Regeneração e reparo de tecidos, Notas de estudo de Odontologia
aline-rocha-20
aline-rocha-20

Regeneração e reparo de tecidos, Notas de estudo de Odontologia

33 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
100%de 0 votosNúmero de votos
Descrição
TRABALHO PARA A DISCIPLINA DE PROPEDEUTICA CLINICA I - 2 PERIODO DE ODONTOLOGIA
70 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 33
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas
Slide 1

Regeneração e

Reparo

INFLAMAÇÃO

Inflamação como resposta benéfica;

Inflamação como resposta maléfica.

INFLAMAÇÃO

Elemento estranho

Células de defesa

Mediadores

INFLAMAÇÃO

Dor Edema Calor Rubor

 AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA  AGUDA CRÔNICA AGUDA

REPARAÇÃO

Reparação é o processo de reposição de tecidos e células lesadas ou necróticos por novos elementos sadios, oriundos de:

→ Epitélio Adjacente → Parênquima adjacente

→ Estroma

REPARAÇÃO

Regeneração

Cicatrização

Extensão AGUDA da AGUDA lesão Órgão AGUDA lesado

Morte Celular

REPARAÇÃO

REGENERAÇÃO CICATRIZAÇÃO

Processo pelo qual, as células que morreram, devido à agressão, são

substituídas pelas células do parênquima

do mesmo órgão

Processo em que as células lesadas não são substituídas por células parenquimatosas,mas

por tecido fibroso, cicatriz

REGENERAÇÃO

Substituição do tecido lesado por células parenquimatosas do

mesmo tipo, ocasionando a reconstituição anatômica e funcional do tecido lesado.

Capacidade AGUDA Regenerativa AGUDA AGUDA AGUDA das AGUDA Células AGUDA

→ Lábeis

→ Estáveis

→ Permanentes

Diferentes tipos celulares quanto ao poder de proliferação: da esquerda para direita, de cima para baixo: célula epitelial de mucosa bucal (células lábeis); glândula salivar (células estáveis); tecido nervoso periférico (células permanentes); tecido muscular (células permanentes).

FIBROSE AGUDA OU AGUDA

FIBROPLASIA

Reparo por tecido conjuntivo

Formação AGUDA da AGUDA Cicatriz AGUDA AGUDA

Angiogênese

Fibroplasia

Deposição da MEC

Remodelação

CICATRIZAÇÃO

→ Quando o processo de reparo se faz à custa de proliferação do tecido conjuntivo fibroso

CICATRIZ FIBROSA

CICATRIZAÇÃO

1° INTENÇÃO

2° INTENÇÃO

Quadro AGUDA Comparativo AGUDA das AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA cicatrizações

Caracterísitica diferencial

Cicatrização por 1ª intenção

Cicatrização por 2ª intenção

Tipo de ferida Linear, coaptante,pouco traumatizada,com perda mínima de substância

Irregular, anfractuosa,não

coaptante, traumatizada,com perda de substâncias (úlceras)

Contaminação Não contaminada Contaminada ou não Intensidade da reação

inflamatória Menor Maior

Formação de tecido de granulação

Menor Maior, às vezes exuberante

Volume da cicatriz final Menor Maior, às vezes com formação de quelóide

Retração cicatricial Menor Maior Perda de células especializadas

Menor Maior

Tempo de resolução Menor Maior

Fatores AGUDA que AGUDA influenciam AGUDA a AGUDA qualidade AGUDA e AGUDA capacidade AGUDA do AGUDA

reparo AGUDA tecidual →Capacidade regenerativa das células

afetadas;

→Extensão da lesão;

→Atividade proliferativa do estroma conjuntivo.

Fatores que influenciam no Reparo

LOCAIS →Infecção, mobilização, vascularização,

tamanho da lesão e localização.

GERAIS → Idade e metabolismo.

Regeneração AGUDA Patológica

→Formação deficiente da cicatriz;

→Formação excessiva dos componentes do processo de reparo;

→Formação de contraturas.

QUELÓIDE

Reparo AGUDA e AGUDA Regeneração AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA

na AGUDA Odontologia AGUDA

Fatores AGUDA que AGUDA podem AGUDA influenciar AGUDA no AGUDA reparo AGUDA alveolar:

→ Hemostáticos locais; → Anestésicos locais;

→ Fios de sutura; → Nicotina;

→ Corpos estranhos; → Tecidos necŕoticos;

→ Isquemia.

Regeneração AGUDA Guiada AGUDA AGUDA AGUDA tecidual AGUDA óssea AGUDA na AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA

odontologia

BASES AGUDA BIOLÓGICAS AGUDA

1. Células adequadas 2. Nutrição 3. Estímulo

4. Estímulo concomitante 5. Isolamento 6. Repouso

7. Solicitação resposta 8. Referencial 9. Substrato 10. Enxerto

Osteoblasto

. Presença de osteoblasto (ponta da seta), . Osteócitos (seta fina)

. Osteoclastos (seta larga)removendo biomaterial.

REGENERAÇÃO AGUDA TENDO AGUDA O AGUDA PERIÓSTEO AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA COMO AGUDA A AGUDA MEMBRANA AGUDA DE AGUDA AGUDA BARREIRA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA AGUDA

NATURAL

REGENERAÇÃO COM MEMBRANA ARTIFICIAL

Biocompatibilidade

Osteocondutividade

Estabilidade inicial

Resistência Mecânica

Inocuidade

Caso clínico de regeneração óssea com utilização de barreira

artificial

CONCLUSÕES DO GRUPO

Faculdade Estácio de Sá Campus Juiz de Fora

Curso Superior de Odontologia

Aldo César Garcia de Paula Aline Gonçalves F. Rocha

Diego Leonel Guedes Jéssica Bernardes

Jhonnathan Ferraz Egídeo Karla Rodrigues

Luiz Felipe Barreiros Maria Cristina Rodrigues da Silva

Rita Maria Rodrigues da Silva Terezinha E.S.L.Reis

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 33 páginas