1947) – Engenheiro – Fundou a Ford Motor . Revolucionou a estratégia comercial da sua época. Fabricou o primeiro carro popular, Criou um plano de vendas.

Criou a assistência técnica de grande alcance. Repartiu, em 1914, parte do controle acionário da empresa com os funcionários. Estabeleceu salário mínimo de US5,00 por dia de trabalho com jornada diária de 8 horas.

Em 1926 empregava 150.000 pessoas e fabricava 2.000.000 de carros por ano. Produzia desde a matéria prima inicial ao produto final acabado.

Criou a distribuição através de agências próprias. Idealizou a linha de montagem, com produção em série, padronizada e de custo mais baixo. Ford Adotou três princípios básicos:

Fordismo

Ford Adotou três princípios básicos:

1. Princípio da intensificação: Consiste em diminuir o tempo de produção com o emprego imediato dos equipamentos e da matéria- prima e a rápida colocação do produto no mercado;

2. Principio da economicidade: Consiste em reduzir ao mínimo o volume do estoque da matéria-prima em transformação. Assim Ford conseguiu fabricar um trator ou um automóvel, vende-lo e recebe-lo antes do vencimento da matéria prima empregada na fabricação e do pagamento dos salários. Segundo Ford a velocidade de fabricação deve ser rápida. O minério sai da mina Sábado e entregue sob forma de carro na Terça feira a tarde;

3. Principio de produtividade: Consiste em aumentar a capacidade de produção do homem através da especialização da linha de montagem.

Henry Ford (1863-1947) – mecânico 1899 – modelo de carro 1ª fábrica de automóveis 1903 – Ford Motor Co. popularizou um produto artesanal (milionários), assistência técnica garantida;

1905-1910 – produção em massa – GRANDE INOVAÇÃO DO SÉCULO XX. Maior número de produtos acabados com maior garantia de qualidade e pelo menor custo; 1913 – 800 carros por dia; 1914 – repartiu o controle acionário com empregados, salário mínimo de 5 dólares por dia. 8 horas de trabalho.

1926 – 88 fábricas – 150.000 empregados – 2.000.000 carros por ano.

Concentração vertical – produzindo desde a matéria-prima ao produto final. Concentração horizontal – cadeia de suprimentos/distribuição pro meio de agências próprias. Intensificação – diminuir TEMPO. Economicidade – reduzir VOLUME. Produtividade – aumentar a PRODUÇÃO. Exceção – preocupação com as ocorrências que se afastam do padrão.

Críticas à Administração Científica

1.Mecanicismo – tarefas, cargos e funções. “arranjo rígido e estático de peças”, “Teoria da máquina”. 2.Superespecialização dos operários – privam os operários da satisfação no trabalho, violam a dignidade humana. 3.Visão microscópica do homem. 4.Ausência de comprovação científica – evidências 5.Abordagem incompleta da organização (aspectos formais) 6.Limitação do campo de aplicação.

Fordismo e sua contribuição para a administração atual.

Fordismo, termo criado por Antonio Gramsciem 1922, refere-se aos sistemas de produção em massa e gestão idealizados em 1913 pelo empresário Henry Ford.

Trata-se de uma forma de racionalização da produção capitalista baseada em inovações técnicas e organizacionais que se articulam tendo em vista, de um lado a produção em massa e, do outro, o consumo em massa.

Ou seja, esse "conjunto de mudanças nos processos de trabalho (semi- automatização, linhas de montagem)" é intimamente vinculado as novas formas de consumo social.

Fordismo e sua contribuição para a administração atual.

Esse modelo revolucionou a indústria automobilística a partir de janeiro de 1914, quando Ford introduziu a primeira linha de montagem automatizada.

Ele seguiu à risca os princípios de padronização e simplificação de Taylor e desenvolveu outras técnicas avançadas para a época.

Suas fábricas eram totalmente verticalizadas. Ele possuía desde a fábrica de vidros, a plantação de seringueiras, até a siderúrgica.

De fato, Ford criou o mercado de massa para os automóveis. Sua obsessão era tornar o automóvel tão barato que todos poderiam comprá-lo.

Uma das principais características do fordismo foi o aperfeiçoamento da linha de montagem.

Fordismo e sua contribuição para a administração atual.

O método de produção fordista exigia vultosos investimentos em máquinas e instalações, mas permitiu que a Ford produzisse mais de 2 milhões de carros por ano, durante a década de 1920.

O veículo pioneiro produzido segundo o sistema fordista foi o mítico Ford Modelo T, mais conhecido no Brasi como "Ford Bigode".

Juntamente com o sucesso das vendas do modelo "T" e do fordismo, criou-se o chamado ciclo da prosperidadeque mudaria a economia dos Estados Unidos e a vida de muitos americanos da época.

Muitos outros setores, como o têxtil, siderúrgico, energético (combustível), entre tantos outros, foram afetados direta ou indiretamente pelo desenvolvimento da indústria automobilística e tiveram um crescimento substancial.

Fordismo e sua contribuição para a administração atual.

Mais rodovias foram construídas, propiciando maior facilidade de locomoção da população e dando lugar ao surgimento de novos polos comerciais ao longo de sua extensão.

A rigidez deste modelo de gestão industrial foi a causa do seu declínio. Ficou famosa a frase de Ford, que dizia que poderiam ser produzidos automóveis de qualquer cor, desde que fossem pretos.

Isto porque a tinta preta secava mais rapidamente, e os carros poderiam ser montados em menos tempo.

comentários (1)
Excelente didática.

Esta é apenas uma pré-visualização

3 shown on 37 pages

baixar o documento