sustentabilidade roberta, Notas de estudo de Arqueologia
igor-machado-6
igor-machado-6

sustentabilidade roberta, Notas de estudo de Arqueologia

14 páginas
50Números de download
1000+Número de visitas
100%de 0 votosNúmero de votos
Descrição
50 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 14
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas
Microsoft PowerPoint - Sustentabilidade - Roberta Paro_Dom Cabral.ppt

1Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

Profs. Cláudio Boechat / Roberta Mokrejs Paro

Seminário CRQ-IV - “O profissional da Química e o Meio Ambiente “ 30/11/2006

Núcleo Andrade Gutierrez de Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa

Resultados de Pesquisa DESAFIOS PARA A SUSTENTABILIDADE E O

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DAS EMPRESAS NO BRASIL

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

INTRODUÇÃO

Objetivos: ◊ Verificar a incorporação dos principais desafios

da sustentabilidade da sociedade brasileira ao planejamento estratégico das empresas.

◊ Apontar à sociedade brasileira, particularmente aos estrategistas de empresas, discrepâncias na incorporação dos desafios às suas estratégias, e na interpretação da relevância desses desafios.

2Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

ELEMENTOS INVESTIGADOS

As variáveis:

1) Incorporação dos desafios no planejamento estratégico;

2) Importância de cada desafio da sustentabilidade para o negócio;

3) Impacto do negócio em cada desafio da sustentabilidade;

4)Grau de dificuldade para o enfrentamento do desafio;

5)Principal obstáculo para o enfrentamento do desafio por meio de sua incorporação à estratégia corporativa essencial.

e as relações entre elas

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

ELEMENTOS DO MODELO CONCEITUAL: 1. O BIOGRAMA EMPRESARIAL

Mundo

Sujeitoj it

Empresar

Mercador

Sociedadei

Planetal t

REINO ANIMAL

REINO VEGETAL REINO MINERAL

COMUNIDADES

PAÍSES IMPRENSA

ONGsGOVERNO

MERCADO DE

TRABALHO

MERCADO FINANCEIRO

CONCORRENTESACIONISTAS

FORNECEDORES

CLIENTES

Premissa 1

As empresas atuam num sistema de

dimensões e interesses múltiplos, os quais

impactam e pelos quais são impactadas.

Premissa 2

Por sua imensa capacidade de afetar este sistema por meio de suas operações, as

empresas possuem papel fundamental em sua sustentabilidade.

3Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

ELEMENTOS DO MODELO CONCEITUAL: 2. A GESTÃO EMPRESARIAL

Estratégia

Planejamento Estratégico

Metas Indicadores

Gestão Responsável para a Sustentabilidade

Diálogo

StakeholdersDesafios Balanço

Integrado

Projetos funcionais

Projetos corporativos

Premissas

1. Empresas responsáveis equilibram suas respostas os múltiplos interesses, privilegiando o todo.

2. Para isto, os desafios da sustentabilidade devem ser incorporados à estratégia de negócios.

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

METODOLOGIA Mapear os principais desafios da sustentabilidade no país,

conforme percebidos pela sociedade brasileira.

Levantamento bibliográfico e entrevistas

Verificar sua incorporação ao planejamento estratégico das empresas no Brasil

Survey junto a empresas ”comprometidas” (com os estrategistas)

4Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

UNIVERSO E AMOSTRAGEM Universo – 134 empresas no Brasil que se declaram comprometidas com a

sustentabilidade: ◊ Global Compact ◊ Dow Jones Sustainability Index ◊ Relatórios de acordo com o GRI ◊ Integrantes do grupo da ISO 26000 (Instituto Ethos) ◊ Membros do Centro de Referência para Gestão Responsável para a Sustentabilidade

(FDC) ◊ Membros do CTE (FDC)

Amostra – 30 Empresas: ◊ 2 – construção civil ◊ 2 – mineração ◊ 2 – agroindústria ◊ 3 – siderurgia ◊ 2 – eletro-eletrônicos ◊ 4 – financeiro ◊ 4 – energia ◊ 6 – indústria de transformação (outros) ◊ 5 – serviços (outros)

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

MAPA DOS 31 PRINCIPAIS DESAFIOS PARA SUSTENTABILIDADE

Planeta

Sociedade

Mercado

Empresa

Indivíduo

Equilíbrio dos Ecossistemas e Provisão de Serviços Ambientais Energia Mudança Climática Água Saúde Pública Pandemias Produção de Alimentos Oferta e Condições de Moradia Distribuição de Renda Discriminação e Desigualdade Racial Desigualdade de Gênero Envelhecimento da População Precariedade dos Sistemas de Infra-estrutura Capital Social Qualidade da Educação Básica Educação para a Sustentabilidade Corrupção e Falta de Ética Violência e Tráfico Oportunidades de Trabalho e Renda Empregabilidade Consumo Consciente Marketing Ética e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva Concorrência Desleal Apoio Político e Políticas Públicas Impacto Econômico Local Governança Corporativa Precarização do Trabalho Estresse Comprometimento com Valores e Princípios Cidadania

Desafios da Sustentabilidade

5Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

RESULTADOS

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

BOA PARCELA DOS DESAFIOS ESTÃO INCORPORADOS AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO!

PercentualFreqüência

53,5%

12,6%

33,9%

498 Incorporado aos objetivos ou às ações estratégicas

117Incorporado apenas aos cenários

315Ainda não incorporado

Incorporação do Conjunto dos Desafios à Estratégia

6Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

QUAIS OS DESAFIOS MENOS INCORPORADOS?

Precarização do Trabalho15

Capital Social11

Educação para a Sustentabilidade12

Concorrência Desleal14

Cidadania16

Equilíbrio dos Ecossistemas e Provisão de Serviços Ambientais (60%)13

Empregabilidade10

Água (63,3%)9

Impacto Econômico Local8

Corrupção e Falta de Ética7

Qualidade da Educação Básica6

Ética e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva (73,3%)5

Energia (73,3%)4

Estresse3

Governança Corporativa2

Comprometimento com Valores e Princípios1 Oportunidades de Trabalho e Renda17

Mudança Climática (56,7%)18

Apoio Político e Políticas Públicas 19

Produção de Alimentos (10%)31

Pandemias30

Oferta e Condições de Moradia29

Violência e Tráfico 28

Saúde Pública27

Envelhecimento da População26

Distribuição de Renda25

Precariedade dos Sistemas de Infra-estrutura24

Discriminação e Desigualdade Racial23

Consumo Consciente22

Desigualdade de Gênero21

Marketing20

M A

IS IN C

O R

PO R

AD O

S M EN

O S

IN C

O R

PO R

A D

O S

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

Envelhecimento da População27

Estresse8

Concorrência Desleal6

Governança Corporativa5

Comprometimento com Valores e Princípios3

Produção de Alimentos31

Oferta e Condições de Moradia30

Pandemias29

Saúde Pública28

Violência e Tráfico 26

Apoio Político e Políticas Públicas 25

......

Equilíbrio dos Ecossistemas e Provisão de Serviços Ambientais10

Ética e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva9

Precariedade dos Sistemas de Infra- estrutura7

Água4

Corrupção e Falta de Ética2

Energia1

Produção de alimentos é o último da lista: 73,3% consideram-no de baixa importância

Questões sociais como oferta e condições de moradia, saúde pública e pandemias, envelhecimento da população, violência e tráfico posicionam-se no final da lista de importância: algumas com componente ambiental

PercentualFreqüência

54,0%

26,5%

19,6%

502Elevado

246Moderado

182Baixo

Grau de Importância do Conjunto dos Desafios para o Desempenho da Empresa

M A

IS IM PO

R TAN

TES

M EN

O S

IM PO

R TA

N TE

S

QUAL O GRAU DE IMPORTÂNCIA DOS DESAFIOS PARA O DESEMPENHO DA ORGANIZAÇÃO?

7Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

AS EMPRESAS VÊEM SEUS IMPACTOS COMO POSITIVOS (!)

Obs.: Refere-se a impactos diretos e indiretos, incluindo a cadeia produtiva e de consumo

Os impactos são geralmente avaliados como positivos... ...e muito raramente, negativos: em <4% dos casos ...e mesmo com referência a questões em que os impactos são mais evidentes, por serem diretos: ◊ Energia: “Pressão gerada pelos padrões de produção e consumo

de produtos e serviços nas fontes de energia para as gerações presentes e futuras” (6,7% neg.; 83,3% posit.ivo).

Água: “Impactos da expansão populacional e industrial nas fontes de recursos hídricos.” (16,7% negativo; 63,3% positivo)

Energia 9

Impacto Econômico Local Educação para a Sustentabilidade

7

Governança Corporativa4

Oportunidades de Trabalho e Renda Capital Social

2

Pandemias31

Produção de Alimentos30

Violência e Tráfico 29

Mudança Climática28

Oferta e Condições de Moradia Saúde Pública

27

......

Precarização do Trabalho Corrupção e Falta de Ética

8

Distribuição de Renda6

Ética e Sustentabilidade na Cadeia Produtiva5

Empregabilidade3

Comprometimento com Valores e Princípios1

PercentualFreqüência

70,4%

25,8%

3,8%

655Positivo

240Nulo

35Negativo

Impacto da Operação das Empresas sobre o Conjunto dos Desafios

Ranking de Impactos Positivos

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

OS DESAFIOS AMBIENTAIS SÃO DIFÍCEIS DE ENFRENTAR!

O grau de dificuldade não foi considerado como fator de influência significativo na incorporação ou não dos desafios em ações ou objetivos estratégicos

Governança Corporativa 31

Marketing30

Consumo Consciente29

Desigualdade de Gênero28

Comprometimento com Valores e Princípios27

......

......

Distribuição de Renda6

Capital Social5

Energia4

Água Violência e Tráfico Saúde Pública

3

Mudança Climática2

Equilíbrio dos Ecossistemas e Provisão de Serviços Ambientais1

PercentualFreqüência

50,4%

33,9%

15,7%

469Elevado

315Moderado

146Baixo

Grau de Dificuldade para o Enfrentamento do Conjunto dos Desafios

M A

IS D IFÍC

IL

M EN

O S

D IF

ÍC IL

8Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

FALTA DE ARTICULAÇÃO INTERINSTITUCIONAL É O PRINCIPAL OBSTÁCULO

34,3%308Outros obstáculos

1,7%15Enfrentamento seria conflitivo com outros interesses da empresa

5,953Dificuldade para sensibilizar pessoas na organização

7,3%66Dificuldade técnica para traduzir o desafio em objetivos estratégicos

PercentualFreqüência

8,3%

16,0%

26,5%

75Dificuldade para traduzir o desafio em termos financeiros

144Baixa relevância do tema para a estratégia de negócios

238Falta de articulação Interinstitucional

Principais Obstáculos ao Enfrentamento do Conjunto de Desafios por meio de sua incorporação à Estratégia Corporativa Essencial

Energia e Ecossistemas: Falta de articulação institucional Água: Falta de articulação institucional e dificuldade de mobilização interna Mudança climática: Dificuldade em traduzir em objetivos estratégicos e em termos financeiros

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS INCORPORAÇÃO X IMPORTÂNCIA

Quando a importância é considerada baixa, o desafio tende a não ser incorporado aos objetivos ou ações estratégicas; quando a importância é elevada, tende a ser incorporado Produção de alimentos e questões sociais como saúde pública e pandemias, oferta e condições de moradia, violência e tráfico, e envelhecimento da população estão entre os últimos nas listas de incorporação e importância

502 100,0%

371 73,9%

70 13,9%

61 12,2%

Elevado

930 100,0%

246 100,0%

182 100,0%

Total

498 53,5%

104 42,3%

23 12,6%

Incorporado aos objetivos ou às

ações estratégicas

117 12,6%

38 15,4%

9 4,9%

Incorporado apenas aos cenários

Incorporação dos Desafios à

Estratégia das Empresas

315 33,9%

104 42,3%

150 82,4%

Ainda não incorporado

TotalModeradoBaixo

Grau de Importância dos Desafios sobre o Desempenho das Empresas

Incorporação dos Desafios à Estratégia x Grau de Importância dos Desafios sobre o Desempenho das Empresas

9Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS INCORPORAÇÃO X IMPACTO NOS NEGÓCIOS

Das empresas que incorporam o desafio, a grande maioria (89%) avalia seus impactos como positivos, e apenas 4% classificam-nos como negativos

Quando o impacto é nulo, o desafio tende a não ser incorporado; quando é positivo, tende a ser incorporado

655 100,0%

441 67,3%

87 13,3%

127 19,4%

Positivo

930 100,0%

240 100,0%

35 100,0%

Total

498 53,5%

38 15,8%

19 54,3%

Incorporado aos objetivos ou às

ações estratégicas

117 12,6%

26 10,8%

4 11,4%

Incorporado apenas aos cenários

Incorporação dos Desafios à Estratégia das

Empresas

315 33,9%

176 73,3%

12 34,3%

Ainda não incorporado

TotalNuloNegativo

Impacto da Operação das Empresas sobre os Desafios

Incorporação dos Desafios à Estratégia das Empresas x Impacto da Operação das Empresas sobre os Desafios

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS INCORPORAÇÃO X IMPACTO

Incorporação às Estratégias x Impacto dos Negócios sobre os Desafios

10Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS INCORPORAÇÃO X GRAU DE DIFICULDADE

O grau de dificuldade não foi apontado como fator de influência significativo na incorporação ou não dos desafios aos objetivos ou às ações estratégicas

469 100,0%

248 52,9%

62 13,2%

159 33,9%

Elevado

930 100,0%

315 100,0%

146 100,0%

Total

498 53,5%

164 52,1%

86 58,9%

Incorporado aos objetivos ou às

ações estratégicas

117 12,6%

46 14,6%

9 6,2%

Incorporado apenas aos cenários

Incorporação dos Desafios à Estratégia das

Empresas

315 33,9%

105 33,3%

51 34,9%

Ainda não incorporado

TotalModeradoBaixo

Grau de Dificuldade para o Enfrentamento dos Desafios

Incorporação dos Desafios à Estratégia das Empresas x Grau de Dificuldade para Enfrentamento dos Desafios

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS INCORPORAÇÃO X DIFICULDADE

Incorporação às Estratégias x Dificuldade de Enfrentamento

11Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS INCORPORAÇÃO X PRINCIPAL OBSTÁCULO

Quando a “baixa relevância para a estratégia de negócios” é apontada como principal obstáculo, o desafio tende a não ser incorporado Mesmo a categoria de “Outros” fatores, alegados em um terço dos casos, não tende a ser associada com a não-incorporação, já que 68% deles, ainda assim, são incorporados

899 100,0%

481 53,5%

109 12,1%

309 34,4%

Total

15 100,0%

9 60,0%

4 26,7%

2 13,3%

Enfrentament o seria

conflitivo com interesses da

empresa

308 100,0%

209 67,9%

18 5,8%

81 26,3%

Outros obstáculos

53 100,0%

33 62,3%

11 20,8

9 17,0%

Dificuldade para

sensibilizar pessoas na organização

75 100,0%

47 62,7%

14 18,7%

14 18,7%

Dificuldade para traduzir o desafio em

termos financeiros

238 100,0%

66 100,0%

144 100,0%

Total

145 60,9%

20 30,3%

18 12,5%

Incorporado aos

objetivos ou às ações

estratégicas

44 18,5%

12 18,2%

6 4,2%

Incorporado apenas aos

cenários

Incorporação dos Desafios à Estratégia

das Empresas

49 20,6%

34 51,5%

120 83,3%

Ainda não incorporado

Falta de articulação interinstitu-

cional

Dificuldade técnica

para traduzir os desafios

em objetivos

estratégico s

Baixa relevância do tema para a

estratégia de negócio

Principal Obstáculo ao Enfrentamento dos Desafios

Incorporação dos Desafios à Estratégia das Empresas x Principal Obstáculo ao Enfrentamento dos Desafios

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CORRELAÇÕES ENTRE AS VARIÁVEIS GRAU DE DIFICULDADE X PRINCIPAL OBSTÁCULO

Os “outros obstáculos” não são de dificuldade especialmente elevada (40% Elevada, 30% Moderada, 29% baixa)

A “dificuldade técnica para traduzir os desafios em objetivos estratégicos” é associada, em 64% dos casos, a um grau de dificuldade elevado para o enfrentamento do desafio

12Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

A LÓGICA EMPRESARIAL PARA OS DESAFIOS DA SUSTENTABILIDADE

Árvore de Classificação e

Regressão 930(100,00)Total 43246,45Não

49853,55Sim

n%Category

Node 0

Incorporação do Desafio à Estratégia

25,81% 74,19%

Sim

Não

Impacto das Operações da Empresa sobre o Desafio Improvement = 0,0990

[ - ]

240(25,81 )

Total

20284,17Não

3815,83Sim

n%Category

Node 1

Nulo

690(74,19 )

Total

23033,33Não

46066,67Sim

n%Category

Node 2

Positivo, Negativo

Grau de Importância do Desafio sobre o Desempenho Improvement = 0,0301

[ - ]

230(24,73 )

Total

12353,48Não

10746,52Sim

n%Category

Node 3

Moderado; Baixo

Principal Obstáculo ao Enfrentamento do Desafio Improvement = 0,0119

[ - ]

460(49,46 )

Total

10723,26Não

35376,74Sim

n%Category

Node 4

Elevado

24,73% 49,46%

168(18,06 )

Total

7444,05Não

9455,95Sim

n%Catasegory

Node 5

Sensibilizar pessoas; Traduzir desafio; Art. Interinstitucional; Outros obstáculos; Enfrentamento. conflitivo

62(6,67)Total

4979,03Não

1320,97Sim

n%Category

Node 6

Baixa relevância; Conhecimentos; 0

18,06% 6,67%

1ª Pergunta: O impacto de minhas operações sobre o desafio é grande?

2ª Pergunta: O desafio é importante para o desempenho de minha empresa?

3ª Pergunta: O principal obstáculo ao enfrentamento do desafio é sua baixa

relevância para os negócios ou a falta de conhecimento sobre o desafio?

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

A variável com maior capacidade de influenciar a incorporação ou não do Desafio é o impacto das operações no Desafio.

Assim, se as empresas não percebem suas operações como tendo interface com o Desafio, elas não irão se mobilizar para tratá-lo estrategicamente.

O grau de dificuldade para enfrentar o Desafio não foi apontado como fator estatisticamente significativo para explicar sua incorporação ou não ao planejamento estratégico.

A LÓGICA EMPRESARIAL PARA OS DESAFIOS DA SUSTENTABILIDADE

13Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CONCLUSÕES (I) Incorporação: Os Desafios da Sustentabilidade são moderadamente incorporados ao Planejamento Estratégico das empresas declaradamente comprometidas com a sustentabilidade.

Impacto: As empresas declaradamente comprometidas percebem seus impactos sobre os Desafios, na grande maioria dos casos, como positivos, e muito raramente como negativos.

Principal Obstáculo: A falta de articulação institucional (entre empresas, governo, sociedade civil) é apontada como o principal obstáculo para a incorporação dos Desafios às estratégias.

Incorporação x Impacto: Quando vêem seu impacto em um Desafio como positivo, as empresas estudadas tendem a incorporá-lo a suas estratégias. Quando os impactos no Desafio são avaliados como nulos, eles tendem a não ser incorporados.

Desafios ambientais: Embora sejam considerados difíceis de serem enfrentados, estão altamente incorporados às estratégias das empresas. As empresas não percebem seus impactos ambientais como negativos; eles são geralmente positivos, e num grau muito menor, nulos.

Desafios sociais: São considerados difíceis de serem enfrentados. As empresas têm dificuldade de perceber sua relação com eles e de traduzi-los em termos financeiros.

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

CONCLUSÕES (II) Os mais negligenciados: Produção de Alimentos e questões sociais, como Saúde Pública e Pandemias, Oferta e Condições de Moradia, Violência e Tráfico e Envelhecimento da População encontram-se no final dos rankings de “incorporação” e de “importância”. Os principais obstáculos apontados para sua incorporação às estratégias são:

baixa relevância para o desenvolvimento de estratégias de negócios; falta de articulação institucional (entre empresas, governo, sociedade civil).

Incorporação x Importância: Quando a importância de um Desafio para as operações da empresa é considerada baixa, ele geralmente não é incorporado às estratégias. Quando a importância é alta, ele tende a ser incorporado.

Incorporação x Grau de Dificuldade: O grau de dificuldade para enfrentar os Desafios no contexto das empresas não foi considerado um fator de influência significativa na incorporação destes à estratégia.

Incorporação x Principal Obstáculo: Quando o principal obstáculo é apontado como “baixa relevância para a estratégia da empresa”, o Desafio tende a não ser incorporado.

14Material preparado e de responsabilidade de Roberta Paro

Conselho Regional de Química IV Região (SP/MS)

Seminário CRQ-IV: O profissional da química e o meio ambiente

Material prepado e de responsabilidade dos professores Cláudio Boechat e Roberta Paro

Obrigada!

Fundação Dom Cabral Núcleo Andrade Gutierrez de Responsabilidade e Sustentabilidade

Corporativa

Responsáveis: Cláudio Boechat e Roberta Mokrejs Paro Contato: sustentabilidade@fdc.org.br Tel: (31) 3589-7483

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 14 páginas