Relatório de estágio Clemenson da Costa, Projetos de Engenharia Mecânica. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)
clemenson-da-costa-a
clemenson-da-costa-a

Relatório de estágio Clemenson da Costa, Projetos de Engenharia Mecânica. Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

16 páginas
1Números de download
15Número de visitas
Descrição
Relatório de estágioRelatório de estágioRelatório de estágio
20 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 16
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 16 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 16 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 16 páginas
Baixar o documento
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 16 páginas
Baixar o documento

1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

CENTRO DE TECNOLOGIA

CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

Controle de indicadores no PCM e melhorias no

processo produtivo Camanor Produtos Marinhos

LTDA

CLEMENSON DA COSTA ALVES

NATAL- RN, 2018

2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE

CENTRO DE TECNOLOGIA

CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

RELATÓRIO DE ESTÁGIO

Controle de indicadores no PCM e melhorias no

processo produtivo Camanor Produtos Marinhos

LTDA

CLEMENSON DA COSTA ALVES

Relatório de estágio apresentado ao

curso de Engenharia Mecânica da

Universidade Federal do Rio Grande do

Norte como parte dos requisitos para a

obtenção do título de Engenheiro

Mecânico, sob supervisão de Eng.

Euclides Francisco Alves Neto e

orientado pelo Prof. Dr. Adilson José de

Oliveira.

NATAL - RN

2018

3

Agradecimentos

Ao Dr. Idácio Lima da Silva e a Denise Pahim pela oportunidade do estágio,

ao supervisor de estágio Euclides Francisco Alves Neto, Laura, Edna, Alan, Everson,

Andreeison e a toda equipe de Planejamento e Controle da Manutenção (PCM) da

Camanor por serem tão prestativos e receptivos, à minha família pelo total apoio, ao

orientador de estágio Adilson por suas valiosas sugestões e à Universidade Federal

do Rio Grande do Norte.

4

Sumário Agradecimentos ............................................................................................ 3

Sumário...........................................................................................................4

1 Introdução .................................................................................................. 5

2 Camanor produtos marinhos LTDA ............................................................ 6

3 Atividades desenvolvidas ........................................................................... 7

3.1 Boletim de indicadores de manutenção ................................................ 7

3.2 Análises de falha ................................................................................ 10

3.3 Projeto conceitual de um alimentador automático para Larvicultura ... 13

4 Conclusões ............................................................................................... 15

5 Referências .............................................................................................. 16

5

1 Introdução

O curso de Engenharia Mecânica, segundo seu Projeto Pedagógico (PPC)

(2015), tem por objetivo formar engenheiros mecânicos, com perfil generalista,

capacitados para desenvolver projetos de sistemas mecânicos e termodinâmicos, com

visão ética, respeitando a sustentabilidade ambiental e tendo como foco a missão da

UFRN referente às políticas. Ainda segundo o PPC (2015), o engenheiro mecânico

deve apresentar características e habilidades para o exercício de sua profissão, tais

como: iniciativa na tomada de decisões e na realização de tarefas; adaptação em

diferentes ambientes de trabalho; capacidade de trabalhar em equipe, absorver e

desenvolver novas tecnologias; aplicar conhecimentos na solução de problemas,

planejando, supervisionando, elaborando e coordenando projetos, produtos, sistemas

e serviços de engenharia mecânica; projetar, conduzir, interpretar e modelar

experimentos; atuar em equipes multidisciplinares, etc. Visando proporcionar e/ou

consolidar essas características e habilidades e contribuir para a maturidade do

estudante para o exercício da profissão, o estágio supervisionado obrigatório deve ser

realizado em empresa ou em outro ambiente de exercício profissional e deve ser

desenvolvido nas áreas de formação e/ou de trabalho do Engenheiro Mecânico,

interpretadas no sentido amplo.

O estágio do estudante Clemenson da Costa Alves foi realizado CAMANOR

produtos Marinhos LTDA, localizada na Fazenda Cana Brava, Barra de Cunhaú,

Canguaretama/RN. O estágio foi realizado no período de 23 de abril a 15 de junho de

2018, com carga horária semanal de 20 horas, dividida em 4 horas diárias de segunda

à sexta de 7 às 11 h.

Durante o estágio foram desenvolvidas atividades baseadas na demanda de

Controle do Planejamento e Controle da Manutenção (PCM), sob a orientação do

Supervisor de PCM Euclides Francisco Alves Neto. As atividades e os objetivos foram

definidos de acordo com as necessidade apresentadas pela empresa, sendo elas:

Elaboração de um boletim de indicadores de manutenção, definição de rotina para

divulgação periódica para divulgação, elaboração de um modelo padrão de Relatório

de Análise de Falha (RAF), RAF para análise de trinca em Turbina do conjunto de

Gerador de energia Caterpillar e RAF para análise em máquina de cortar filé de

camarão e elaboração de um alimentador automático para larvicultura de Camarão.

6

2 A Camanor Produtos Marinhos LTDA

Fundada em abril de 1983, a Camanor Produtos Marinhos é fundada pelo

suíço Werner Jost, empresário que vislumbrou, desde aquele ano, o grande potencial

que a carcinicultura tem para gerar emprego e renda.

Com a fundação da empresa, entra em operação a Fazenda Cana Brava,

localizada no município de Canguaretama/RN, onde funcionava uma antiga salina.

Figura 1 – Fazenda Cana Brava.

Fonte: Apresentação Fenacam 2017.

A Camanor tem por finalidade a produção de Camarão, cujos principais

produtos são os camarões inteiro, sem cabeça e filé (eviscerado). No caso do produto

inteiro, a unidade de massa utilizada é o quilo (ex: na classificação 80/100 significa

que em 1kg desse produto existe entre 80 e 100 camarões ou média de 90 unidades).

Já para os produtos Sem Cabeça e Filé, a unidade utilizada é a libra, equivalente a

454g (ex: na classificação 51/60, teremos entre 51 e 60 unidades ou média de 55

unidades em 454g). Obedecendo a norma internacional, ISO 22000 (2005), existe a

reclassificação do produto após retirada da cabeça e casca. A empresa atua no

mercado externo e interno, atendendo aos segmentos de varejo, atacado,

restaurantes e indústrias beneficiadoras.

7

3 Atividades desenvolvidas

O relatório está organizado da seguinte forma: 3.1 Boletim de indicadores de

manutenção: cujo as atribuições seria de acompanhar a implantação do PCM e

elaborar um procedimento padrão para a geração dos indicadores de manutenção

para acompanhamento na Gestão de Rotina (GROT); 3.2 Análises de falha: analisar

a causa raiz de problemas crônicos encontrados no funcionamento dos equipamentos

da fazenda; 3.3 Projeto conceitual de um alimentador automático para larvicultura de

Camarão: desenvolver um equipamento que fosse capaz de atender a demanda de

alimentação da Larvicultura, de modo que se pudesse automatizar o processo.

Deste modo, as atividades desenvolvidas englobam diretamente os

conhecimentos abordados nas seguintes disciplinas (em ordem cronológica): CAD

para Engenharia I (MEC1505); Metrologia Industrial (MEC1509); Processos de

Fabricação Mecânica II (MEC1701); CAD para Engenharia II (MEC1705); Elementos

de Máquinas I (MEC1805); Processos de Fabricação Mecânica III (MEC1901); e

Fabricação de Sistemas Mecânicos (MEC1001). Indiretamente foram abordados os

conhecimentos das demais disciplinas: Ciência e Tecnologia dos Materiais

(ECT1401); Metalografia e Tratamentos Térmicos (MEC1506);

3.1 Boletim de indicadores de manutenção

Segundo o gerente de manutenção da Camanor, Andreeison, os indicadores de

manutenção funcionam como um termômetro que medem a saúde da manutenção e

trazem informações para melhor tomada de decisão na rotina diária. Esses indicadores

são instrumentos de definição de metas e de estratégias da manutenção para que se

obtenha a melhor confiabilidade e disponibilidade do ativo.

Para que haja o controle dos indicadores, segundo (VIANA, 2014), o primeiro

passo é ter uma rotina definida, para que haja efetividade do indicador e seu

acompanhamento. O principal auxílio dos indicadores é a possibilidade de direcionar o

esforço para resolver a causa raiz de um determinado problema, então com os KPI’s (Key

Performance Indicators, em português, Principais Indicadores de performance) definidos

e sendo acompanhados com uma periodicidade e com metas definidas. Perceber quando

o indicador não atinge o resultado esperado e consegue-se estratifica-lo até que parcela

do indicador que não atingiu a meta e qual foi o impacto daquela parcela e até qual foi o

indivíduo que gerou impacto naquela parcela, e para isto traça-se uma ação, aplica-se

8

essa ação numa matriz de acompanhamento de ações e acompanha no farol de ações.

E os indicadores de manutenção nos dão uma foto do momento em que se encontramos

e projetamos essa visão para uma visão semanal ou anual, e isso no indica se estamos

progredindo para uma evolução ou regredindo em relação a meta definida.

Para o desenvolvimento do boletim de indicadores foram utilizados os seguintes

indicadores, conforme a tabela 1.

Nº da ordem Indicador de PCM Sigla Unidade

1 Aderência à Programação APR %

2 Aderência à Manutenção Sistemática AMS %

3 Fator de Manutenção Preventiva FMP %

4 Retrabalho RET %

5 Índice de Apontamento de Mão de Obra IAMOT %

6 Disponibilidade Física DF %

7 Tempo Médio de OS TM Dias

8 Carteira de RS/OS RS/OS Qtd

Tabela 1 – Tabela de indicadores de manutenção utilizados.

Para todos os indicadores foram realizados procedimentos padrões de

cálculo, como exemplificado a seguir para o caso do indicador APR.

APR – Aderência a Programação

Este indicador reflete o percentual de OS’s (Ordens de Serviço) executadas

daquelas que foram programadas dentro de um determinado período.

O programador de manutenção fará o acompanhamento das OS’s nas reuniões

de performance e irá comparar as OS’s executadas que constam na programação enviada

previamente para consolidação do indicador. A informação se a OS está aderente a

programação será realizada pelo programador de manutenção.

O indicador “APR – Aderência a Programação” será expresso em percentual, e

quanto maior o seu valor, melhor será sua avaliação.

9

A fórmula do indicador é indicada na equação 1.

APR = ∑ OS’s executadas da programação

OS's programadas �� 100 (Equação 1)

O acompanhamento do indicador foi quinzenal e divulgado em reunião de rotina

da área. O fechamento mensal será feito até o quinto dia útil do mês subsequente.

Portanto, de acordo com o proposto, tratando as bases de dados e elaborando

os gráficos, com auxílio do software Microsoft Excel 2016, de acordo com cada

equacionamento e para cada indicador, atingiu-se no seguinte modelo de Boletim de

indicadores de manutenção:

Figura 2 – Boletim de indicadores.

Fonte: elaborado pelo autor.

Na primeira coluna (Melhor), refere-se à avaliação do indicador, neste caso, a

seta para cima nesta coluna indica que o indicador é do tipo “Quanto maior melhor”. A

segunda coluna indica a sigla utilizada para o indicador. Na terceira coluna pode-se

observar o gráfico de evolução do APR com uma visualização mensal e na última coluna

um breve comentário.

Na segunda linha, seria uma estratificação dos dados apresentados do APR

geral. Neste caso, abre-se uma visão semanal onde pode-se observar a atuação do setor

“Hidráulica e Campo” e seu desempenho em sua respectiva semana.

10

3.2 Análises de falha

Foi definido um Procedimento de Operação Padrão (POP) para tratativa de não

conformidades ocorridas nos ativos da Camanor, tratando as falhas de acordo com

procedimentos de gestão da qualidade e análises de engenharia.

Pretende-se realizar a tratativa das ocorrências de falhas nos ativos desde a sua

fase inicial, da tomada da ação corretiva imediata, até a verificação da eficácia dos planos

de ação para criação de rotinas destinadas a eliminação da falha e sustentabilidade da

operação com a maximização da disponibilidade e da confiabilidade desses ativos.

Os RAFs seguem o POP desenvolvido, com as seguintes etapas:

• Descrição da ocorrência: Breve descrição da falha ocorrida,

caracterizando o fato.

• Dados e evidências: imagens e medidas verificadas na inspeção.

• Análise e identificação da causa raiz: utilização do diagrama de Ishikawa.

• Análise com auxílios das metodologias dos 5-Porques e FMEA (Failure

Mode Effect Analysis).

• Ação preventiva imediata.

• Ação corretiva imediata.

• Plano de ação baseado na metodologia 5W2H.

• Acompanhamento do plano de ação.

• Verificação da eficácia do plano de ação.

O POP elaborado para análise de falhas foi implementado para duas falhas

inspecionadas pelo estagiário: 1. Corte irregular do filé de camarão pela máquina Johnson

02 e 2. Trinca no bocal da turbina (Turbo charger 359-5392) do conjunto Gerador

Caterpillar 550 kVA.

11

Na figura 3 são apresentadas as falhas verificadas na inspeção do procedimento de corte

do filé de camarão.

Figura 3 – Irregularidade no corte do filé do camarão.

Fonte: elaborado pelo autor.

Na figura 3, observa-se os casos de conformidade e não conformidade do corte,

a irregularidade se dá devido ao corte com desvio da linha amarela.

De acordo com o POP implementado para tratativa de falhas e por meio de

diálogo com o operador da máquina, inspeção física e visual, foi concluído que esta

irregularidade aconteceu devido à folga axial de uma bucha. Destacado em amarelo na

figura 4, a bucha de bronze que está fixa no sistema de transmissão por correia do disco

de corte (destacado em vermelho na figura 4) por onde o filé de camarão é processado.

Corte conforme. Não conforme.

12

Figura 4 – Causa da falha do corte irregular do corte do filé de camarão.

Fonte: elaborado pelo autor.

A figura 5 mostra a trinca ocorrida no bocal da turbina do Gerador Caterpillar.

Figura 5 – Montagem da turbina na tubulação de exaustão (a) e a trinca no bocal (b).

(a)

(b)

Fonte: Elaborado pelo autor.

De acordo com o POP implementado para tratativa de falhas, foi concluído que

esta falha aconteceu devido ao desalinhamento da tubulação com o bocal da turbina.

Como pode ser visto na figura 5 (a), este desalinhamento causa esforços cíclicos de

tração e de compressão no bocal da turbina, como pode ser visto na figura 5 (b),

destacado em amarelo. Tomando como medida preventiva o treinamento do pessoal para

a montagem da turbina nos tubos de exaustão.

13

3.3 Projeto conceitual de um alimentador automático para Larvicultura

Para realizar a larvicultura do camarão, o carcinicultor deve ter disponível água

salgada e doce, que são misturadas de forma adequada, antes de serem fornecidas aos

tanques de cultivo de camarões. Em todas as fases da cultura dos camarões de água

doce, eles recebem alimentação artificial, na forma de ração balanceada e peletizada,

cujos tamanhos das partículas, quantidades e teores proteicos variam de acordo com a

faixa etária dos camarões.

E diante da demanda da larvicultura da Camanor, observou-se que devido à

periodicidade do fornecimento de ração para os tanques, no período de 1h o tanque deve

ser alimentado com uma faixa de 2 g de ração (variando com a faixa etária da larva).

Sendo necessário que em horário não comercial um operador se desloque para realizar

o fornecimento de ração para o tanque.

Diante disto, desenvolvi um projeto conceitual que armazena e fornece a ração

de acordo com a necessidade do tanque de maneira automática.

Figura 6 – Projeto conceitual de alimentador automático.

(a)

(b)

Fonte: elaborado pelo autor.

Conforme ilustrado na figura 6, o projeto conceitual do alimentador consiste em

um reservatório que fornece a ração por meio de um eixo sem fim que será acoplado a

um motor de passo. Este motor será controlado por um microcontrolador, sendo

programado a periodicidade de alimentação.

14

O projeto foi aprovado para manufatura e implantação. Portanto, o projeto seguirá

as seguintes fases de implementação:

• Projeto conceitual: idealização de como deverá ser o sistema.

• Análises de engenharia: material a ser utilizado, análise de resistência mecânica,

etc.

• Manufatura: processos de fabricação utilizados (corte, soldagem, usinagem).

• Instrumentação: sensoriamento utilizando microcontrolador.

• Validação: verificação do sistema em operação.

15

4 Conclusões

Ao final do estágio pode-se concluir que esse cumpriu com o seu objetivo de

proporcionar e/ou consolidar as características e habilidades necessárias para a atuação

de um profissional de Engenharia Mecânica, contribuindo para a maturidade do

engenheiro no exercício de sua profissão.

As atividades propostas de acordo com o plano de trabalho foi a elaboração do

boletim de indicadores e sua gestão, que foi atendida e implementada de acordo com o

planejado. Como atividades complementares houveram as análises de falhas em

problemas crônicos, para isto, foram propostas soluções com base em análises de

engenharia e ferramentas de qualidade. E como inovação, será desenvolvido um

alimentador automático para Larvicultura, cujo projeto terá grande potencial de ganhos

para a empresa.

16

5 Referências

Apresentação Camanor, FENACAM 2017. Disponível em:

<https://www.camanor.com.br/2017/downloads/apresentacaofenacam17.pdf>.

Acesso em: 28 de junho de 2018.

Cultivo de larvas de camarão. Disponível em: <https://www.cpt.com.br/cursos-

criacaodepeixes/artigos/larvicultura-do-camarao-conheca-sobre-o-cultivo-de-larvas-

de-camarao> Acesso em: 28 de junho de 2018.

Revisão do Projeto Pedagógico do Curso de Engenharia Mecânica/UFRN 2015.

Projeto Pedagógico do Curso. Disponível em:

<https://sigaa.ufrn.br/sigaa/public/curso/ppp.jsf?lc=pt_BR&id=2000031>. Acesso em:

30 de junho 2018.

VIANA, H.R.G. PCM, planejamento e controle de manutenção. Rio de Janeiro:

Qualitymark, 2014.

NORTON, R., Projeto de máquinas, Bookman, Porto Alegre, 2004.

SHIGLEY, Joseph E., Mischke, C. R. e Budynas, R. G., Projeto de Engenharia

Mecânica, Bookman, Porto Alegre, 2005.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 16 páginas
Baixar o documento