transcrição tumores, Notas de estudo de Odontologia
helinaldo-correa-1
helinaldo-correa-1

transcrição tumores, Notas de estudo de Odontologia

23 páginas
28Números de download
1000+Número de visitas
Descrição
Revista unicamp
30 pontos
Pontos de download necessários para baixar
este documento
Baixar o documento
Pré-visualização3 páginas / 23
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas

Tumores odontogênicos

WHO histological classification of odontogenic tumours

BENIGN TUMOURS

1º Odontogenic epithelium with mature, fibrous stroma without odontogenic ectomesenchyme

2º Odontogenic epithelium with odontogenic ectomesenchyme, with or without hard tissue formation

3º Mesenchyme and/or odontogenic ectomesenchyme with or without odontogenic epithelium

• estruturas derivadas do ectoderma, do ectomesenquima, podem descontrolar seu clico proliferativo e resultar em neoplasias, que podem ser malignas ou benignas.

• devido a semelhança da etiologia, porem com diferenciação morfológicas, os tumores foram classificados em três grupos:

• O 1º grupo é os tumores de epitélio odontogênico com estroma maduro porem este estroma que é o ectomesenquima não é neoplásico. Ou seja sua origem é apenas de tecido epitelial ontogênico. O mais comum é o ameloblastoma.

• O segundo grupo é epitélio odontogênico com ectomesenquima neoplásico, tem a interação entre os dois tecidos com ou sem formação de tecido duro. Neste vai ter formação de estruturas semelhantes a dentes.o tumor mais comum é o odontoma.

• O terceiro grupo é de epitélio mesenquimalodontogenico, que é neoplásico, são tumores que tem um risco de malignizar para sarcoma porque é de origem conjuntiva, pode ser com ou sem presença de epitélio odontogenico, isto pouco faz diferença ele pode não está com mutação. o grande fator é que neste caso quem está promovendo a proliferação tumoral, é o tecido conjuntivo. O tumor mais comum é o mixoma.

• Os tumores odontogenicos mais comuns são o ameloblastoma, odontoma, e queratocistos.

perguntar do professor quem vira carcinoma, sarcoma?

TUMORES DE ORIGEM DO EPITÉLIO ODONTOGENICO.

Tumor queratocisto odontogenicoé o que mais frequente vira carcinoma espinocelular. Radiograficamente pode ser diagnostico diferencial para cisto periodontal periapical, de cisto dentigero, de ameloblastoma. microscopicamente é vista uma camada basal empaliçada, hipercromatica, poucas camada de 3 a 8. O epitélio se apresenta com corrugação superficial e esta corrugação fica liberando paraqueratina dentro da cavidade cística, é um epitélio então que não tem muitas cristas e isso diminui a superfície de contato, por isso que é um tecido que comumente se descola da capsula.

• Ameloblastoma é o mais comum dos tumores de origem epitelial., é um tumor de crescimento lento que pode deslocar dentes, pode causar expansão de cortical, os ameloblastomas se apresentam de três formas. Uma das formas é a forma sólida, esta forma tem um ponto negativo é que nunca se sabe se ele é retirado todo durante a cirurgia, porqueo ameloblastoma é como se fosse um tumor de lamina dentaria, porque o epitélio ameloblastico cresce pensando que é lamina dentaria. desta forma como a lamina dentaria invagina-se para dentro dos arcos branquiais, ela se torna um tecido invasor, e por isso que o ameloblastoma apresenta essa característica, só que ele é só de epitélio, ele nunca forma um dente. Com menor frequência as vezes o ameloblastoma pode fazer cavidade cística e quando ele faz cavidade cística ele é ameloblastoma folicular ou seja um ameloblastoma que é originário de um folículo, raramente isolado na região posterior de mandíbula igual o queratocisto. O ameloblastoma periférico é solido também só que acontece fora do osso ele é submucoso também na região de terceiro molar, porem embaixo da mucosa é uma forma rara que se tratada ele dá pouca recidiva, porem se não tratado ele entra no osso.

• Microscopicamente no ameloblastoma folicular que lembra o folículo dentário porque na porção central tem células epiteliais com uma matriz abundante separando ela dando a ela um aspecto de estrela que lembra o reticulo estrelado do órgão do esmalte.

• Radiograficamente é uma lesão radiolucida circunscrita que pode ser confundido com um cisto. Acontece mais em homes e negros, emmandíbula que em maxila, e por crescer devagar não tem dor, só vai dar dor quanto estiver comprimindo estruturas ósseas, ou se ele se infectar. Pode seruni ou multiloculado isso radiograficamente. Essas multiloculações são formadas devido que o tecido neoplásico vai tentando crescer e vai ocupando as trabéculas do osso que estão com espaços, ou seja em uma região medular grande, e ai começa a dilatar as trabéculas. Isso complica na hora da cirurgia, e geralmente precisa de ressecção, porque é difícil de esvaziar o tumor.

• O Ameloblastoma possui um padrão de reabsorção típico( não é único dele), porem fazer isso com maior frequência, é uma reabsorção radicular do dente que está próximo, chamada reabsorção em plano.

CRITÉRIOS (vickers e Gorlin) QUE IDENTIFICAM UM TUMOR COMO AMELOBLASTOMA

• Esses critérios indicam se um tecido neoplásico de origem odontogênico é um Ameloblastoma ou não. E toda essa determinação se baseia na lamina basal.

•.1.Hipercromatismo

•.2.Arranjo em paliçada

•.3.Polarização invertida (afasta o núcleo da lamina basal para deixar o citoplasma todo entre o núcleo e a lamina basal para ser produzida as proteínas amelogênicas.)

•.4.Vacuolização que são as áreas claras do citoplasma que estão cheios de material proteinacio.

•.5.Hialinização ou Indução abortiva da dentina do tecido conjuntivo subjacente, este conjuntivo fica extremamente rico em proteínas, e como o mesenquima não vira odontoblastos, acumula-se o material proteico.

Após ter sido observado padrões na porção epitelial que prolifera divide-se o Ameloblastoma em folicular, que lembra reticulo estrelado do folículo dentário, e é mais frequente. O outro padrão seria o padrão de Ameloblastoma escamo só porque produz muito queratina e também é o cresce mais devagar, tem também o Ameloblastoma Plexiforme que ele faz como se fosse uma rede.O padrão do epitélio do Ameloblastoma sólido, está relacionado ao ritmo de crescimento, e poder de invasão desse tumores. Os tumores que mais invadem são os Plexiforme. O de células granulares que é mais raro, em sua porção central as células ficam granulares, que são típicas de células neuroectodermicas.

O que diferencia o Ameloblastoma unicistico é como ele se comporta com relação a capsula, que pode ser de proliferação intraluminal, luminal ou mural. O luminal é o que faz um lume, é o mais normal, porem às vezes o epitélio age igual couve-flor e entra no lume, e ai é chamado de intraluminal, quando ele faz ilhotas ficam se proliferando no conjuntivo capsular ele é uma proliferação mural. Isso é significativo na hora de operar, porque este moral possui mais recidiva.

O Ameloblastoma periférico é um Ameloblastoma solido que geralmente tem características que lembram mais células da camada basal, mas quando se olha para essa lamina basal tem epitélio que também se desenvolve, acontece em pacientes de meia idade, em região posterior de mandíbula, eele é visto como periférico porque tem reabsorção do osso alveolar, e como o osso alveolar foi absorvido sobrou os restos epiteliais dos folículos dentários dedentes que viraram neoplásicos.

Tumor odontogênico epitelial calcificante, é um outro tipo de tumor de origem epitelial (TOEC) sua grande característica está no seu epitélio que prolifera que além de ter muito hipercromatismo, tem muito pleomorfismo , mitoses atípicas, apesar de estas características serem malignas, ele é um tumor extremamente benigno, as células epiteliais dele secretam uma substancia proteica, chamada

amiloide que não se degrada que não e reabsorvida pelo macrófago. E esta proteína serve de matriz de mineralização, coisa que as proteínas amiloidosaspapiloides não fazem, é que está proteína tem afinidade ao cálcio e se calcifica. Acontece também mais em pacientes homens negros, acontece na região posterior da mandíbula, porem acontece mais anterior que os ameloblastomas e os queratocistos que são mais de molar e o TOEC acontece mais em pre-molares, e caninos. cresce devagar, pode ser uni ou muitilocular, pode está associado a dente incluso, porque o dente que ia nascer não nasce, e assim o tumor odontogenicoqueratocisto e o ameloblastoma podem ser diagnósticos diferencial, isso radiograficamente, porem microscopicamente é bem diferenciado , porque as células epiteliais estão pleomorficas, com hipercromatismo, pois tem células com muita glicoproteínas no citoplasma, e tem células com o citoplasma parecendo com agua. O material proteinaceo se calcifica de forma concêntrica, formando uma estrutura calcificada lembrando camada de cebola que se chama anéis de Lissengang.

Tumor odontogênico adenomatóide (tumor de origem

odontogênico epitelial, semelhante a glândula salivar)

Adeno: significa e’ glândula e Oide: semelhante a

• é comum em mulher

• Sua freqüência é na região anterior da maxila, em região de canino, causa retenção desse canino. Se ele tem um canino incluso uma lesão folicular que parece radiograficamente um cisto dentigero, nunca pode se descartar a possibilidade de ser tumor adenomatóide. Principalmente na fase inicial ele é radiolúcida, na fase avançada vai ficando radiopaco. Na fase radiolúcida ele é um Diagnostico diferencial do cisto dentigero, apresenta muito pontos calcificados que lembra a dentina porem não é dentina é o dentinoide).

Na hora que ele começa a fazer mineralização, radiograficamente tem imagem radiopaco, no meio daquela imagem radiolúcida, em volta do folículo pericoronario, Os radiologistas falam que o amelo

multiloculado o aspecto é de bolha de sabão, aspecto de tênis, o aspecto do adenomatóide flocos de neves. Quando você palpa, o aspecto é de areia , são as calcificações. Na face radiolúcida a proliferação epitelial formam estruturas microcísticas, com um material proteinacio dentro, que lembra um ducto de glândulas ou acinos de glândulas, mas vc pode corar com hematoxilina e na vai aparecer glândula.

Esses materiais proteinacio servem de matriz para mineralizacao, ele tem afinidade com o cálcio então ele se mineraliza. Algumas células epiteliais sofre mineralizacao nessa displasia e parece que forma túbulo dentinário, mas não é isso não é odontoblasto por que não é de origem mesenquima. É confirmado imunohistoquimicamente que é de origem epitelial. Radiograficamente observo uma imagem radiolucida, depois imagem radiopaco no meio como se fosse floco de neves.

Tumores Mistos

Tem origem tanto epitelial como ectomesenquimal, todos se produzindo de forma neoplásica, tem um ritmo proliferativo, eles interagem entre si, um componente misto neoplásico, com ou sem conteúdo mineralizado.

A formação de conteúdo mineralizado está relacionado ao tempo de interação entre esses dois tecidos. A maioria dessa lesões são uma só, o que diferencia é o tempo, se vc diagnostica no começo é uma lesão, se fosse mais tarde seria outra lesão.

Isso acontece com: fibroma ameloblastico, fibro-odontoma ameloblastico, odontoma.

O fibroma ameloblastico: Tem a proliferação da lamina dentaria, tem característica que lembra o ameloblastoma, a diferença é que o conjuntivo proliferava muito mais que o epitélio. Por isso não é ameloblasto fibroma e sim fibroma ameloblastico, por que Tem muito mesenquima, e no meio tem epitélio, e esse epitélio começa a interagir, e começa a fazer diferenciação de odontoblasto subjacente induzindo a produzir dentina.

Quando isso acontece já não é mais tumor fibroma ameloblastico e sim tumor fibro-odontoma ameloblastico, aí essa dentina que amadureceu serviu de base para o epitélio que é o ameloblasto de verdade que deposita esmalte. Na hora que tem deposição de esmalte ele muda de

nome para fibro – odontoma ameloblastico por que já tem esmalte e dentina. Quando esse tumor formar estruturas mais semelhantes a dente, com estruturas maiores, ele passa a se chamar de odontoma. Esse odontoma pode ser complexo ou composto. O complexo formar uma mistureba de dentina e esmalte, o complexo é uma estrutura. Se formar vários dentinhos (microdentes) é chamado de composto.

Fibroma ameloblastico:

Acomete mais jovem – na mesma regiao de ameloblastoma retromolar até molar.

o ectomesenquima se prolifera bem mais do que o epitélio

Histologico:

O mesenquima é um tecido frouxo, com matriz bem pobre em colágeno lembra o epitélio de Victor e..... , observa hipercromatismo, célula em paliçada, mas não tem polarização, indução abortiva

Fibro-odontoma

Os dois tecidos estão interagindo e realizando a retroestimulação, o epitélio estimula a formação dos odontoblastos que começa a produção de dentina, sendo depositada junto a lamina basal. Local: na maxila e mandíbula , É indolor .

Radiograficamente observa-se pontos isolados de calcificação, no meio do material radiolucida. Então seria uma região circunscrita radiolucida, com imagem radiopacas no centro, depois vira mista de tanto calcificações.

Tem deposito de esmalte e dentina

Tem uma lesão variante maligna que é a fibrossarcoma ameloblastico, sendo raro.

Na interface do epitélio e mesenquima vc tem a deposição de dentina, e acima da dentina tem o esmalte imaturo. Quando vc ver todas essas coisas é um tumor fibro-odontoma ameloblastico.

Odontoma

Dividido: em composto e complexo

Composto: tem denticulo, parece como microdentes.

Complexo: é um estrutura. É uma massaroca, uma mistura de dentina e esmalte.

Tumor odontogenico cístico

Faz lesão cística quando é tumor odontogenico calcificante cístico, o epitélio parece o de ameloblastoma, algumas células vão virar células fantasmas, que são células do epitélio que produzem muita proteína que acabam morrendo e podem se mineralizar, mas não sofrem liquefação, sua estrutura celular permanece, mas o espaço do núcleo fica vazio por isso são chamadas de células fantasmas por não tem núcleo. Essas células fantasmas se mineralizam.

Tumor odontogenico é misto por que ele se deriva de epitélio e células do ectomesenquima, tem formação de dentina displasica, e na radiografia parece ter vários odontomasinhos

As vezes vc pode entrar esse cisto junto com o tumor fibro-odontoma, por que tem estruturas com células fantasmas. No laudo vc vai dar tumor fibro-odontoma ameloblastica e tumor odontogenico calcificante cístico devido células fantamas, e odontoma complexos.

Então nesse tumor tem dentina displasica, células mineralizadas que são as células fantasmas.

Tumor de mesenquima.

1. Fibroma odontogenico: é uma proliferação do tecido fibroso

circunscrito e diferenciado, no meio ver epitélio do restos epitelial de

malassez .

Diagnostico diferencial: pode ser intra-ósseos, e extra-ósseos. Geralmente é intraosseo, o extraosseo: hiperplasia fibrosa cromatoide.

O tecido conjuntivo normal forma uma cápsula, de um fibroma odontogenico é mais vascularizado e tem epitélio odontogenico são semelhantes os restos epitelial de malassez. Não é muito comum.

2. O mixossoma:

É o mais comum desses tumores mesenquimal, é uma lesão agressiva. Radiologicamente parecem um lesão multiloculada, chamada favo de mel que são menores. Na tumografia: t2: perde estrutura liquida: aparece hipertenso, sendo branco, por que ele está gelatinoso

Mixossoma: é um tecido conjuntivo rico em matriz extracelular, células bem separadas umas das outras, células fusiformes, para um mesenquima de papila dentaria. As vezes quando tem muito colágeno, chamamos de fibromixsoma.

As células são achatadas e ricas em matriz extracelular fazem o diagnostico ser fácil.

O ultimo é cimentoblastoma:

O cimentoblastoma é uma periopatia verdadeiro. É a única das periopatias neoplásicas, é um tumor de cemento. Causa dor, não dá para fazer extração.

Diagnostico diferencial: é a hipercementose e também o tumores como osteoblastoma ( a diferença que seu crescimento é rápido em relação ao cimentoblastoma) e de lesões fibra óssea.

Radiográficamente consegue perceber a continuidade do ligamento periodontal, não consegui distinguir o que é dente e tumor, fica uma coisa só, vc ver radiograficamente e microscopicamente.

Se vc conseguir separar o dente do tumor não são tumores de cimentoblastoma e sim lesões fibra óssea.

O ligamento periodontal é separado do dente, esse é o grande diagnostico radiográfico, microscopicamente ver o ápice e nele parti o tecido cementoide, que está muito desorganizado, com tecido conjuntivo no meio, com áreas de reabsorção desse cemento e áreas de reposição ao mesmo tempo. Formação de linha de reversão indica área de calcificação, deposição de mineral que calcificou. No tecido conjuntivo

observa cimentoclasto e cimentoblasto fazendo reabsorção e reposição de cemento.

Neoplasias Benignas

• mucosa: Papilomas

• Vascular: Hemangiomas e Linfogiomas

• Neural: Neurilenoma (shiwanoma) e Neorofibroma (neurofibromatose)

• Muscular: Tumor de células granulares

• Adiposo: Lipoma e Lipomatose

PAPILOMA BUCAL

O Papiloma bucal é extremamente relacionado ao ato sexual, ou seja é sexualmente transmissível, e quando o vírus mistura o seu DNA com o DNA das células epiteliais, este DNA estimula genes proliferativos, e assim estimulam à proliferação epitelial, e as células epiteliais normais começam a se proliferar e isso faz crescer lesões, que são lesões pediculares , ou seja a base é menor que o ápice, e com projeções digitiformes, sua localização na boca é geralmente no freio lingual, devido o coniculado , que é o ato de protuzir demasiadamente a língua durante o ato sexual.

Dentro da boca, o papiloma é chamado de papiloma bucal, porem fora já pode ser considerado de verruga vulgar, hiperplasia epitelial focal, olho de peixe, condiloma cuidado.

E ai se a pessoa esta com uma lesão, e durante o ato sexual, o parceiro estiver contamida com o HPV(papiloma vírus), o vírus penetra para dentro da lesão. Nas mulheres a região mais afetada é o palato duro, região posterior da língua e região de úvula. Já no homem vai ser mais em lábios e freio lingual.

Da linha semilabio seco da mucosa, para dentro é papiloma bucal. e da linha semilabioseco para fora é verruga vulgar.

Os tipos de papilomas vírus são classificados de baixo, intermediários e alto risco. Os papilomas vírus que dão na boca são de baixo risco.

É importante sempre observar a lesão principalmente em mulheres se não está espalhada por todo corpo, que às vezes podem ser genitais e que podem estar virando câncer do colo do útero.

CARACTERISTICAS

1. É uma lesão digitiforme, lembrandoaspectos de couve flor.

2. hiperparaceratinizado ou ortoceratinizado.

3. No interior do epitélio, na camada espinhosavai ser encontrado a coilocitose ( Inclusão de proteínas virais que se acumulam no núcleo, fazendo este núcleo ficar aumentado e transparente.

4. Aumento do numero de mitoses.

5. lesõesexofiticas.

VERRUGA VULGAR

A verruga vulgar não tem tantas projeções papilares, sua superfície é irregular, pode ser séssil ou pediculada, porem é mais comum em ser pediculada, bastante comum em crianças, é mais comum na região de mão de joelhos, cotovelo, dedão do pé. Possui muita ortoceratina, em seu epitélio tem coilocitose, aumenta o numero de mitoses típicas , Cristas epiteliais alongadas que tende a convergir para o tecido conjuntivo.

CONDILOMA ACUMINADO OU VERRUGA VENÉRICA

Este tipo de lesão é o mais perigoso, pois pode virar um câncer, sua biopsia deve ser feita com mais segurança, na busca de displasia ou não desse tecido. Desta forma a presença de displasia indica malignidade da lesão.

1. sua base é séssil.

2. sua superfície não tem tanta projeções seu aspecto moriforme ( amora). E quando tem projeções são mais embotadas e curtas.

3. cristas de ceratina.

4. lesãoexofitica e edemaciada.

5. sua cor é rosa ou branca.

HIPERPLASIA EPITELIAL FOCAL OU DOENÇA DE HEECK

É muito comum na região Norte, na américa central. É causada pelo papilomasvírus 13 e 22.

Quando tiver múltiplos papilomas vai ser doença de Heeck.

1. sua base é séssil.

2. sua superfície é lisa, só levemente verrucosa e ceratinizada.

3. pode acometer tanto mucosa gengival, labial e gengiva inserida.

4. sua retirada só é feita quando é pra realizar o laudo, e se o comprometimento estético for muito grande.

5. são pápulas ou nódulos amolecidos e curtos.

6. podem ser da cor da mucosa as vezes mais esbranquiçados.

Microscopicamente é visto uma hiperplasia , com a base larga, aumento da espessura do epitélio, coloicitose, aumento no numero de mitoses, com figuras mitozoides (que não lembram as mitoses típicas).

HEMANGIOMAS

Oshemangiomas são tumores bengnos ou de mal formação de vasos sanguíneos maduros e bem formados, geralmente compostos por uma única camada de endotélio. Se dividem em três tipos, que são o capilar, cavernoso e venoso.

Eles devem ser tirados por blocos, alguns hemangiomas são operados e outros não, pois quando um hemangioma é gigante, o rico para o paciente aumenta.

O diagnostico de hamangioma é através da diascopia, com uma lamina de vidro comprime-se o emangioma, e causa uma isquemia local, se a lesão sumir, é um hemangioma, mas se não sumir pode ser outro tipo de lesão.

O tratamento de tamanho pequeno ou médio é com esclerose, com uma solução glicosada que são infiltradas nas lesões, essa solução vai estourar todas as células , estoura os vasos e com o tempo a lesão vai fibrosando.O medicamento chama-se etamolim.

Algo comum dos hemangiomas é o aumento das estruturas, só o hemangioma capilar que não aumenta, ele parece mais um sinal.

CAPILAR

É uma proliferação de capilar, e seus vasos são delicados, densos, Microscopicamente ele é multicelularizado, e quando está cheio de sangue, observa-se muitos vasos pequenos, cresce enquanto a pessoa crescer e por isso é mitoticamente ativo, mais comum dentro de músculos.

CAVERNOSO, onde os vasos são delicados porem apresenta um grande lúmen, semelhante ao do corpo cavernoso do pênis. Possui vasos capilares de paredes finas, mas muito amplos, fazendo grandes cavidades, sendo que não responde bem ao tratamento de esclerose, por ser muito grande. Quando é pequeno entãomedio, faz-se embolização dos grandes vasos com ciana crilato.

VENOSO - ARTERIOVENOSO

Que é o mesmo que arteriovenoso, onde seus vasos são maiores porem sua paredes vasculares é mais robustas, espessas, isso é a grande diferença microscópica. essa espessura se dá pela presença de músculos. Esses são os mais perigosos e geralmente os mais intraósseos.

Por isso que em lesões císticas antes de operar se faz uma punção, porque se for um hemangioma arteriovenoso, ele vai se encher de sangue ativamente, e para tirar isso tem que nas pontas onde está os vasos, porque se for introduzido dentro do hemogioma, a pessoa pode morrer.

Por isso que alguns hemangiomas são operados e outros não, pois quando um hemangioma é gigante, o risco para o paciente aumenta.

LINFAGIOMA

Microscopicamente o linfagioma apresenta uma parede muito mais delicada, com o endotélio bem delicado. O vaso não se aguenta muito, e não se ver muitas hemácias dentro dele, é diagnóstico diferencial do hemangioama, e de algumas lesão malignas, sarcomas, sarcomas de kaposi.

Parece muito com o granuloma piogenico, a diferença é que nas paredes do granuloma vai haver muitos vasos, só que estes estarão inflamados.

NEURAL

Neurofibroma é uma lesão que se parece com uma hiperplasia fibrosa inflamatória, é uma lesão nodular que pode ser séssil ou pediculada, porem é mais séssil. Durante a palpação é firme, é da cor da mucosa normal. Quando esta lesão aparece, mas não aprece inflamação significa que não é hiperplasia fibrosa. Microscopicamente se ver uma proliferação desordenada e muito fibrosada. Quando há mais de um neurofibroma pode- se suspeitar de neurofibromatose, ou síndrome de Vonrickiihousen, que tem vários níveis.

Os neurofibromas costumam dar na pele, é um diagnóstico diferencial para Hanseníase do tipo lepromatosa.

Shiwanoma ou neurilenoma, neurilema que é também das células que envolvem o feixe neural, sua etiologia é igual ao neurofibroma, a característica clinica é semelhante, sendo uma lesão nodular, porem é mais séssil, acomete a mucosa, é rígido a palpação, encapsulado só que a sua organização é diferente, pois microscopicamente apresenta dois padrões, uma é chamado de Antony ‘A”, é quando os feixes neurais estão organizados, formando áreas corpusculares, formando aglomerados de células emparelhadas que são os corpúsculos de Verocai.

Quando eles estão todos espalhados com aspecto de mixoma, é Antony ‘b”.

LIPOMA

Os lipomas que dão na boca geralmente são originados da bola de Bicha, que é onde tem gordura abundante, por isso que eles se localizam mais na mucosa jugal na região de bochechas, mas pode acontecer na região submandibular, é bem duro e flutua durante a palpação. É bem encapsulado e vascularizado, boia no formol, microscopicamente os adipócitos vão estar normais. Ele apresenta uma variação que é um fibrolipoma o que pode levar a confundir com hiperplasias fibrosas, neurofibromatosas , neuroma traumático, shiwanoma. A lipomatose, é quando uma pessoa apresenta vários lipomas no corpo.

Outras lesão que pode ser diagnóstico diferencial para neurofibroma, neurilenoma, lipoma é o TUMOR DE CELULAS GRANULARES, sua origem é indeterminada, pode ser muscular, neural, no Brasil não é muito comum, acontece mais no hemisfério Norte. É uma lesão nodular na língua, sua coloração pode estar mais avermelhada, esbranquiçada ou da cor da mucosa normal. Microscopicamente será visto o tecido em meio a células vasculares, com núcleo pleomórfico, e o citoplasma bem granular.

Leucoplasia

Câncer no Brasil no site do INCA

O câncer de boca é maior de idade prevalência no Brasil, acomete mais homem devido fumar mais.

Por estado no amazonas tem 80 casos de câncer diagnosticado e notificado. O estado do amazonas tem o mesmo habitante que o espírito santo,

Os fatores são: álcool, fumo, sol

Sitio de maior predileção: lábio inferior, assoalho boca e língua. Região baixa da boca. P

Por que a região baixa de boca é mais atingida com o câncer de boca?

Fator principal é gravidade – tudo que coloca na boca sofre gravidade inclusiva os agentes carcinogênicos. Todos os agentes carcinogênicos que vc come desce e se concentra nessa região.

Lábio inferior: o fator é o sol – depois o tabagismo

Lesão cancerizável:

• Leucoplasia

• Eritroplasia

• Queilite Actinica

• Carcinoma basocelular

Leucoplasia

Para o patologista que recebe um laudo o importante é se tem displasia ou não, o grau de displasia. Sua característica é clinica, assim como eritroplasia.

OMS: Mancha ou placa branca que não pode ser removida por raspagem, não pode ser caracterizada clinicamente como outra doença. É uma coisa branca, vc raspa não sai. Leuco = branco plasia = crescimento.

Diferença de mancha e placa?

Mancha é uma alteração de cor no tecido sem aumento da superfície sendo lisa e plana. Nunca são raspada.

Placa: libero aumento da superfície de um a dois milímetros de altura, tem um aumento mais não é grande, podem ser raspada ou não.

O diagnostico de leucoplasia é exclusivo , é exclusivo de fazer exclusão, vc excluir outras causas, lesões.

Leucoplasia é uma placa ou mancha que não pode ser removida, e não pode ser caracterizada como outra doença.

Diagnostico diferencial: queratose friccional: é branca não removível, mas tem uma relação causa e feito. Candidose pseudomembranosa é uma placa branca, porem é removível. Queimadura: ex: palato com café quente, tem uma relação causa e feito.

Para saber se é leucoplasia, tem que saber por que não é outra doença. Leuco tem uma relação causal ex: sol, vírus da AIDS

O importante é vc ver característica clinica e saber de displasia

Leucoplasia clássica que é mais comum: classificada como leucoplasia homogênea, que tem um aspecto mais branco sendo mais placa do que mancha, com uma textura superficial chamada de papirasia ou acartonada parece um papilo parece um papel estirado colado na parede. Tem que excluir algumas coisas com o morsicatio. Por que as vezes o rapaz tem um morsicatio um mucosa mordiscada, fica branco ,mas nesse caso tem uma caso e efeito isso é muito comum, quando a pessoa fica nervosa

Deve diferenciar de morsicatio bucal devido ao nervoso e também tem uma relação causa e efeito e microscopicamente é diferente, não tem displasia, tem um mordisco. Ex: psicológico, ou remédio, uso de aparelho

ortodôntico. Mas quando chega um ponto que vc não sabe, sempre diagnosticar como leucoplasia, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta. O grande lance da leucoplasia que faz essa lesão ser branca é presença de hiperqueratina pode ser hiperpara ou hiper-orto. Outra coisa importante é que essa hiperqueratinizacao a sume um padrão semelhante ao símbolo militarismo.

A não homogênea tem um mais aspecto verrugoso, geralmente não se transforma em carcinoma espinocelular ela se transforma em carcinoma verrugoso que é menos grave em termo de metástase é um espino sendo mais layt e muito relacionado ao tabagismo principalmente fumadores de cachimbo, masgatores de fumo é o principal, e também está relacionado ao HPV que é um vírus comunitário tem que tratar.

A diferença entre a homogênea e não homogênea ?

A não homogênea tem um aspecto verrugoso. A não homogenizada aumenta a chance de transformação na malignizacao da doença em vez de carcinoma espinocelular, vai se transforma em carcinoma verrugoso.

Por que o normal da leucoplasia é se transforma em carcinoma espinocelular. O tratamento e remoção é igual.

Em um laudo histopatológico de lesão cancerizavel pouco importar o nome da lesão, o que importa é se tem displasia ou não, pois isso mostra a aproximidade que essa lesão vai está com uma neoplasia maligna de um carcinoma espinocelular. `

Quanto mais displasico essa lesão mais grave. Um leucoplasia sem displasia, o cara fuma, vc recomenda ele para de fumar, depois de um tempo some a leucoplasia. Acaba o estimulo, o DNA, faz o reparo. displasia cada vez maiores acontece mutações carcinogênicas

O nome da doença é importante para descrever o nome da doenca, o mais importante é se tem displasia ou não e qual o grau de displasia. Por isso que o grau de displasia é importante em um laudo. Isso até em exame papanicolau, tem Nico 1 nico 2 isso é o grau de displasia.

OMS: displasia é um processo onde o tecido está esquecendo quem ele é, vai perdendo sua característica morfofuncionais, no caso do epitélio está relacionado a estratificação, sua capacidade de fazer queratina, sua adesão

ao tecido conjuntivo. Displasia: estado proliferativo do epitélio com alteração no processo de diferenciação.

14 caracteristicas de critérios de diagnósticos:

1. Perda de polaridade das células da camada basal: um tecido

normal o núcleo fica bem da camada basal na displasia como o

epitélio aumento o índice proliferativo, ele pede essa polarização

fica um espaço entre o núcleo e camada basal.

2. Mais de uma camada de célula com aspecto de células da

camada basal. O papiloma também apresenta essa característica .

Quanto mais tem essas características agente classifica como leve,

moderado, severa. Quem tive as 14 mais grave será. O grau mais

severo é o carcinoma in situ. Quando vc tem a ruptura da lamina

basal e o câncer começa a invadir .

3. Perda da relação núcleo – citoplasma (alterada) – uma célula

epitelial agente sabe que o núcleo é mais ou menos 1/3 da célula,

essa relação é perdida, o núcleo fica muito grande.

4. Cristas epiteliais em gota – desde quando aprendemos sobre o

epitélio em histologia 1.0 isso até bloqueia a cabeça de vcs que

fica vendo o tecido conjuntivo no meio do epitélio lá na pratica, é

por que mudou o plano de corte, por que agente aprende o epitélio

assim as cristas epiteliais de forma digitiformes. Porem essa

cristas quando cortadas em corte transversais fica em forma de

gota. Por que ela fica em forma de gota? Por que a região basal

está se proliferando muito então alargar a base dessa crista, por

que a porção basal está proliferando muito, enlarga a base, fica

em forma de gota e não digitiforme.

5. Estratificação epitelial irregular: como que é um epitélio

estratificado pavimentoso. Camada basal, espinhosa, granular,

córnea. Quando vc ver basal, basal, córnea, espinhosa está errado,

queratina é para está em cima na camada córnea, se ela não

estiver é um erro muito grande. Célula se dividindo na camada

superficial, não é para da viva, e para célula está morta.

6. Numero aumentado de figuras mitóticas: tem em neoplasia

benigna, em papiloma. Normalmente no epitélio vc não ver

nenhuma figura mitótica.

Qual é a importância da displasia: margem de segurança, limitação da lesão, acompanhamento, necessidade ou não de quimioterapia.

Para retirar uma lesão, retira um parte do tecido bom.

7. Mitosesatípicas

Núcleo aumentado mais tem mitose atípicas. Uma mitose típica tem: prófase: forma o núcleo, metáfase: faz a fibra do fuso e do meio, anáfase: começa a polarizar telófase: começa a separar os núcleos. São figuras mitóticas típicas, se você qualquer coisa que não é isso é atípico: um T ou bola de futebol, um sinal do Batman.

8. Mitoses nas camadas epiteliais superficiais

9. Pleomorfismocelular e nuclear: varias formas, no epitélio

normal, cada camada tem uma forma, na camada basal as célula

são mais cubóides, na camada espinhosa vão ficando esticadas,

até chegar na córnea que ficam achatadas. Então elas tem uma

forma típicas. Pleomorfismo é? Varias formas nessas diferentes

camadas.

10. Hipercromatismonuclear:

11. Núcleoaumento. Hiper: núcleo esta muito aumentado, chega as

vezes ocupar todo citoplasma. Às vezes ficando com número

haplóide alterado. Normal é ter 46, mas nesse caso pode ter 56,

256.

12. Perdadeaderênciaintercelular: perda dos desmosomos , as

células firam uma bolinhas e ficam umas separadas das outras.

13. O epitélio perde a capacidade de revestimento, já tem úlcera.

14. Disqueratose: fazer queratina fora do lugar, normal: fazer

queratina na basal, desenvolver na espinhosa e morrer na córnea.

Se estiver fazendo queratina lá na espinhosa, acumulando

queratina no citoplasma até seis células é considerado é chamado

de disqueratose . Quando mais de seis células formam

pseudocistocornea chamada perola córnea disqueratose com mais

células.

Características histopatológicas:

Classificação: leve, moderado, severo,

- leve: consegue identificar todas as camadas isso é uma coisa boa, porem a camada basal está aumentada, tem perda de polarização, lamina basal está integra, uma perda de proporção núcleo e citoplasma( núcleo maior), ainda não tem figuras mitóticas.

- no moderado: tem pleomorfismo já acentuado, presença de figura mitóticas típicas e atípicas, as camadas ainda organizadas apesar de já começar a desaparecer camada espinhosa, e granulosa, começa perder a estratificação, mais ainda tem a capacidade de revestimento.

- severa: mitose na camada superficial, muita perda de adesão ( espaço entre as células), muito hipercromatismo, muito pleomorfismo, crista epitelial em gota, infiltrado inflamatório monuclear subjacente ao epitélio. Sendo bom, por que é um mecanismo de defesa, enquanto tem infiltrado é bom.

Ainda não é in situ por que não rompeu a lamina basal.

Cheldan: são leucoplasia com displasia leve

acantose: que é um aumento da camada espinhosa.

Se tiver com alguma duvida no diagnostico, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta. Entre displasia severa é melhor dizer que é carcinoma in situ.

• Eritroplasia

A fase transitória de leuco para eritro é chamada de eritroleucoplasia por que tem branco com vermelho. Geralmente são displasia severa, e

quando vc faz uma biopsia nessa área geralmente apresenta carcinoma in situ. Essa áreas que estao vermelha, devido ou o epitélio está extremamente fininho, por que está perdendo a capacidade de revestir ou não está revestindo mais, por isso vc está vendo o conjuntivo subjacente , por isso ele é vermelho , não tem mais queratina, o epitélio já esqueceu de fazer queratina, e está perdendo a capacidade de revestimento.

Então eritroplasia são as lesões cancerizáveis de maior índice malignizaçao. Enquanto que as leuco são as mais freqüente, eritro não é tão comum, mas tem potencial de malignizacao alto.

Locais de origem: assolho de boca, região de trigono retromolar tem uma preferência maior, língua. A mesma coisa de leuco só que vermelho.

Sendo diagnostico diferencial com: hemangioma ( diascopia) , queimadura ( lesão química, física), afta, inflamação. Como diferenciar vc retirar o agente causador, se não melhorou.

- Histopatológicos:

Presença de crista em gotas,

Disceratose

Célula se multiplicando na camada superficial

Mitoses atípicas

Ilhotas epiteliais

Perda do núcleo- citplasma

• Queratose palatina associado ao fumo invertido

Quem faz isso: caçadores,

Mucosa palatina difusamente esbranquiçada dos fumadores.

É uma queimadura térmica.. chamada estomatite nicotínica da ceratose do fumo invertido.

- Histopatológico

Observa-se hiperqueratinização

Áreas ulceradas no palato são pequenas Necrose de glândula salivar eliminados essa glândulas. Microscopicamente tem hiperplasia com grau de displasia normal

E como o palato é cheio de ducto salivar sendo obstruído por queratina ou a própria temperatua causa a necrose dessas glândulas, deixando um aspecto eosinofilico de necrose coagulativa.

Essa lesão é muito rara. O problema não é a queimadura, se não tratar pode gerar uma malignidade.

• Queilite actinica quei: lábio ite: inflamação actinica: sol

É uma displasia epidérmica devido à radiação solar É a mais freqüente de todas, devido o sol. Ocorre em lugares ensolarado, e em pessoas mais brancas.

Acomete: pescadores, agricultores, surfistas, profissões que ficam exposto ao sol por tempo prolongado.

Pode ser: leucoplasica, eritroplasia, ou ulcera.

A queilite começa com uma hiperceratose,

Lábio fica endurecido causado pela elastose solar. Por que a radiação utravioleta penetra muito fundo,vai até o subcutâneo, e lá no subcutâneo ela cozinha os feixes de fibras colágenas ela quebra o colágeno todinho, colágeno quebrado perde sua elasticidade, então fica endurecido, a versão cutânea da queilite chama dermatite ou dermatose actinica outro termo para queilite actinica é queilite dermatose, queilose.

No avançado perda da linha semio lábio seco.

Histopatológico:

Conjuntivo não observo as fibras colágenos com aspecto basofilico

- Câncer

Etiologia:

Tabaco é maior responsável

Álcool é o coadjuvante, potencializa o câncer, promotor da cancinogenese, acelera o processo carcinogênico.

Radiação solar é a segunda causa

E a exposição à agente infeccioso como o HPV. Um condiloma acuminado pode ser transformado em carcinoma espinocelular. De 1% dos carcinomas da boca tem origem do condiloma.

Aspectos clínicos:

O carcinoma apresenta uma lesão ulcerada de bordas elevadas, longa duração, dolorida ou com dificuldade de deglutição.

Tem que saber fazer diagnóstico diferencial: paracoccidiose micose, tuberculose, uma afta crônica, varias lesões crônica ulcerativa. Tem que fazer biopsia.

OMS conceito do carcinoma in situ: Alteração displasica em todas as camadas epiteliais, sem haver invasão da lamina basal.

Histológico: perda da proporção núcleo e citoplasma, presença de três a quarto nucléolo, mitose atípicas, não tem adesão, não faz queratina.

Até o momento nenhum comentário
Esta é apenas uma pré-visualização
3 mostrados em 23 páginas