revista, Notas de estudo de Gestão de Recursos Humanos
daysi-bishop-12
daysi-bishop-12

revista, Notas de estudo de Gestão de Recursos Humanos

52 páginas
32Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
revista programação On THE NET
30 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 52
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 52 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 52 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 52 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 52 páginas

S MID Produções Gráficas e Editora Ltda.

Rua Horacio Vergueiro Rudge, 329

CEP: 02512-060 - Casa Verde

São Paulo - SP

Fone: (11) 3961-2139

Internet: www.mid.com.br

E-mail: mid@mid.com.br

EDITORES

Ivan Battesini

Daniel J. Ribeiro

CHEFE DE REDAÇÃO

Fabiano Rodrigues

CAPA

Ivan Batessini

DIAGRAMAÇÃO / EDITORAÇÃO

Thiago Henrique Naves

TEXTOS / PESQUISA

Fabiano Rodrigues, Vinícius Camacho e Rafael Verdi

Colaboração: André J. Ribeiro, Carla Scarabelin Mendes,

Denis F. Iongbloed, José Rodrigo Guerra, Leandro Gusmão,

Rafael Pereira, Wanessa Cardoso

REVISÃO DE TEXTOS

José Roberto de Freitas

IMPRESSÃO

ADPRESS Indústria Gráfica

Rua Américo Vespúcio, 89 - Osasco

DDR: (11) 3658-9999

DISTRIBUIDOR PARA TODO O BRASIL:

Fernando Chinaglia Distribuidora S/A

Rua Teodoro da Silva, 907 - Grajaú

CEP: 20563-900 - Rio de Janeiro - RJ

Tel.: (21) 575-7766

Números Anteriores podem ser adquiridos através do site:

www.mid.com.br

ou pelo fone: (11) 3961-2139

PARA ANÚNCIAR LIGUE:

(11) 3951-5566

Todas as marcas e produtos citados nesta publicação são de

propriedade de seus detentores.

Editorial Sempre focamos a revista On the Net, desde seu

início, diretamente para o ensino de criação de páginas

para Internet em HTML.

Acreditamos ter alcançado nosso objetivo no senti-

do de orientar e esclarecer dúvidas das pessoas que

utilizam-se do HTML, seja profissionalmente, seja como

hobby. Não vamos deixar de abordar o HTML, longe

disso, estamos introduzindo agora o HTML 4, que traz

muitos novos recursos em relação ao seu predecessor,

que pode hoje ser considerado, um básico introdutório

do HTML 4. O que era útil, tornou-se indispensável.

É necessário ressaltar o site da revista, pois muito

do que temos mudado no conteúdo da OTN, deve-se

às sugestões enviadas por nossos leitores, e às pes-

quisas realizadas no site.

Portanto, contamos com a colaboração de todos na

participação das enquetes realizadas no site.

Um exemplo de aplicação prática das pesquisas e

da interatividade, é a introdução desde a edição nº 08,

da linguagem ASP, que sempre foi uma das principais

solicitações de todos.

Hoje o ASP é extremamente utilizado em sites que

necessitam de dinamismo para atualizações instantâ-

neas de informações, ou que possuem E-commerce,

por tratar-se de uma linguagem que permite o acesso a

banco de dados, através do HTML.

Agora os leitores da revista têm mais uma forma de

tirar suas dúvidas, o nosso Fórum está funcionando

perfeitamente, todas as perguntas são respondidas pe-

los nossos especialistas em programação e Internet ou

por visitantes do Fórum. Com isso, nossos leitores te-

rão suas dúvidas respondidas em um pequeno espaço

de tempo, e acabamos criando um acervo com diver-

sas dúvidas respondidas.

Índice

Página 24

Página 33

Página 38

Hackers Com a expansão da Internet nos últimos tempos, uma

grande quantidade de infratores, apesar dos milhares de programas existentes para proteção, sempre conse- guem uma nova forma de burlar a proteção e a vulnerabilidade volta a ameaçar milhões de pessoas. A melhor forma de se defender de tudo isso é sabendo como o infrator age, pois só assim, saberemos o que fazer em certas ocasiões. Esta nova seção irá mostrar como se proteger de infratores, tanto os que invadem computadores pessoais como os que danificam servi- dores e sites.

Novas

Tecnologias Maior informação e dinamização do seu site. Deixe

de utilizar recursos tercerizados e faça-os você mesmo. Nesta edição você aprenderá a fazer um GuestBook, além de aprender a utilizar banco de dados em suas aplaicações em ASP. Para os usuários não avançados, continuamos a ensinar como o ASP funciona, coman- dos de VBScript e como enviar os dados de um formu- lário para o seu Email.

HTML 4 O HTML 4 não é uma nova versão do HTML, a ver-

são 4.01 é a versão mais recente e atual do HTML. Mas então o que há de tão interessante em uma versão que todos nós já utilizamos há mais de 2 anos? Comandos que não foram divulgados e que facilitam muito nossas vidas, comandos que não foram inclusos nas ferramen- tas de trabalho WYSISYG ou que estavam no progra- mas profissionais de HTML, mas que ninguem sabia para que servia. A partir desta edição, esteremos des- vendando todo o código HTML que com certeza, irá fa- cilitar muito a sua vida.

Seções News - A cada segundo há um absurdo aumento de páginas na internet, da mesma forma, novas infor- mações, notícias, tecnologias surgem. Para não ficar fora de todas essas mudanças, não deixe de ler nossa se- ção de notícias. Todas relacionadas à internet, lhe dei- xando mais perto dos acontecimentos atuais. Pág. 06

E-mail - Todas as dúvidas de nossos leitores serão respondidas pelos nosso suporte, as respostas são devidamente testadas antes de enviadas, além dos e- mail que são enviados diretamente para a redação da revista, estaremos selecionando algumas das dúvidas postadas em nosso fórum. Pág. 10

Páginas do Leitor - Aqui você irá conhecer o potência dos nossos leitores, recebemos muitos e-mails, agradecendo a força para a construção de páginas pessoais e profissionais, a maioria dos nossos leitores sempre deixa mensagens de agradecimentos, contando suas historias antes de enviar suas URL, confira o trabalho de alguns de nossos leitores. Pág. 12

WebDesign - O Design é uma das partes mais importantes para se fazer um ótimo Site, mas para se obter um ótimo Design precisamos conhecer diversas ferramentas que nos proporcionaram ótimos recursos, Nesta edição iremos falar mais sobre CSS. Pág. 18

Livros - Nesta edição estaremos trazendo dois livros muito interessantes, todos eles voltados para os desenvolvedores de soluções para Internet. Pág. 21

Resumo HTML - Ninguém tem uma memória de Elefante para lembrar todas as TAGs do HTML, por isso, nós colocamos as TAGs mais utilizadas nesta seção, confira as novas TAGs e seus parâmetros. Pág. 22

FX-HTML - Apesar de existir há muito tempo, os recursos em JavaScript estão se sobressaindo, saiba como apicar diversos recursos avançados em seu site, tornando ele mais interativo com o seu usuário. Pág. 28

Página 16

RG3.net Com os diversos sites de hospedagens que existem

hoje, não poderia faltar uma vasta opção de redirecionadores. Nesta edição iremos falar sobre o RG3.net, um site de redirecionamento Brasileiro, e que não utiliza Banners.

O sistema de registro é muito simples, leia a matéria e registre o seu site.

e mais... Promoções - Veja os ganhadores da promo- ção Traduz Web, cinco felizardos ganharam cada um o software TraduzTudo que é vendido por R$ 103,00. Neste mês você irá ganhar um desconto de 50% hos- pedando sua página no HDG (www.hdg.com.br), sem sorteios, basta apenas se cadastrar e pronto. O site HDG faz hospedagens de páginas em ASP. Pág. 37

Dicionário WEB - Novos termos adiciona- dos em nosso dicionário WEB, que surgem rapidamente e precisamos estar sempre atualizados, já que a Internet é a nossa ferramenta de trabalho. Pág. 50

News

Notícia - Novos domínio de primeiro nível estão a caminho

Notícia - curiosidades

A empresa emericana New.net em parceria com a MP3.com, Netzero, UltraDNS, e mais quatro grandes empresas da era web, está anunciando a criação de 20 novos domínios do tipo TLD, Top Level Domain, ou Domínio de Primeiro Nível.

Para determinadas empresas, esses novos nomes do domínio com extensões oferecem uma relevância e "target" muito maior do que os atuais .com, .net, e outros domíniosTLD existentes. Em seu site (www.new.net), a empresa afirma estar fazendo de tudo para incentivar os milhões de usuários

.soc

.med

.law

.travel

.game

.free

.ltd

.gmbh

.tech

.xxx

.shop

.mp3

.inc

.kids

.sport

.family

.chat

.video

.club

.hola

Novos Domínios

na Internet

9,8 milhões é o atual número de Internautas brasileiros.

7,25 é o número de horas que em média os brasileiro passam conectados na rede.

335.912 é o número de domínios registrados no Brasil com o sufixo .com.br.

854 é o número de sites brasileiros que já sofreram algum tipo de invasão ou ataque hacker.

419.391 é o número vezes que o ICQ foi baixado no maior site brasileiro de downloads (www.superdownloads.com.br), tornando-se assim, o programa mais baixado em toda a história da internet brasileira.

Números da Internet

Brasileira

News

ativos na internet a ativar seus browsers para reconhecer nomes do domínio de primeiro nível. Ainda de acordo com a New.net, os provedores de acesso a Internet podem poupar muito tempo e trabalho de seus usuár ios, configurando seus servidores para que seus usuários reconheçam os 20 novos domínios, que são: .shop .mp3 .inc .kids .sport .family .chat .video .club .hole .soc .med .law .travel .game .free .tld .gmbh .tech .xxx.

Já pensou que chique seu site com o endereço www.meu.chat ?

6

News

Novidade - Novo plugin para browser no Macintosh

Finalmente a Adobe liberou para download o plugin para na- vegadores do Machintosh, que permite visualizar gráficos vetoriais escalonáveis (SVG), tecnologia para exibir gráficos fei- tos com o Adobe SVG Viewer.

Você ainda não sabe o que é ASP.Net? ASP.net é a nova tecnologia da Microsoft para desenvolvimento de páginas dinâmicas na web. Esta tecno- logia substituirá a ASP clássi- ca, amplamente divulgada e utilizada no mundo todo.

Na arquitetura. NET, todos os aplicativos (inclusive os do Office) são desenvolvidos em

Segurança - Novo vírus

Nesta última semana o trá- fego no site de uma das maio- res empresas de antivírus do mundo (a McAfee) pulou para 979 mil visitantes únicos até o último domingo. O tráfego no site da empresa antivírus McAfee cresceu 64% na semana pas- sada, devido aos downloads do último software contra o vírus

Virus "Esposa Nua" é a mais nova ameça online

O Adobe SVG Viewer é com- patível com o Internet Explorer 5 e o Netscape 4.x, e permite ver arquivos SVG, uma lingua- gem para gráficos vetoriais que faz pa r te do padrão XML (Extensible Markup Language).

Para PC o pulgin já existia desde o meio do ano pas- sado, e desde en tão, a Adobe vinha recebendo re- clamações dos usuários do Macin tosh pe la fa l ta do plugin para esse sistema.

Novidade - Nova tecnoligia ASP da Microsoft

cima de componentes modulares denominados como "assemblies", que são semi-compilados de manei- ra a ser chamado por "p-code". Na hora da execução dos Módulos (as- semblies), a compilação é comple- tada por um software chamado (CLR) Common Language Runtime.

O melhor de tudo isso é que este CLR não roda apenas sob Windows. Então, podemos ter ver-

sões de ASP NET para Li- nux, Solaris etc. Com isso provavelmente a linguagem ASP.NET não será exclusiva de servidores IIS (Internet In- formation Server) da Micro- soft. Parece que o ASP.net veio para ficar e tem tudo para cair no gosto dos pro- gramadores e desenvolvedo- res web.

Naked Wife (esposa nua), de acor- do com o serviço de medição de audiência Nielsen//NetRatings.

O tráfego no site saltou para 979 mil visitantes únicos até o último do- mingo, frente aos 599 mil registrados na semana anterior. Os usuários gastaram em média 11 minutos no site, a maioria deles buscando atua- lizações de programas antivírus.

"O site da McAfee estava pronto para capitalizar as necessidades de proteção e facilitar aos usuários infor- mações de ta lhadas do download e a compra de pro- dutos de software", disse Allen Weiner, vice-presiden- te dos serviços de análises da NetRatings.

7

Novidade -Cidade Internet Hackeada

Quem entrou no portal Ci- dade Internet, na magrudada do dia 15 de março, com cer- teza se surpreendeu com o que viu na página principal. A mesma foi alterada por um hacker e em seu lugar, havia um texto sobre a falta de se- gurança do site e uma crítica as argentinos, donos do por- tal Cidade Internet. A invasão foi detectada às 00:02h. O

Hacker invade site da Cidade Internet

2 vezes na mesma semana

Página principal do portal Cidade InternetPágina principal do portal Cidade Internet

News

Pirataria - Abes divulga os números da Campanha Antipirataria em 2000

VA Associação Brasileira das Empresas de Software, Abes, anun- ciou em 14/03 que o índice de pira- taria de software no Brasil perma- neceu em 56%. Isso significa que menos de cinco em cada 10 progra- mas de computador em operação no país, utilizam programas ...

Legais. Um estudo realizado pela consultoria PriceWaterhou- seCoopers concluiu que, se o ín- dice atual de pirataria de softwa- re no país fosse reduzido para 27% (índice atual nos EUA), o se-

Abes divulga os números da Campanha Antipirataria em 2000

mais incrível é o fato do hacker já ter alterado o conteúdo do site, alguns dias antes. Se na primeira vez, há uma semana, o hacker havia apenas deixado seu nome na página, desta vez a mensagem é mais extensa. Diz: "Essas coi- sas acontecem . Hacked, Owned, Cracked... By DeVoN_DCLXVI - Again". E prossegue com críticas ao portal: " Tinha que ser de Ar- gentino mesmo isso aki!! E mes-

mo depois de tudo ainda que- rem discutir sobre segurança no cidadebiz... vocês só sao especialistas em uma coisa: nas verdinhas q vcs arran- cam das pessoas!!!"

Segundo sua assessoria de imprensa, o Cidade Inter- net está averigüando o que realmente aconteceu no caso das duas invasões.

tor poderia gerar cerca de 90 mil novos empregos e arrecadar mais de R$ 500 milhões em impostos.

O levantamento feito anualmente entre os associados da Abes aponta ainda que as perdas para o setor su- biram de US$ 920 milhões, em 1999, para US$ 1,38 bilhão em 2000, um acréscimo de US$ 460 milhões. En- quanto as vendas do mercado legal de software cresceram de U$ 715 mi- lhões para US$ 1,1 bilhão. Apenas o aumento na apreensão de CDs pira- tas, que pulou de 23 mil para 212,8

mil no último ano retirou das ruas US$ 33 milhões em licen- ças de uso. Com a intensifica- ção na Campanha Antipirataria o número das ações também aumentou de 250 para 312. "Esse é o resultado de diversas ações criminais de busca e apreensão, bem como ações ju- diciais contra empresas que usavam programas ilegais" afir- ma Rodrigo Munhoz, coordena- dor do grupo de trabalho de an- tipirataria corporativa da ABES

8

News

Novidades - Notícias do mundo Flash

Notícias do mundo Flash

96% dos usuários conseguem vizualizar animações em Flash

O Flash da Macromedia é a tecnologia de vetor para alto- impacto artificioso, baixo uso de banda que atraem, e retêm vi- sitantes. Uma experiência de Rede mais rica, menos cons- trangedora para os usuários.

No início de Março, a NPD

Arquivos SWF como você deve saber, são arquivos multimídia gerados pelo Macro- media Flash para serem exibi- dos em páginas da web por meio de um plugin que está presente

Bug no Plugin do Macromedia Flash 4/5

Novidade - Banco de dados para XML

Comercializado no Brasil pela Consist, o Tamino é o primeiro banco de dados a armazenar e processar XML de forma nativa. De acordo com os leitores do XML Journal, primeira publicação mensal dedicada à comunidade XML em todo o mundo (http:// w w w . s y s - c o n . c o m / x m l / cover.html), o Tamino, da Software AG, comercializado no Brasil pela Consist, foi escolhido

Tamino é eleito o melhor banco de dados XML

Research, parte do grupo MediaMetrix, organizou um estudo para determinar qual a porcentagem de navegadores que têm plugin para visu- alização do Flash de Macromedia pré-ins- talado. O espetáculo de resultados é que 98.4% de usuários

de Rede podem visualizar normal- mente sites que contêm tecnologia Macromedia Flash, sem ter que car- regar e instalar o Plugin.

Visitando o site da Macromedia ( http://www.macromedia.com/softwa- re/player_census/flashplayer/) pode- mos observar que no momento cer-

ca de 336.074.612 de usuários usam o programa Flash Player para visualizar páginas feitas em flash, em todo o mundo. Com base nestes dados podemos observar o crescimento rápido e assimilável na área de desen- volvimento de sites com a tec- nologia de ponta.

Pode-se efetuar download do programa gratuitamente através do endereço: http://www.macromedia.com/ downloads/ selecionando a op- ção Macromedia Flash Player e em seguida Install Now. O download do programa leva cer- ca de 10 minutos, se usado com um modem de 56k.

no navegador de 96% dos internautas. Um bug foi detectado no começo desse ano no formato do ar- quivo SWF do Macromedia Flash. Assim, um web site mal intenciona- do pode inserir um arquivo SWF ma-

licioso no codigo html do site. Ao entrar, o usuário teria seu nave- gador travado, pondendo resultar até numa paralização total do PC do usuário, exigindo que o mes- mo seja reiniciado.

como o melhor banco de dados XML do ano. O prêmio foi conseguido com a diferença de 8% em relação ao se- gundo colocado. A Oracle (Oracle8i) ficou em segundo lugar, a IBM (DB2XML Extende) em terceiro e a eXcelon (eXcelon B2B Integration Server) em quarto lugar. O prêmio é concedido a treze segmentos do se- tor e é considerado o "Oscar da In- dústria de Software". A escolha é fei- ta pela Web e fiscalizada por auditor

independente. A Plataforma Tamino é composta pelo banco de dados Tamino e pelas ferramen- tas de integração X-Node (cone- xão com bases relacionais), X- Bridge (integração de documentos XML de outras aplicações) e X- Studio (desenvolvimento de apli- cações baseadas em XML). O Tamino armazena e processa XML de forma nativa, sem neces- sidade de conversão de formato.

9

E-mails

E-mails@

De: “Rogério Pereira Silva” <rogeriop@catedralnet.com.br> Para: “OnTheNet” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: Solicitação de Informações

Gostaria de saber como posso adquirir somente a revista, pois estou precisando de uma materia, “A História da Internet”, contida nas revistas On The Net 4, 5, 6, 7, 8.

Caro leitor

Compre através do site da MID Produções www.mid.com.br

De: “Luiz Carlos Dias” <peaceknight@gwmnet.com.br> Para: “OnTheNet” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: Solicitação de Informações

Ei pessoal, adoro a revista de vcs (compro todo mês) e adorei o novo visual de seu site (bem mais bonito q aquele alaranjado...), mas sinto falta de algo: onde

estão os javascripts que agem como o botõe do navega- dor “back”. O único jeito q sei eh criando um link VOLTAR com a URL da página anterior, mas ele carrega a página ao invés de buscar no histórico. Agradecido pela qualidade desse trabalho, espero obter uma resposta... Valeu! PK

Caro leitor, Agradecemos o elogio. O Comando é simples <a href=”javascript:window.history.go(- 1)”>Voltar</a> Abraços

Se você tem alguma dúvida, elogio, crítica ou sugestão, envie seus e-mails para:

cartas@onthenet.com.br

De: “Davi” <davi@mgconecta.com.br> Para: “On The Net” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: edição nº 8

Gostaria de adquirir a edição nº 8 que está nas bancas, mas gostaria de saber primeiro quais programas vêm no CD, se tem utilida- de para ASP e se são Shareware ou freeware. Obrigado.

Caro leitor Os programas para ASP são: Personal Web Server - Freeware - Servi- dor da Microsoft - AceExpert - Shareware - Editor. Além do IE5.5, ICQ, Netscape 6,

Neoplanet, RealPlayer, Winamp, Windows Media Player, QuickTime entre outros Freewares SolusZip, PhotoShop, TraduzWeb, SolusZip, Wingate, Acrobat, AfterEffects, Gif Animator, Paint Shop Pro entre outros Sharewares.

Abraços

De: “Alda” <taurina@terra.com.br> Para: “On The Net” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: dúvidas sobre formulário

Olá pessoal, tenho uma dúvida sobre cria- ção de formulários e gostaria de pedir ex- plicação sobre o assunto. Seguinte, estou elaborando uma página onde há letras de músicas, poemas e cartões e quero saber

como faço para usar a opção SUBMIT em minha página, que torne possível para os visitantes enviarem esses ar- quivos para outras pessoas, especificando o e-mail do destinatário.

10

E-mails@ Outra dúvida também é quanto a disponibilizar arquivos ou programas para download. Como faço isso? Refiro-me desde a como criar na página e como colocar isso na web, tornando acessível aos visitantes. Muito grata pela atenção.

Bom quanto a enviar imagens e poemas não é tão fácil assim. Você poderá enviar o endereço onde essa mensagem/imagem/poemas está localiza- do. A pessoa receberá o endereço e envia-

rá. Para isso você deverá utilizar um formulário em asp ou em CGI. Na edição número nove ensinaremos a fazer um formulá- rio em ASP. Colocar arquivos na página é simples. Coloque o seguin- te comando <a href=”downloads/fazenda.zip”>Clique aqui para baixar o arquivo Fazenda</a>. Dentro do seu servi- dor, você deverá criar uma pasta Download (essa pasta poderia ter outro nome, como arquivos, fotos, musicas e etc) e fazer o upload do arquivo fazenda.zip para esta pas- ta. De: <Kellthebest@aol.com> Para: “On The Net” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: Duvidas

Estou com a edição nº1 da revista apren- dendo sobre HIPERLINK e estou usando o exemplo da revista, mas, toda vez que clico no “ir para o exemplo 2” mostra que

essa página não pode ser exibida.Gostaria de saber por que. Espero uma resposta breve

Obrigado

Você criou a página numero 2???

De: “Gilson Mariani Vieira” <gilson@boxprint.com.br> Para: “On The Net” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: UIN?

Eu gostaria de saber o que é o UIN, termo usado na revista nº 8. Não entendi o que significa “roubar o UIN”. Se possível me respondam por E-Mail, para ser mais rápi- do.

Obrigado.

Caro leitor Sua pergunta foi respondida em nosso Fórum. Acesse o site da on The Net para visualizá-la www.onthenet.com.br

De: Anderson <andersontnt@bol.com.br> Para: “On The Net” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: Dúvida quanto a formulários

Eu consegui montar um formulário bem bacana...meu servidor é o hpg, meu site é o www.meteorman.hpg.com.br ,e o seguin- te: no final do formulário,na codificação,ele pede que se ponha o nome do programa

que roda os formulários no servidor do hospedeiro da página...mas eu não sei se ponho nome de programa,url,host,nada sei.Vocês podem me dizer o que “exatamente” colocar? É uma das poucas coisas que fal- tam em meu site,que ficará pronto daqui a três meses somente...por favor,respondam por e-mail mesmo, que é mais rápido. Desde já muito obrigado! Nome/leitor:Carlos Tiago Marcon Moura Rio grande do Sul/porto alegre

Caro leitor Você deverá utilizar algo no action do form para que o mesmo possa enviar o email. Há três formas de fazer isso: 1 - Utilizando a tag mailto:

<form action=”mailto:seuemail@bol.com.br” method=”post”> 2 - Utilizando um CGI/Perl gratuíto: <form action=”http://site/cgibin/nome.pl” method=”post”> 3 - Utilizando um ASP: <form action=”http://site/email.asp” method=”post”> Dica: Na próxima On The Net, que estará nas bancas dia 10 de Abril, estaremos explicando como enviar e-mail uti- lizando ASP, matéria que fará parte da seção básica de ASP. Abraços

De: <enrinelo@ig.com.br> Para: “On The Net” <cartas@onthenet.com.br> Assunto: Front Page 2000

Caro leitor Utilize o HPG Abraços

Na edição Nº 5 (especial HTML) vocês ensi- naram como fazer um site no XOOMBUILDER. Daí surgiu uma dúvida: Es- tou com um site pronto no FRONT PAGE 2000,

e pensei:”Se o XOOMBUILDER trabalha com HTML, eu não poderia copiar o conteúdo HTML do meu site e colar no ca- dastro do XOOMBUILDER?” Se essa minha idéia estiver er- rada, por favor façam uma matéria sobre como colocar no ar sites feitos no FRONT PAGE 2000. Por favor respondam esse e-mail, pois preciso por esse site no ar.

11

Páginas do Leitor

Páginas do Leitor

Você construiu uma home page egostaria de vê-la aqui na seçãoPáginas do leitor, não é? E de quebra aposto que você gostaria de concorrer a ter a sua home page elei- ta como Página do Mês! Então corra e envie o endereço da sua home page

para cartas@onthenet.com.br. A me- lhor home page estará levando o títu- lo de Site do Mês e o web master re- ceberá por 3 meses, gratuitamente, 1 exemplar da revista On The Net! E como foi prometido na edição passa- da, a partir desta edição, o endereço

das páginas enviadas pelos leitores são organizadas por assunto, melho- rando a organização e facilitando a consulta dos outros leitores. Por isso, ao enviar o URL de sua home page, já especifique em qual seção ela melhor se encaixará

Página inicial do site PokémonPlanet. Inúmeros serviços, com um ótimo design.

SITE DO MÊS www.pokemonplanet.hpg.com.br

Letícia Dantas leticia@ieg.com.brO endereço é pokemonplanet.hpg.com.br.E como o

próprio nome diz, a home page é obviamente sobre o mun- do dos pokemons, pikachu e afins. Mas ela não é uma simples home page. Com um ótimo design, enorme con- teúdo sobre o assunto, e seguindo o estilo de um portal, este site realmente nos supreendeu. E o que mais nos supreendeu foi a qualidade na criação e no acabamento das imagens gif e jpg, além do bom gosto da Letícia, com todas as cores empregadas no site. Parabéns Letícia!

Na seção de Download, você encontrará desde ícones, cursores, sons e músicas, até protetores de tela.

12

No site você pode conhecer tudo sobre todos os personages

do desenho Pokémom.

Páginas do Leitor

GAMES

www.avebeano.hpg.com.br Félix Willian

avebeano@ieg.com.br

ERÓTICO

MÚSICA

www.wshp.hpg.com.br Bruno

abreu_bruno@uol.com.br

Home Page do clã Ave Beano do jogo Age of Empires, com screen shots , galeria de membros, regras e etc.

Bastante conteúdo no site do leitor Bruno:Apostilas, cartões, cifras, contadores e mais.

Site erótico totalmente brasileiro, e somente com fotos de primeiríssima qualidade.

Naues Company ncsex@ig.com.br

www.ncsex.cjb.net www.adeusaluize.hpg.com.br Fabbrica Cinco

gancho@uol.com.br Home Page não oficial da modelo gaúcha Luiza Altenhofen. Outro site com excelente design!

discosemmp3.ezdir.net Leme

leo_leme@ig.com.br Site contendo vários discos em for- mato mp3 para você baixar. Aprovei- te enquanto ainda está no ar.

www.topsex.ezdir.net Michael Wilian

michaelwilian@uol.com.br Como todo site erótico que se preza, o Top Sex é mais um, repleto de gale- rias de fotos eróticas.

www.dbterritory.cjb.net Xiao Tong Ruan

xiao_phoenix@hotmail.com Belo site sobre o game Dragon Ball Z. Muito conteúdo sobre este famo- so game.

www.biggames2001.cjb.net Rodrigo Galendi

biggames2001@bol.com.br Diversos games completos para você baixar. Webmaster: cuidado, pirata- ria é crime viu? : )

www.musicaemp3.da.ru DJ Luciano

djlufontes@aol.com Site mantido pelo DJ Luciano Fon- tes, com os últimos lançamentos em MP3 para você baixar.

13

Páginas do Leitor

www.cronosdesign.da.ru www.stamatto.cjb.netwww.planetnew.hpg.com.br

www.espacosideral.cjb.net Irlan de Alvarenga Cidade

irlan@montreal.com.br

Cesar Stamatto cesarstamatto@bol.com.br

Celso Lorena orfaos@fnn.net

Um ótimo site sobre astronomia. Conheça o universo e veja fotos incríveis

Um dos melhores sites sobre HTML que já recebemos em nosso e-mail. Imperdivel!

Site relacionado a design desenvolvi- do totalmente em Flash. Belo menu.

Página de humor com dezenas de piadas, charges, quadrinhos, entre outras coisas interessantes.

Este Home Page conta com uma ga- leria de Gifs animados e JavaScripts. Excelente design Cesar!

www.instrutorvirtual.hpg.com.br www.htmlbr.cjb.net Pedro Paulo Pereira Reis

html@uai.com.br Carlos Bernardo

carlosr_bernardo@bol.com.br

Jose Roberto Mainardi apocalipse@tgn.com.br

DIVERSOS

Carlos, você queria nossa opinião so- bre o site? Bom, o CSS da margem no HTML a gente não conhecia.

www.spiderbh.cjb.net Ben-Hur Gonçalves

webmaster@alienattack.cjb.net

Baixe programas hacker, saiba mais sobre os ETs e veja dicas de RPG nesta HP com conteúdo variado.

www.lhhomepage.cjb.net Luis Henrique

lhrios@bol.com.br

Mais uma home page com conteú- do variado, incluindo download, e óti- mas dicas para jogos!

www.claudioweb.rg3.net Claudio Ivo

cmoreira@fsonline.com.br

Claudio Ivan oferece em seu site di- versas "soluções internets".

14

Páginas do Leitor

www.mundohacker.da.ru oficinadaweb2000.cjb.netwww.icqremover.da.ru

Marcelo Sales m_sales@yahoo.com

Ar Inc Industriesz jonnatanparker@mail.com

Quer se aventurar no Mundo Hacker? Visite esta HP e baixe programas de invasão e proteção.

Outro site voltado para criação de websites. Visite.

Hunter KloniX hunterklonix@none.com.br

Site sobre webdesign construído e elaborado por Fernando Rossi, con- tendo seus cliente e cursos.

www.todook.com.br

Site com diversos programas criados pelo Jonnatan. Destaque para o que retira os banners do ICQ 2000.

www.fernandorossi.cjb.net

Fernando Rossi fernandorossi@ieg.com.br

O Namorico é um site destinado à galera jovem que procura diversão e paquera na net.

www.namorico.hpg.com.br

Wagner Tadeu namorico@ieg.com.br

O TUDOOK é um site para facilitar o acesso de qualquer pessoa na Internet,com dicas práticas e rápidas.

www.kuekao.hpg.com.br André

kuekao@ieg.com.br

Site pessoal do André, vulgo Kuekão. Textos bem humorados e muitas fo- tos interessantes!

www.talita.cjb.net Talita da Nobrega Santana

talita@comunicacaoimpressa.com

Site pessoal da leitora Talita, con- tendo apresentação, fotos e cur- rículo. Ótimo design!

PESSOAIS

www.brucelb.hpg.com.br Francisco Assis Barreto bruce_lb@bol.com.br

Site pessoal do Bruce, contendo entre outras coisas,links para os

maiores grupos de amigos da net.

Barukar faleconosco@tudook.com.br

15

RG3.net

Os redirecionadores talvez se- jam o serviço mais precioso para quem tem uma home page modesta, em um servidor gratuito, e não quei- ra pagar por um registro de domínio, mas queira que o endereço da sua home seja algo fácil de lembrar. Es- ses serviços são tão populares na Internet, que os subdomínios são quase disputados a tapa, assim que surge um novo site oferecendo redirecionamente de URL.

Mas nem tudo é facilidade no mun- do dos redirecionadores. O que mais aborrece os usuários são os banners e frames obrigatórios, presentes em quase todos os serviços de redirecionamento. E do mesmo modo do CJB.net, o RG3.net garante que não serão exibidos banners, janelas pop- up ou frames no momento em que o visitante de seu site acessá-lo pela URL do redirecionador. Mas não é só aí que ele se destaca em relação aos outros serviços de redirecionamento. Confira.

Mais um redirecionador? Não, o RG3.net talvez seja o único concorrente á altura do famoso CJB.net, além de ser brasileiro!

Criando a sua conta

Modificando sua conta Muitas vezes pode acontecer de

você precisar mudar o servidor aonde seu site está hospedado. E para que seu redirecionamente continue funcionando corretamente, é preciso "dizer" a ele, qual é o novo

Na tela principal do site, clique em Modificar.

Será exibida a tela onde você deve informar seu login e senha, que você escolheu ao se cadastrar.

Se você digitou o nome e senha corretamente, será aberta a, tela abaixo, onde você poderá além de trocar o endereço real de sua home page, alterar seu e-mail de cadastro, trocar sua senha, seu nome, título da sua home page, e outras informações pessoais.

Clique em Modificar para confirmar as alterações.

RG3.net ativar seu redirecionamento. Acompanhe como é facil criar um subdomínio no RG3.net.

01 - Visite o site www.rg3.net 02 - No menu da direita, clique

em Criar Conta. 03 - Na tela de cadastro,

preencha corretamente todos os campos e atenção na escolha da senha e no endereço de email que você irá informar. É através dele que você receberá a senha, caso a esqueça. Atenção ao preencher o campo Endereço da Página. Caso o endereço contenha algum erro de digitação, seu site não abrirá.

O precesso para criação de uma conta e escolha de um subdomínio é rapidíssimo, já que no RG3.net não existe aquele processo chato de con- firmar o cadastro no e-mail que se- ria enviado pelo sistema, para só de- pois você ter acesso a sua conta e

4 - Se você preencheu todos os campos corretamente, será exibida a tela abaixo, informando que o cadastro foi realizado com suces- so. Clicando no link, você pode conferir se o seu redirecionamento já esta funcionando!

o caminho, a URL onde o site está hospedado agora. Para isso, basta alterar essas configurações dentro

da sua conta no RG3.net.

16

BannerLink

O rg3 BannerLink é um sistema de troca de banners criado pelo pessoal do rg3.net. Ao particiar dele, você terá que incluir um código HTML em sua home page, que chamará um banner. Ok, mas onde esta a vantagem de se incluir um banner em sua homepage? Bom, se você tiver a sorte de receber 1.000 cliques neste banner, você ganhará 4.000 page views de anúncio nas páginas do site do RG3.net. Pode ser um bom negócio, caso você esteja interessado em realmente divulgar muito sua home page. Do contrário, será apenas mais um banner em sua home page. Veja como participar do BannerLink.

Entre em sua conta no RG3.net como foi mostrado anteriormente. Em Estatísticas do BannerLink,

avite o serviço e clique em Modificar.

Copie o código. que será exibido e ensira na página principal da sua

home page.

Vale lembrar que não adianta nada você participar do BannerLink, e tentar trapassear, clicando diversas vezes no banner da sua home page. Isso porque só é aceito um clique por número IP, ou seja, um clique a cada vez que você se conecta a internet. Para aqueles que usam conexão permanente (como a Speedy) a situação é ainda pior, já que nesse tipo de conexão seu endereço IP é fixo, não se alterando a cada conexão.

Fórum RG3 Outro serviço bastante útil que

você pode encontrar no RG3.net é o Fórum RG3. De acordo com o site, o local é o ponto de encontro de pessoas que estão interessadas em conhecer mais sobre qualquer linguagem de programação do mundo dos webmasters. Isso inclue HTML, CGI, ASP, PHP, Flash entre outros.

RG3.net

Na página anterior você aprendeu a criar e modificar sua conta no rg3, certo? Caso não tenha criado, crie uma agora. E se você já criou uma conta no rg3.net, clique em Modificar na tela principal para ter acesso às configurações do seu subdomínio, igual à imagem abaixo.

Lembre-se de escolher “Sim” na pergunta “se você deseja participar do BannerLink.”

Na tela seguinte, repare no código html que é mostrado sobre o fundo verde. Copie-o para poder inseri-lo no código HTML da sua página. Pronto! Você já está participando do BannerLink

17

Web Design - Style Sheets

Você quer ter uma fonte um pou- co menor do que a já estipulada pelo HTML? Para você entender o que nós estamos dizendo é simples, <font size=”1”> (que é igual a 10 pixels) isso é o menor tamanho de fonte que podemos obter no HTML certo? E o maior tamanho seria <font size=”7”> (que é igual a 50 pixels) certo? Isso era correto, mas hoje graças ao Style Sheet, podemos ter fonte menores, ou seja: É possível ter fontes de 9 pixels e até mesmo de 300 pixels. Você pode colocar a fonte do tamanho que desejar, e tudo isso graças ao Cascade Style Sheets que dá um suporte ao HTML; simples se comprou a edição ante- rior. Você sabe como criar uma clas- se especial para links e já esta com 90% do caminho andado, é da mes- ma forma que você cria o link, só que ao invés de ser a.[nome da classe] você usa font.[nome da classe].

Bom, vamos aos exemplos e assim ficará mais fácil entender. A utilização prática de tudo isso que falamos fica simplesmente assim:

font.teste { atributo: valor; atributo: valor }

Sendo que, como explicado na edição anterior:

Arquivo style.css

Web Design

S tyle sheets, é a hora da vez, na edição anteri

or ensinamos como personalizar os links do

seu site, nesta edição vamos ensinar a mexer

com a fonte, sabemos que o tamanho (size) da fon-

te no minimo é 1, e o valor 1 é igual a 10 pixels,

vamos ensinar como fazer uma transformação no

tamanho da sua fonte, e também ensinaremos como

personalizar a barra de rolagem do seu site e como

modificar o cursor do mouse do visitante do seu site,

você esta pronto? Então vamos começar.

Teste: Nome da classe, você pode colocar qualquer nome. Atributo: É o que será definido. Exemplo: “font-family:valor”, “text-decoration: valor” Valor: É o valor que se da ao atributo. Exemplo: “font-family: arial”, “text-decoration: underline” ;: O ponto e vírgula deve ser usado para separar os atributos, não deve se usar o ponto e vírgula no final das linhas.

Agora vamos a prática, trabalhan- do com fontes. No ínicio parece difí- cil mas com algum tempo de prática você irá dominar rapidinho o Style Sheets. Agora vamos direto ao que interessa, observando abaixo como fazer o aquivo style.css.

O código mostrado pode conter mais comandos, como font-family, se você optar por usar o font-family, não precisará especificar o parâmetro face da fonte na tag font, exemplo: <font class=”nome da classe” face=”nome da fonte”>Conteúdo</ font>. Se o font-family fosse estipu- lado dentro do arquivo ”style.css” seria necesserário apenas o class, ou seja apenas <font class=´”nome da classe”>Conteúdo</font>.

Agora vamos abordar um pouco sobre atributos e seus valores. A lis- ta que segue abaixo traz as explica- ções necessárias para uma melhor compreensão.

font-family: É o nome da fonte, você pode usar a vírgula “,” para no caso de ter uma fonte secundária. font-size: Simplesmente o tamanho da fonte em pixels font-weight: normal, bold, bolder, lighter. font-style: normal, italic, oblique. font-variant: normal, small-caps. text-decoration: none, underline, overline, line-through. text-align: left, right, center, justify.

Como já falamos e explicamos sobre a parte de CSS, agora vamos para a parte de HTML, que é muito mais simples e bem mais fácil de

<!-- O font.8 foi o nome dado ao elemento (o nome é dado depois do ponto ou seja "font.[nome]" colocamos 8 só para identificar o tamanho da fonte, font-size: 8, o tamanho da fonte é 8 pixels --> font.8 {font-size: 8}

<!-- O font.80 foi o nome dado ao elemento (o nome é dado depois do ponto ou seja "font.[nome]" colocamos 80 só para identificar o tamanho da fonte, font-size: 80, o tamanho da fonte é 80 pixels --> font.80 {font-size: 80}

18

Web Design - Style Sheets

<!-- Começo do cabeçalho HTML --> <html> <head> <title>FONTE CSS - revista on the NET - Edição 9</title> <!-- Comando que chama o arquivo CSS que é onde está todo o comando para a fonte --> <link rel="stylesheet" href="style.css"> </head> <body> <!-- Começo da parte de fontes, perceba que tem o class="8" e o class="80" e perceba também que a fonte é fechada para não ocorrer nenhum erro, ela vai puxar esses class do arquivo style.css --> <font class="8">8 pixels</font><br> <font class="80">80 pixels</font> <!-- FIM --> </body> </html> <!-- Fim do cabeçalho HTML -->

E esse é resultado final no browser:

Arquivo fonte.html

Lembrando que os exemplos contidos aqui você encontra no CD que

acompanha a revista.

Para quem deseja personalizar e padronizar o site, vamos mostrar os passos necessários. Quanto à bar- ra de rolagem de seu site, é possí- vel aplicar a cor que você quiser, gra- ças ao CSS.

Para que funcione em todas as páginas de seu site, siga estas ori- entações:

Crie um arquivo chamado estilo.css. Nele você deve colocar todos os stylesheet e será como uma biblioteca. Veja como será o arquivo para mudar a barra de rolagem!

Barra de Rolagem

BODY { SCROLLBAR-FACE-COLOR: #336699; SCROLLBAR-HIGHLIGHT- COLOR: #89B0D8; SCROLLBAR- SHADOW-COLOR: #000000; SCROLLBAR-3DLIGHT-COLOR: #89B0D8; SCROLLBAR-ARROW- COLOR: #89B0D8; SCROLLBAR- TRACK-COLOR: #EEEEEE; SCROLLBAR-DARKSHADOW- COLOR: #000000; }

A visão final fica assim:

Arquivo estilo.css

Lembrando que nós estamos usando um arquivo CSS simples, ou seja, além de personalizar a barra de rolagem você poderá colocar tudo aqui: as classes especiais de links, a personalização da fonte e outras coisas.

Agora vamos para a explicação de cada ítem da personalização da barra de rolagem:

SCROLLBAR-FACE-COLOR: Cor da barra, este é um dos princi- pais ítens. S C R O L L B A R - H I G H L I G H T- COLOR: É a cor que indica que a barra de rolagem está inativa. SCROLLBAR-SHADOW-COLOR: Este atributo determina a cor da sombra, que da uma impressão de relevo. SCROLLBAR-3DLIGHT-COLOR: É a cor que dará a impressão de 3D,

19

entender. Veja abaixo como fica o arquivo HTML:

em outras palavras que dará a im- pressão de relevo na barra de rolagem. SCROLLBAR-ARROW-COLOR: É a cor da seta, cada cor só será vista quando a barra de rolagem estiver ativa.

SCROLLBAR-TRACK-COLOR: Cor da faixa da barra de rolagem.

Web Design - Style Sheets

Barra inativa

Barra ativa

SCROLLBAR-DARKSHADOW- COLOR: É a última sombra a que fica mais abaixo. Dica: se você quer dar a impressão de relevo deixe o scrollbar-shadow-color preto e o scrollbar-darkshadow-color tam- bém preto.

Com as cores definidas nesse style sheets você terá as seguintes barras:

Já que ensinamos como persona- lizar fonte, barra de rolagem, por que não ensinar como personalizar o cursor do mouse?

Então é isso o que vamos ensinar agora, é mais simples do que você ima- gina. Iremos dar três grandes exemplos de como usar a personalização do mouse, lembrando que os cursores usa- dos para a personalização são do pró- prio Windows, ou seja você só vai mudar um cursor para outro.

Primeiro vamos à lista de cursores, para que você possa conhecer cada um e escolher o seu:

• Precisão: cursor:crosshair; • Padrão do sistema: cursor:default; • Seleção de textos: cursor:text; • Objeto clicável: cursor:hand; • Objeto móvel: cursor:move; • Sistema ocupado: cursor:wait; • Ajuda: cursor:help; • Leste: cursor:e-resize; • Norte - Leste: cursor:ne-resize; • Norte: cursor:n-resize; • Norte - Oeste: cursor:nw-resize; • Oeste: cursor:w-resize; • Sul - Oeste: cursor:sw-resize; • Sul: cursor: s-resize; • Sul - Leste: cursor:se-resize;

Agora que o arquivo CSS já está pronto chegou a vez do HTML, veja como fica a parte de HTML:

Repare bem o HTML e veja que existe outra forma de aplicar esse style que é <font style=”atributo:valor”> se for o caso de imagem fica <img src=”imagem”

Cursores

Arquivo estilo.css

<HTML> <HEAD> <TITLE>Personalizando Cursor - revista on the NET - Edição 9</TITLE> <link rel="stylesheet" href="estilo.css"> </HEAD> <BODY> <font class="cursor">Coloque o mouse sobre esse texto</ a><br><br><br> <font style="cursor:wait">Coloque o mouse sobre esse texto</a> </BODY> </HTML>

BODY { cursor:crosshair } FONT.cursor { cursor:move }

Arquivo estilo.css

Para você compreender melhor como é cada cursor veja no CD que acompanha a revista On The Net edi- ção nº 9, lá contém um arquivo HTML que demonstra os cursores. Agora va- mos ensinar como aplicar isso em sua página. Primeiro crie um arquivo cha- mado estilo.css que como já explica- mos é a sua biblioteca de CSS, nesse arquivo iremos colocar dois elementos: BODY e FONT, o arquivo estilo.css fi- cará assim:

style=”atributo:valor”> você pode atribuir isso em tudo, lembramos que todos os exemplos você irá encon- trar no CD que acompanha a revista On The Net edição nº09.

Dica

Tente utilizar cores relaciona- das com o site e procure cores mais claras para não cansar a vis- ta do usúario.

Lembramos que todos os exemplos citados na revista têm seus arquivos prontos no CD- ROM, por isso, não copie nada da revista pois qualquer erro de digitação fará com que o Script pare de funcionar. Copie direta- mente do respectivo arquivo que se encontra no CD-ROM.

20

Livros - Os melhores Livros da Net

Segurança de Redes

Nome: Segurança de Rede Editora: Campus Autores: Thomas A. Wadlow Páginas: 270

J á ficou constatado que a Internet tem seus pontos fracos no que se refere a ações de hackers, aproveitadores, espiões, sabotadores ou quaisquer outros tipos de atacantes potenciais que possam causar

sérios danos às empresas. E por isso, mais do que nunca, é necessário se precaver contra estes ataques. Atualmente a segurança de redes de computadores significa muito mais do que a habilidade de se proteger dos perigos que surgem através da Internet.

O propósito deste livro é apresentar aos responsáveis pela segurança de redes corporativas uma ferramenta para entender a linguagem e os métodos de segurança de computadores, além de oferecer sugestões para a economia de tempo e recursos. Texto básico para a disciplina Redes de Computadores, a obra revela as abordagens, técnicas e os melhóres métodos que tornam seguro o espaço de trabalho.

Livros

Nome: Criando Sites Dinâmicos Com ASP 3.0 Editora: Axcel Books Autor: Júlio Battisti

P ara quem já está avançado no ASP é quer conhecer todos os seus recursos avançados, aconselhamos este livro. “Crian do sites dinâmicos com ASP 3.0” é um livro maravilhoso, que lhe

mostra como criar uma página em ASP, desde a parte simples até os co- mandos complicados, utilizando applications e componentes extras.

O livro é uma publicação nacional e tem uma linguagem bem fácil de assimilação onde, o autor procura esclarecer todos os pontos mais críticos de uma programação, através de focos em determinadas linhas e imagens de exemplos de páginas executadas.

Apesar do livro não acompanhar CD com exemplos dos exercícios abor- dados durante o aprendizado, os leitores poderão baixar um arquivo con- tendo diversos exemplos, diretamente do site da Editora.

Criando Sites Dinâmicos Com ASP 3.0

Páginas: 718 Maiores informações: (21) 564-0085 Site: www.axcel.com.br

Maiores informações: (21) 509-5340 Site: www.campus.com.br

21

Resumo HTML

Resumo HTML

A qui você confere o resumo de todos os comandos HTML apresentados na re-

vista On The Net. A lista está em or- dem alfabética para facilitar a procu- ra sempre que você achar necessá- rio. A cada nova edição, serão acrecentados novos comandos. Na primeira linha está o TAG; na segun- da, a FUNÇÃO do TAG e a EDIÇÃO em que ele foi visto; na terceira, a SINTAXE; na quarta, o ATRIBUTO; e na quinta, o que o comando PODE CONTER.

H1 até H6 DEFINIÇÃO DE TÍTULO - 01 SINTAXE: <H1></H1> (a sintaxe é a mesma para os comandos <H1> até <H6>) ATRIBUTOS: ALIGN="left/right/ center" PODE CONTER: <IMG SRC="local"> <TT> <I> <B> <U> <BR>

HEAD CABEÇALHO DO DOCUMENTO - 01 SINTAXE: <HEAD></HEAD> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: TITLE LINK

HR BARRA HORIZONTAL - 01 SINTAXE:<HR> ATRIBUTOS: ALIGN="left/right/ center" NOSHADE SIZE="valor" WIDTH="valor ou porcentagem%" PODE CONTER: NADA

HTML DOCUMENTO HTML - 01 SINTAXE: <HTML></HTML> ATRIBUTOS: APENAS A VERSÃO PODE CONTER: HEAD, seguido de BODY

I ITÁLICO - 01 SINTAXE: <I></I> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: <TT> <B> <U> <BR>

INPUT DEFINIÇÃO DE CAMPO - 09 SINTAXE: <INPUT> </INPUT> ATRIBUTOS: TYPE="text/radio/ hidden/password/chechbox/file/ reset/submit/image" NAME="nome" ACCESSKEY="letra" READONLY TABINDEX="número" ONCLICK="ação a ser inserida" ONFOCUS="ação a ser inserida ONMOUSEOVER="ação a ser inserida PODE CONTER: NADA

IMG IMAGEM - 01 SINTAXE: <img src="local"> ATRIBUTOS: ALT="texto alternati- vo" ALIGN="left/right/top/middle/ bottom" HEIGHT="altura da ima- gem" WIDTH="largura da imagem" BORDER="largura da borda" HSPACE="espaçamento horizon- tal" VSPACE="espaçamento vertical"

USEMAP="url" PODE CONTER: NADA

OPTION CRIAÇÃO DE ITEM PARA LISTA DE OPÇÕES - 03 COMANDO: <OPTION>Texto a ser exibido na tela</OPTION> ATRIBUTOS: VALUE="valor a ser passado para o servidor" SELECTED, LABEL="nome do option" PODE CONTER: NADA PRE MOSTRA UM CÓDIGO HTML SEM EXECUTAR - 08 COMANDO: <PRE></PRE> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: TUDO

S DEIXA O TEXTO COM UM RISCO NO MEIO - 08 COMANDO: <S></S> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: NADA

SUB DEIXA O TEXTO ALINHADO PARA BAIXO - 08 COMANDO: <SUB></SUB> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: NADA

22

Resumo HTML

SUB DEIXA O TEXTO ALINHADO PARA BAIXO - 08 COMANDO: <SUB></SUB> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: NADA

SELECT DEIXA O TEXTO ALINHADO PARA CIMA - 09 COMANDO: <SELECT></SELECT> ATRIBUTOS: NAME="nome" SIZE="número de linhas que ficarão visíveis" MULTIPLE PODE CONTER: NADA

TABLE TABELAS - 01 SINTAXE: <TABLE></TABLE> ATRIBUTOS: ALIGN="left/center/ right" WIDTH="largura ou porcenta- gem%" BORDER="largura ou porcentagem%" CELLSPACING="espaço entre as células" CELLPADDING="espaço entre os dados e a borda" PODE CONTER: <TR> <TD>

TEXTAREA CAMPO DE TEXTO COM VÁRIAS LINHAS - 03 COMANDO: <TEXTAREA>Texto a ser exibido na tela</TEXTAREA> ATRIBUTOS: NAME="nome" ROWS="número de linhas" COLS= "número de colunas" WRAP="tipo de quebra de linha" PODE CONTER: NADA

STYLE APLICAÇÃO DE STYLE SHEETS - 08 COMANDO: <STYLE></STYLE> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: NADA A HYPERLINKS (ÂNCORAS) - 01 SINTAXE: <A HREF="url"> Endere- ço do Link</A> ATRIBUTOS: NAME="nome" TITLE= "título"

PODE CONTER: <IMG SRC="local"> <TT> <I> <B> <U> <BR><FONT> AREA IMAGEM MAPEADA COM LINKS - 01 SINTAXE: <AREA></AREA> ATRIBUTOS: SHAPE="rect/circle/ poly/default" COORDS="coordenadas" NOHREF="url" ALT="valor" PODE CONTER: NADAPODE CONTER: NADA

B NEGRITO - 01 SINTAXE: <B></B> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: <TT> <U> <I> BGSOUND SOM EM BACKGROUND - 02 SINTAXE: <BGSOUN> ATRIBUTOS: <BGSOUND SCR="arquivo.wav" LOOP="1" PODE CONTER: NADA

BODY DESCRIÇÃO DE CORPO - 01 SINTAXE: <BODY></BODY> ATRIBUTOS: BACKGROUND="img" SRC="local" BGCOLOR="cor" LINK ="cor" VLINK="cor" ALINK="cor" PODE CONTER: <BR><H1> <H2> <H3> <H4> <H5> <H6> <IMG SRC="url">

BR QUEBRA DE LINHA - 01 SINTAXE: <BR> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: NADA

CENTER CENTRALIZAR ELEMENTOS - 01 SINTAXE: <CENTER></CENTER> ATRIBUTOS: NENHUM PODE CONTER: <BR><H1> <H2> <H3> <H4> <H5> <H6> <IMG SRC="local">

DL LISTA DE DEFINIÇÕES -02 SINTAXE: <DL></DL> ATRIBUTOS: <DT> <DD> PODE CONTER: <FONT> <BR> <IMG> <I> <B> <U>

EMBED OBJETO EMBUTIDO -06 SINTAXE: <EMBED></EMBED> ATRIBUTOS: <EMBED SRC="nome do arquivo" WIDTH="valor da largura" FACE="fonte" PODE CONTER: <TT> <I> <B> <U> <BR>

FONT DEFINIÇÃO DE FONTE - 01 SINTAXE: <FONT></FONT> ATRIBUTOS: SIZE="tamanho" COLOR="cor" FACE="fonte" PODE CONTER: <TT> <I> <B> <U> <BR>

FORM DEFINIÇÃO DE FORMULÁRIO - 03 COMANDO: <FORM></FORM> ATRIBUTOS: ACTION="url/mailto:" ENCTYPE="tipo" METHOD="get ou post" TARGET="nome_da_janela" PODE CONTER: NADA

FRAME CRIAÇÃO DE FRAMES - 02 COMANDO: <FRAME> ATRIBUTOS: NAME="nome" SRC="local" NORESIZE SCROLLING="tipo de scroll" FRAMEBORDER="valor da borda" MARGINWIDTH="valor da largura" MARGINHEIGHT="valor da altura" PODE CONTER: NADA

FRAMESET CRIAÇÃO DE FRAMES - 02 COMANDO: <FRAMESET> </FRAMESET> ATRIBUTOS: FRAMEBORDER="valor da borda" COLS="colunas" ROWS="linhas" FRAMESPACING="valor" PODE CONTER: NADA

23

Proteja seu micro - Hackers

Hackers Conheça as técnicas usadas por hackers para invadir sistemas e saiba como impedir que isto aconteça com você. Aqui, serviço completo e

programas no CD-ROM.

Nunca se falou tanto em Segurança de Computadores e, apesar disso, nunca tantas máquinasforam invadidas por Hackers no Brasil em tão pouco tempo.

Aproximadamente 563 sites brasileiros foram viola- dos no ano 2000, contra 124 em 1999, segundo dados recebidos do Site Hacker “Red Connection” – que monitora pichações de Home Pages ao redor do mundo.

O Brasil foi o país onde mais cresceu o número de ataques hackers. Sites de nomes como a Microsoft, Ford, Kaiser e Telemig Celular foram vandalizados no ano pas- sado. E no governo... foram atacados do Banco Central à Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal.

TOURO_BR by RED CONNECTION HACKERS GROUP

Tudo acontece como em uma guer- ra. De um lado, os Hackers. Do outro, os Administradores de Sistema. O Campo de Batalha? Claro, a Internet. É neste cenário que ocorrem as inva- sões, uma complexa operação que exige muito conhecimento técnico.

E é justamente para ajudar você a vencer esta guerra que esta edição da On The Net traz uma série de re- portagens sobre o assunto, explican- do técnicas que você não encontra em lugar nenhum. Para quem exatamen- te foi direcionada esta matéria? Para, Administradores e usuários comuns que não querem ter problemas com invasões, perda de dados, entre ou- tros prejuízos que um Hacker pode oferecer. Confira.

Nesta edição estaremos falando sobre um dos assuntos mais comen- tados entre os Hackers, Administrado- res e Internautas. Um assunto interes- sante para usuários que querem

aprender como funciona uma invasão, como um hacker pode obter seus da- dos tão facilmente e fazer estragos. Dicas de como se prevenir, de como remediar em caso de estar com algum problema de invasão, e um adicional, onde ensinaremos você a dominar os arquivos de batch. Não sabe o que é isso? Então não perca a matéria. Será muito interessante.

Gostaria de citar que este é o pri- meiro de muitos outros tutoriais, onde você, aos poucos aprenderá a se de- fender de vilões da Internet – o que chamamos de Hackers. Mas como em qualquer outro curso, este é o primei- ro degrau, e existirão centenas de ou- tros. Nosso intuito é de levar informa- ções para usuários comuns aprende- rem a se defender, e administradores a proteger melhor sua rede. “Não há como combater um mal, sem ao menos antes o conhecer”. Este é o ditado que nós, da Revista On The Net, defendemos.

24

Os dos principais motivos de alguém invadir o computador alheio, com cer- teza é bisbilhotar o seu HD. Na tela "Explorador Remoto", além de visua- lizar todos os arquivos e pastas do HD da vítima, é possivel deletar arquivos, copiar e até enviar arquivos para o computador alvo.

Proteja seu micro - Hackers

Trojans (Programas de Invasão) Modo Ataque • Invadindo • Desinstalando Trojans: Invade computadores com esta família de softwares, que facilitam, e muito, a ação do hacker. Com co- mandos pré-programados, é possível ter o controle total do computador in- vadido, a partir de um painel de con- trole próprio do software – Trojans. Nesta matéria, iremos mostrar como os hackers fazem para invadir seu computador, utilizando trojans.

Estes serão os assuntos trata-

dos nesta edição:

O que são os trojans?

São programas criados por Hackers, que têm a função única e exclusiva de ter o controle total de uma máquina qualquer ligada a Internet. Durante alguns anos, os trojans eram considerados uma revolução, algo que iria “botar fogo” na Internet. Os trojans são programas baseados na relação “Cliente – Servidor”, onde o Cliente (o hacker) é o usuário que vai ter acesso ao Servidor (PC invadido). Na internet, todos os computadores

são clientes, pois fazem requisições aos servidores que pela sua vez lhe enviam a resposta solicitada (páginas, programas, etc). Com os trojans, seu micro passa a ser um serviddor, pois executará os pedidos de um compu- tador cliente (computador do hacker) Se você nunca invadiu uma máqui- na, ou não tem conhecimento de como isso pode acontecer, aqui vai uma lista de dados que são necessá- rios para uma invasão (baseado nos

Ficha Técnica

Tipo • Invasão

Nível de conhecimento • Básico

Conhecimento prévio • Noções Básicas de Internet e • Portas de Comunicação

Softwares Necessários • Inclusos no CD-Rom desta edição

Nota: Todos nós já ouvimos um dia falar “Se quiser tornar-se um hacker, aprenda a usar Linux. Se você é administrador, e quer estabilidade dos seus sistemas, evi- te o Windows.” Isso porque há uma mai- or facilidade para encontrar programas de invasão para Windows do que para Linux, além do mais, a plataforma Win- dows é mais conhecida que a Linux.

trojans): Um IP (Identificação na base numérica para cada usuário da Internet – Ex. 200.150.124.30) para invadir;

Um Scanneador de Portas. (Para procurar portas em estado Listen – que podem ser invadidas);

E um programa de Invasão (Os Trojans) Ao invés de explicar, vamos botar

a “mão na massa”. É mais fácil de se compreender... Obs Inicial: Desligue seu antivírus.

Comando NetBus: Depois de conectado, é só alegria. Você só aperta os botões do seu NetBus, Exemplo “Open CD-ROM”, e ele abrirá o Cd-Rom do computador invadido. Admin Server: Seria a opção para ad- ministração dos Servidores. Você pode inserir e deletar IP’s. Serve para admi- nistrar os IP’s que você está invadindo. Open CD-Rom: Abre o Cd-Rom. Show Image: Mostra uma imagem no PC invadido. Basta você ter o caminho do arquivo. Swap Mouse: Muda os botões do Mouse. Start Program: Executa programa, bas- tando ter o caminho do mesmo. Msg Manage: Envia caixa mensagens. Como se fossem aquelas mensagens de erro que aparecem no seu PC. Mas a mensagem você que inventa.

ScreenDump: Mostra a Tela do micro Get Info: Recolhe informações do PC invadido. Port Redirect: Redirecionamento de Portas Play Sounds: Roda arquivos de Som (*.wav) Send Text: Envia textos. Caso o usuá- rio esteja em um chat, vai aparecer uma mensagem que você escreveu, como se fosse escrito por ele. Active Wdws: Janelas Abertas. Mouse pos: Controle do mouse em duas posições que você especifica. X e Y. Listen: Você pode ver tudo que o PC invadido está escrevendo. Sound System: Controle de Som. Server Setup: Configuração do arqui- vo Server.exe. Você pode especificar uma senha, que será solicidada toda vez

que o PC estiver sendo invadido. So- mente quem tiver a senha poderá inva- dir. Go To Url: Você abre uma página na Internet no Pc Invadido. Key Manager: Controle do Teclado File Manager: Controle dos Arquivos do Server (clicando em Show Files – aguar- de, pois esse processo demora). Por aqui você tem acesso ao HD do Server, po- dendo ver exatamente a estrutura das pastas e arquivos deste computador. Po- dendo copiar (download), enviar (upload) e deletar alguns arquivos. Este é o NetBus. Caso venha a utilizar outros Trojans, o precesso de invasão é este mesmo mos- trado no NetBus. Só mudará o programa que invade (Trojan), e seus respectivos comandos, que poderão ser mais sofisti- cados, ou menos, conforme o trojan.

25

Proteja seu micro - Hackers

ve? Este programa executa uma var- redura em vários IP’s procurando computadores vulneráveis a inva- sões via Trojan NetBus. Começare- mos daqui mesmo.

Coloque um número de IP qual- quer, ex: 200.192.11.*. Como de- monstrado na imagem. Não retire o * (asterisco). Ele representa um coringa, melhor explicando: o progra- ma irá executar uma busca do IP: 200.192.11.0 até o 200.192.11.250 (baseado no exemplo).

O resto você não altera. Clique em Scan. O Programa fará a busca, e se encontrar máquinas vulneráveis, ele irá informar o número do IP do com- putador. O que fazer a partir daí en- tão? Olhe o último passo...

Segundo Passo: Abra novamenrte o CD-Rom, e

através do navegador de instalação de programas, procure o software NetSnooper. Instale-o em uma pasta. Abra a pasta no seu computador e execute o programa “NetSnoop.exe”. Pronto, abrirá a seguinte janela...

Este é o Scanner. Para que ser-

Terceiro e Último Passo: Copie o número do IP, e voltando

no NetBus, coloque o IP vulnerável no lugar onde está escrito “localhosts” e mande conectar. Normalmente ele irá pedir uma senha, digite então “tou- ro” e dê Ok.

Agora verifique se há conexão, olhando na barra de status do NetBus. (que se encontra na parte inferior do programa), caso não haja conexão, será mostrado a mensa- gem “No connection”.

Mas o processo de conexão é efe- tuado desta maneira. Se você seguiu tudo direitinho, você estará invadindo um computador.

Em Caso de Problema de Senha Inválida: 01)- Tente apertar com o botão direito sobre o IP infectado (do PC vulnerável) e escolha a Opção de reenvio de se- nha, e ao mesmo tempo fique testando a senha “touro” no NetBus. Se fizer isso, provavelmente irá conseguir invadir. 02)- Verifique se junto com o número do IP há algo parecido com “v. 1.6” – pois este programa de scanner somen- te trabalha com versões 1.6. Se apare- cer 1.7 – esqueça. 03)- Se em meio a estas duas soluções você não conseguir invadir nenhum computador, deixe uma mensagem em nosso fórum. www.onthenet.com.br

Executei o Server.exe ou invés do Cliente.exe, ou então, quero saber se estou infectado pelo NetBus:

Caso você execute o arquivo “server.exe”, lamento, mas você está vulnerável a invasões. Dependendo do humor do invasor, ele pode ape- nas abrir e fechar o seu Cd-Rom ou até mesmo, deletar todo o seu HD. Em poucas palavras, ele pode fazer o que bem quiser com seu PC. O que fa- zer? Se matar? Bem, não é assim que você deve agir. O que você deve fa- zer é desinstalar o Server do seu PC. Para isso, existem algumas maneiras simples de se resolver este problema, que são as mesmas para a remoção do Trojan. Seguem abaixo:

- Solução para o NetBus, e ape- nas alguns dos milhões de Trojans que já existem e que ainda hão de existir...

01)- Vá até o Menu Iniciar/Executar. 02)- Digite “winipcfg” e espere abrir

o programa 03)- Copie o número do seu IP. 04)- Vá até o programa NetBus, e

clique em “Server Admin” / Add IP 05)- Será incluído seu IP na lista,

depois disso, selecione o seu IP na lista com o mouse e clique no botão “Remove Server”

06)- Pronto.

Primeiro Passo: Abra o CD-Rom no seu sistema,

através do navegador de instalar pragramas, encontre o Net Bus. Ins- tale-o em uma pasta, antes disso cer- tifique-se que seu anti-vírus esteja desabilitado, caso contrário o mesmo irá detectar o trojan e não permitirá a instalação. Você encontrará dois arqui- vos executáveis, um nomeado de Server.exe e o outro de Cliente.exe. Faça o seguinte... O Server você não mexe, porque se você executá-lo, você poderá ser invadido (Ele abre as suas portas para os Hackers). Então você executa o arquivo Cliente.exe. Abrirá uma telinha com o programa, parece muito com um controle remoto ou um painel de controle...

Usamos como exemplo o NetBus, o famoso, mas não importa qual seja o programa utilizado, pois basta entender o funcionamento deste e pronto, pode pegar os trojans que você quiser. Você vai saber mexer, o funcionamento e a lógica de programação é quase a mes- ma.

Este é o NetBus, muito comenta- do devido a facilidade de uso, que não exige nenhum conhecimento avança- do do usuário. É por aqui que vão ser efetuadas as invasões.

26

Proteja seu micro - Hackers

Solução para todos os Trojans...

01)- Vá até o Menu Iniciar/Executar 02)- Digite “regedit” e dê OK 03)- Abrirá um programa pareci-

do com o Windows Explorer. 04)- Então, tente localizar as

seguintes pastas: “HKEY_LOCAL_MACHINE\Software\ Microsoft\Windows\CurrentVersion\Run”

05)- Basta ir seguindo o caminho dado no passo anterior até chegar na Pasta “Run”

06)- Pronto, clique sobre a pasta Run, e observe as opções que abri- rão na parte lateral direita.

07)- Observado, procure ver se no valor {Padrão} está assim: {valor não definido}, se não estiver apague o que está escrito lá dentro e deixe vazio.

08)- Tente observar todos os pro- gramas que estão nesta pasta. Se você encontrar o caminho para algum server, delete-o.

09)- Feito isso, estará concluí- do. Você acaba de remover o Trojan Server.

Truques Hackers Existem programas que conse-

guem juntar dois programas executáveis. Muitos hackers utilizam tais programas para disfarçar o seu trojan (server.exe). Por que isso? Por- que muitos antivírus antigos não o de- tectarão, e também, porque ele é usa- do mesmo para camuflar o arquivo servidor, não levantando nenhuma suspeita por parte do “pobre inocen- te” que executou o programa.

Resumindo tudo isso em simples palavras

Não é possível invadir qualquer computador, mas apenas aqueles que estão vulneráveis. Para isso existem os scanners, que verifi- cam as falhas, analisam portas em escuta (listen) e outros proble- mas que podem ajudar uma inva- são. Todo computador ligado a Internet possui um IP, que é o nú- mero de identificação de cada PC na Rede. Para conseguir invadir um PC é preciso primeiramente ter o IP dele, para poder efetuar um scanner, e depois explorar suas falhas. O Trojan é apenas uma ferramenta que efetua uma invasão. Mas para ele funcionar, é preciso que na máquina que você quer invadir, o sistema dele tenha executado o arquivo Servi- dor (server.exe). Se ele não exe- cutou faça ele executar, envie o server.exe pra ele, ou use a ma- nha Hacker, que é colocar ele dentro de outro programa (por exemplo um jogo). Feito isso, você pode invadir esse PC. É assim que são efetuadas as invasões por Trojan. Se você não quer ter todo esse trabalho para invadir, (como enviar arquivos, esperar ele exe- cutar), e desejar uma máquina que já esteja infectada, é só você usar o scanner que comentamos em alguns itens atrás. Ele acha máquinas vulneráveis, e o seu úni- co trabalho vai ser colocar o IP do cara no seu NetBus.

Lembrete aos Leitores Muitos podem criticar o material

aqui encontrado, justificando que é um incentivo para muitos usuários se tor- narem hackers, ou pelo menos agi- rem como um. Mas o intuito da nossa revista, é a divulgação de forma ex- plícita de como age um hacker. Sim- plesmente, para se combater um hacker, nada melhor do que saber os

meios que ele utiliza, as manhas, os truques. A partir daí, é possível estu- dar soluções, e maneiras de se pre- venir deste tipo de invasão. Este é o processo que todo administrador de Rede faz. Conhecer os passos do Hacker, as suas manhas e por fim, pegá-los. A invasão via Trojan nada mais é do que uma entre milhares e

milhares de maneiras possíveis de se invadir um sistema.

Espero que entenda a nossa ma- neira de ver esta situação.

Meu espaço é curto, mas em ou- tras edições estaremos falando sobre outras maneiras de se invadir (e de se defender), assim como foi feito aqui.

27

FX-HTML - JavaScript

Nessa edição nós iremos ensinar como fazer um teste de javascript em seu site, como fazer umbanner randômico em JavaScript, um menu personalizado para o botão direito do mouse. Lembramos que não recomendamos que você digite os códigos exibidos nas próximas páginas,

todos os exemplos contidos aqui se encontram no CD-ROM que acompanha a revista. Dúvidas, sugestões e criticas: cartas@onthenet.com.br

Você usa JavaScript em seu site? Geralmente você recebe e-mails di- zendo que o site contém erros? Esse é um ótimo script para os navega- dores que não aceitam JavaScript ou por este recurso estar desativado. O Script exibe uma mensagem dizen- do que o navegador não suporta ou o suporte esté desativado.

Éste é um script muito bom e leve, vamos direto ao que interessa, vamos ver como é que fica o HTML e vamos explicar como é feito.

Agora vamos a explicação deta- lhada do script, da linha 1 até a 5 é o cabeçalho HTML, na linha 6 é o co- meço do cabeçalho do JavaScript:

<script language=”JavaScript”> A linha 7 já é o corpo do

JavaScript, se seu navegador acei- ta JavaScript ele irá exibir a mensa- gem que está dentro, da proprieda- de document.write:

document.write(“Seu navegador suporta JavaScript”)

Tela que será vista no teste de javascript, lembrando que será exibida uma mensagem ou outra, as duas não serão exibidas ao mesmo tempo.

FX-HTML

1: <html> 2: <head> 3: <title>Teste de JavaScript - revista on the NET - Edição 9</title> 4: </head> 5: <body> 6: <script language="JavaScript"> 7: document.write("Seu navegador suporta JavaScript") 8: </script> 9: <noscript>Seu navegador não suporta JavaScript ou o suporte ao JavaScript esta desativado. </noscript> 10: </body> 11: </html>

Arquivo teste javascript.html

Na linha 8 fecha o cabeçalho do JavaScript:

</script> Na linha 9 inicia-se a ação de no

caso do navegador não ter suporte ao JavaScript, ou se o suporte esti- ver desativado: <noscript>Seu navegador não suporta JavaScript ou o suporte ao JavaScript

esta desativado.</noscript> Nas linhas 10 e 11 é o fechamen-

to do cabeçalho HTML. O resultado final ficara assim:

28

FX-HTML - JavaScript

Banner Randômico

Para você que deseja fazer um sistema de banner randômico e não sabe programar em ASP, CGI, PHP, ou seu servidor não suporta essa lin- guagem de programação, este script vai lhe ajudar muito, é simples, e com ele você terá um sistema de banner randômico normal, a diferença é que o banner por ser programado em JavaScript será executado no cliente e não no servidor como no caso do ASP, CGI e PHP. A programação dele é básica sendo fácil configurar e fácil adicionar novos banners.

Nós vamos explicar passo a passo como aplicar esse script em seu site e como adicionar mais banners na pro- gramação. Bom, para começar vamos criar um arquivo chamado banner.js, ele será uma espécie de biblioteca de javascript. Você irá trabalhar da mes- ma forma que trabalha com o CSS mas ao invés de conter stylesheet irá con- ter as programações em javascript. No caso do arquivo banner.js ele só vai conter a programação do banner randômico mas se você quiser colocar mais javascripts nesse arquivo, pode, desde que você feche cada programa- ção corretamente, agora vamos ver como é que fica o arquivo JS:

Na primeira linha você irá encontrar uma tag de comentário, no caso do script não ser executado o mesmo não será exibido na página.

Na segunda linha você vai encontrar um comentário dizendo que ali é a parte da imagem.

Na terceira linha é a parte da variável das imagens.

Na quarta e quinta linha ficam o ca- minho das imagens.

Na sexta linha é fechada a variável das imagens.

Sétima linha é feito mais um comen- tário, desta vez avisando que na próxi- ma linha começa a variável de comen- tários.

Na oitava linha começa a variável dos comentários.

Na nona e décima linha tem os co- mentários atribuídos aos banners.

Na décima primeira linha é fechada a variável de comentários aos banners.

Décima segunda linha exibe um co- mentário informando que na próxima li- nha começa a área da variável do ende- reço do site anunciado no banner.

Décima terceira linha começa a vari- ável do link.

Na décima quarta e décima quin- ta linha vai ter a url do site, ou seja o link.

Na décima sexta linha é fechada a variável dos endereços e na décima sé- tima é fechada a tag de comentário, no caso de ocorrer um erro não será exibi- do no html a programação em JavaScript.

Para adicionar mais banners é sim- ples um exemplo básico é assim:

var imagesarr = new Array( “imagens/banner.gif”, “imagens/banner2.gif”, “imagens/banner3.gif” ); Esse exemplo só mecheu na parte

de imagens, para dar certo é só fazer as mesmas alterações no comentário e no link ou endereço como preferir, lembran- do que depois de adicionar as variáveis do novo banner você tem que colocar uma vírgula para não misturar um banner com o outro.

1: <!-- 2: // imagens 3: var imagesarr = new Array( 4: "imagens/banner.gif", 5: "imagens/banner2.gif" 6: ); 7: // comentários 8: var commentsarr = new Array( 9: "MID Produções", 10: "MP3 Magazine" 11: ); 12: // endereços 13: var linksarr = new Array( 14: "http://www.mid.com.br", 15: "http://www.mp3magazine.com.br" 16: ); 17: // -->

Arquivo banner.js

Exemplo:

“imagens/banner.gif”, “imagens/banner2.gif”

Pronta a parte de javascript agora vamos a parte do HTML, a parte mais fácil. Vamos ver como fica:

Agora vamos à explicação: Da primeira à terceira linha é o cabeça- lho básico do HTML.

Já na quarta linha é a ação na qual chama o arquivo banner.js.

Quinta e sexta linha cabeçalho HTML.

Sétima linha, cabeçalho do Java Script

<script language="JavaScript">

Na oitava linha é declarada a va- riável rvs que dá o comando para fa- zer o sistema randômico.

Na nona linha é dado o comando para imprimir na tela o resultado do script.

document.write ("<a href='"+linksarr[rvs]+"'><IMG SRC='"+imagesarr[rvs]+"' border='0' ALT='"+commentsarr[rvs]+"'></ a>");

1: <html> 2: <head> 3: <title>Banner randômico - revista on the NET - Edição 9</title> 4: <script language="Javascript1.1" src="banner.js"></script> 5: </head> 6: <body> 7: <script language="JavaScript"> 8: var rvs = Math.floor(Math.random() * imagesarr.length) 9: document.write ("<a href='"+linksarr[rvs]+"'><IMG SRC='"+imagesarr[rvs]+"' border='0' ALT='"+commentsarr[rvs]+"'></a>"); 10: </script> 11: </body> 12: </html>

Arquivo banner.html

29

FX-HTML - JavaScript

Certamente você tem em seu site um contador que mostra quantas vi- sitas o mesmo já teve até o momen- to, certo? Que tal você mostrar quantas vezes cada visitante de sua página visitou o seu site? Para que

Na décima linha é fechado o cabe- çalho do JavaScript.

</script>

Décima primeira e décima segun- da linha é fechado o cabeçalho HTML. Lembramos que você deve- rá aplicar este script, no local onde deseja que o banner fique.

O resultado final desse exemplo mostrado aqui fica assim:

Banner Randômico

1: <HTML> 2: <HEAD> 3: <TITLE>Quantas vezes você visitou o site - revista on the NET - Edição 9</ TITLE> 4: <SCRIPT LANGUAGE="JavaScript"> 5: function GetCookie (name) { 6: var arg = name + "="; 7: var alen = arg.length; 8: var clen = document.cookie.length; 9: var i = 0; 10: while (i < clen) { 11: var j = i + alen; 12: if (document.cookie.substring(i, j) == arg) 13: return getCookieVal (j); 14: i = document.cookie.indexOf(" ", i) + 1; 15: if (i == 0) break; 16: } 17: return null; 18: } 19: function SetCookie (name, value) { 20: var argv = SetCookie.arguments; 21: var argc = SetCookie.arguments.length; 22: var expires = (argc > 2) ? argv[2] : null; 23: var path = (argc > 3) ? argv[3] : null; 24: var domain = (argc > 4) ? argv[4] : null; 25: var secure = (argc > 5) ? argv[5] : false; 26: document.cookie = name + "=" + escape (value) + 27: ((expires == null) ? "" : ("; expires=" + expires.toGMTString())) + 28: ((path == null) ? "" : ("; path=" + path)) + 29: ((domain == null) ? "" : ("; domain=" + domain)) + 30: ((secure == true) ? "; secure" : ""); 31: } 32: function DeleteCookie (name) {

33: var exp = new Date(); 34: exp.setTime (exp.getTime() - 1); 35: var cval = GetCookie (name); 36: document.cookie = name + "=" + cval + "; expires=" + exp.toGMTString(); 37: } 38: var expDays = 9999; 39: var exp = new Date(); 40: exp.setTime(exp.getTime() + (expDays*24*60*60*1000)); 41: function amt(){ 42: var count = GetCookie('count') 43: if(count == null) { 44: SetCookie('count','1') 45: return 1 46: } 47: else { 48: var newcount = parseInt(count) + 1; 49: DeleteCookie('count') 50: SetCookie('count',newcount,exp) 51: return count 52: } 53: } 54: function getCookieVal(offset) { 55: var endstr = document.cookie.indexOf (";", offset); 56: if (endstr == -1) 57: endstr = document.cookie.length; 58: return unescape(document.cookie.substring(offset, endstr)); 59: } 60: </SCRIPT> 61: </HEAD> 62: <BODY> 63: <font face="verdana" size="1"><SCRIPT LANGUAGE="JavaScript"> 64: document.write("Você esteve aqui <b>" + amt() + "</b> vezes.") 65: </SCRIPT></font> 66: </BODY> 67: </HTML>

Arquivo visitas.html

isso funcione, o visitante terá que estar vulnerável a receber cookies, porque só gravando no computador do visitante, para ter a informação de quantas vezes ele visitou deter- minado site. Vamos ao script:

Você também pode escolher por ter um banner em flash já que hoje a moda na área de design é a ferramen- ta de criação de vetor com animação, alem de ter mais qualidade nos gráfi- cos o "SWF" (extensão do flash) tem a possibiliadade de colocar sons e até mesmo dar mais interatividade ao o internalta. Agora os seus banners po- dem ter sons e até mesmo uma personalização no ponteiro do mouse, mas tome muito cuidado ao usar sons em seus banners, pois pode ocorrer um enorme problema que atrapalha: a maioria dos internautas: com o som irá aumentar o tamanho do arquivo e com isso ficará mais lerdo para carre- gar o arquivo. Aconselho não abusar muito de sons e da qualidade do áudio.

Estamos falando tanto disso que você deve estar se perguntando, cadê o script desse banner randômico para flash? Na próxima edição vamos ensinar, já fica avisa- do que sera ensinado o script (JavaScript) e não como fazer um banner em flash.

30

FX-HTML - JavaScript

O script que mostramos é um pou- co grande e difícil ser modificado, por isso avisamos que não recomendamos qualquer modificação nos nomes das variáveis, recomendamos que deixe a parte que está acima do </ head><body> igual.

Da primeira até a terceira linha é o cabeçalho HTML:

<HTML> <HEAD> <TITLE>Quantas vezes você

visitou o site - revista on the NET - Edição 9</TITLE>

Na quarta linha é iniciado o Java Script com o cabeçalho:

<SCRIPT LANGUAGE=”JavaScript”>

Da quinta até a nona linha são declaradas as variáveis:

var arg var alen var clen var i

Na décima linha você vai encon- trar um while:

while (i < clen) {

Para você entender melhor o que isso quer dizer, nós vamos dar uma explicação mais detalhada para você não se perder:

while = enquanto i = var i (ou seja é uma variável) “<“ = isso é um valor matemático

muito usado em programações como JavaScript e ASP. Indica que se o valor de i for menor que clen.

clen = var clen (ou seja, essa é outra variável).

Na décima primeira linha é de- clarada mais uma variável:

var j = i + alen;

Na décima segunda linha é de- clarado um IF:

if (document.cookie.substring(i, j) == arg)

Na décima terceira linha ele dá um comando para retornar à função getCookieVal (linha 54), com a vari- ável J embutida:

return getCookieVal (j);

Décima quarta linha a variável i recebe mais atributos:

i = document.cookie.indexOf(“ “, i) + 1;

Na décima quinta linha é aberta outra função IF:

if (i == 0) break;

Na décima sexta linha é fe- chado o comando while com um }, na décima sétima linha é dado o comando para voltar ao nulo:

return null;

Décima oitava linha é fecha- da a função GetCookie com um }, décima nona linha é aberta a função SetCookie, que puxa o nome e o valor:

function SetCookie (name, value) {

Da vigésima até a vigésima quin- ta linha são declaradas as variáveis:

var argv var argc var expires var path var domain var secure

Na vigésima sexta linha vai ter um comando que puxa o cookie:

document.cookie = name + ”=” + escape (value) +

Da vigésima sétima até a tri- gésima linha são mais atributos ao document.cookie, na trigésima primeira linha é fechada a função SetCookie, e na trigésima segun- da linha é iniciada a função Dele- teCookie:

function DeleteCookie (name) {

Na trigésima terceira linha é de-

clarada a variável para dar uma nova data de expiração do cookie:

var exp = new Date();

Na trigésima quarta linha a vari- ável exp recebe o comando para ajustar o tempo:

exp.setTime (exp.getTime() - 1);

Na trigésima quinta linha é de- clarada uma nova variável que pega o nome do visitante que está arma- zenado no cookie:

var cval = GetCookie (name);

Trigésima sexta linha vai ter uma ação que criará um novo cookie com o nome do visitante, quantida- de de vezes que visitou o site atua- lizado e a data de expiração:

document.cookie = name + “=” + cval + “; expires=” +

exp.toGMTString();

Trigésima sétima linha é o fecha- mento da função DeleteCookie com um }, na trigésima oitava linha é de- clarada a variável para estipular o número de dias para expirar o cookie:

var expDays = 9999;

Trigésima nona linha é declarada novamente a variável para dar a nova data de expiração do cookie:

var exp = new Date();

Na quadragésima linha tem um co- mando que irá ajustar a data correta para expirar o cookie, para isso ele pega a data atual e adiciciona a quantidade de dias estipulado na variável expDays:

exp.setTime(exp.getTime() + (expDays*24*60*60*1000));

Quadragésima primeira linha é iniciada a função:

function amt() {

Quadragésima segunda linha é

31

declarada a variável count que pega o valor count do cookie:

var count = GetCookie(‘count’)

Na quadragésima terceira linha é declarado mais um IF:

if(count == null) { Para você entender melhor o que

queremos dizer, é simples: if = se count = variável declarada na

linha 42. “==” = valor matemático muito usa-

do em programações, como já falamos. null = nulo

Isso significa se count for igual a nulo ele irá executar a função da linha 44. Caso não seja nulo, ele vai executar a partir da linha 47.

Na quadragésima quarta linha ele adiciona o valor 1 no cookie:

SetCookie(‘count’,’1’) \ return 1

Na quadragésima sexta linha é declarado o fechamento do IF com um }, na quadragésima sétima linha é declarado o começo do else:

else {

Na quadragésima oitava linha é declarada mais uma variável, esta variável contém o novo número de visitas:

var newcount = parseInt(count) + 1;

Quadragésima nona linha está o comando para deletar o cookie:

DeleteCookie(‘count’)

Na quinquagésima linha ele ajusta o cookie para o novo valor:

SetCookie(‘count’,newcount,exp)

Linha 51 é mandado voltar a va- riável count:

return count Linha 52 é o fechamento da ação

else, que é fechada com }, logo em seguida na quinquagésima terceira li- nha fecha a função amt com }.

Quinquagésima quarta linha ini- cia a função getCookieVal:

function get CookieVal(offset) {

Na linha 55 é declarada mais uma variável:

var endstr = document.cookie.indexOf (“;”,

offset); Quinquagésima sexta linha é ini-

ciado mais um IF: if (endstr ==-1)

Na quinquagésima sétima linha é dada uma ação para a variável endstr:

endstr = document.cookie.length;

Quinquagésima oitava linha é dado um retorno:

return unescape(document.cookie.substring(offset, endstr));

Quinquagésima nona linha é o fim da função getCookieVal que é fechada com um }.

Na sextagésima e sextagésima primeira linha é fechado o cabeça- lho de Java Script e o head:

</SCRIPT> </HEAD>

Na sextagésima segunda linha é aberta a tag body e na sextagésima terceira linha é feita a propriedade de fontes e junto na mesma linha é aberto o cabelho JavaScript:

<BODY> <font face=”verdana” size=”1”> <SCRIPT

LANGUAGE=”JavaScript”>

Na sextagésima quarta linha é colocada a ação document.write, é uma chamada para imprimir o re- sultado do JavaScript na tela:

document.write(“Você esteve aqui <b>” + amt() + ”</b> vezes.”)

Na sextagésima quinta linha é o fechamento do cabeçalho e o fecha- mento da tag da fonte:

</SCRIPT></font>

FX-HTML - JavaScript

Agora se você não quiser ficar com um código HTML tão extenso você pode usar a alternativa de um JS. Para dar certo você pega o java script que está acima do HEAD e co- loca em um arquivo chamado “cookie.js” o nome do JS é com você. Agora o HTML vai ficar assim:

Tela do exemplo que você ira encontrar no CD-ROM que acompanha a revista.

1: <HTML> 2: <HEAD> 3: <TITLE>Quantas vezes você visitou o site - revista on the NET - Edição 9</ TITLE> 4: <script language="Javascript1.1" src="cookie.js"></script> 5: </HEAD> 6: <BODY> 7: <font face="verdana" size="1"><SCRIPT LANGUAGE="JavaScript"> 8: document.write("Você esteve aqui <b>" + amt() + "</b> vezes.") 9: </SCRIPT></font> 10: </BODY> 11: </HTML>

Arquivo visitasJS.html

Na quarta linha é iniciada a ação para puxar o arquivo que se encon- tra a programação do JavaScript, a programação não muda em nada a única mudança dentro do arquivo JS é que não precisa da tag <SCRIPT language=”JavaScript”> e a progra- mação é colocada dentro de um co- mentário, ou seja é colocada dentro de <!-- programação JavaScript //-->

Na sextagésima sexta linha e na sextagésima sétima linha se encon- tra o cabeçalho HTML, é o fecha- mento de tudo:

</BODY> </HTML>

O resultado final desse exemplo que mostramos, fica assim:

32

HTML 4.0

HTML 4.0

Para os que pensam quesabem tudo sobre HTML, fizemos esta matéria. Aqui iremos falar sobre diversas TAGs existentes que nunca falamos anterioremente e que dificilmente se encontra nas páginas pela WEB.

O HTML (HyperText Markup Language) que nós utilizamos hoje, faz parte da versão 4.01 que é uma subversão do HTML 4.0, além de utilizar recursos de multimedia e hyperlinks personalizados da versõres anteriores do HTML (HTML 3.2 e HTML 2.0), o HTML 4 traz novas opções de multimedia, scripts, Style Sheets, melhor facilidade para impressão de páginas.

A primeira versão do HTML 4 foi publicada no dia 18 de dezembro de 1997 e a sua revisão foi feita em 24 de abril de 1998. Esta revisão passou a ser chamda de HTML 4.01. Mas quem faz as revisões nos códigos HTML?

Existe um grupo chamado W3C - World Wide Wib Consortium, este orgão é responsável, junto com o ISO - International Standart Organization, de manter o padrão da linguagem HTML em todo o mundo. Através das regras postas pela W3C, os fabricantes de Browser e aplicações para WEB irão desenvolver seus programas, digamos que os membros da W3C ditam as regras de uma grande parte do conteúdo da Internet, além da linguagem HTML, o W3C ainda é responsável pelas aplicações CSS, XML, HTTP, SVG, entre outras.

Alguns comandos contídos no HTML 4.01 já são conhecidos, mas a grande maioria ainda está bem escondidinha. Entre as novas TAGs

Fórmulário simples criado com o código HTML mostrado na coluna

anterior Form_simples.html

(que para muitos já são velhas) estão as seguintes: Frame, Frameset, Table, IMG, A, entre diversas outras.

A partir desta edição da revista On The Net, iremos mostrar para vocês a grande quantidade de comando que o HTML tem, mas que ninguêm ainda sabe, por falta de oportunidade ou pelo simples fato desses comando não estarem inclusos nos programas WYSIWYG - What You See Is What You Get (O que você vê é o que você quer), programas que facilitam a criação de sites, fazendo com que os usuários não precisem saber muito sobre a linguagem HTML.

Nesta edição iremos falar sobre alguns dos novos recursos dos formulários.

Iremos iniciar mostrando passo a passo, algumas modificações na TAG FORM

<Form action="email.asp" method="post">

Nome: <input type="text" name="nome">

<input type="submit" name="Enviar" value="Enviar">

Este é um exemplo simples de como fazer um. Iremos mostrar alguns novos recursos da TAG INPUT:

<input type="text" name="revista" accesskey="r" value="On The Net" readonly>

Aqui você vê dois novos parâmetros da TAG

Accesskey - Com este parâmetro, você pode atribuir uma tecla para acesso rápido a este campo. No nosso caso utilizamos a letra "R", ou seja, ao pressionarmos as teclas ALT + R o campo revista será selecionado.

Value - Você já coloca um valor padrão que irá aparecer no formulário

Readonly - Quando este parâmetro for adicionado, não será posível alterar o conteúdo do INPUT referido, vale lembrar que esse parâmetro só funcionará perfeitamente quando o parâmetro VALUE conter algum caracter. Veja o exemplo que segue:

33

O novo campo do nosso formulário foi incluído com os parâmetros VALUE,

ACCESSKEY e READONLY. FORM_02.HTML

HTML 4.0

Como você pôde ver, o campo já veio com um texto padrão (parâmetro value="On The Net"), esse texto não pode ser apagado ou modificado(parâmetro readonly). E se você pressionar as teclas ALT + R este campo será selecionado (parâmetro accesskey).

TABINDEX Mais um parâmetro importante

da TAG INPUT, com o TABINDEX você poderá especificar a ordem que os campos serão selecionados, quando o usuário de sua página pressionar a tecla TAB. Este recurso é muito interessante, já que ajuda o usuário na hora de preencher um formulário com dados obrigatórios, por exemplo.

Email:

<input type="text" name="email" tabindex="2">

<br> Endereco: <input type="text"

name="endereco" tabindex="1"> <br>

Acrescentamos este código em nosso formulário anterior, ao pressionarmos a tecla TAB uma única vez, o campo endereço será selecionado, ao pressionar

novamente, o campo e-mail será selecionado

ONCLICK: Com essa propriedade podemos

atribuir uma ação quando um botão for pressionado. Você poderá utilizar algum JavaScript para ser executado. Iremos dar um exemplo simples de como utilizar esse botão.

Primeiro, iremos criar um JavaScript que checa se todos os campos do formulár io contém informações.

<script language="JavaScript"><!--

function Checa(){

if (document.otn.nome.value == "") {

alert("Esqueceu de especificar seu Nome");

document.otn.nome.focus(); return; }

if (document.otn.email.value == "") {

alert("Você não digitou seu email");

document.otn.email.focus(); return; }

if (document.otn.endereco.value == "") {

alert("Digite seu Endereço");

document.otn.endereco.focus(); return; }

else { alert("Está tudo ok");

} } //--></script>

Está é uma função em JavaScript que checa os campos do formulário

para ver se algum campo está em branco.

Como podemos ver na primeira linha, o nome de nossa função é Checa, vamos analisar o seu conteúdo:

Iremos analisar apenas o primeiro IF já que os outros são parecidos, apenas o nome do campo é modificado:

if (document.otn.nome.value == "") {

Se o conteúdo do campo nome for igual a vazio

document.otn.nome.value

comando do JS Nome do Formulário Nome do Campo

alert("Esqueceu de especificar seu Nome");

Envie uma mensagem com o seguinte texto

document.otn.nome.focus();

Seleciona o campo nome do formuário

return;

Retorna

}

....

else

Se tudo estiver certo

{ alert("Está tudo ok"); }

Envie uma mensagem com o seguinte texto

34

HTML 4.0

Aviso enviado pelo Browser quando o usuário não preencher o campo nome

e clicar no botão Checar campos.

Como pode-se observar este código é bastante simples. Agora iremos mostrar como o botão irá chamar este código:

Primeiro coloque o nome do for- mulário para OTN <Form action="email.asp" method="post" name="otn">

Utilizando o parâmetro name, po- demos especificar o nome do formu- lário.

Agora colocaremos o botão que irá acionar a função

<input type="button" value="Checar campos" oncl ick=" javascr ipt :Checa() ; " tabindex="3">

Criamos o botão checar campos, com a propriedade Button do parâmetro TYPE, este campo con- tém o parâmetro ONCLICK conten- do o valor javascript:checa();

Agora iremos utilizar o mesmo Script mas iremos trocar o parâmetro OnClick do Input tupe="button" para OnFocus, ou seja, quando o botão checar valores for focado (selecio- nado) a função será chamada. Para facilitar a seleção do botão adicio- namos o parâmetro accesskey.

<input type="button" value="Checar campos" onfocus="javascr ipt:Checa();" accesskey="c">

Ao pressionarmos as teclas ALT + C a função Checa será acionada.

Aproveitando que já estamos com a mão da massa iremos trocar novamente o parâmetro OnFocus

Primeiro coloque o nome do for- mulário para OTN <Form action="email.asp" method="post" name="otn">

Utilizando o parâmetro name, podemos especificar o nome do for- mulário.

Agora colocaremos o botão que irá acionar a função

<input type="button" value="Checar campos" oncl ick=" javascr ipt :Checa() ; " tabindex="3">

Criamos o botão checar campos, com a propriedade Button do parâmetro TYPE, este campo contém o parâmetro ONCLICK contendo o valor javascript:checa();

Agora iremos utilizar o mesmo Script mas iremos trocar o parâmetro OnClick do Input tupe="button" para OnFocus, ou seja, quando o botão checar valores for focado (selecio- nado) a função será chamada. Para facilitar a seleção do botão adicio- namos o parâmetro accesskey.

<input type="button" value="Checar campos" onfocus="javascript:Checa();" accesskey="c">

Ao pressionarmos as teclas ALT + C a função Checa será acionada.

Utilizando o parâmetro OnFocus, executamos o JavaScript que checa os

campos do formulándo apenas selecionado o campo Checar Campos.

FORM_05.HTML

para onmouseover, só que não ire- mos criar nenhum arquivo de exem- plos, você fará o teste e verá o que acontece.

<input type="button" value="Checar campos" onmouseover="javascript:Checa();">

Este recurso de checar campos de um formulário é muito utilizado, mas ele tem uma maior utilidade quando usado diretamente com o botão enviar (Submit).

A maioria dos códigos de valida- ção de campos é muito complexa, os usuários mal conseguem inserí-los em suas páginas, e quando fazem isso, nem mexem para não parar de funcionar, fora que o código tem um monte de caractéres inúteis. Essa função que criamos é muito útil e ao mesmo tempo simples de se ententer e de se adaptar em seu site. Agora iremos mostrar as duas formar de ativar essa função com o botão envi- ar do formulário.

Utilizando o parâmetro OnClick: Para isso, retire o código do bo-

tão enviar. <input type="submit" name="Enviar" value="Enviar">

Altere as informações do botão checar campos, que irá virar o bo- tão enviar.

<input type="button" name="Enviar" value="Enviar" onclick="javascript:Checa();">

Pronto, agora basta testar.

Ao clicar no botão enviar do formulário, a função Checa() irá ver se

há campos vazios no mesmo

FORM_06.HTML

35

FORM_08.HTML

Fazendo multiplas seleções

Utilizando o parâmetro OnSubmit: O parâmetro OnSubmit é utilizado

dentro da TAG FORM, após o clique no botão enviar do formulário, a ação especificada no parâmetro onsubmit.

Alterando a TAG FORM <Form

action="form_simples.html" method="post" onsubmit="return Checa(this);">

Na tag OnSubmit utilizamos return Checa(this), perceba que retiramos o parâmetro name pois não há mais necessidade do mesmo, mas se você deseja continuar com esse parâmetro, não há nenhum problema.

Agora iremos checar as mudan- ças no código JavaScript, foram pou- cas, por isso só iremos comentar onde tem mudanças

<script language="JavaScript"><!-- function Checa(OTN){ O nome do formulário veio para cá if (document.otn.nome.value == "") { alert("Esqueceu de especificar seu Nome"); document.otn.nome.focus(); return (false); Adicionamos o valor de retorno para false } if (document.otn.email.value == "") { alert("Você não digitou seu email"); document.otn.email.focus(); return (false); } if (document.otn.endereco.value == "") { alert("Digite seu Endereço"); document.otn.endereco.focus(); return (false); }

return (true); Quando não houver nenhum problema, o valor de retorno será o TRUE (verdadeiro) então o formulá- rio será processado sem proble- mas.

} //--> </script>

Utilizando melhor a TAG SELECT. A maioria de vocês já deve co-

nhecer a TAG select que pode ser incluída dentro dos formulários. Além dessa TAG ser simples, você ainda pode inserí-la facilmente utilizando programas WYSIWYG.

Vamos ver o código HTML dos menus de seleção, para lembrarmos melhor de como eles funcionam.

<select name="sites"> <option value="0">Clique aqui</

option> <option

value="mp3">www.mp3magazine.com.br </option> <option

value="otn">www.onthenet.com.br </option> <option

value="flash">www.flashmaster.com.br </option> <option

value="mid">www.mid.com.br </option> </select>

HTML 4.0

Exemplo de validação de campo FOM_07.HTML

Como podemos ver, a linhas de comando são simples, sem proble- ma algum.

Mas, e quando desejamos sele- cionar mais do que uma informação contida em um SELECT? Então uti- lizamos os parâmetros Multiple e Size; vejamos o código para enten- der melhor.

Escolha seus sites favoritos:<br> <select multiple size="3"

name="sites"> <option

value="mp3">www.mp3magazine.com.br </option> <option

value="otn">www.onthenet.com.br </option> <option

value="flash">www.flashmaster.com.br </option> <option

value="mid">www.mid.com.br </option> </select>

No parâmetro size, especifica- mos a quantidade número 3, ou seja, só aparecerão visualmente 3 op- ções, se por acaso houver mais op- ções, as mesmas serão acessadas através das barras de rolagem. Para fazer mais do que uma seleção, mantenha os botões CTRL ou ALT pressionados enquanto você clica nas opções desejadas.

36

Veja os granhadores da promoção TRADUZWEB:

Mais uma promoção quentinha para você. O site Promoções na Rede (www.promocoesnarede.com.br) está trazendo novas promoções.

O destaque deste mês saiu para a seção Tó Duro. Você poderá assistir gratuitamente teatros e eventos.

Para quem mora em São Paulo, a peça Pirata na Linha - Infanto Juvenil e Farsa Quixotesca - Experimen- tal que está em cartaz no Teatro Popular do Sesi (Centro Cultural Fiesp), essa é a dica gratuita.

Para quem está em Minas Gerais a dica é um evento: "Música de Domingo Instrumental", o local de apresentação é o Teatro Francisco Nunes.

Na próxima edição tem mais dicas para você. Tá duro? Não se preocupe, divirta-se

DICA

Nome: Daniela Passos Coutinho Idade: 16 Cidade: São José dos Pinhais Estado: PR E-mail: dani@pow.com.br

Nome: William de Souza Fontes Idade: 14 Cidade: São Paulo Estado: SP E-mail: webmasterwilliam@bol.com.br

Nome: José Cássio Gimenez Idade: 20 Cidade: Votuporanga Estado: SP E-mail: jcassiog@ig.com.br

Nome: Paulo Fernando Ayres Filho Idade: 18 Cidade: Salvador Estado: BA E-mail: payres@ieg.com.br

Nome: Rodrigo Sixel de Paula Idade: 22 Cidade: Petrópolis Estado: RJ E-mail: rsixel@bol.com.br

ON THE NET

37

Para fazer um formulário usando ASP, você primeiro terá que montar o formulário e depois a página em ASP que enviará o e-mail.

HTML

Neste exemplo, iremos criar um formulário simples, com nome,e-mail e sexo.

Form.html

<html> <head> <title>Formulário para inscrição</ title> </head> <body> <form action="email.asp" method="post"> Nome:<br> <input type="text" name="nome" size="15"><br><br> Email: <br>

Novas Tecnologias - A. S. P.

Novas Tecnologias

A gora que todos já sabemos como funcionam as páginas em ASP,

iremos dividir esta seção em duas partes: a básica e a intermediária.

Básica

• Faça um formulário usando CDONTS

• Pegando data do servidor.

• Comandos IF... THEN... ELSE...

• Pegar o IP do usuário

Avançado

• GuestBook

Criando um Formulário

<input type="text" name="email" size="15"><br><br> Sexo<br> Masculino: <input type="radio" name="sexo" value="M" > Feminino: <input type="radio" name="sexo" value="F" ><br><br> <input type="submit" name="Enviar" Value="Enviar"> <input type="reset" name="Limpar" Value="Limpar"> </form> </body> </html>

Exemplo do formulário em HTML

38

O código HTML está pronto, ago- ra precisamos fazer o arquivo email.asp, pois como vimos no acti- on do form, será para lá que os da- dos postados nesse formulário irão. Mas antes iremos explicar duas pas- sagens importantes do formulário.

1- <form action="email.asp" method="post">

Novas Tecnologias - A. S. P.

Exemplo 2 - Resultado do envio de emailExemplo 1 - Resultado do envio de email

2- <input type="submit" name="Enviar" Value="Enviar"> e <input type="reset" name="Limpar" Value="Limpar">

Os botões Enviar e Limpar, são inse- ridos no fomulário com os types: submit e reset respectivamente, não há necessi- dade de conter o botão limpar, você deci- dirá se o seu formulário terá esse botão ou não.

O action do form, mostra o nome do arquivo que irá receber as infor- mações do formulário.

O method (método) que será usado: O Post e o Get, a principal diferença entre os dois é que o Get é limitado a uma quantidade de caracter, enquanto o Post não tem essa limitação.

ASP

A programação para recebimen- to dos dados é muito simples, ire- mos primeiro mostrar a programa- ção e depois explicar linha por linha.

email.asp <% ’Pegando dados do formulário nome=request(“nome”) email=request(“e-mail”) sexo=request(“sexo”) ‘Criando o objeto para enviar email, este é o componente do que o servidor dispõe para enviar e- mail. SetobjMail = Server.CreateObject (“CDONTS.Newmail” ) ’ Definindo o destino do e-mail - Coloque seu email objMail.To = “cartas@onthenet.com.br”

’Remetente do E-mail objMail.From = email ' Assunto do E-mail objMail.Subject = “Cadastro de usuário” ’ Corpo da mensagem ’ Colocando o nome de quem enviou o e-mail Corpo = “Nome:” & Nome & VbCrLf ’ Colocando o sexo de quem enviou o e-mail Corpo = Corpo & “Sexo:” & sexo ’ Atribuindo essas informções ao Corpo da mensagem objmail.body = Corpo ’ Enviando o e-mail objmail.send ’ Confirmação do E-mail Response.Write "Seu e-mail foi en- viado com suceso. Obrigado! "

%>

Vamos explicar o código ASP:

• Nome=request("nome") - Estamos atribuindo para a variável "nome", o conteúdo do campo do formulário nome. A variável "nome" pode ter qualquer nome, você que escolhe.

• Objmail.From = email - Coloca- mos o conteúdo da variável email, no campo ObjMail.From

• Corpo="Nome:"& Nome & VbCrLf - Criamos uma variável "Cor- po", que conterá as informações que desejamos, como podemos perce- ber, tudo o que for texto, colocamos entre aspas duplas "" TEXTO "" e o que for variável, colocamos simples- mente o nome da variável. O & ser- ve como concatenização da parte de texto com a variável em ASP. Por exemplo, se o conteúdo da variável nome for ONTHENET, aparecerá da seguinte forma em seu e-mail: Nome: ONTHENET. O comando & VbCrLf é para quebra de linha, o equivalente ao comando

39

Novas Tecnologias - A. S. P.

<br> do HTML. Corpo= Corpo & "Sexo:" & sexo - Nesta linha, nós estamos concatenando o conteúdo anterior da varíavel corpo com o novo conteúdo, então aparecerá da seguinte forma em nosso e-mail: Nome: ONTHENET Sexo: M

Objmail.body=corpo - Coloca no corpo na mensagem, o conteúdo da variável body.

Objmail.send - Envia o email

Response.Write "Seu e-mail foi enviado com sucesso. obrigado!" - Escreve na página a mensagem colocada em asp. Tente colocar a seguinte mensagem:

Response.Write "Seu e-mail:" & email & "foi enviado com sucesso. obrigado!"

Exemplos de data no servidor

Data.asp

<%

’Cria as variáveis que iremos usar

dia = day(date) nomedia = weekday(date) mes = month(date) ano = year(date)

’Faz uma seleção para dar um nome ao mês

select case mes case 1 mes = "janeiro" case 2 mes = "fevereiro" case 3

mes = "março" case 4 mes = "abril" case 5 mes = "maio" case 6 mes = "junho" case 7 mes = "julho" case 8 mes = "agosto" case 9 mes = "setembro" case 10 mes = "outubro" case 11 mes = "novembro" case 12 mes = "dezembro" end select

Até hoje, todos os JavaScripts

utilizados em nossas páginas para

mostrar a data tinham um pequeno

defeito, pegavam a data do

computador do usuário. Sendo

assim, se a data do computador do

usuário estivesse errada, a data da

sua página, para esse usuário,

apareceria errada. Como o ASP

executa todos os códigos no

servidor, podemos fazer com que ele

pegue a data do servidor, e fazendo

com que a data mostrada no seu site

não dependa mais da data do

computador do usuár io. Meio

complicado? Veja o exemplo, é muito

simples.

Data correta em seu site

’Faz uma seleção para dar um nome ao dia select case nomedia case 1 nomedia = "Domingo" case 2 nomedia = "Segunda-feira" case 3 nomedia = "Terça-feira"

case 4 nomedia = "Quarta-feira" case 5 nomedia = "Quinta-feira" case 6 nomedia = "Sexta-feira" case 7 nomedia = "Sábado" case else end select

40

Novas Tecnologias - A. S. P.

’Se o tamanho da variável dia, for menor que dois ’Então acrescenta um 0 no dia, essa função serve ’para os dias de 1 a 9 ficarem com um 0 na frente, ’ou seja, ao invés de 1 de maio, fica 01 de maio. if len(dia)<2 then dia = "0" & dia end if

’Formata a disposição dos códigos que aparecerão ’Na tela do seu computador. diaformatado = nomedia & ", " & dia & " de " & mes & " de " & ano

%>

’Coloque esse código em qualquer parte de sua página <HTML> <HEAD> <TITLE>Data - Exemplo ASP 03</ TITLE> </HEAD> <body> Minha página pessoal.<br> Veja a data de Hoje: <% response.writediaformatado%> </BODY> </HTML>

Exemplo: O código ficaria mais ou menos assim -

Sexta-Feira 09 de Março de 2001. Mesmo se a data do seu com- putador estiver no dia 01 de Janei- ro de 2001, essa data aparecerá em sua página.

Interatividade: Se você ainda fi- cou com dúvidas, faça o seguinte: Altere a data do seu relógio para o dia 01 de Janeiro de 2001, entre no site www.mp3magazine.com.br e perceba que a data desse site está correta. Agora entre no site www.flashmaster.com.br, perceba que a data estará alterada para o dia 01 de Janeiro de 2001.

Utilizando o IF... THEN... ELSE

Um dos comando mais utilizados no ASP é o IF... THEN... ELSE. Com ele podemos selecionar algumas ações a serem executadas, esse comando se lê da seguinte forma: SE joão for homem, ENTÂO mande ele para o banheiro masculino. SENÃO mande para o banheiro feminino.

IF 5 > 10 then Número maior que 5 else Número menor que 5 end if

O exemplo que estaremos utilizando, mostrará os recursos que o seu Browser suporta.

Browser.asp <html> <head> <TITLE>Comando IF Then Else - Exemplo ASP 04</TITLE> </head><body bgcolor=”#FFFFFF”>

<%

’ Criando o objeto para checar o browser

Setbc = Server.CreateObject(“MSWC.BrowserType”) %> <!— Mostrando o nome do browser e a versão —>

Browser: <%=bc.browser%><p> Versão: <%=bc.version%><p>

<!— Se o browser suportar frames, ele executa a primeira opção. —>

<%if (bc.frames = TRUE) then %> Este browser aceita frames<p><p> <%else%> <!— Senão ele executa a segunda opção —> É melhor você trocar de Browser. Este não suporta frames... <%endif%>

<!— Se o browser suportar tabelas, ele executa a primeira opção. —> <%if (bc.tables = TRUE) then%> Mas que bom! Este browser aceita tabelas...<p> <%else%> <!— Senão ele executa a segunda opção —> É melhor você trocar de Browser. Este não suporta nem tabelas...é bem velhinho...<p> <%endif%>

<!— Se o browser suportar sons de fundo, ele executa a primeira opção. —> <%if (bc.BackgroundSounds = TRUE)then%> Aproveite! Este browser permite que haja fundo musical nas páginas<p> <%else%>

Utilizamos o servidor www.hdg.com.br para testar todos os nossos exemplos, este é atual- mente o melhor servidor gratuito em português. A única taxa cobrada é de dez reais para se cadastrar, e para leitores da On The Net essa taxa tem um desconto de 50%.

O HDG disponibiliza acesso à FTP e espaço de 30 Mb, além disso ele tem componentes de ASPmail, CDONT’s entre outros.

Armazena o banco de dados em uma pasta fora do seu domínio, dan- do maior segurança para os seus dados. Para se cadastrar acesse:

www.hdg.com.br/onthenet.html

41

<!— Senão ele executa a segunda opção —> Ou este browser é bem antiguinho, ou você realmente não gosta de muito barulho.<p> <%endif%>

<!— Se o browser suportar vbscript, ele executa a primeira opção. —> <%if (bc.vbscript = TRUE) then %> Você é programador? Este Browser aceita processamento local de VBScript<p> <%else%> <!— Senão ele executa a segunda opção —> Este Browser não permite o processamento local de VBScript<p> <%endif%>

Novas Tecnologias - A. S. P.

<!— Se o browser suportar javascript, ele executa a primeira opção. —> <%if (bc.javascript = TRUE) then %> Este Browser aceita processamento local de JavaScript<p> <%else%> <!— Senão ele executa a segunda opção —> Este Browser não permite o processamento local de JavaScript<p> <% endif

’ Finaliza o objeto Browser Capabalities

setbc=nothing %>

</body> </html>

Exemplo do comando IF, Then e Else junto com as informações sobre o seu browser

Comandos importantes do ASP

If Then Else - Podemos utilizar o comando If The

Else em diversas ações, o comando fun- ciona basicamente da seguinte forma:

If 2 > 1 then response.write “dois maior que um” else response.write “O número não é me-

nor que dois” end if

Se o número 2 for maior que o número 1, então ele escreverá na tela “O número não é menor que dois”, senão ele escreve- rá na tela “O número não é menor que dois”. Sempre que iniciarmos um IF, temos que terminá-lo utilizando o comando END IF.

-Também podemos utilizar rotinas sim- ples com o IF. Como no exemplo abaixo:

If usuario = “aceito” then response.write “Bem vindo ao nosso

site caro usuário, Você já está cadastra- do”

end if

Nesta sentença que vimos acima a fra- se “Bem vindo ao nosso site caro usuário, Você já está cadastrado” só aparecerá se a variável usuário contiver a palavra acei- to, se por acaso a variável usuário estiver vazia, então não aparecerá nenhuma fra- se no site.

Você percebeu que utilizamos o co- mando response.write para enviar as men- sagens para a página do usuário. O co- mando response.write pode ser usado da seguinte forma:

response.write “Eu estou aqui” Quando desejamos enviar uma men-

sagem response.write “<font face=arial><B><br>”

Quando desejamos enviar comandos HTMLs

response.write usuario Quando desejamos enviar o conteúdo

da variável. Perceba que quando desejar enviar o conteúdo de uma variável você não precisará usar aspas (“ “). response.write “<font size=2>” & usuario

Podemos também enviar um código HTML e juntá-lo com o conteúdo de uma variável, para isso utilizamos o caracter &, perceba que o código html continua com aspas, somente a variável não está usan- do aspas.

42

Para pegar o número de IP (Internet Protocol) do usuário de sua página, coloque o seguinte comando em sua página:

<% ’ Criando a sua página com o HTML response.write “<html>”

’ Colocando o head response.write “<head>”

’ Informações sobre o título do site response.write “<title>IP - Exemplo ASP 05</title>”

’ fechando o head response.write “</head>”

Pegar IP do usuário I i

Pegando o número de IP do seu visitante

’ Criando o corpo do site response.write “<body>”

’ Especificação de fonte response.write “<font face=””verdana”” size=””2"”>”

’ Texto seguido de comando <br> response.write “Seu número de IP é: <br>”

’ Comando para pegar o IP do usuário response.write request.Servervariables (“REMOTE_ADDR”) ’ Finalização da tag Font response.write “</font>” ’ Finalização todas as tags response.write “</body></html>”

%>

Novas Tecnologias - A. S. P.

Dicas

Usando session -Quando usamos uma variável, pode-

mos utilizá-la em toda nossa página, em qualquer parte: começo, meio ou fim. Mas e quando vamos para outra página será que conseguimos utilizá-la! Vamos dar um exemplo comum:

Você deseja que sempre que o usuá- rio da sua página entrar em seu site, apa- reça uma mensagem para ela, com o seu nome. Então você fará isso da seguinte forma:

usuario = rs(“nome”) - digamos que o conteúdo do campo nome do banco de dados seja ONTHENET <b><%=usuario%>Seja Bem Vindo!</b>

Quando o usuário entrasse em sua pá- gina, apareceria a seguinte mensagem:

ONTHENET Seja Bem Vindo! Agora se você utilizar o comando aci-

ma, em uma outra página, o nome ONTHENET não aparecerá, isso ocorre porque as variáveis só existem na página que elas foram criadas, se você deseja usar um recurso desse gênero, você de- verá usar session, ao invés de variáveis, nesse caso a programação ficaria da se- guinte forma

session(“usuario”) = rs(“nome”) <b><%=session(“usuario”)%>Seja

Bem Vindo!</b> Viu como é simples. Para finalizar uma session, basta dei-

xa-la com valor nulo, ou seja: session(“usuario”) = nothing Usando o Option Explicit Para garantirmos a qualidade de nos-

sas páginas em ASP, podemos utilizar o recurso OPTION EXPLICIT. Com ele você terá que criar todas as variáveis que for usar, e se por acaso errar a digitação de uma variável, o sistema irá avisar que a variável usada não existe, mas vamos para os exemplos práticos de como usar o OPTION EXPLICIT:

No começo da página ASP, coloque o código.

<% Option Explicit %> <% ‘Usaremos o exemplo acima de

session DIM Usuario usuário = rs(“usuario”) O comando DIM criou a variável

usuario agora podemos utilizá-la em qual- quer parte de nossa página, sem proble- ma algum.

43

A pedidos, criamos uma subseção dentro da seção Novas Tecnologias. Nesta edição da revis- ta, estaremos ensinado para os lei- tores mais avançados a como fazer seu próprio GuestBook. Nada de usar guestbooks de terceiros, que você não pode personalizar, pode ficar fora do ar sem você saber, pode parar de funcionar de uma hora para outra. O melhor de ter seu próprio GuestBook é que você pode personalizá-lo conforme sua neces- sidade.

Com esse exemplo de Guest- Book, você irá aprender a utilizar ASP com banco de dados, aprende- rá a pegar informações contidas no banco de dados, incluir e apagar in- formações, além de aprender a proteger sua página com senha, per- mitindo acesso apenas para os ad- ministradores.

Para fazer um guestbook, iremos utilizar sete arquivos, dentre eles, dois HTMLs e cinco ASP, abaixo segue a lista dos arquivos e o que cada um irá fazer:

Guestbook.asp - Contém o texto que o pessoal

escreve. Assinar.html - Formulário por onde o pessoal

irá assinar o guestbook. Gravar.asp - Grava os dados digitados no

banco de dados. Admin.html - Formulário para ter acesso ao

Administrador do Guestbook. Senha.asp - Checa se o usuário e a senha

digitada, no formulário do Adminis- trador, está registrada.

Novas Tecnologias - A. S. P.

INTERMEDIÁRIO - GuestBook text=”#DCEBF8"> <table border=”0" cellpadding=”0" cellspacing=”1" width=”550"> <% ‘Especifica valor 0 para o contador Count = 0 DoWhile Not rs.EOF And Count< rs.PageSize %> ... <strong>Nome: </strong> <a href=”mailto:<%=rs(email)%>”> <%=rs(“nome”)%></a> <b>Home Page: </b> <a href=”http://<%=rs(hp)%>” target=”new” title=”clique para visitar a página”><%=rs(“hp”)%></a> ... <strong>Data: </strong><%=rs(“data”)%> ... <b>Mensagem:</ b><%=rs(“mensagem”)%><br> ... <% Count = Count + 1 rs.MoveNext Loop %> ... <a href=”assinar.html”>Assine o GhestBook</a> ... <% ‘Coloca o número e páginas

Response.Write(“<B><font color=””#003399"” size=””2"” face=””Arial””><strong> Página “ & CurPage & “ de “ & TotalPages & “ </strong></font></B><br><br> “) %> ... <% ’Mostra o botão anterior ifCurPage > 1 then ’Se não estiver na primeira página, mostra o botão Anterior Response.Write(“<B><font color=””#ffffff””>”) Response.Write(“<a href=’guestbook.asp?curpage=” & curpage 1 & “‘>”) Response.Write(“ Anterior “) EndIf %> ... <% ifCInt(CurPage) <> CInt(TotalPages) then ’Se não estiver na última página, mostra o botão Próxima Response.Write(“<B><font color=””#ffffff””>”) Response.Write(“<a href=’guestbook.asp?curpage=” & curpage + 1 & “‘>”) Response.Write(“ Próximo “) EndIf%>

Apagar.asp - Mostra as mensagens do

Guestbook para serem apagadas Deletar.asp - Apaga a mensagem selecionada.

Vamos agora explicar arquivo por arquivo:

<%@LANGUAGE=”VBSCRIPT%> <!—##Include File=”ADOVBS.inc”—> <% ‘Quantidade de mensagens por página ConstNumPerPage = 10 ‘Verifica qual a página solicitada IfRequest.QueryString(“CurPage”) = “” then CurPage = 1 ‘Primeira página Else CurPage = Request.QueryString(“CurPage”) EndIf SetConexao = Server.CreateObject(“ADODB.Connection”) ’ Conexão DSN ’ Conexao.Open “guestbook” ’Conexão DSN-Less conexao.Open “Driver={Microsoft Access Driver (*.mdb)};DBQ=” & server.MapPath(“guestbook.mdb”) ‘Cria o RecordSet Setrs = Server.CreateObject(“ADODB.Recordset”) ‘Acerta a posição do cursor rs.CursorLocation = adUseClient ‘Define o tamanho do Cache = para o número de páginas rs.CacheSize = NumPerPage ‘Seleciona o conteúdo do banco de dados strSQL = “SELECT * FROM Guest order by data desc” ‘Abre o Recordset rs.OpenstrSQL, Conexao ‘Move o cursor para a primeira linha rs.MoveFirst ‘Atribui o número de páginas rs.PageSize = NumPerPage ‘Pega o número total de páginas TotalPages = rs.PageCount ‘Configura a página atual rs.AbsolutePage = CurPage %> <html> <head> <title>Guestbook On The Net - Avançado - Exemplo 06</title> </head> <body bgcolor=”#000000" marginleft=”0" marginwidth=”0" link=”#00FFFF” vlink=”#00FFFF” alink=”#FFFFFF”

44

Localize o ícone Fonte de Dados ODBC (32 Bits).

Dê um duplo clique nele e clique no botão adicionar.,

Novas Tecnologias - A. S. P.

Tiramos os códigos HTML para que você possa perceber melhor a ação do ASP. Iremos explicar as partes mais importantes deste arquivo:

<!—#INCLUDE File=”ADOVBS.inc”—> - Este é um comando para incluir arquivos externos, estamos incluíndo os comandos VBS do ADO, pois estamos utilizando um sistema de paginação, que iremos falar mais adiante.

ConstNumPerPage = 10 - Especificamos o número de mensagens que desejamos por página.

IfRequest.QueryString(“CurPage”) = “” then CurPage = 1 ‘Primeira página Else CurPage = Request.QueryString(“CurPage”) EndIf

- Se a variável CurPage estiver vazia, ela ganhará valor 1, senão, ela terá o seu próprio valor especificado.

SetConexao = Server.CreateObject(“ADODB.Connection”)

- Iremos falar sobre conexão com um banco de dados:

Para criarmos uma conexão com um banco de dados, temos que configurar em uma variável qualquer, o objeto de conexão do ADO, no caso o ADODB.Connection.

- Depois de ter feito isso, você irá abrir o banco de dados, há duas forma de fazer isso: 1 - Utilizando uma conexão DNS

Conexao.Open “guestbook” Para fazer uma conexão DNS, siga os

seguintes passos: Clique em INICIAR/PROGRAMAS/

PAINEL DE CONTROLE.

Ao abrir a janela criar nova fonte de dados, você irá selecionar o tipo de banco de dados que irá utilizar. No nosso caso, iremos usar o Microsoft Acess com extensão MDB.

Após ter feito a seleção, basta clicar no botão concluir.

’Conexão DSN-Less conexao.Open "Provider=Microsoft.Jet.OLEDB.4.0;Data Source=c:\home\hdg\dominios\ usuario\dados\guestbook.mdb;”

Mas e quando não sabemos o caminho completo do arquivo no servidor? Então utilizamos a segunda opção: - Nesta segunda opção utilizamos o comando server.MapPath, ele irá sozinho localizar onde está o mdb, mas claro, que o mdb deve estar junto com a página em ASP, senão essa localização se torna impossível. Conexão DSN-Less conexao.Open “Driver={Microsoft Access Driver (*.mdb)};DBQ=” & server.MapPath(“guestbook.mdb”)

Agora coloque um nome no campo Data Source Name, este será o nome da sua conexão DSN (pode ser qualquer nome). No nosso caso iremos chamar a conexão DSN de "guestbook".

Após ter especificado o nome de sua conexão, você deverá localizar o banco de dados. Para isso, clique no botão Select, através das pastinhas, selecione o banco de dados. Após ter feito tudo isso, sua tela de ODBC Microsoft Access 97 Setup ficará como na imagem acima. Perceba que no quadro Database, podemos ver onde está o banco de dados, no nosso caso o banco de dados está na pasta:

C:\...\exemplos\onthenet\guestbook.mdb Agora clique no botão Ok duas vezes

para que sua conexão DSN esteja funcionando.

Se por acaso você não tiver acesso ao servidor no qual irá hospedar sua página, você poderá criar uma conexão DNS-Less, ou seja, não precisará usar o ODBC do Painel de Controle.

Há dois tipos de conexão DNS-Less - A pr imeira mostra o caminho

completo do arquivo mdb no servidor que ele estiver hospedado.

Criando um conexão ODBC através do paínel de controle

Alguns comentários sobre as próximas linhas.

- Configuramos o RecordSet para a varável rs, essa variável pode receber qualquer nome, colo- camos rs, para lembrar que é a variável do RecordSet ‘Cria o RecordSet Setrs = Server.CreateObject(“ADODB.Recordset”)

Toda vez que formos usar banco de da- dos, é necessário criarmos o RecordSet, será através dele que acessaremos os dados do banco de dados

‘Acerta a posição do cursor rs.CursorLocation = adUseClient - Apenas utilizamos esse linha para fazer pa- ginação, abaixo explicamos melhor.

‘Define o tamanho do Cache = para o núme- ro de páginas rs.CacheSize = NumPerPage - Apenas utilizamos com paginação

‘Seleciona o conteúdo do banco de dados strSQL = “SELECT * FROM Guest order by data desc”

É com esse comando que selecionamos o conteúdo do banco de dados e inserimos em nossa páginas. O Comando SELECT selecio- nará todos os campos da tabela GUEST e or- denará de forma decrescente em base da data.

‘Abre o Recordset rs.OpenstrSQL, Conexao

Esta linha mostra como executarmos o co- mando acima. Nela encontramos o rs.Open que abrirá o RecordSet com as especificações que estão armazenadas na variável strSQL e por último, informamos qual o banco de dados que iremos utilizar, através da variável conexão ‘Move o cursor para a primeira linha rs.MoveFirst

45

o GuestBook e qual a página atual. <% ‘Coloca o número e páginas

Response.Write(“<B><font color=””#003399"” size=””2"” face=””Arial””><strong> Página “ & CurPage & “ de “ & TotalPages & “ </strong></font></B><br><br> “) %> Com o comando response.write, formatamos a fonte e concatenamos as tags de fonte com a variável CurPage (página atual) e a variável TotalPages (total de páginas)

Os Botões <% ’Mostra o botão anterior

ifCurPage > 1 then ’Se não estiver na primeira página, mostra o botão Anterior Response.Write(“<B><font color=””#ffffff””>”) Response.Write(“<a href=’guestbook.asp?curpage=” & curpage -1 & “‘>”)

Response.Write(“ Anterior “) EndIf %>

Usamos um If para ocultar o botão ante- rior quando a página for a primeira, quando isso não ocorrer, utilizamos a matemática para voltarmos a página: Curpage - 1

<% ifCInt(CurPage) <>

Este comando move o cursor para o iní- cio do banco de dados

‘Atribui o número de páginas rs.PageSize = NumPerPage

- Apenas utilizamos com paginação

‘Atribui para a variável TotalPages o número total de páginas TotalPages = rs.PageCount

- Apenas utilizamos com paginação ‘Configura a página atual rs.AbsolutePage = CurPage

- Apenas utilizamos com paginação Agora, começamos a parte mais detalhada

<% ‘Especifica valor 0 para o contador Count = 0

DoWhile Not rs.EOF And Count< rs.PageSize %>

Como temos que mostrar mais do que um valor, temos que usar um Loop, para que todos os valores do banco de dados venham para nossa tela. A função acima faz a se- guinte ação:

"Enquando não chegar no fim do banco de dados (rs.EOF - RecordSet End Of File) e a varíavel Count for menor que o tamanho de mensagens por página, então execute a função (que vem a seguir). Iremos mostrar apenas a primeria ação, já que as outras são iguais.

<tr> <td align=”left” width=”100%”>

<font face=”Arial” size=”2" color=”#FFFFFF”><strong> Nome:</strong></font> <a href=”mailto:<%=rs(“email”)%>”> <%=rs(“nome”)%></a> </td> </tr>

O comando <%=rs("email")%> pega o conteúdo do campo e-mail no banco de da- dos, e o coloca na tela, o mesmo ocorre como <%=rs("nome"), ele pega o conteúdo do cam- po nome do banco de dados. Depois de exe- cutado, essa célula ficaria da seguinte for- ma:

<tr> <td align=”left” width=”100%”>

Novas Tecnologias - A. S. P.

Os botões de próximo e anterior não aparecem, porque o guestbook só tem uma

página. Tudo isso graças ao comando IF.

<font face=”Arial” size=”2" color=”#FFFFFF”><strong> Nome:</strong></font> <a href=”mailto:cartas@onthenet.com.br”> ONTHENET</a> </td> </tr>

Nada de estranho para quem já conhece HTML.

Agora chegamos à parte mais interes- sante desse código, esta é a parte do Loop, a função que fará com que a página volte lá para cima e execute tudo novamente, pegan- do mais dados <% Count = Count + 1 rs.MoveNext Loop %>

Como já mostramos uma vez os valo- res, temos que adicionar no contador o valor 1. Count = Count + 1

Agora queremos pegar a próxima men- sagem da pessoa que assinou o guest e não mais essa que já foi pega, então utilizamos o seguinte comando. rs.MoveNext

Ele irá mover o ponteiro do banco de dados para a próxima linha, trazendo a pró- xima mensagem.

E por último o Loop, que fará com que o ASP volte para o DO While e execute essa parte da página novamente, mas agora com novos dados. Loop

Agora iremos ver como colocar os bo- tões de Anterior e Próximo e como colocar o total de páginas e a página atual. Primeiro iremos mostrar quantas páginas tem

Formulário comum para assinar o GuestBook

CInt(TotalPages) then ’Se não estiver na última página, mostra o botão Próxima Response.Write(“<B><font color=””#ffffff””>”) Response.Write(“<a href=’guestbook.asp?curpage=” & curpage + 1 & “‘>”) Response.Write(“ Próximo “) EndIf%>

O mesmo ocorre com o botão próximo, mas inversamente. Na primera linha temos

46

Novas Tecnologias - A. S. P.

um IF, que diz o seguinte: "Se o valor INTEIRO (CInt) da variável

CurPage for diferente (<>) que o valor total das páginas então mostra o botão.

Assinar.html Como esta página é HTML puro, só irei

mostrar uma tag que acho ser muito impor- tante: <form action="gravar.asp" method="post">

Após clicar no botão enviar, todas as in- formações escritas no formulário, serão en- viadas para o arquivo gravar.asp

Gravar.asp

<%@ LANGUAGE=”VBSCRIPT” %> <% nome=request(“nome”) email=server.HTMLEncode(request(“email”)) hp=request(“hp”) msg=server.HTMLEncode(request(“mensagem”)) data=now()

set conexao = server.createobject(“ADODB.connection”) set rs = server.createobject(“ADODB.recordset”) ’Conexão sem DSN

conexao.Open “Driver={Microsoft Access Driver *.mdb)};DBQ=” & server.MapPath(“guestbook.mdb”)

sql = “INSERT INTO Guest (nome, email, hp, mensagem, data) VALUES (‘“ & nome & “‘,’” & email & “‘,’” & hp & “‘, ‘“ & msg & “‘, ‘“ & data & “‘)” conexao.execute sql

response.redirect “guestbook.asp”

%>

O arquivo gravar.asp, irá lhe ensinar a inserir dados, você já aprendeu a pegar da- dos do banco de dados, com o arquivo guestbook.asp.

nome=request(“nome”) Atribui para a variável nome, o conteúdo do campo Nome no formulário email=server.HTMLEncode(request(“email”)) Nesta linha vemos um novo comando, o server.HTMLEncode serve para codificar o conteúdo do request("email"), ou seja, se for usado algum comando HTML, o mesmo não será executado. e aparecerá em sua página como se escreve. sql = “INSERT INTO Guest (nome, email, hp, mensagem, data)

VALUES (‘“ & nome & “‘,’” & email & “‘,’” & hp & “‘, ‘“ & msg & “‘, ‘“ & data & “‘)”

Mais um comando novo, a variável SQL, contém o comando, que irá inserir as infor- mações no banco de dados, você se lembra que o comando que pega as informações do banco de dados é o SELECT, para incluir dados o comando é o INSERT INTO. Insira na tabela GUEST nos campos nome, email, hp, mensagem, data os values que estão nas variáveis nome, etc.

Conexao.execute sql Executa o comando que a variável SQL

contém, utilizando o banco de dados da va- riável conexão.

Response.redirect “guestbook.asp”

Mais um interessante comando. Com o response.redirect podemos redirecionar o usuário para qualquer arquivo ou qualquer URL. Aqui nós iremos redirecionar o usuário para o guestbook.asp

ACESSO RESTRITO

Como complemento do GuestBook ire- mos mostrar como restringir o acesso a uma página, nesta parte do GuestBook iremos trabalhar com os arquivos

Admin.html - Formulário para ter acesso ao Ad-

ministrador do Guestbook. Senha.asp - Checa se o usuário e a senha digitada, no formulário do Administrador está registrada. Apagar.asp - Mostra as mensagens do Guestbook para serem apagadas Deletar.asp - Apaga a mensagem selecionada.

O arquivo Admin.html é simples, apenas

Utilizando a TAG type="password" você conseguirá fazer com que o campo de senha mostre apenas

asteríscos (*)

irei mostrar uma TAG que é essencial: <Input type=”password” name=”senha” size=”20">

Sempre que utilizarmos um campo de se- nha, devemos utilizar a TAG <input type="password"...> para quem o campo apa- reçam aquelas estrelinhas, impossibilitando que qualquer pessoa veja qual a senha de acesso.

O arquivo ADMIN.HTML é um formulá- rio simples, contendo apenas dois campos: Usuario e Senha.

O action desse HTML chama o arquivo senha.asp, será esse arquivo que irá checar se a senha e o nome de usuário existem no banco de dados. Senha.asp

<% usuario=request(“usuario”) senha=request(“senha”)

set Conexao=Server.CreateObject (“ADODB.Connection”) set rs=Server.CreateObject (“ADODB.RecordSet”)

’Conexão DSN-LESS conexao.Open “Driver={Microsoft

Access Driver (*.mdb)};DBQ=” & server.MapPath(“guestbook.mdb”)

strSQL = “SELECT * FROM Admin WHERE usuario= ‘“& usuario &”’ and senha=’”& senha &”’”

rs.Open strSQL, Conexao

if rs.eof and rs.bof then response.write “Você não está

autorizado a acessar essa página.”

response.write “<a href=””guestbook.asp””>Clique aqui para voltar</a>” else session(“seguro”)=usuario

rs.close set rs=nothing conexao.close set conexao=nothing

response.redirect(“apagar.asp”) end if %> strSQL = “SELECT * FROM Admin WHERE usuario= ‘“& usuario &”’ and senha=’”& senha &”’”

47

O SELECT desta página tem algumas pe- quenas diferenças, primeiro porque a tabela que ele pega as informações é a ADMIN e não mais a GUEST e agora o strSQL tem uma opção a mais, a opção WHERE faz uma condição: " Selecione todos os campos da tabela ADMIN desde que o campo usuário seja igual ao con- teúdo da variável usuário e o campo senha seja igual ao conteúdo da variável senha.

if rs.eof and rs.bof then response.write “Você não está

autorizado a acessar essa página.”

response.write “<br>” response.write “<a

href=””guestbook.asp””>Clique aqui para voltar</a>” else

Nesta primeira linha, vemos o coman- do IF, usamos esse comando para che- car se o usuário e a senha constam no banco de dados. A ação trabalha da se- guinte forma: "Se o ponteiro se encontrar no fim do banco de dados (rs.EOF - End Of File) e no começo do banco de dados (rs.BOF - Beginer Of File), se entende que não há nenhum dado, então, execute a seguinte ação". Ele irá mostrar “enviar uma mensagem”, avisando que o usuário não tem permis- são para acessar a página. Mas se a se- nha e o usuário existirem, ele continuará processando o ASP.

session(“seguro”)=usuario

rs.close set rs=nothing conexao.close set conexao=nothing

response.redirect(“apagar.asp”) end if

Mais um novo comando vemos na primeira linha. O comando session ser- ve para abrir uma seção, onde pode- mos atribuir qualquer valor. Com essa seção aberta poderemos ver o conteú- do dela em qualquer página que esti- vermos, a té que o usuá r io feche o Browser e automaticamente a sessão deixará de existir. Em nosso exemplo, usamos uma session com o nome SE- GURO, será com essa session que ire- mos checar se o usuár io pode ou não acessar as páginas seguras. Para isso atr ibuimos o nome do usuár io dentro da session SEGURO.

Os comando segu in tes, ser vem para fechar o RecordSet e fechar a Conexão. É sempre bom fechá-lo quan- do não for mais usar, com isso você dei-

xa o servidor menos pesado e suas pá- ginas ficarão mais rápidas.

O penú l t imo comando é o response.redirect que irá redirecionar o usuáruio para a página apagar,asp

O ú ltimo comando, é o END IF, que irá finalizar o comando IF THEN ELSE, sempre que você utilizar o comando IF, deverá por ú ltimo utilizar o END IF, fi- nalizando a rotina do IF.

Após ter se logado através do arquivo admin.html, você terá acesso liberado ao

arquivo apagar.asp Para fazer o teste de como o sistema de proteção de página funciona, antes de se

logar, digite http://nomedoseucomputador/aliase/

apagar.asp Exemplo:

http://fabiano/otn/apagar.asp Você será redirecionado para a página

guestbook.asp.

Novas Tecnologias - A. S. P.

Quando o usuário e a senha não conferir, a tela acima será mostrada para ele

Apagar.asp

<%@ LANGUAGE=”VBSCRIPT” %> <% seguro=session(“seguro”) if seguro=”” then response.redirect(“guestbook.asp”) end if set conexao=server.createobject (“ADODB.connection”) Set rs = Server.CreateObject(“ADODB.RecordSet”)

’Conexão sem DSN conexao.Open “Driver={Microsoft

Access Driver (*.mdb)};DBQ=” &

server.MapPath(“guestbook.mdb”) sql = “SELECT * FROM Guest

order by Data desc” rs.open sql, conexao

%> ... <%

Count = 0 Do While Not rs.EOF And Count < 20 %> ...

<form action=”deletar.asp” method=”post”>

<input type=”hidden” name=”id” value=”<%=rs(“id”)%>”> </tr> <tr> <td><font face=”arial” color=”white” size=”2"><%=rs(“id”)%> </td> <td><font face=”arial” color=”white”size=”2"><%=rs(“nome”)%> </td> <td><font face=”arial” color=”white” size=”2"><%=rs(“data”)%> </td> ...

<td><input type=”submit” value=”Deletar” name=”Deletar”> </td> <% Count = Count + 1 rs.MoveNext Loop rs.close set rs=nothing conexao.close set conexao=nothing %>

A maioria dos comandos utilizados nes- sa página já são conhecidos. Começamos usando o IF, será a partir dessa rotina que iremos identificar se o usuário está permiti- do a visualizar a página ou não.

seguro=session(“seguro”) Até aqui tudo bem, atribuimos para

a variável seguro o conteúdo da session("seguro").

if seguro=”” then response.redirect(“guestbook.asp”) end if

Está rotina é simples, ela chega se o con- teúdo da variável seguro está vazio, se isso for confirmado, indica que o usuário não se logou através do senha.asp, pois se isso tivesse ocor- rido, a variável seguro teria o nome do usuário, que foi armazenado na session("seguro"), en- tão o usuário é redirecionado para a página guestbook.asp através do comando response.redirect. Se o nome do usuário esti- ve na variável seguro, então a página será pro- cessada normalmente. Do While Not rs.EOF And Count < 20

48

Novas Tecnologias - A. S. P.

Aqui você vê a confirmação de exclusão da mensagem selecionada

O comando Do While nós já conhecemos, é responsável pelo LOOP da página. Com isso traz mais do que uma informação para a nos- sa página. A única diferença desse LOOP é que aqui, nós especificamos que ele só irá trazer as 20 últimas mensagens. Para isso uti- lizamos o Count < 20, ou seja, "Execute a fun- ção a seguinte, enquanto não chegar no fim do arquivo (rs.EOF) e a variável Count conti- ver valor menor que 20". <form action=”deletar.asp” method=”post”>

Iremos utilizar um formulário para cada mensagem, então cada mensagem terá o seu botão deletar. O action será a página deletar.asp. <input type=”hidden” name=”id” value=”<%=rs(“id”)%>”>

Uma propriedade interessante do formu- lário, são seus campos ocultos, utilizando a tag <input type="gidden"...> ocultamos um de- terminado campo. Neste exemplo, utilizaremos um campo oculto, para identificar através do ID, qual mensagem será excluída, o valor do campo ID, será pego diretamento do campo ID da mensagem do banco de dados.

<%=rs(“nome”)%> Sem segredo nenhum, o código posto

acima, pega o conteúdo do campo nome do banco de dados e coloca na página.

Count = Count + 1 rs.MoveNext Loop

Acrescentamos 1 na variável Count, pois determinamos que quando ela chegar a 19 (número menor que 20) o Loop será finaliza- do. Movemos o cursor para a próxima men- sagem do banco de dados através do co- mando rs.MoveNext e por último executamos o LOOP.

rs.close set rs=nothing conexao.close set conexao=nothing

Fechamos todas as conexões abertas, pois não iremos mais utilizá-las.

Deletar.asp

<%@ LANGUAGE=”VBSCRIPT” %>

<% set conexao=server.createobject (“ADODB.connection”) Set rs = Server.CreateObject(“ADODB.RecordSet”) ’Conexão sem DSN

conexao.Open “Driver={Microsoft Access Driver

(*.mdb)};DBQ=” & server.MapPath(“guestbook.mdb”)

id=request(“id”)

sql = “delete * FROM guest WHERE id = “& id &””

rs.open sql, conexao %>

<html>

<head> <title>Guestbook On The Net - Avançado -

Exemplo 06</title> </head>

<body bgcolor=”#000000" marginleft=”0" marginwidth=”0" link=”#00FFFF” vlink=”#00FFFF”

alink=”#FFFFFF” text=”#DCEBF8"> <p align=”center”><br> <br> <table width=”70%” border=”0"> <tr> <td align=”center”><b>

<font face=”arial” color=”white” size=”2">

As mensagem foi deletada com sucesso. <br> <br> </font>

<a href=”apagar.asp”>Voltar</a></ b> </td> </tr> </table> </p> </body> </html>

id=request(“id”)

Atribuimos o valor do request("id") para a variável ID, se você não se lembra, o id que estamos solicitando é o que estava no campo oculto do formulário da página apagar.asp

sql = “delete * FROM guest WHERE id = “& id &””

Mais um novo comando que iremos mostrar. Nos exemplos anteriores, você aprendeu a ler o conteúdo de um banco de dados, inserir novo conteúdo para o banco de dados, e agora irá aprender apagar um conteúdo do banco de dados. Com a instrução DELETE apagaremos TODOS os campos da tabela GUEST desde que, o campo ID seja igual ao conteúdo da variável ID. Simples e fácil.

49

SuperASP.com.br O melhor site sobre ASP

do Brasil. Artigos, Dowloads, Fórum,

Dicas e muito mais e com um visual incrível.

Leitores On The Net tem 50% de desconto para hospe- dar sites no servidor HDG com suporte à ASP. www.hdg.com.br/onthenet.html

HDG

Backbone – Espinha dorsal - Infra-estrutura de rede de su- por te a um determinado Serviço. Refere-se, geralmente, a uma rede de grande abrangência e de grande capacidade atravéz da qual se interconectam redes de menor escala.

Backbone IP – Backbone que adota arquitetura de protoco- los TCP/IP

Centro de Roteamento – Denominação dada ao conjunto de roteadores da Rede da Internet Via EMBRATEL de qual- quer localidade

DHCP – Dynamic Host Configuration Protocol - Mecanismo que permite a um dispositivo obter de um servidor (DHCP Server) um endereço IP.

Extranet – Rede de acesso semi-privado, interligando duas ou mais Intranets de organizações que compartilham e tro- cam informações, e que possuem negócios integrados.

Firewall – Servidor, geralmente posicionado na fronteira en- tre uma Intranet e a Internet, visando a implementação de variados mecanismos de segurança para controlar acesso e proteger informações.

Instalação Terminal do Cliente – Conjunto de recursos de hardware e software, tipicamente integrados através de uma rede local, caracterizando um ponto da Intranet do Cliente.

Integração eletrônicaIntegração de processos adminis- trativos ou finaceiros entre unidades de uma mesma organi- zação ou de organizações distintas através da troca de in- formações e/ou transações em meio eletrônico. Exemplos relevantes são:Escritório eletrônico, correio eletrônico e mer- cado eletrônico.

Internet – Rede de acesso público, voltada para a dissemi- nação de informações em geral e destinada a Provedores de serviços de conexão à Internet (provedores de acesso), provedores de informação, redes corporativas de organiza- ções com interesse de conexão à Internet, além de usuários individuais.

Intranet – Rede de acesso privado, voltada para a troca de informações dentro de uma organização, montada sobre um backbone IP, e utilizando tecnologias, interfaces e protoco- los adotados na Intranet.

IP – Internet Protocol - protocolo de comunicação fim a fim adotado em redes TCP/IP em geral e, em particular, na In- ternet e nas Intranets.

NAT – Network Address Translation, Mecanismo que permite a conexão de redes privadas à rede Internet sem alteração dos endereços reservados. Através de um NAT sever os en- dereços de rede reservados são convertidos para endereços púplicos quando se torna necessário o acesso à rede Inter- net. Com este mecanismo, diversos computadores com en- dereços internos podem compartilhar um único enderteço IP.

RoteadorDispositivo de hardware e de software que de- sempenha funções de encaminhamento de pacotes IP se- gundo um critér io de escolha de rotas que o conduzam a seu destino.

Solução de integração eletrônica – Composto de produtos e de serviços de valor adicionado para a implementação de aplicações completas de Integração Eletrônica.

Tunnelling – Mecanismo que permite que o protocolo A seja encapsulado em outro (B), permitindo que A veja B como camada de data-link. Usado para troca de dados entre do- mínios cujo o protocolo não é suportado na Internet.

MP3 – Definição para MPEG 1 Layer 3, formato de áudio digital que, entre outras coisas, remove as partes irrelevantes do sinal de áudio, atingindo, assim, uma compressão até 12 vezes do áudio conhecido. O MP3 hoje se tornou a palavra mais procurada na Internet, devido ao seu grande poder de compressão de áudio.

NNTP – Abreviação de Network NewsTransfer Protocol. Este protocolo é usado para mandar, distribuir e receber mensa- gens na USENET.

TCP/IP – Abreviação de Transmission Control Protocol. É o conjunto de protocolos que conecta servidores na Internet. Apesar do nome, TCP/IP usa vários protocolos, sendo TCP e IP os dois principais. Os protocolos TCP e IP são respon- sáveis pelas conexões discadas que nós fazemos para nos conectarmos ao nosso provedor.

SSL – Abreviação de Secure Sockets Layer, um protocolo desenvolvido pela Netscape para a transmissão privada de documentos via Internet. SSL trabalha usando uma chave de dados criptografada, que transfere os dados usando a conexão SSL. Tanto o Nestcape Navigator quanto o Internet Explorer suportam conexão SSL, e muitos sites usam o pro- tocolo para obter informações confidenciais de seus usuári- os, como número de car tão de crédito.

HTTPS – Uma extensão do protocolo HTTP que suporta en- vio de dados com segurança através da World Wide Web. Nem todos os browsers e servidores supor tam o HTTPS. Por isso uma outra tecnologia para transmissão segura pela Internet - Secure Sockets Layers(SSL) - ainda prevalece como a mais utilizada. Entretanto, SSL e HTTPS tem designs e metas muito diferentes, por isso é possível utilizar os dois protocolos juntos, onde o SSL é desenhado para estabele- cer uma conecção segura entre dois computadores e o HTTPS é desenhado para enviar mensagens individuais com segurança. Ambos os protocolos foram enviados para a In- ternet Engineering Task Force(IETF) para aprovação como um padrão.

FAQ – Sig la pa ra Pe rgun tas Freqüen temen te Fe i t as (Frequently Asked Questions) sobre um determinado assun- to. Há milhares de FAQs sobre diversos assuntos da Inter- net.

Host – Um computador ligado a rede que pode ser acessado por muitos usuários ao mesmo tempo.

Intranet – É uma rede que utiliza a mesma infraestrutura e padrões da Internet. Mas não é destinada ao público em ge- ral, mas apenas a funcionários e pessoas autorizadas que devam ter acesso a suas informações. O número de empre- sas que usa Intranets vem aumentando no Brasil e nos Es- tados Unidos a cada dia.

Dicionário WEB

50

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 52 páginas