PROJETOS DE M...E EDIFICAÇÕES - 06 materiais para confec??o de maquetes, Manuais, Projetos, Pesquisas de Física
luis-carlos-menezes-victor-1
luis-carlos-menezes-victor-1

PROJETOS DE M...E EDIFICAÇÕES - 06 materiais para confec??o de maquetes, Manuais, Projetos, Pesquisas de Física

14 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
CURSO DE PROJETOS DE MAQUETES DE EDIFICAÇÕES
60 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 14
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
UFJF_DISCIPLINAS_MAQUETE_20111_AULA02b_Materiais para Maquetes_v00 [Modo de Compatibilidade]

1

1

Materiais para Maquetes

Materiais para maquetes. Disponível em: <http://www.tokecrie.com.br/imagens/ideias/18/0-0.jpg>. Acesso em 13 jan.

2011.

2

Tipos de Materiais

1.Papéis

2.Plásticos (Polímeros)

3.Madeiras e Fibras

4.EPS (Poliestireno Expandido)

5.Borrachas

6.Metais

7.Tecidos

8.Gesso e Massas para modelagem

9.Tintas e vernizes

10.Fitas adesivas e colas

11.Blocos para escultura

3

1.Papéis

Os papéis são produzidos a partir da união de fibras vegetais com outros materiais como colas e pigmentos.

Eles são largamente empregados na confecção de maquetes.

Não exigem ferramentas sofisticadas e são encontrados em grande variedade de composição, acabamentos e gramatura.

A gramatura é a relação do peso do papel sobre uma determinada superfície; em geral gramas por metro quadrado (g/m²). Um papel de maior gramatura pesa mais e é mais grosso que um papel de gramatura mais baixa. Os papéis costumam ter uma gramatura inferior a 200g/m². Os papéis comuns, como, por exemplo, as folhas de sulfite para impressoras, possuem uma gramatura que varia entre 75g/m² a 90g/m².

Os papéis podem ser comprados em formas de rolos, blocos ou folhas de diversos tamanhos.

4

Tamanho das folhas

As folhas devem seguir os mesmos padrões do desenho técnico.

No Brasil, a ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) adota o padrão ISO (International Organization for Standardization):

usa-se um módulo de 1 m² (um metro quadrado) cujas dimensões seguem uma proporção equivalente a raiz quadrada de 2 (841 x 1189 mm).

841 x 1,4142... = 1.189,...

Esta é a chamada folha A0 (a-zero).

A partir desta, obtém-se múltiplos e submúltiplos (a folha A1 corresponde à metade da A0, assim como a A0 corresponde ao dobro daquela.

Formato A0. Disponível em: <http://www.ciep.uevora.pt/eps/assets/poster.gi f>. Acesso em 13 fev. 2011.

5

Tamanho das folhas

A maioria dos escritórios utiliza predominantemente os formatos A1 e A0, devido à escala dos desenhos e à quantidade de informação.

Os formatos menores em geral são destinados a desenhos ilustrativos, catálogos, etc.

Apesar da normatização incentivar o uso das folhas padronizadas, é muito comum que os desenhistas considerem que o módulo básico seja a folha A4 ao invés da A0.

Isto costuma se deve ao fato de que qualquer folha obtida a partir desde módulo pode ser dobrada e encaixada em uma pasta neste tamanho, normalmente exigida pelos órgãos públicos de aprovação de projetos.

6

Tamanho das folhas (em mm)

A4 210 X 297

A3 297 X 420

A2 420 X 594

A1 594 X 841

A0 841 X 1189

Formatos. Disponível em: <http://artesfinais.com/wp- content/uploads/2009/05/300px-a-size-

2

7

1.Papéis

1.1.Papel cartão

1.2.Papel Duplex

1.3.Papel Triplex

1.4.Papel Paraná ou Papel Madeira

1.5.Paraná Cinza

1.6.Papelão ondulado ou corrugado

1.7.Papel ondulado

1.8. Papel Foam, Papel Pluma, Cartão colaminado

1.9.Papel manteiga

1.10.Papel vegetal

1.11.Cartolina

1.12.Colorplus

1.13.Canson

1.14.Papel Vergê

1.15.Papel Camurça

1.16.Papel Kraft

8

1.1.Papel cartão

O papel cartão é um produto resultante da união de várias camadas de papel e sobrepostas, iguais ou distintas, que se adere por compressão. Nessas camadas podem ser utilizados celulose virgem (recursos renováveis) e materiais celulósicos recicláveis.

Independente do tipo, o papel cartão é fabricado na faixa de gramatura de 200 a 500 g/m2, com ou sem revestimento superficial. Os papéis Duplex e Triplex são exemplos de papel cartão.

Disponível em: <http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRljpcbSJ2cMP1txT2Q3iVyAH -tJ-RYrwap9cKrTh9f_pBBxqLf>. Acesso em: 29 dez. 2010.

9

1.2.Papel Duplex

Possui maior resistência que o papel cartão e maior diversidade de gramatura. Apresenta uma face branca brilhante e outra bege (parda).

Disponível em: <http://www.centraladvance.com.br/mini.php?end=imgs_site/advance_201 00706130423_912.JPG&largura=320&altura=320>. Acesso em: 29 dez. 2010.

10

1.3.Papel Triplex

Semelhante ao papel Duplex, porém apresenta uma face branca brilhante e outra branca e fosca.

Disponível em: <http://4.bp.blogspot.com/_YXjRWgzVR3M/Sl9ah22rLpI/AAAAAAAAAPk/t 5uO865gGmk/s1600/DSC00831.JPG>. Acesso em: 29 dez. 2010.

11

1.4.Papel Paraná ou Papel Madeira

Tipo de papelão largamente utilizado na confecção de caixas de sapatos, enfeites etc.

Apresenta cor amarelada e textura áspera, o que dificulta um bom resultado no acabamento.

É vendido em placas com espessuras variadas por um preço baixo.

Disponível em: <http://www.fabio.dreamhosters.com/rc/DSC07489.JPG>. Acesso em: 29 dez. 2010.

12

1.5.Paraná Cinza ou Papelão cinza

Apresenta cor acinzentada e textura bem menos áspera que o papelão Paraná.

Composto a partir de aparas recicladas.

Também é vendido em placas.

Disponível em: <http://3.bp.blogspot.com/_4KGJkKMzfc4/TOafQzFusKI/AAAAAAAAASw/ X-cHIXxN_B8/s1600/IMG_4012.JPG>. Acesso em: 29 dez. 2010.

3

13

1.6.Papelão ondulado ou corrugado

O papelão é um tipo mais grosso e resistente de papel, geralmente utilizado na fabricação de caixas, podendo ser liso ou enrugado.

O papelão ondulado geralmente é composto por capa interna, miolo e capa externa.

Disponível em: <http://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/d/d8/Corrugated_ board_B_C_E_and_F_flute.JPG/800px- Corrugated_board_B_C_E_and_F_flute.JPG>. Acesso em: 29 dez. 2010.

14

1.7.Papel ondulado (colorido)

Um pouco menos resistente que o papelão, mas com acabamentos de diversas cores e estampas.

Disponível em: <http://img.alibaba.com/photo/222919909/corrugated_paper.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

15

1.8. Papel foam, Papel pluma, Cartão colaminado

Placa de poliestireno ou de espuma de poliuretano revestido com cartolina nas duas faces.

Leve e rígido.

Geralmente encontramos o papel pluma com espessura de 5mm e na cor branca (tanto a cartolina quanto a espuma).

Disponível em: <http://toywing.com.br/images/stories/depron.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

16

1.9.Papel manteiga

É um papel branco e translúcido, vendido em rolos ou folhas.

Também utilizado para fins culinários.

É mais barato que o papel vegetal.

Disponível em: <http://farm3.static.flickr.com/2441/4085625809_3eaf5fd354.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

17

1.10.Papel vegetal

É mais caro e de melhor qualidade que o papel manteiga, portanto mais translúcido.

Ele é usado para desenhos técnicos ou para cópia de desenhos, podendo ser colocado sobre alguma superfície desenhada, como um projeto de engenharia, e então copiada, utilizando-se, por exemplo, tinta nanquim.

Disponível em: <http://www.papeldepapel.com.br/media/catalog/product/cache/1/image/5 e06319eda06f020e43594a9c230972d/p/a/papel_vegetal_4_1.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

18

1.11.Cartolina

Produzida por massa única (mono camada) com ou sem revestimento superficial.

Papel de maior gramatura (maior que 200g/m²).

É liso e encontrado em várias cores, geralmente em tons mais claros.

Disponível em: <http://www.gbmillennium.com.br/papeis/imagens/quadro_cartolina.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

4

19

1.12.Colorplus

Apesar de não apresentar textura, esta linha de papel possui cores mais “vivas” que as cartolinas comuns.

Disponível em: <http://www.artinvitte.com.br/imagens/colorplus.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

20

1.13.Canson

Esta é a marca de uma linha completa de papéis para trabalhos artísticos.

Possuem textura diferenciada e enorme variedade de cores.

Porém são bastante caros.

Disponível em: <http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:BZY7TMNOXbmhLM:http://nxpblog.to wersystems.com.au/wp-content/uploads/2008/02/reservoir-canson- feb08.jpg&t=1>. Acesso em: 29 dez. 2010.

21

1.14.Papel Vergê

É um tipo de papel mais duro e grosso que o papel sulfite, porém mais macio e fino que a cartolina.

Sua textura é levemente rugosa o torna ideal para desenhos feitos a lápis grafite ou colorido.

O papel vergê é também usado para a confecção de convites de casamento.

Disponível em: <http://www.artinvitte.com.br/imagens/verge.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

22

1.15.Papel Camurça

Possui uma face com textura aveludada, semelhante uma camurça.

Pode ser utilizado na simulação de gramado de jardins, carpete etc.

Disponível em: <http://www.smpapelaria.com.br/imagens/papel+camurca+realce+folha+v erde-130a-200-200.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

23

1.16.Papel Kraft

É um papel pardo, geralmente utilizado em maquetes monocromáticas.

Disponível em: <http://www.elo7.com.br/pp/sacolas-em-papel-kraft- 15x24x7-pct-c-10-38A45.jpg>. Acesso em: 29 dez. 2010.

24

2.Plásticos (Polímeros)

Os plásticos são empregados de diversas formas nas maquetes.

Há maquetes que são realizadas inteiramente em acrílico, no entanto, elas são muito caras.

2.1.Acrílico

2.2.Acetatos

2.3.Placas de PVC (Policloreto de Vinila)

5

25

2.1.Acrílico

Também é chamado de vidro acrílico.

É rígido e incolor.

Também pode ser considerado um dos polímeros (plásticos) mais modernos e com maior qualidade do mercado, por sua facilidade de adquirir formas, por sua leveza e alta resistência.

Disponível em: <http://www.reformafacil.com.br/wp- content/uploads/chapas.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

26

2.2.Acetatos

Os acetatos plásticos são utilizados, por exemplo, para representar os vidros.

Geralmente são comprados a metro.

Pode-se também utilizar as folhas de transparências. Há transparências específicas para impressões a jato de tinta que pode ser muito bem empregadas nas maquetes.

Disponível em <http://www.workgraphrio.com.br/produtos/imagens/g_acetato-185px.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

27

2.3.Placas de PVC (Policloreto de Vinila)

Encontramos no mercado placas de PVC que são utilizadas na produção de maquetes.

Elas são relativamente fáceis de serem cortadas e coladas, garantindo um bom acabamento da maquete.

Disponível em <http://www.serilon.com.br/img/products/chapas-pvc- expandido_4_800.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

28

3.Madeiras e Fibras

As madeiras estão presentes na confecção das maquetes, geralmente, nas bases. Há um tipo de madeira que serve muito bem para a produção de maquetes que é a madeira balsa.

As fibras também podem ser empregadas, por exemplo, na confecção de vegetação.

3.1.Compensado laminado

3.2.Compensado sarrafeado

3.3.Aglomerado

3.4.MDF (Medium Density Fiberboard - Fibra de Média Densidade)

3.5.Madeira Balsa

3.6.Cortiças

3.7.Serragem

3.8.Bucha (esponja) vegetal

29

3.1.Compensado laminado

É feito com lâminas de madeira, em geral de pinus ou de virola, coladas e prensadas para formar chapas com espessura de 4 a 20mm.

Tem boa resistência mecânica.

Disponível em <http://4.bp.blogspot.com/_1040vbZgmFc/TBLiUJaHzdI/AAAAAAAAACI/Q f9rkDrCMqo/s400/compensado+laminado_01.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

30

3.2.Compensado sarrafeado

As lâminas internas são coladas em um sentido e a chapa externa é prensada em sentido diferente, o que deixa a placa mais resistente.

Disponível em <http://macopa.com.br/images/foto_sarrafeado.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

6

31

3.3.Aglomerado

É um painel feito com partículas de pinus aglutinadas com adesivo sintético, uma espécie de cola.

Tem pouca durabilidade e nenhuma resistência à umidade.

Disponível em <http://syplac.com/imagenes/aglomerado_desnudo.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

32

3.4.MDF (Medium Density Fiberboard - Fibra de Média Densidade)

É uma chapa de fibra de madeira com densidade média.

É um aglomerado sofisticado, composto de fibras de pinus mais resistentes e compactadas com resina à alta pressão.

É um produto mais resistente e com textura mais uniforme que os compensados e aglomerados.

Disponível em: <http://1.bp.blogspot.com/_1z8A03k6cbc/S75Ov_r54aI/AAAAAAAABwA/w tTAGVw58Fw/s400/mdf2.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

33

3.5.Madeira Balsa

É leve e facilmente pode ser cortada.

Muito utilizada em aeromodelismo.

Sua maior limitação está no tamanho das placas cuja largura não excede a 15cm, obrigando a realização de emendas.

Disponível em <http://www.hobbylagos.com/store/images/balsa.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

34

3.6.Cortiças

A cortiça é a casca do sobreiro (Quercus Suber L), uma árvore nobre com características muito especiais e que cresce nas regiões mediterrânicas como Espanha, Itália, França, Marrocos, Argélia e, sobretudo, Portugal.

Disponível em: <http://www.formilaminas.com.br/imgdin/prod/tn_cortiça.JPG>. Acesso em: 08 jan. 2011.

35

3.7.Serragem

As serragens, geralmente peneiradas, servem para representar grama nas maquetes.

Podem ser tingidas ou utilizadas naturalmente em maquetes monocromáticas (tons de madeira; marrom).

Disponível em: <http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQHaGw9xLLaT2KpfzQNTtz3 N6SDlwwt5WWuXFjyje2U00T6B0kGgw>. Acesso em: 08 jan. 2011.

36

3.8.Bucha (esponja) vegetal

A bucha vegetal é fruto de uma trepadeira conhecida pelo mesmo nome.

Essa fibra natural que possui diferentes propriedades (isolante térmico e acústico, pouco inflamável e de grande compactação), se apresenta como esponjas nas diferentes formas dos frutos da planta Luffa Aegyptiaca, originária da Ásia e trazida ao Brasil com a cultura africana.

Ela é muito utilizada para confecção de árvores, especialmente em maquetes monocromáticas.

Disponível em: <http://t3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcT7ggmXsjUhmKMbzyMOXNk tm9Ym8_JR5ae8EhNjPRVcBeCiugzuow>. Acesso em: 08 jan. 2011.

7

37

4.EPS (Poliestireno Expandido)

Material com propriedades características.

Vendidos em diversos formatos e tamanhos (placas, grãos, esferas, cones, cilindros etc.).

Mais conhecido pela marca Isopor.

É reciclável, inodoro e não mofa.

38

5.Borrachas

São diversas as possibilidades de aplicação de materiais emborrachados.

A borracha mais conhecida é a EVA.

5.1.Borracha EVA (Etil Vinil Acetato)

39

5.1.Borracha EVA (Etil Vinil Acetato)

A borracha EVA é uma mistura de alta tecnologia de Etil, Vinil e Acetato.

Conhecido entre artesãos e artistas, como EVA, o Etil Vinil Acetato é aquela borracha não-tóxica que pode ser aplicada em diversas atividades artesanais.

Disponível em: <http://papelariakobrasol.com.br/imagem/produto/eva%20simples.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

40

6.Metais

Também são diversas as possibilidades de aplicação de metais em maquetes.

Geralmente as formas de matais mais empregadas são os fios e as malhas.

Os alfinetes também são muito utilizados.

6.1.Arames

6.2.Telas metálicas

6.3.Folhas (chapas) de metal

41

6.1.Arames

Os metais mais utilizados na produção de maquetes são, geralmente, os arames, que são fios de latão, ferro ou cobre.

Disponível em: <http://gold.br.inter.net/lacre/fotos/arame01.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

42

6.2.Telas metálicas

As telas são encontradas com diferentes aberturas, variando desde as de malha mais fechadas até as bem abertas como aquelas utilizadas em galinheiros.

Disponível em: <http://www.eurocentro.com.br/costacurta/tramas.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

8

43

6.3.Folhas (chapas) de metal

Encontramos à venda folhas (bastante finas) metálicas que podem ser empregadas na confecção de maquetes.

Essas folhas simulam o uso de revestimentos metálicos, tal como o aço corten ou placas de alumínio (tal como Alucobond).

Às vezes, em maquetes, essas folhas metálicas são substituídas por folhas de papel (ou papelão) revestidas com pintura metálica.

Disponível em: <http://juntaslgt.com.br/images/stories/placas-lgt-flex.jpg>. Acesso em: 08 jan. 2011.

44

7.Tecidos

Os tecidos são empregados, geralmente, para simular as lonas empregadas em coberturas com estrutura tencionada.

Curso de Arquitetura e Urbanismo ● História da Arquitetura e do Urbanismo I ● professor: Frederico BraidaCurso de Arquitetura e Urbanismo ● Maquetes de Arquitetura e do Urbanismo ● professor: Frederico Braida 2011/1

45

8.Gesso e Massas para modelagem

São materiais utilizados para a modelagem e fabricação de esculturas.

8.1.Gesso

8.2.Papel Maché

8.3.Massa corrida

8.4.Massa de biscuit (ou porcelana fria)

8.5.Massa Epóxi

8.6.Massinha de modelar

8.7.Argila

Curso de Arquitetura e Urbanismo ● História da Arquitetura e do Urbanismo I ● professor: Frederico BraidaCurso de Arquitetura e Urbanismo ● Maquetes de Arquitetura e do Urbanismo ● professor: Frederico Braida 2011/1

46

8.1.Gesso

O gesso é, geralmente, empregado na base das maquetes, para acertar o terreno.

Às vezes substitui-se o gesso por massa acrílica, pois é mais elástica que o gesso.

O gesso pode ser comprado em pó ou podem-se utilizar ataduras de gesso (quando se compra uma atadura de crepom e gesso).

Disponível em: <http://www.fazfacil.com.br/images/gesso2.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

47

8.2.Papel Maché

Não se trata de um papel, mas de uma massa de papel para fins de modelagem.

Pode-se comprar pronto ou fazer a partir da reciclagem de papel.

Disponível em: <http://www.spmodelismo.com.br/howto/dm/marche- 01.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

48

8.3.Massa corrida

Pode ser utilizada para o nivelamento de algumas superfícies antes da aplicação da camada de tinta.

Disponível em: <http://mdemulher.abril.com.br/imagem/casa/interna- slideshow/restaurar-parede-01-vivamais-467.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

9

49

8.4.Massa de biscuit (ou porcelana fria)

Tipo de massa feita a partir da mistura de amido de milho, cola branca para porcelana fria, limão ou vinagre e vaselina.

Pode ser caseira ou já comprada pronta em lojas de artesanato.

É também conhecida como porcelana fria, pois não precisa ser cozida em forno, pois seca em contato com o ar.

Disponível em: < http://4.bp.blogspot.com/_HSMhUTvp0SY/TKf1fCPBSLI/AAAAAAAABEI/E MdkCNGpGGo/s1600/massa+biscuit.jpg >. Acesso em: 09 jan. 2011.

50

8.5.Massa Epóxi

É a resina epóxi conhecida pela variedade de materiais que é capaz de soldar: madeiras, metais, cerâmicas, plásticos, cimento, mármore, granito.

Ela pode ser utilizada para moldar trabalhos artísticos. A marca mais conhecida é o Durepoxi.

Disponível em: <http://www.obraweb.com.br/imagens/products/g/0/0/001152.jpg >. Acesso em: 09 jan. 2011.

51

8.6.Massinha de modelar

É um material moldável, plástico, que existe em várias cores sendo sua utilização muito apreciada na confecção de personagens e cenários de animações.

Uma característica é que não endurece com o passar do tempo.

Disponível em: <http://www.papelariapaula.com.br/fotos/massa.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

52

8.7.Argila

É uma massa formada a partir da decomposição de rochas durante muitos anos.

Ela é plástica e, após a secagem, endurece e mantém a forma.

Para ganhar resistência, ela deve ser queimada em forno específico.

Uma inconveniência é que, ao secar, ela reduz seu volume.

Disponível em: <http://t2.gstatic.com/images?q=tbn:DI4mgDcUCdoVwM:http://www.acasa doartista.com.br/loja/produto/4/222/180/17/0/0/escultura/argila/colorgil/ima ges/tipo_de_produto/192/colorgil/argila.jpg&t=1>. Acesso em: 09 jan. 2011.

53

9.Tintas e vernizes

Em maquetes são empregadas as tintas imobiliárias e as artesanais.

9.1.Tinta látex (PVA)

9.2.Esmalte sintético

9.3.Vernizes

9.4.Tinta acrílica

9.5.Tinta plástica

9.6.Tinta óleo

9.7.Tinta guache

9.8.Anilina

54

9.1.Tinta látex (PVA)

O látex é uma tinta a base de acetato de polivinila (PVA) utilizada em pintura de alvenaria.

É solúvel em água e proporciona um acabamento fosco aveludado à superfície.

Disponível em: <http://www.mardastintas.com.br/e- business/imagesprodutos/MAXX%203,6L.png>. Acesso em: 09 jan. 2011.

10

55

9.2.Esmalte sintético

É a tinta utilizada em pintura de superfícies de madeira e ferro.

É solúvel em aguarrás e apresenta três tipos de acabamento: fosco, acetinado e brilhante.

Disponível em: < http://www.resultson.com.br/site/wp- content/uploads/2009/03/esmalte-sintetico-coralit-3.jpg >. Acesso em: 09

56

9.3.Vernizes

São conhecidos por sua aplicação em superfícies de madeira.

Eles proporcionam proteção da superfície, intensificação ou mudança na cor da madeira.

O mais utilizado é o verniz poliuretano que, apesar de incolor, proporciona uma cor amarelada à superfície.

Apresenta acabamento fosco e brilhante e pode ser encontrado já pigmentado.

Disponível em: < http://www.colegiodearquitetos.com.br/dicionario/wp- content/uploads/2009/02/verniz.jpg >. Acesso em: 09 jan. 2011.

57

9.4.Tinta acrílica

É fabricada a base de resina acrílica e apresenta acabamento fosco e brilhante.

Podem ser encontradas em embalagens pequenas e em diversas cores, inclusive metálicas.

Disponível em: <http://byfiles.storage.live.com/y1p4tHpeShtYsmrbdFnz3E6xndka0miuw- i2aJsUahlQE2EFGRVE2JI0bwRBo7McR--UZqqLL_f3LE >. Acesso em: 09 jan. 2011.

58

9.5.Tinta plástica

É uma tinta artesanal produzida à base de resina PVA.

Disponível em: < http://www.crisart.com.br/img/upload/produtos/1006/img- tinta-plastica.jpg >. Acesso em: 09 jan. 2011.

59

9.6.Tinta óleo

Elas são tintas tóxicas, portanto, devem ser evitadas.

Disponível em: < http://www.solostocks.com.br/img/tinta-oleo-cristal-color- 73066n0.jpg >. Acesso em: 09 jan. 2011.

60

9.7.Tinta guache

São tintas baratas, à base de água, que podem ser largamente utilizadas nas maquetes.

Disponível em: <http://www.kalunga.com.br/_images/FotosdeProdutos/704267.jpg >. Acesso em: 09 jan. 2011.

11

61

9.8.Anilina

São pigmentos que podem ser misturados ao álcool para tingir, por exemplo, a serragem utilizada para representar grama.

Disponível em: <http://www.loucarte.com.br/produt/anilina.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

62

10.Fitas adesivas e colas

São utilizadas de acordo com os diferentes materiais que se pretende unir.

Também variam de acordo com a resistência, tempo de secagem, facilidade de manuseio e quantidade de material disponível.

10.1.Fita adesiva transparente 10.2.Fita crepe 10.3.Fita dupla face 10.4.Cola branca 10.5.Cola de contato (adesivo de contato) 10.6.Adesivo instantâneo 10.7.Cola quente 10.8.Cola para EPS 10.9.Adesivo em spray

63

10.1.Fita adesiva transparente

É uma das mais resistentes, mas sua cola deixa marcas nas superfícies.

A marca mais conhecida é Durex.

Disponível em: <http://www.papelariareal.com.br/config/imagens_conteudo/produtos/imag ensGRD/GRD_1445_3m-solucoes-para-embalagens-fita-adesiva-de- bopp-fitas-adesivas-de-bopp-durex-500-505252-FGR.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

64

10.2.Fita crepe

Formado por uma fita de papel crepado.

Utilizada quando não podemos deixar marcas de cola sobre uma superfície, mas não possui uma aderência muito grande.

Disponível em: <http://2.bp.blogspot.com/_JdKCBLRf-Xg/TFRSlvHV- pI/AAAAAAAABKk/T77QhzJZCDg/s1600/fitas+crepe+jamar+s+muniz+blo g.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

65

10.3.Fita dupla face

É uma fita que possui cola em ambas as faces.

Há fitas dupla face transparentes e opacas.

Disponível em: <http://www.papelariaglobo.com.br/images/8141.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

66

10.4.Cola branca

Produzida à base de PVA (acetato de polivinila).

É largamente utilizada por aderir à maioria dos materiais porosos.

É de fácil manuseio e torna-se transparente após a secagem completa (24 horas).

Disponível em: <http://www.aphox.com.br/imagens/produto/ORBIFORT- EXTRA.gif>. Acesso em: 09 jan. 2011.

12

67

10.5.Cola de contato (adesivo de contato)

Produzida à base de borracha sintética.

É muito utilizada na colagem de superfícies planas que necessitam alta resistência.

Deve ser aplicada nas duas superfícies a ser coladas.

Possui um cheiro muito forte, que pode ser prejudicial, portanto deve ser utilizada em lugares arejados.

Conhecida popularmente como “cola de sapateiro”.

Disponível em: <http://www.hcicone.com.br/imagens/produtos/4611.jpeg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

68

10.6.Adesivo instantâneo

É um dos nomes dados às colas cianoacriláticas.

Utilizadas em consertos de pequenos objetos de louça, ferro, metal e outros materiais de baixa porosidade.

Pode ser utilizada para colar madeira balsa.

Não permite correções após a junção das partes.

Disponível em: <http://www.royalmaquinas.com.br/loja/sistema/conv/super_02_2010_14_ 00.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

69

10.7.Cola quente

É o nome popular da cola termo- fundível.

Sua aplicação requer uma pistola elétrica que aquece os bastões de cola, derretendo-os por alguns segundos.

Isso torna obrigatória a rapidez na colagem.

Disponível em: <http://img.ph- jpg.posthaus.com.br/Web/posthaus/fotos/2086_600_1.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

70

10.8.Cola para EPS

É produzida à base de PVA e álcool.

É específica pala colagem de EPS, mas pode ser utilizada em papel por assemelhar-se à cola branca, quanto à composição.

Disponível em: <http://hspnet.com.br/site/products_pictures/ID_7008_coa%20isopor.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

71

10.9. Adesivo em spray

São adesivos, geralmente utilizados por artistas, vendidos em latas. São aplicados em spray.

Disponível em: <http://www.vick.com.br/vick/imagens/produtos/adesivos_industriais/Spray -90-Apli.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

72

11.Blocos para escultura

Os blocos para escultura são corpos sólidos que podem ser esculpidos para se transformarem em elementos das maquetes.

11.1.Blocos de EPS (Poliestireno Expandido) 11.2.Esponjas e espuma 11.3.Esponja Floral 11.4.Barras de sabão

13

73

11.1.Blocos de EPS (Poliestireno Expandido)

Encontramos o Poliestireno Expandido em forma de blocos ou placas bastante espessas, os quais podem ser esculpidos. Geralmente a densidade varia de 10 a 25 kg/m³.

Disponível em: <http://images03.olx.com.br/ui/4/67/63/70586463_2-laje- de-isopor-41-3265-3265-Curitiba.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

74

11.2.Esponjas e espuma

Pode-se dizer que a diferença entre a espuma e a esponja são os poros (buracos) de cada uma.

A primeira tem os poros fechados e a segunda, poros interconectados, ligados entre si. A

s esponjas e as espumas podem ser moldadas e empregadas na confecção de maquetes.

São muito utilizadas na produção de árvores. As espumas de poliuretano, muito utilizadas em todos os setores, podem ser encontradas nas formas rígidas ou flexíveis. As densidades variam de 100Kg/m³ para colchões e móveis até 960Kg/m³.

Disponível em: <http://www.apopular.com.br/images/espuma.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

75

11.3.Esponja floral

Esse tipo de esponja é, geralmente, comercializado em forma de tijolos, na cor verde.

São muito utilizadas para a confecção de arranjos florais, pois tem a capacidade de absorver muita água, contribuindo na conservação das flores.

É facilmente esculpida, por isso mesmo, é muito frágil.

Disponível em: <http://bp1.blogger.com/_D42r3aM2eLw/SHizKCInhJI/AAAAAAAAAIk/FFu YyjAmXtc/s320/DSC00779.JPG>. Acesso em: 09 jan. 2011.

76

11.4.Barras de sabão

As barras de sabão podem ser esculpidas e, portanto, também empregadas na produção de maquetes.

Disponível em: <http://www.pescacommosca.com.br/imagens/limpeza/foto03.jpg>. Acesso em: 09 jan. 2011.

77

Leitura dirigida

NACCA, Regina Mazzocato. Conhecendo materiais e ferramentas. In: _____. Maquetes e miniaturas: ténicas de montagem passo-a-passo. São Paulo: Giz Editorial, 2006. p.25-41.

78

Referências bibliográficas

CONSALEZ, Lorenzo. La elección de los materiales. In: ______. Maquteas: la representación del espacio em el proyecto arquitetctónico. (4. tirada). Barcelona: Gustavo Gili, 2008. p.11-23.

CONSALEZ, Lorenzo. Instrumentos y materiales. In: ______. Maquteas: la representación del espacio em el proyecto arquitetctónico. (4. tirada). Barcelona: Gustavo Gili, 2008. p.24-30.

DUNN, Nick. Medios. In: Maquetas de arquitectura: médios, tipos e aplicación. Barcelona: Blume, 2010. p.26-79.

FARRELLY, Lorraine. Materiales para hacer maquetas. In: ______. Técnicas de representación: fundamentos de arquitectura. Barcelona: Promopress, 2008. p.122-127.

KNOLL, Wolfgang; HECHEINGER, Martin. Materiais y herramientas. In: ______. Maquetas de arquitectura: técnicas y construcción. Barcelona: Gustavo Gili, 2009. p. 24-47.

14

79

Referências bibliográficas

MILLS, Criss B. Equipamentos, materiais e tipos de maquetes. In: ______. Projetando com Maquetes: um guia para a construção e o uso de maquetes como ferramenta de projeto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007. p.12-20.

MIRÓ, Eva Pascual i; CARBONERO, Pere Pedrero; CODERCH, Ricard Pedrero. Materiales y herramientas. In: Maquetismo Arquitetónico. Barcelona: Parramón ediciones, 2010. p.24-55.

NACCA, Regina Mazzocato. Conhecendo materiais e ferramentas. In: _____. Maquetes e miniaturas: ténicas de montagem passo-a-passo. São Paulo: Giz Editorial, 2006. p.25-41.

MONTENEGRO, Gildo A. Formato e dimensões do papel. In: ______. Desenho arquitetônico. 4. ed. São Paulo: Edgard Blucher, 2001. p.28-29.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas